Eu, meu marido e nossa filhota

Click to this video!
Autor

Era uma quinta-feira normal pelo que me lembro, eu tinha 23 na época, meu marido 41 e nossa filhinha 7. Luiza tinha puxado muito de mim, alta e magrinha, mas com as curvas já bem marcadas desde pequena, e Arthur, meu marido, apesar de já ser um quarentão mantinha a aparência de 30, cabelos levemente grisalhos e um pique inacreditável kkk
Luiza tinha acabado de chegar da escola e Arthur ainda estava no trabalho, como de costume perguntei como tinha sido a aula enquanto preparava os legumes para a sopa da janta, ela empolgadíssima como sempre disse que tinham feito educação física e ela foi a ganhadora de uma corrida entre os alunos e para parabenizá-la a abracei forte:
-deve ter corrido muito mesmo, está grudando, vamos direto pro banho!
Desliguei o fogo e fui banhá-la, o banheiro era grande e espaçoso, assim como o resto da casa. Ajudei a pequena a tirar o uniforme e quando baixei a calcinha pude ver aquela bucetinha pequenininha sem nenhum pelinho ainda, sempre tive vontade de iniciá-la assim como meus pais me iniciaram, só estava em busca da oportunidade
-a mamãe tambem não tomou banho ainda, vamos juntas?
-vamos, vamos!
Então me despi e entrei na banheira junto com ela, a água morna lavou todo o meu cansaço, ficamos um tempo apenas relaxando, até que decidi por meu plano em pratica, por baixo d’água comecei a tocar uma siririca arfando e soltando uns gemidinhos que despertaram a curiosidade da menina
-mãe, o que a senhora tá fazendo? – perguntou inocente olhando o que acontecia sob a água
-uma coisa muito gostosa, quer que a mamãe te ensine?
Ela assentiu com a cabeça então me aproximei e comecei a fazer o mesmo na xotinha dela, logo a pequena já estava gemendo e suspirando feito uma putinha, eu só acelerava e ela pedia mais, me assustando com tamanha safadeza. Levantei-a e a deixei sentada com as pernas abertas na borda da banheira, então cai de boca naquele grelinho rosa, em pouco menos de 2 minutos ela já tinha gozado e agora sorria pra mim se recuperando
-gostou meu bem?
-muito mamãe, muito
-a mamãe também quer meu amor… você me ajuda? – perguntei e ela concordou com a cabeça
Me sentei na beirada da banheira e disse para ela repetir o que eu havia feito, então aquela boquinha inexperiente começou a chupar minha buceta, e ela chupava bem, enfiava a língua dentro, lambia todo meu melzinho e não parava, tive um dos melhores orgasmos da minha vida naquela boquinha infantil que além de tudo chupou todo eu gozo. Depois daquilo terminamos o banho normalmente e fomos nos secar, enquanto me enxugava, depois de secá-la vi que a mesma olhava fixamente minha buceta então logo perguntei o motivo
-está olhando a ppk da mamãe assim pq?
-a sua é maior que a minha e nela tem um espaço…
Ri com a inocencia dela e com uma perna apoiada da borda da banheira enfiei um dedo dentro de mim mesma, com ela olhando
-esse ”espaço” meu amor?
-é, esse mesmo
-você gostou de hoje?
-muitooooo – disse infantil
-então logo arrumo um meio de deixar esse espaço na sua também, pra você ser putinha que nem a mamãe
Ela sorriu feliz e saimos do banho, nos trocamos e quando cheguei na sala tive a surpresa de encontrar Arthur no sofá, eu e Luiza agimos como se nada tivesse acontecido e continuamos como mais uma noite comum, isso até irmos deitar. Lu dormia no quartinho dela e eu e Arthur estávamos no nosso, estava pronta para dormir até sentir algo duro roçar na minha bunda, esse algo que eu já conhecia muito bem rs
-hoje eu ouvi você e a Lu no banho… – nessa hora gelei, até ele voltar a falar – minha vontade foi quebrar aquela porta e foder vcs todinhas, bati uma punheta gostosa pensando em vcs duas, gozando juntinhas…
Já animadinha por saber que ele tinha gostado do meu plano de iniciar a Luzinha sorri safada e disse:
-sempre quis iniciar ela… ensiná-la a gozar, fazê-la ficar igual a mamãe, uma putinha viciada
Então ele começou a tirar minha camisolinha e como de costume estava sem calcinha, já que não uso para dormir. logo estavamos nus e decidimos manter a porta bem aberta para nossa filhinha ouvir
-sem dedar, sem nada, mete logo no meu cuzinho se não eu não vou aguentar – disse masturbando minha xota
Logo senti aquele caralho gigantesco entrar, provava dele desde os 15, e acabei engravidando logo depois de tantas fodas, meu cuzinho latejava e aquela rola grossa e veiuda entrava rasgando, eu gemia feito uma atriz porno, dizendo as coisas mais obscenas possiveis
-fode meu cuzinho vai, fode com força
Logo vi uma figura parada na porta nos encarando, Lu olhava a cena e nós não parávamos, ainda mais motivados, ela foi entrando no quarto cada vez mais proxima e arthur ia cada vez mais fundo na minha bunda, estávamos quase gozando então comecei a falar com a menina:
-olha Lu, olha o papai fodendo meu cuzinho bem forte, aposto que já ta molhadinha… vai ficar que nem a mamãe mesmo – disse e meu marido se motivava cada vez mais – enfia a mão dentro da calcinha e faz aquilo que eu fiz em vc, faz
Então ela começou a se masturbar desajeitada olhando nós dois, logo eu e Arthur gozamos e ficamos apenas olhando a menorzinha atingindo seu orgasmo sem nenhuma ajuda, aquela seria a primeira de muitas fodas entre nós três

Se quiserem posto mais aventuras minhas com meu marido e nossa filhinha ou caso queiram minha iniciação com meu pai e minha mãe, é só falar nos comentarios
bjs