O Melhor Amigo do Homem 8 – A Iniciação de Juliana 2

Click to this video!
Autor

No outro dia, acordei e fiquei pensando no que ocorreu. Juliana tinha saído parecendo sentir dor pois não estava andando normal.

Liguei para a Fátima: oi amor tudo bem com você? Ela: tá tudo bem, eu:
Fiquei preocupado com a Juliana, percebi que ela não saiu bem!, Ela: está tudo bem com ela, saiu um pouco machucada, o Zeus castigou bem a bucetinha dela, ficou inchada, mais depois que ela tomou seu banho, eu passei uma pomada analgésica e ela foi dormir, o namoradinho ligou ela não quis nem falar com ele, mais acordou bem, já tomou café e agora está tomando um solzinho na piscina.

Eu:- ela comentou alguma coisa a respeito do nosso envolvimento ?, sei que ela é uma menina esperta, deve ter percebido.

Ela: – sabe, fiquei também preocupada com isso, não sabia como ela iria reagir depois que a ficha caísse, afinal ela nunca percebeu nada a meu respeito sobre trair o pai dela, até porque antes de te conhecer nunca tinha passado pela minha cabeça que isso poderia vim a acontecer, e aconteceu, tudo por culpa do Zeus kkkk, mais estou adorando tudo isso, virou minha vida de cabeça para baixo.

Eu: – e como vai ser sua conversa com ela?, ela: – essa conversa já tivemos, estou aliviada com o resultado!, minha filha além de eu ter certeza que vai ser uma putinha igual a que me descobri, tem a cabeça aberta e até me surpreendeu com a sua maturidade, apesar da
sua idade.

Estava exitada com as lembranças de Juliana gemendo grudada com o zeus, mais ao mesmo tempo preocupada, como seria a reação dela quando me visse?

Tomei um banho demorado e relaxante, passei um creme no corpo, vesti um conjunto de dormir sem calcinha, ainda estava ardida das suas roladas, sempre pensando como seria nosso encontro!. Sai e fui até a sala e liguei a tv mais não tinha concentração para ver nada, ela ainda no quarto, resolvi ir ver como ela estava.
A porta estava destrancada, empurrei, tive uma bela visão, ela estava deitada de bruços, braços descansando dobrados ao longo da cabeça, pernas abertas e de sua buceta inchada e vermelha, ainda escorria um pouco de uma mistura de gala do cachorro e um sangue ralinho. Ela dormia.

Sentei na beira da cama e fiquei acariciando seus cabelos ainda úmidos de suor, após alguns minutos, lhe chamei, ela acordou e ficamos olhando uma para a outra como num transe, ela permanecia do mesmo jeito, só abriu os olhos. Dei-lhe um beijo no rosto.

VOU TENTAR RETRATAR A CONVERSA DAS DUAS.

Fátima:- amor, você está se sentindo bém?…Juliana:- só estou cansada e dolorida, o Zeus me arombou!…as duas começaram a rir da resposta.

Fátima:- vá tomar um banho para lavar essa ppk que eu vou buscar uma pomada genecologica que eu uso, vou passar e vai aliviar.

As duas saíram, Juliana com um pouco de dificuldade, levantou ajudada pela Fátima foi para o banheiro e Fátima foi buscar a pomada.

Quando chegou Juliana ainda estava no banho, ela ficou esperando. Estava com o pensamento longe quando a filha saiu enrolada em uma toalha e enxugando os cabelos com outra. Fátima levantou e foi ajudar a filha a enxugar os cabelos.

Juliana deite aqui na cama para a mamãe passar a pomada. Juliana deitou, e com os joelhos dobrados, deixou sua buceta exposta para a mãe, com delicadeza abriu aquela Flôr vermelha, adimirou por segundos e começou a passar a pomada, por vês empurrava o dedo mais profundo sentindo ela em volta do seu dedo, as vezes se demorava mais no clitóris que já estava ficando inturmecido, mais que o normal, percebeu que a respiração de Juliana estava ficando mais ofegante, ela também estava gostando daquela brincadeira e sentindo sua buceta melar.

