As oportunidades não se deixa passar (continuação 1)

Click to this video!
Autor

Ola meus amigos, para quem ainda não leu a primeira parte, para entender leia As oportunidades não se deixa passar, continuando como havia relatado anteriormente, Camila havia visto eu fudendo a bucetinha da Carol, fazendo ela gozar e eu gozando intensamente em sua bucetinha, quando meu pau sai da grutinha da Carol deixando aquela mistura de porra e sangue cair no chão, falei para ela que era um segredinho nosso e a Carol a ameaçou contar sobre o que ela tava fazendo com a escova de dentes, isso me deixou curioso mas fiquei calado esperando, Camila concordou em não contar, mas pediu para a Carol não falar para ninguém porque ela tinha vergonha, com isso resolvi falar para Carol tomar um banho que eu a lavaria se ela quisesse e disse para a Camila aproveitar e banhar-se junta com a Carol, Carol foi para o chuveiro e me chamou para le esfregar e le banhar, Camila ficou ali parada, percebi que agora ela estava com vergonha da minha presença para tomar banho, então disse a Carol baixinho, “Chama a Camila pra se banhar junta, diz que ela vai gostar de ser banhada por mim”, e Carol o fez, Camila então bem devagar começa a se dirigir ao chuveiro tirando sua roupa, ficou só de calcinha e entrou, perguntei a ela se eu podia banhar ela, com um sacudir de cabeça afirma que sim, peço o sabonete e começo a passar nela, primeiro nos ombros e braços com muito carinho, depois nas costas, desci para as pernas, depois na barriguinha dela e aproveito para dizer, -”Você vai ter que tirar a calcinha para que eu possa lavar a bundinha e a pererequinha”, ela com muita timidez abaixa a calcinha e se vira de costas escondendo a bucetinha mas me deixando aquela bundinha linda, começo a ensaboar e vou para o reguinho, escorrego meu dedo pelo reguinho várias vezes, começo a trabalhar o cuzinho dela com a ponta do dedo, a cada passada com o dedo no reguinho dou uma paradinha no cuzinho e uma forçadinha, ela já mais solta começa a empinar a bundinha quando forço o dedinho no cuzinho, viro ela de frente para mim e começo a esfregar a bucetinha dela, ela se apoia em meus ombros e fecha os olinhos, aquilo me deixa louco de tesão, mas Carol reclama que sô estou banhando Camila então começo a esfregar as duas, tiro o sabonete dela com bastante água, entrego a toalha para a Carol ela se enrola e vai para o quarto, Camila ali na minha frente com aquela bucetinha que agora pude ver bem como era carnudinha, e gostosinha, digo pra ela que é muito bonita, que é mais bonita que a irmã, que eu queria uma filha linda como ela, ela ri e se solta mais comigo, agora ela com mais intimidade e sem vergonha le digo, -”Posso dar um beijinho na sua pepeka?”, ela para um pouco e responde, -”só um beijinho, ai eu não quero!”, então digo, “tá bom, quantos vc quer?”, ela “há, um montão”, me baixo e começo a dar beijinhos, depois passei a língua ela apertou meus ombros, senti que tinha gostado, novamente dou uma lambida deixo para cima parando na testinha, ficando mexendo a lingua, ela aperta mais meus ombros, abre mais as perninha e inclina a bucetinha pra frente, bom ela está entregue, mas sei que não posso fazer nada com ela hoje porque já esta tarde, em pouco tempo a mãe delas pode chegar, seco ela e pergunto se ela gostou, ela me diz que quer mais, quer que eu continue e que faça com ela o que eu tava fazendo com a Carol, porque ela viu que a Carol tava na lua quando ela chegou,bom aquilo mexeu com meu pensamentos, então eu disse a ela, “ olha só, a gente até pode fazer, mas tem uma coisa, ninguem pode saber, ninguém mesmo”, ela concordou, então le disse que a gente iria fazer em um outro dia porque sua mãe poderia chegar a qualquer momento, ela