Duplo Sentido 2

Click to this video!
Autor

Eu não poderia acreditar, essas brincadeiras deveriam ter despertado algum interesse em minha mãe, agora eu q supostamente estaria dormindo estava sendo masturbado durante a noite pela minha mãe. Eu estava com medo, mas tbm excitado e queria ver ate aonde ela iria, então eu permanecia imóvel, eu estava tenso e imóvel, torcia para q ela na noite escura não percebesse q eu estava acordado. Ela movia a mão lentamente dentro de meu shorts, ela era muito boa, estava me deixando louco, eu não sabia se conseguiria conter os gemidos, e pense cmg “será q ela sabe q estou acordado?”. Então me mexi um pouco e virei a cabeça pro lado dela. No mesmo momento ela parou de se mexer, eu a senti me cutucar o braço, tentando ver se eu me mexia, e aos poucos foi me masturbando dnv.
Eu estava delirando, não queria q ela parasse, aquilo estava bom demais, eu me segurava pra não gozar, dessa vez não por querer q ela parasse, mas sim pq eu não queria q aquilo terminasse, estava me segurando bem, ate q ela foi aumentando o ritmo, agora estava fazendo barulho e ela fazia tão rápido q acho q não estava se importando se eu acordasse ou não. Eu já estava pra gozar quando ouvi baixinho um: “goza pra mamãe, safado”. Achei hilário, pois era ela q estava sendo safada, mas ouvir aquilo foi o estopim pra q eu gozasse sem parar, contive os gemidos, mas em alguns jatos eu dei umas tremidas. Gozei td na mão dela, q pude ver de relance ela lambendo os dedos, resolvi permanecer quieto, assim q ela terminou de lamber os dedos, foi ao banheiro, mas dormi antes dela voltar pra cama.
Na manha de seguinte (sábado), acabamos acordando cedo, fui direto pro banho me limpar e trocar a roupa suja, quando voltei ela tbm tinha levantado. Cheguei na cozinha e nem me contive, quando a vi ao lado da pia com o copo vazio, já abri a geladeira, peguei o leite e fui atrás dela q já abriu um sorriso, ela estava com uma camisa curta dessa vez, e outra calcinha nova, essa vermelha. Cheguei encoxando e pressionando o corpo dela contra a pia, me esfregava nela e ela gemia muito gostoso, pedindo o meu “leitinho”.
– vai dar seu LEITINHO dnv hj?
– vou sim mãe, tudo o q vc quiser! – falei enchendo o pescoço dela de beijos e caricias.
– TUDO, tudo o q eu quiser mesmo, rafa!? – falou ela no mesmo momento q poe a mao em meu pau e pergunta – vc tem certeza?
– tenho sim mãe, pode PEGAR o q quiser.
– então quero seu LEITINHO na minha BOCA dnv.
Peguei o copo e dei o leite em sua boca, ela parece não ter gostado de minha atitude, era claro q ela queria outro leite, mas derramei um pouco sobre seus peitos, e resolvi limpar. Agora era eu quem queria brincar com ela um pouco.
– Desculpa mãe, te lambuzei toda de com MEU LEITE! Deixa q te limpo.
Passei a lamber toda a parte do corpo dela q estava descoberto, acima dos peitos e sempre segurando firme na cintura dela, a lambi e chupei do pescoço ate o decote. Ela gemia muito gostoso. Quando terminei de limpar as partes expostas dela, a soltei peguei meu café da manha e fui me sentar pra comer. Ela me olhava incrédula, sabia q ela queria mais, principalmente depois do q ela fez a noite, devia estar querendo avançar (e eu tbm), mas estava gostando de provoca-la.
– Seu SUCO é uma delicia mãe.
– Que bom q gosta filho. – Disse ela e veio se sentar em meu colo na mesa. Ela tomava se café da manha e sentada em meu pau rebolava. – Vc dormiu bem esta noite filho, parecia cansado ontem?
– Dormi sim, apaguei geral, mas acordei muito cedo ainda to cansado.. – e dei risada. – e vc como passou a noite?
– tive uma noite muito excitante e GOZADA- falou enquanto rebolava em meu colo. – mas dormi PRAZEROSAMENTE bem.
– poxa q bom.
Ela continuou o seu café da manha, às vezes dava uns pulinhos e umas reboladas, quando terminamos, ela continuou sentada em meu colo, e eu a segurava firme na cintura, passei a beijar seu pescoço, ela com a blusinha colada e sua calcinha vermelha volta a rebolar. Era como se implorasse pra se comida ali mesmo e eu estava louco pra comer ela, mas juntei as coisas e fui lavar rapidamente a louça, depois fui à sala assistir um filme, ela q estava me observando e veio se sentar em meu colo novamente.
– o q vc esta fazendo? – perguntei
– So passando um tempo com meu filho, q amo. – falou se esfregando em mim dnv.
