Conhecendo uma balada liberal com uma amiga

Click to this video!
Autor

"Conforme vamos tendo mais experiências, curtindo mais as possibilidades que o sexo nos proporciona, mais novidades procuramos…" – Lembro de ter falado isso para uma amiga colorida chamada Camila, que hoje mora em Juiz de Fora. Foi nesse contexto que, conversando, combinamos de conhecer uma balada liberal aqui no Rio (alguns confundem com casa de swing).

Era uma terça-feira (talvez não fosse dia disso, mas foi quando rolou). A busquei no Arpoador e fomos para essa balada no Centro. Nenhum de nós conhecia uma balada desse gênero.
Lá chegando, vimos que era tudo (pelo menos no andar de baixo) conforme uma balada tradicional, com excessão de uma TV que exibia filmes eróticos bem na pista de dança. Não estava muito cheio, talvez devido ao dia. Devia ter umas 20 ou 30 pessoas…

Pedimos uma bebida e ficamos sentados em uma mesa, conversando, observando e nos beijando um pouco. Naquela altura, o ambiente já nos excitava um pouco, mas ainda estávamos muito inibidos. Víamos alguns casais se beijando e até se amassando um pouco, mas nada de sexo, pelo menos naquele ambiente.

Reparei que algumas pessoas estavam subindo para o andar de cima, onde as coisas realmente pegam fogo. Eu estava louco de vontade de subir para ver como era, mas minha amiga estava bem acanhada. Uma mulher que estava com alguém que supus ser seu marido, estava me olhando e eu, atraído pela situação a encarei. Depois de um tempo, após as nossas trocas de olhares e em meio à minha conversa e beijos com minha amiga, ela puxou o seu marido pela mão para ir ao andar de cima e, com um gesto de cabeça me chamou para subir também.

Falei com minha amiga que queria subir e a chamei para ir comigo, pois queria ver como era lá em cima. Ela não tinha percebido o convite e disse que queria ficar mais um pouco lá embaixo. Perguntei se ela se importava se eu fosse lá em cima "ver como era" e ela disse que não. Então eu subi, mas já havia perdido de vista a mulher que me chamou – provavelmente, já havia entrado em uma daquelas cabines que existiam lá…

Já que estava lá em cima, dei uma espiada nos locais e vi que em uma dessas cabines havia um casal. A porta estava aberta, então cheguei devagar e os perguntei se eles se incomodariam se eu entrasse. Nada disseram. Então, entrei devagar para ver no que dava. Curiosamente, o homem abriu espaço para que eu chegasse perto de sua mulher. Ela estava sentada e me aproximei. Nisso, ela abriu meu cinto, desabotoou minha calça e começou a me chupar. Ele ficou se masturbando enquanto sua esposa me chupava. Achei estranho de início… Então, eu que já estava envolto naquele clima de tesão, senti aquela boca quente no meu pau. Estava delicioso aquele sexo oral… Mas, num surto de consciência, tirei meu pau da boca daquela mulher e disse "desculpe, minha amiga está lá embaixo sozinha. Preciso ir. Depois volto, tudo bem?" Ela disse – claro, sem problemas.

Quando desci, minha amiga estava perto do bar, próxima a um casal bem bonito. Eu, claro, reparei mais na mulher desse casal. Era uma loira, de aproximadamente 30 anos, muito bonita. Então, um garçom que nos atendeu, ao mesmo tempo atendeu esse casal. Aproveitei e fiz algumas perguntas para ele sobre a casa com o objetivo do casal escutar. Eles escutaram e logo estávamos os 2 casais conversando. Descobrimos que era a primeira vez deles (também) e que eles eram casados, tinham se separado e que voltaram e estavam procurando apimentar a relação. A conversa ficou boa e descontraída.

Enquanto conversávamos, o Dj animava a festa e ofereceu um balde e um drink à mulher que subisse no palco e dançasse mais sensualmente. Eu e o cara do outro casal colocamos aquela pilha de leve pra elas subirem. Não sei se o álcool encorajou as meninas, mas elas subiram ao palco, junto de outra menina. Nossas meninas eram mais bonitas e estavam soltinhas. Dançaram e fizeram um meio strip para nós. Ficaram as duas de calcinha e sutiã e dividiram o prêmio na votação do pequeno público presente.

Chegou a hora do show de uma striper profissional. Linda ela dançando… Ela se aproximava das pessoas que estavam ali, dançava e seduzia. Pra minha surpresa, ela me pegou pela mão e me levou até a cadeira que estava próxima ao polidance. Ela dançava, se esfregava em mim e eu, sem saber se podia fazer alguma coisa e morrendo de vontade de fazer, a acariciei e levei um tapinha na cara. rs Adorei porque foi espontâneo. Ela olhou pra mim e fez que não com o indicador. Me provocou como pôde, me maltratou e só fez o meu tesão aumentar ainda mais.

Acabado o show, voltei para onde estavam minha amigas e meu novo casal de amigos e falei que estava morrendo de tesão. Chamei minha amiga pra subir e perguntei ao casal se eles queriam ir com a gente. Todos aceitaram.

Fomos até uma daquelas cabines, que por sinal eram bem apertadas, e cada casal começou a se pegar. Enquanto pegava minha amiga, dava aquelas olhadas de lado para ver o que acontecia com o casal ao nosso lado. Eles, assim como nós, já estavam mais soltos e em chamas. Quase que ao mesmo tempo elas duas começaram a nos chupar. Enquanto minha amiga me chupava, peguei nos cabelos da loira, ajeitei, entrelacei nos meus dedos e puxei de leve. Deu pra ver que ela gostou de ter um homem a pegando pelos cabelos enquanto ela chupava o outro. Acariciei, toquei e apertei com jeito os seus seios, que eram quase tão perfeitos como os da minha amiga, e o nosso tesão só foi aumentando. O outro cara, claro, se aproveitou e começou a tocar nos seios da minha amiga.

Quando vi, a loira já estava pegando no meu pau e minha amiga já estava pegando no pau do outro cara. Elas trocaram e começaram a chupar o parceiro da outra. Depois de uma chupada bem gostosa, não aguentamos mais e tiramos toda a nossa roupa. Comemos as duas de quatro e, enquanto isso, elas começaram a se beijar. Cena linda de se ver e que aprendi a apreciar quase que com paixão até os dias de hoje. (rs)

Certa hora, eu estava por baixo da loira com ela sentando gostoso em mim, eu beijando minha amiga que estava de quatro dando pro outro cara, naquela embolação, e a loira, enquanto gemia, pediu com aquela voz gostosa de tesão – amor, come o meu cuzinho. Minha amiga reforçou – come o cuzinho dela. Nisso, fizemos algo que nunca nenhum de nós havia feito e que eu nem sabia o nome: uma DP (dupla penetração): Enquanto ela sentava com a bucetinha em mim, o marido comia o seu cuzinho. Enquanto isso, minha amiga intercalava beijos em mim e nela.

Depois que ela gozou (e parece que gozou muito), fui até minha amiga, troquei a camisinha e a comi de 4 até nós dois gozarmos. Que gozada deliciosa e cheia de tesão. Nunca havia experimentado um tesão tão grande como naquele dia.

Nos arrumamos, conversamos mais um pouco e fomos embora, porque já estava bem tarde. Na saída, nos despedimos e, não sei o porquê, apesar de ter pensado e de ter percebido que a loira queira que eu fizesse, não pedi o telefone deles… Me arrependo só disso até hoje…

Obs: O nome da minha amiga não é Camila. Mudei para manter o sigilo.