simplesmente disse tudo bem, e depois disse,”vou te contar o que eu faço com a escova de dentes, eu enfio na minha pepeca, e é muito bom, por isso que eu quero que tu faço o que tava fazendo com a Carol”, tudo bem, a Carol tava escutando tudo que a gente tava falando e fazendo, quando saímos do banheiro a Carol me chama e diz, tu vai fazer com a Camila também, eu disse que faria, Carol fecha o rosto e diz, e se eu fosse tua namorada? bom fiquei sem resposta de imediato, mais tive uma saída, “ tenho que fazer com ela, senão ela pode contar pra tua mãe, e aí eu posso ser preso, vocÊ quer isso?”, ela de imediato disse não, tá bom e quando tua vai fazer, aí eu disse pra ela, você que vai me dizer quando fazer, ta bom assim, e quem sabe a gente namora, ela “ você ta me pedindo em namoro?”, to mais vc tem que deixar eu fazer com sua irmã pra ela não contar nada, ta bom?, Carol responde “é tabom, você pode fazer com ela depois de amanhã”, eu perguntei porque, ela disse que assim ela podia fazer comigo depois que fizesse com a Camila, ai eu disse, sim mais qual vai ser a desculpa para que eu possa vir aqui, ela me disse para fazer o chuveiro dela não esquentasse, então retirei a resistência e deixei tudo preparado, em seguida a Lúcia chega em casa, elas agem normalmente e vão ´para o quarto, a Lucia me agradece e ainda me paga R$ 250,00 extra por ter ficado a tarde toda com as meninas.
dois dias depois Lúcia me liga, para arrumar o chuveiro das meninas que não tá esquentando, eu digo tudo bem e marco para de tarde, não havia me lembrado que a tarde as meninas ficam com a vó delas, chegue la era 13:30 mais ou menos, Lucia estava em casa ainda, nos comprimentamos e ela diz, “olha só, as meninas hoje estão muito elétricas, não sei o que há com elas, elas são sempre muito calmas, não sei se minha mãe vai conseguir ficar com elas desse jeito”, então le falei, qualquer coisa pode contar comigo, -" a você ficaria com as meninas hoje, aí eu digo pra mamãe que ela pode dar uma saída pra comprar as roupas que ela quer", combinado, eu fico com as meninas, elas são uns anjinhos, é porque você não viu como elas estão hoje, Lúcia sai para sua loja e sua mãe não demora pra me dizer que iria sair, mas que antes das 17:00hs já estaria em casa, eu disse tudo bem, fique bem a vontade que eu fico com as meninas, ela saiu, então as meninas apareceram, elas só estavam esperando a avó sair para chegarem na sala peladinhas, as duas estavam muito safadinhas, então disse para irmos para o quarto delas e subimos, eu já fui tirando minha roupa, quando chego no quarto já peladão de pau duro, Camila olha pra o meu pau e diz, “Nossa é maior do que eu me lembro”, Carol diz não te preocupa que o Beto e bem carinhoso, ela fez muito gostoso comigo e tenho certeza que vai ser carinhoso com você, ela se apoiou na penteadeira e empinou a bundinha, ai eu peguei ela no colo e disse, não meu bem, não pode ser assim, a gente tem que brincar um pouco pra você ficar do modo certo pra ele entrar, comecei a alisar aquele corpinho lindo, Carol se sentou na cadeira secretária que tem no quarto e fica só olhando, eu penso não vou deixar ela de lado não ainda mais que não temos muito tempo, então disse a Carol que eu queria lhe ensinar uma coisa, ela chegou perto então pedi pra ela chupar meu pau que nem sorvete, de princípio ela ficou meio com nojo, então eu falei, lembra quando eu lambi e chupei tua bucetinha e cuzinho, então experimenta dar uma chupadinha nele, se você não gostar você para, ela meu com nojo encostou a boca, peguei sua mãozinha e fiz ela segurar e lamber a glande, depois ela foi chupando, falei para não passar os dentes, só os lábios e a língua e assim ela fez, e foi tomando gosto e jeito, e eu cai de boca na bucetinha