Eu, meu marido e nossa filhota II

Click to this video!
Autor

Bem, primeiramente obrigada pelos comentários no primeiro capitulo, mas vamos a continuação do conto…
Na manhã seguinte aos ocorridos contados no capitulo anterior segui minha rotina normal, arrumei a Luiza para a escola, tomamos café e Arthur a levou. Limpei a casa pensando no que tínhamos feito e logo já estava com a calcinha ensopada, mal podia esperar a volta dos dois. Almocei sozinha num restaurante perto de casa já que os dois só voltariam no fim da tarde, Luiza por conta do colégio integral e Arthur pelo trabalho
Quando pensei que não aguentaria mais ouvi a campainha tocar e logo minha menininha estava entrando em casa arrastando sua mochila. Ela já chegou me abraçando apertado e disse algo que me surpreendeu:
-vamos tomar banho juntas de novo mamãe? Igual ontem
Sorri safada pra ela e expliquei que não precisávamos tomar banho para fazer aquilo, então deitei-a no sofá e fui tirando seu uniforme apressadamente, quando ela já estava nua comecei a tocar seu grelinho e logo notei que a safadinha já estava completamente molhada. Sem nem pensar duas vezes cai de boca, chupei enfiando minha lingua até onde conseguia na entrada apertada dela então resolvi partir para algo mais forte quando notei que ela já estava completamente acostumada com o oral. Afastei minha boca e pude ver nos olhos dela o descontentamento por ainda não ter gozado
-calma minha putinha, a mamãe não acabou ainda
Então aproveitando todo aquele mel que escorria aos montes introduzi meu dedo médio nela, imediatamente notei a expressão de incômodo no rosto dela porém continuei com a minha intenção. Comecei a por e tirar o dedo e em pouco tempo aquele incômodo que ela demonstrava cedeu lugar a gemidos altos e suspiros, assim que chegou ao orgasmo Luiza proferiu uma frase que posso escutar na minha mente até hoje
-me fode, me fode com força… – praticamente gritou enquanto gemia
Aquelas palavras saindo dos lábios pequeninos e rosados dela me deram um prazer que nunca tinha experimentado antes… o de ver que minha filha estava pronta para se tornar uma cadelinha. Não parei mesmo depois dela gozar, mas perguntei com um sorriso de canto:
-onde aprendeu o que acabou de dizer?
E a resposta não podia ter me agradado mais:
-vc disse isso para o papai ontem…
-então significa que gosta de fazer as coisas igual eu faço?
-sim mamãe
-bom saber, logo o papai vai fazer o que ele faz com a mamãe com vc também então, vc quer?
-quero muito… – disse safada então notei que já tinha meio caminho andado para torná-la uma putinha
Só quando sai do nosso transe notei que alguém nos observava, Arthur nos olhava vidrado enquanto se masturbava devagar me vendo foder nossa filhinha com o dedo. Aquilo não tinha como ficar melhor…

Continua…