Nesse momento pensei, “ela esta tão louca pra ser fodida, faria td q eu pedisse”. Pedi um tempo pra trocar de roupa e falei pra ela me esperar. Ela morde os lábios e senta do lado me esperando. Fui e tirei minha cueca de dentro do shorts, fiquei apenas com o shorts e o pau solto por baixo tomei uma pílula azul e voltei pra sala. Quando me viu e percebeu o volume, assim q passei por ela, agarrou o meu pau antes e eu sentasse ao seu lado. Quando me sentei, ela fez alguns movimentos me punhetando e subiu em cima de mim, jogando aquela calcinha pro lado e se esfregando em meu shorts. Ela so não beijava minha boca, mas chupava meu corpo todo por estar de frente pra mim. Eu tinha q ter muito autocontrole, pois queria ver ela implorar pra eu foder ela. Ela já estava se esfregando a um bom tempo quando perguntei o q ela queria.
– Quero leite.
– Já te dei leitinho hj.
– Mas eu quero o SEU leite. – e agarrou meu pau, era incrível como ela não se segurava.
– e pensar q um dia eu sai daqui de dentro – e toquei sua bucetinha.
– ta na hora de entrar ai dnv, não acha – e já ia tirando meu shorts quando eu a tirei de cima. Levantei-me e espreguicei deixando o pau perto de seu rosto.
– acho q vou pra cama – e fui saindo como se fosse dormir, e ela veio atrás toda contente. – vem cá deixa eu te abraçar – falei após deitar na cama.
Ela não perdeu tempo, veio e se deitou de conchinha cmg. Mas já veio com a mão em meu pau, mexeu um pouco nele, abaixou meu shorts e puxando a calcinha pro lado se posicionou pra q eu a penetrasse.
– espera não faz isso! – falei apenas pra ver a reação dela, esperando pra ver se ela ainda se seguraria ou iria pra cima sem qualquer preocupação ou remorso, mas ela jogou seu corpo pra traz me fazendo penetra-la por completo, e começou a rebolar descontroladamente. Eu não esperava q fizesse isso.
– Não faz isso pq? – questionou ela. Sem parar de rebolar e gemer.
– Faz tempo q eu estou excitado, se não parar vou acabar gozando dentro. – falei a verdade (afinal estava duro desde q a encoxei na cozinha), mas tbm tinha tomado a pílula pra q pudesse continuar fodendo ela a tarde toda.
– quem se importa, me come logo!
– como quando vc quiser, mas se não parar não vou conseguir segurar e vou gozar – nessa hora já não sabia se era realmente eu q estava no comando.
– Estou nem ai, só me fode Rafa! – ela falava e ia jogando a bunda contra meu pau, me empurrando pra trás, enquanto eu mesmo tbm ia me afastando um pouco.
Eu realmente estava excitado e não ia conseguir segurar, ela estava me empurrando pro canto da cama de tanto q jogava seu corpo contra o meu, e foi quando eu senti meu corpo tocar a parede q ela me pressionou contra. Atolou totalmente a bundinha em meu pau, podia sentir sua bunda em meu quadril, ela deixou meu pau totalmente dentro, e passou a se esfregar.
– Sai, q eu vou gozar – anunciei.
– Goza logo filho da puta! – respondeu ela prontamente.
Ela q estava rápida, passou a rebolar na mesma frequência q eu gozava, era uma gozada e uma rebolada dela, outra gozada e mais uma rebolada. Meus olhos lacrimejavam e eu apertava aquela cintura com força, e a escutava gemendo junto cmg. Ela continuava rebolando em meu pau, q já estava amolecendo, virou e me beijou pela primeira vez, fiquei passando a mão sobre seu corpo, e a beijando, ela foi se limpar e voltou agora mais calma, não parecia q agora a pouco estava feito louca querendo sentar no meu pau, parecia q estava com vergonha. Então a chamei pra se deitar cmg, ela veio toda tímida, e eu disse:
– Ainda não te dei o leitinho q vc quer na boca. – e comecei a beijar ela dnv.
Ela foi se soltando novamente, e meu pau voltando a ficar duro após varias gozadas em menos de um dia. Ela já ficou toda animada dnv, mesmo dizendo q não sabia onde estava com a cabeça e q o tesão tinha dominado ela por conta das brincadeiras de duplo sentido. Mesmo q ela não estivesse mais tão insana, ela me obedecia totalmente. Pois foi só eu mandar e ela nem questionava, mandei ela me masturbar, e fez, mandei ela ficar de 4 e foi virando o corpo e virando a bunda empinada na minha direção, era só mandar e ela obedecia. Me posicionei atrás dela e mandei pegar meu pau e colocar dentro. Na hora senti seus dedo pegarem em minhas bolas, alisar e passar para o meu pau, direcionar na sua xana e me puxar, forçando a penetração. Mandei ela pedir pra eu comer ela.