e cuzinho da Camila, que apesar de mais nova, seu fluidos vaginais eram mais intensos e parece que ela sentia muito mais prazer que a Carol, chupei bem gostoso aquele cuzinho e bucetinha que ela gemia e se contorcia toda, até que soltou um gemido mais alto estremece todo corpo, aperta minha cabeça com as mão contra sua bucetinha e trança as perninha, havia gozado e com tão pouca idade, aquela bucetinha ficou contraindo e dilatando gostoso, e seu melzinho muito gostoso, pra quem já sentiu o gozo de uma virgem novinha sabe o que estou falando, e aquilo fez eu gozar também e bem na hora que Carol está com meu pau pelo meio na boca, foram vários jatos que faço ela se engasgar e dar ancia, e resto de esperma jorra em seu corpinho, então digo para Camila, que agora ela está pronta, a coloco de 4 na cama e pincelei meu pau da bucetinha ate o cuzinho, dou uma forçadinha na bucetinha e é muito apertada, então dou uma forçada no cuzinho que também é apertado mas que fica piscando como um louco, neste momento mudo de ideia e resolvo meter é no cuzinho, vou forçando, tiro passo um pouco de cuspe, e torno a forçar, ela reclama de dor mas não tenta tirar a bundinha dali, então entra a cabeça, ela dá um grito e começa a chorar, eu paro e acalmo ela, peço para Carol se deitar na frente dela e abrir as pernas e digo para a Camila chupar a bucetinha da Carol para ela se distrair, ela ainda não sabe chupa mas mesmo assim coloca sua boca na bucetinha da irmã que pelo jeito gostou, agora velo Carol alisando a cabeça da Camila enquanto Camila chupa sua bucetinha e eu começo a tentar penetrar novamente o cuzinho da Camila, que em certos momentos esboça doer, se retraindo ou tentando sair do meu pau, neste momento eu paro para ela se acostumar e assim vou indo até entrar todinho no cuzinho dela, sei que não temos muito tempo porque sua Avó pode chegar a qualquer momento, então começo a siriricar a Camila e bombar no cuzinho dela, noto que ela ta muito excitada e gostando de dar o cuzinho, forço para ela deitar esticando as perninha dela, eu por cima dela e da Carol, ela chupando a bucetinha da Carol eu comendo o cuzinho dela e chupando as tetinhas da Carol, que delícia, me vem a vontade de gozar, encho o cuzinho de Camila de porra, ela se estica e contrai a bundinha apertando meu pau com seu cuzinho, Carol está prestes a gozar pelas chupadas na bucetinha pela Camila, então eu puxei ela mais pra cima e tomo o lugar da camila e sugo aquela bucetinha que começa em um gozo frenético e intenso, Carol chega a apagar por uns instantes, Camila relaxa o cuzinho deixando meu pau amolecer e sair, junto sai muita porra com sangue, chego a ficar um pouco apreensivo, qual seria o estrago no cuzinho dela para tanto sangue, o cuzinho dela estava todo arrombado, e sangrava das preguinhas e do interior, mas graças a Deus parou logo em seguida, levo ela no colo até o banheiro e coloco-a no chuveiro, Carol nos segue e também entra no chuveiro, banho as duas e depois lavo meu pau que está com sangue e merda além de porra, elas se secam e Carol me pede, agora é minha vez, coloca na minha pepeca que eu quero sentir ele dentro de mim, coloca teu leitinho lá dentro de novo, digo a ela que já está tarde e sua avó pode chegar, ela fecha a cara e me diz, “então tu não quer me namorar?”, respondo que quero sim, mas está ficando perigoso pelo horário, digo a ela que no dia seguinte ela matasse a aula, eu a pegaria próximo a escola e nós iremos a uma casa que tenho as chaves, é de um amigo que está fora do Brasil, ela concorda, então combinamos tudo e deixamos certo para o outro dia….
Neste dia arrombei o cuzinho dela bem gostoso, mais isso fica para a próxima parte.
espero que estejam gostando, deixem seus comentários.

abraço,