Com meu pai depois da festa

Click to this video!
Autor

Tenho 32 anos de idade, sou branco, tenho 1 metro e 82 e um corpo normal, nem malhado, nem tenho barriga. Sou casado e tenho dois filhos pequenos e no aniversário de um deles que aconteceu a coisa mais louca da minha vida.
Fizemos uma festa lá em casa para o meu filho mais novo e meu pai bebeu um pouco além da conta, por isso fui deixá-lo em casa. Meu pai é um coroa bem conservado para os seus 57 anos! É um pouco menor que eu, também branco e calvo, mas ainda faz sucesso com a mulherada. Ele não parecia muito bêbado, mas preferi ir deixá-lo assim mesmo. Chegando lá, ele ficou insistindo pra que eu ficasse um pouco mais já que eu não tinha mais muito tempo pra ele, o que era verdade. Eu aceitei e ele foi pegar cerveja na geladeira, ele tava animado e eu fiquei feliz com aquilo.
Começamos a beber e a falar sobre a vida, sobre trabalho e sobre mulher, sabe como é homem quando se junta. Eu não falava muito já que era casado e seria desrespeito contar pro meu pai minha vida conjugal, mas ele falava um monte de coisa. Falava que tinha comido uma mulher que conheceu na feira e outra que conheceu na festa de um amigo e mais outras que nem lembro mais. Enfim, meu pai era separado, mas não tinha sossegado, tava a todo vapor.
Depois de várias cervejas, eu já tava ficando bêbado e meu pai também. Ele já tinha tirado a camisa e falou que não aguentava mais aquela roupa, ia tomar um banho e vestir algo mais confortável e perguntou se eu não queria fazer a mesma coisa. Disse que preferia ir embora que minha esposa já deveria estar preocupada, mas ele se sentiu ofendido, queria mais a minha companhia, que até eu dormisse ali.

– Quanto tempo não passamos um tempo entre pai e filho? Liga pra ela, fala que já tá bêbado e que vai dormir aqui.
– Tá bom, pai, tive que concordar.

Ele foi tomar o banho dele feliz da vida e eu tava feliz com toda a animação dele, não custava nada fazer só uma vez a vontade do velho. Enquanto ele tomava banho, liguei pra minha esposa e avisei que só voltaria pra casa de manhã. Quando desliguei o telefone fiquei com vontade absurda de mijar, tanta cerveja dava nisso. Fui ver se meu pai já tava saindo do banheiro, mas a porta tava aberta e meu pai cantava uma música antiga que ele adorava.
Perguntei alto se poderia entrar e mijar e ele respondeu que podia. Entrei no banheiro e vi a silhueta dele pelo box de vidro, ele tava muito feliz. E fiquei ouvindo ele cantar enquanto mijava. Mas logo ele parou e começou a falar.

– Filho, não quer tomar banho também, não? Já to saindo.
– Não, pai. Eu tô bem.
– Vem, to saindo..Não, melhor, tira a roupa e entra aqui junto comigo. Esse box é enorme, cabe nós dois.
– Que isso, pai? Eu entrar junto com o senho?
– Qual é o problema? Quantas vezes não tomamos banho juntos?
– Mas eu era criança?
Ele abriu a porta do box e foi falando com a cabeça pra fora em tom de deboche:
– Não vejo problema nenhum. Só porque teu pau cresceu tá com vergonha de mim?
– Pai??!! Fiquei surpreso com o jeito dele falar.
– Essa pirocona aí fui eu que fiz. Essa bunda aí fui eu que fiz_ e deu um tapinha na minha bunda que me assustou, não esperava. E do nada ele me abraçou todo molhado e molhou minha roupa toda.
– Paiiii!!!! Olha o que o senhor fez! Me molhou todo! Como vou pra casa agora?
– Tem um monte de roupa tua aí! Só pegar, mas agora tu vai tomar banho, não vai?

Não tinha jeito, né? Ele pegou uma toalha e foi se secar lá fora, enquanto eu tirei minha roupa e fui tomar meu banho.

Continua………