Juliana:- mãe tá bom se não….e eu quero conversar com a senhora…Fátima ficou gelada, mais se manteve na dela, e esperou o pior.

Juliana foi direta:- mãe, o que a senhora tem com o Paulo?…o que eu vi hoje, tenho certeza que não foi a primeira vez que aconteceu.
Fátima engoliu em seco e resolveu ser sincera com a filha: – meu amor, eu realmente tenho um relacionamento com o Paulo e não sei mais viver sem ele……..e relatou tudo sobre o nosso envolvimento desde o início de tudo, nos contos anteriores vocês tem esses acontecimentos, rolou até o que ela estava achando que o Juliano(seu marido), estava querendo ser corno.

Juliana escutou tudo sem reação é no final falou:- mãe, você tem todo o meu apoio, se o pai quer isso, vai ser melhor com o Paulo!, Fatima:- e você vai me ajudar, eu sei que o seu pai tem um carinho todo especial por você vejo como ele fica lhe olhando quando você está de bunda para cima na beira da piscina, Juliana só deu um sorrisinho e….mais me conta como a senhora consegue aguentar tudo aquilo? E me diz outra coisa, apesar de eu estar entalada no Zeus, eu escutei bem quando você falou que eu iria gostar também quando acostumasse, você quer ver eu com aquele monstro enfiado em mim?
Fátima:- tudo se resolve na hora certa, …mais me conta uma coisa, o que você achou do que fez com o Zeus?
Juliana:- vou lhe confessar uma coisa, no início estava achando tudo muito estranho, mais na sua impossibilidade e na de colocar ele para cruzar com uma cadela, resolvi aceitar, e depois do susto, gostei e quero novamente.

Fátima feliz com o que escutou, então tá, vou falar com o Paulo para marcamos outra vez.

Fátima:- foi isso que aconteceu, estou radiante com tudo, Agora quero comemorar, vendo ela com o Zeus novamente, quero você com ela também.

O pau já muito duro e me punhetando, falei:- você acha que amanhã ela tá pronta? Fátima:- vai tá sim, eu vou cuidar bem daquela bucetinha hoje, amanhã vai está novinha novamente.

Cheguei, Fátima me esperava deliciosa e Juliana veio me receber com um beijo no rosto.
Eu:- como está minhas lindas?
Juliana com uma saia rodada e curta, mostrava suas lindas pernas grossas, sentou à minha frente sem se importar com as pernas abertas, tenho certeza que tinha participação da mãe naquele comportamento, a calcinha vermelha aparecendo sem sua preocupação de esconder.

Fátima veio e sentou na minha perna, me assustei, não esperava essa sua atitude, pelo menos naquela hora. Fiquei alisando suas coxas. Para minha surpresa, Juliana falou:- Paulo, minha mãe me falou tudo que está acontecendo com vocês, me falou do meu pai também, dei a maior força para ela, só espero que ela não se decepcione com tudo isso, e eu também quero participar.

Fiquei encantado com a sua maturidade, apesar da pouca idade.
Chamei:- vem sentar aqui perto da gente, ela veio e lhe dei um beijo no rosto e mais uma vez me surpreendeu, ela deu mais um, só que na minha boca que correspondi chupando sua gostosa língua, e sua mãe assistindo tudo.
Falei:- Ju sua mãe me falou que você quer repetir a dose com o Zeus?, ela:- quero, agora já não vou ter mais medo.
Eu:- Fátima vá buscá-lo, ela foi.
Juliana me beijou na boca alisando meu pau que estava duraço, pedi para ela tirar ele, ela fez, segurou pela base e ficou admirado, falou:- de pertinho assim é muito maior e mais grosso, e colocou a boca me causando uma sensação gostosa com aquela boca quentinha, e chupou se deliciando. Muito gostosa aquela chupeta.

Quando abro o olho a Fátima estava nos olhando segurando a guia do Zeus, tirei a boca da Juliana do meu pau e fui até a Fátima lhe beijando.

