Minha infância gostosa com Carlinhos

Click to this video!
Autor

Bom, meu nome é Paulo, hoje sou um senhor com 63 anos e vou contar como foi a minha primeira paixão e foi com um outro garoto.
Quando tinha 8 anos meu pai veio a falecer devido a uma doença então só ficamos eu, minha mãe e meu irmão mais velho que na época já tinha 16 anos. Meu irmão já trabalhava e estava sustentando a casa, mas minha mãe resolveu começar a traballhar também e eu passei a ficar com a dona Alzira nossa vizinha todas as tardes depois da escola, dona Alzira mora só com o neto Carlos que todos chamavamos de Carlinhos, sempre fomos amigos. O tempo foi passando e dois anos depois meu irmão se casou, vale lembrar que naquela época era normal se casar bem jovem e com o meu irmão não foi diferente, ficamos então só eu e minha mãe, ela continuava trabalhando, mas agora ela já me deixava ficar em casa depois da escola, pois naquela época isso era seguro.
Carlinhos e eu continuavamos muito amigos e todas as tardes sempre brincavamos juntos na minha casa ou na dele, eram sempre as mesmas brincadeiras: bolinha de gude, pião, carrinho, na época não existiam esses brinquedos de hoje em dia e nenhum de nós tinhamos televisão então eram só essas brincadeiras o dia todo e nós gostavamos muito. Uma noite minha mãe pediu pra eu juntar algumas coisas que o meu irmão deixou no quarto antes de se mudar pra casa dele com a esposa e enquanto juntava tudo eu acabei achando dentro de uma caixa de sapato uma revista erótica, o ano era 1965 então as revista erão bem mais "comportadas" do que são hoje, mas mesmo assim levavam os garotos a loucura, inclusive eu, naquela noite após olhar um pouco a revista e encontrar um esconderijo pra ela (porque se minha mãe soubesse com certeza ia me dar uma surra), minha mãe foi me dar banho eu eu acabei ficando com o pintinho duro, minha mãe não falou nada, mas eu fiquei com muita vergonha, claro que já tinha acontecido outras vezes, mas dessa vez foi diferente porque eu tinha descoberto que o pinto não servia só pra fazer xixi, durante a noite, agora com o quarto só pra mim eu fiquei vendo a revista e mexendo no meu pinto e foi muito bom, sentia umas cócegas bem gostosas fiz isso por um bom tempo, tanto que no outro dia de manhã eu estava até cansado pra ir pra escola.
Na escola eu falei pro Carlinhos o que eu tinha achado e ele pediu pra mostrar, aí eu disse pra ele ir na minha casa depois da escola e assim ele fez, quando ele chegou eu já estava olhando a revista de novo e comecei a mostrar pra ele e claro que ele também ficou doido, olhei pro shorts dele e vi uma pequena barraca armada e falei pra ele que eu mexia no pinto e que era gostoso e eu comecei a mostrar pra ele que começou a rir, mas logo começou a fazer o mesmo e ficamos a tarde toda assim. A noite dona Alzira teve que ir ficar com a irmã dela no hospital e pediu pra minha mãe se Carlinhos poderia dormir lá e claro que a minha mãe deixou…
A noite minha mãe arrumou a cama que era do meu irmão pro Carlinhos dormir. Cada um em sua cama eu falei pra ele que ia ver a revista de novo e ele pediu pra ver junto comigo e eu deixei, ele logo veio pra minha cama, acendi só o abajur pra minha mãe não saber que estavamos acordados e antes de abrir a revista eu disse assim pro Carlinhos:
– A gente nem começou a ver a revista e o meu pinto já tá duro!
– Mentira!
– Põe a mão pra você ver….
E ele colocou mesmo e começamos a rir baixinho e falei:
– Mulherzinha, colocou mesmo rsrs
– Eu pensei que era pra por mesmo ué rsrs
Começamos a ver a revista e ele já colocou a mão no pinto dele por cima do shorts:
– Põe a mão de novo?
– Eu não rs
– Põe, é gostoso, depois eu coloco no seu
– Tá
Ele colocou, mas dessa vez ele ficou dando umas apertadinhas e eu claro fui a loucura, mesmo tendo descoberto essa prazer a pouco tempo, mas percebi que sentir o toque de outra pessoa é muito mais gostoso, tanto que fechei os olhos e gemi baixinho e ele deu um risinho, tudo isso aconteceu ainda com o shorts.
