Eu, meu marido e nossa filhota III

Click to this video!
Autor

Bem, o capítulo de hoje será diferente, depois de ler os comentários tive uma ideia e resolvi por em prática, pedi para meu marido escrever essa parte do conto e, se gostarem, mais alguns capítulos. E depois de alguns pedidos resolvi começar a escrever minha iniciação, em breve estarei postando. Enfim, fiquem com o capitulo
Ver as duas fazendo aquilo, sem se preocupar, no meio da sala me deixou duro em questão de segundos. Ana continuava enfiando o dedo o mais fundo possível naquela buceta virgem e cor de rosa, prestes a ser arrombada e a Luiza gemia descontroladamente, quando enfim fui notado não perdi tempo e logo estava esfregando a rola na xaninha da minha filha e chupando minha esposa que proxima do tão aguardado orgasmo disse:
-fode ela vai, mete esse caralho na bucetinha dela
Então me apressei em terminar o oral e depois de gozar na minha boca Ana estava acariciando a menorzinha enquanto eu me preparava para meter. Devagar coloquei a cabecinha para dentro, na hora senti como se estivesse rasgando ela por dentro, era tudo tão apertado que não pude me controlar e meti tudo dentro de uma vez, notei que Lu segurava o choro mas algumas lagrimas escapavam no cantinho dos olhos então passei a beija-la. Mas meu pau continuava latejando, me implorando para que eu simplesmente esquecesse de tudo e começasse a fodê-la, então cedi
Comecei a estocar enquanto minha esposa tomava meu lugar e começava a beija-la, eu conseguia sentir meu cacete atravessando-a, ia fundo, rápido e forte. Meu pau não entrava inteiro direito por ela ser pequena ainda, mas nada que a pratica não resolveria. Continuava metendo freneticamente até ouvir o primeiro gemido dela, então segui um passo ainda mais firme e ela me deu em resposta gemidos ainda mais altos e contínuos. Para garantir que ela gozaria Ana começou a masturbar o clitóris dela fazendo movimentos rápidos e precisos
Senti aquelas pernas macias e branquinhas agarrarem meu quadril e o corpo dela amalecer nos meus braços: ela tinha acabado de gozar. Dei uma ou mais estocadas e gozei dentro mesmo, não haveria nenhum perigo em relação á gravidez de qualquer forma
Tirei meu pau melado de lubrificação natural dela, porra e sangue e observei contente minha poha escorrendo daquela buceta gostosa e agora não mais virgem. Ana segurava o rostinho suado e contente dela
-agora é hora da mamãe ganhar um pouco de leitinho na buceta não é?
-claro que é
Logo já estava duro feito pedra outra vez, me deitei no sofá e minha esposa sentou por cima se encaixando na minha pica e começando a quicar, enquanto isso Luiza ficava de quatro entre nós dois, eu chupando o grelinho fodido dela e ela tocando uma siririca para a mãe. Ana mesmo depois de anos fodendo comigo ainda tinha a buceta apertada do jeito que eu gostava, sentia o mel dela escorrendo em mim e mal podia esperar para chupar tudo aquilo depois
Com um pouco de saliva comecei a dedar o cuzinho da Luiza que pareceu adorar, era ainda mais apertado que a buceta, mas planejava arregaçá-lo o quanto fosse possivel. Todos gozamos e depois de limpar a buceta das duas com a lingua fomos para o banho
-você só experimentou o comecinho amor, quando ela for uma putinha igual a mãe você vai ver que foi a melhor decisão das nossas vidas… – Ana sussurrou no meu ouvido