Fui preparar o Zeus, e automaticamente ela foi até a Juliana lhe ajudar a se despir. O Zeus, cachorro de sorte, só esperando sua vez ficou sentadinho nos olhando. Peguei Juliana e deitei no chão, tirei minha roupa e cai de boca na sua buceta carnuda que já estava escorrendo de exitação, chupei metendo a língua o mais fundo que podia. Juliana:- aiiiiiiiiiiiiii, essa língua me deixa tesuda, mete fundo aiiiiiiiiiiiiii, meu namorado nunca fez isso, com suas pernas precionado a minha cabeça, não para ….vou gozar is, is, is o vento passava apertado entre os dentes, os pelos arrepiados, os bicos dos peitos durinhos, estremecendo o corpo em espasmos e derramando aquele liquido grosso é doce que saia da sua buceta na minha boca, nem sua mãe gozava com tanta quantidade. À coloquei de quatro, dei umas lambidas por trás, indo até seu cuzinho rosado, coloquei a cabeça do pau na entrada da buceta e tentei meter, não entrou, Fátima veio e pegou meu pau e segurou firme, empurrei novamente e a cabeça passou, Juliana deu um grito e foi para a frente, lhe segurei pelos ombros e parei com a cabeça dentro, coloquei mais um pouco e fiquei brincando com o que estava dentro.
Juliana se contorcia e gemia com a penetração, resolvi tirar, apesar de está muito gostosa aquela bucetinha apertadinha.

Peguei o Zeus e levei até a Juliana, deixei por conta dele, ele já estava bastante treinado, subiu nela e ficou bombando, desceu, lambeu a buceta dela, trepou novamente, não conseguiu, deixei ele ficar avontade com a sua cadelinha. Subiu novamente e dessa vez achou, quando conseguiu penetrar, segurou com força pelo quadril da Juliana e acompanhado de um grito dela ele empurrou tudo, ela:- aí meu Deus, ele está colocando o nó, aiiiiiiiiiiiiii, aiiiiiiiiiiiiii, caralho, que pica grande, aiiiiiiiiiiiiii estou sentindo no meu estômago, mais é deliciosa!. O Zeus parou e ficou em cima dela, por conta própria foi virando e dava para ver o nó entalado na bucetinha dela.
Aí fui perceber a Fátima se masturbando no chão, fui dar atenção, tirei sua mão e fui chupar a sua buceta maravilhosa, ela,:- meu amor você me deixa feliz, eu me esbaldo nessa pica, coloca tudo em mim, fui colocando no papai e mamãe, ela de pernas para cima
Fui empurrando, e ela :- eu vou enlouquecer, pqp está no meu útero, fode meu útero, fode. Puxei devagar até a cabeça ficar presa pelos seus grandes lábios e judiei, empurrando de uma vez lhe tirando urro de dor e prazer.
Estava muito doido de tesão, tirei e meti várias vezes com uma certa brutalidade, sempre lhe tirando urros, nunca tinha feito um sexo com tanta brutalidade como dessa vez. Ela:- caralho você está me machucando, aiiiiiiiiiiiiii filha da puta devagar, eu nem ligava, lhe virei de quatro ao lado da filha e empurrei no seu cu, reclamou novamente, mais eu estava alucinado fudendo ela.
Bombei com força lhe tirando as últimas pregas, senti que iria gozar e empurrei até encostar na sua bunda, e despejei toda a minha porra no seu gostoso cu.
Segurei até despejar a última gota,
O Zeus parecia que estava esperando eu terminar e vi ele largando da Juliana, lambeu sua buceta que pingava a sua porra.
As duas ficaram deitadas lado a lado e eu fazendo carinho nas duas, levantei a cabeça e tomei um susto, encostado na porta estava o Marcos batendo uma punheta, não sei a quanto tempo ele estava ali.

Obs. Vocês que gostam dos meus contos e tem alguma estoria e não tem coragem de contar, passa para mim que analisarei e publicarei fazendo a ressalva que é de um amigo, pode ser qualquer assunto, incesto, zoo, corno, qualquer um, terei o maior prazer em contar.
Meu e-mail é eletronico [email protected]