– Agora coloca no meu
– Tá
Eu coloquei e senti um pintinho bem duro que parecia até se mexer dentro do shorts, eu também comecei a dar umas apertadinhas e ele também gostou muito, peguei a mão dele e coloquei no meu pinto e ficamos assim um apertando o pinto do outro por um bom tempo até que falei pra gente fazer igual na revista e colocar a boca pra ver se era gostoso e ele topou na hora. Eu tirei meu pinto pra fora e ele já foi se abaixando, nem precisei falar nada porque acho que ele assimilou que como ele tinha pego no meu pinto primeiro então ele chuparia primeiro também. Quando senti a boca dele encostando na cabecinha do meu pinto eu fiquei louco, tanto ele quanto eu não sabiámos como chupar então ele só colocou a boa e ficou parado, mas sentir a boca dele molhada e quentinha no meu pinto me deixou eufórico e instintivamente comecei a fazer movimentos de vai e vem na boca dele e ele deixou, fiquei assim por um minuto mais ou menos quando ele tirou e disse que era minha vez de por a boca.
Carlinhos desabotoou o shortinho e tirou o pinto pra fora e era muito bonitinho,bem branquinho igua o meu, pequeno é claro, mas era grossinho, a cabecinha não saía toda pra fora igual o meu, mas eu gostei. Fui me abaixando e coloquei a boca, foi um gosto totalmente diferente, meio salgadinho com um gostinho de xixi bem leve que aos pouco foi saindo esse gosto, ele também começou a fazer momimentos de vai e vem e eu deixei, fiquei com a boca no pinto dele mais tempo que ele ficou com o meu na boca dele porque eu quis, provei e gostei, quando tirei falei pra fazermos mais coisas da revista e a outra coisa que faltava era comer um ao outro e ele aceitou.
Antes fui até a porta do quarto e tranque só por precaução, quando voltei pra cama Carlinhos estava deitado de bruços e baixando os suspensórios (sim, naquela época era comum usar, eu só não estava usando porque estava com um shorts de dormir), quando terminou de baixar ele começou a abaixar o shortinho junto com a cueca e pude ver a popinha da bunda dele pois a camisa ainda tava por cima pelo fato dele usar ela pra dentro do short, quando ele levanto a camisa eu vi a bunda dele inteira e era muito bonita, carnudinha, bem branquinha e eu fui em cima dele, coloquei meu pinto no meio dela e comecei a fazer movimentos de vai e vem e ele disse que não tava entrando no buraquinho aí eu pedi pra ele abrir a bunda pra eu ver onde era e ele fez, quando abriu vi um buraquinho todo rosadinho, fechadinho e coloquei meu pinto ali e tentei por, mas não entrava, então lebrei da revista e fui olhar e vi que antes que por na mulher o cara beijava a xana dele e depois colocava, eu pensei que era assim, então ele abriu a bunda de novo e eu comecei a beijar aquele buraquinho como se estivesse beijando a boca de uma mulher que eu nem sabia como era isso, só sei que senti ele dando uns gemidinhos baixo e até senti ele dando umas reboladinhas, só sei que eu tava gostando de tudo inclusive do gostinho diferente, voltei pra cima dele e coloquei a cabecinha bem no buraquinho e comecei a forçar e começou a entrar, quando a cabelcinha passou ele disse um "ai" bem baixinho:
– Aiii, vai devagar, dói um pouco
– Quer parar de brincar?
– Não, só vai devagar
– Tá
Eu fui devagar e acabou entrando todos os meus 10 cm de pinto rsrs
Comecei um vai e vem bem devagar até que ele tirou as mãos da bunda que ele ainda tava abrindo, agarrou no colchão da cama e pude sentir ele empurrando a bunda pra trás, eu fui fazendo mais rápido e mais rápido, até que não aguentei mais, eu ainda não gozava e nem sabia o que era aquilo, mas meu corpo começou a tremer todo e senti como se fosse fazer xixi, mas não saiu nada, eu tava cansado, fiquei encima dele por uns 30 segundos até meu pinto sair de dentro dele molinho e ouvir ele dizer:
– Agora é minha vez…
Bom pessoal essa é a primeira parte, o conto ficou longo porque eu quis dar todos os detalhes, no próximo eu conto como foi que ele me comeu e como eu comecei a perceber que estava gostando dele, não só pelo que tínhamos feito, mas era um sentimento diferente… Até o próximo…