– Come a mamãe rafa, me come bem gostoso! Ahhhh – dizia ela com meu pau dentro e se dedilhando.
Segurei em seu quadril e vendo um pouquinho da base de meu pau no começo da bundinha dela, bem no meio, desaparecendo em meio aquela bunda q estava encostada em mim. Fui tirando e vendo meu pau aparecer, e novamente sumir dentro dela, escutava seus gemidos e sua voz dizendo pra foder ela. Puxava seu cabelo e ela de 4 gemendo, pedia pra ela falar em como ela era safada.
– Sim eu sou safada, adoro dar pra vc Rafa, estava te querendo desde um dia q acordei e vi esse pauzão duro do meu lado. – agora eu sabia a origem dos desejos dela – se vc me foder assim todo dia, vou ser sua putinha sempre q quiser. AHHHHH q delicia, filho fode a putinha da mamãe fode. – a via falando safadezas ao mesmo tempo q sentia seu primeiro orgasmo, afinal ela tbm estava com muito tesão. Gemia e tremia quase o corpo todo, foi nesse momento q suas palavras deram lugar aos seus longos gemidos q ecoavam pelo quarto.
Ela estava delirando dnv, depois de gozar, era mandava e ela fazia sem pudor algum. Quanto mais eu mandava ela fazer ou perguntava, mais ela me surpreendia, depois de mais um tempo fodendo ela perguntei de quem era a bucetinha dela, a resposta foi.
– Do meu filho gostoso, essa bucetinha é dele, fode o q te pertence filho, sou toda sua. Ahhh eu vou gozaaarrrr… Ela passou a gemer e morder o travesseiro, seus gritos ficaram abafados, sua buceta pingava um pouco da gazada q eu tinha dado antes misturado com seus próprios fluidos, e espremia meu pau enquanto ela gozava no pau do próprio filho dnv.
– Venha minha cadelinha – ta na hora de mamar.
Sai e parei do lado dela, q já virou e abocanhou meu pau pela primeira vez, não sei onde ela aprendeu aquilo, mas nunca fui tão bem chupado, eu achei q ela iria me devorar vorazmente, mas veio enfiando meu pau na boca, descendo devagar e sem pausa, ate a língua tocar as bolas, voltou ate a metade, fazendo uma sucção q me estava delirando, depois ela descia ate a base dnv e voltava ate a metade, ela nunca tirava da boca, não sei como respirava. O máximo q ela tirava era metade dele da boca e a outra metade sempre dentro, eu podia sentir a língua dela massageando meu pau dentro de sua boca, e vendo aquela visão, daquela coroa morena, com meu pau na boca de forma q parecia não querer largar me dava um tesao danado. Como ela não o tirava da boca começou a babar (o q acho fantástico, e excitante, pois demonstra q ela gosta do q faz). Estava deixando meu pau todo babado, sentia meu pau em sua boca, e às vezes a pele esticando enquanto via meu pau sumir dentro daquela boca gostosa. Agora quem estava começando a gozar era eu, assim q Roberta percebeu, voltou o pau ate a metade, e a cada jato q eu dava em sua boca, eu sentia uma leve sucção e um som dela engolindo, a cada esporada parecia q ela estava com uma garrafa tomando agua, engolindo td com o meu pau em sua boca.
Após o ultimo jato ela foi saindo aos poucos, fazendo vai e vem ate chegar na cabeça dar um chupao e passar o dedo nos lábios. Mas o boquete foi tão bem feito e tão delicioso q meu pau não amoleceu (além da pílula), então ela veio chupar novamente. A cabeça fica sensível após a gozada (pelo menos cmg fica assim), ela com meu pau na boca esfregando a língua por baixo dele, me da uma tremedeira na perna e resolvo sentar. Foi eu sentar q ela já montou em cima de mim novamente. A vi colocar meu pau em sua buceta e pular sem parar em cima de mim.
– Adorei seu leitinho, quero mais, ainda bem q vc tem bastante energia! – mal sabia ela da pílula, q me rendeu ainda mais duas gozadas antes de ficar completamente exausto, uma gozada nos peitos dela, e outra novamente dentro daquela bucetinha gostosa.
No domingo tbm transamos, mas foi menos intenso q a primeira vez (q havia excitação acumulada), durante a semana td correu normalmente, ao invez dos joguinhos de duplo sentido ela me chupava toda manha enquanto eu comia meu café da manha ou preparava na cozinha, a noite era sempre de conchinha, q acabava virando sexo selvagem em varias posições.
E o mais importante toda vez q eu chegava em casa, era recebido com um longo abraço e muitos beijos, e não importa o quanto meu pai queira conversar com ela, minha mãe não quer nem ver o cafajeste, mas em casa sempre me recebe de braços e pernas abertas.

ESPERO Q TENHAM GOSTADO!