Eu era novinha, todo mundo me comia

Click to this video!
Autor

Quando eu completei 13 anos fui morar com meus avós no interior, minha vó passava por problemas de saúde e meu avô passava o maior tempo na lavroura. Minha mãe não podia ir sempre, como eu gostava da roça, pedi para ir pra lá. Com o passar dos tempos fui conhecendo algumas pessoas que moravam próximo a um vilarejo. Conheci algumas garotas e rapazes, quando meu avô ficava em casa e eu ia encontrar alguns amigos por lá. Normalmente encontrava com Andressa, ela já estava com 16 anos, era bastante conhecida. Quase todos os meninos ja ficaram com ela praticamente, sempre que dava eu ia com ela em alguns matinhos da vida. Mas no começo eu só beijava alguns garotos. Maioria deles eram bem safados e já queriam passar a mão na minha ppkinha, como não tinha o costume de ficar assim, fiquei um tempo sem encontrar com eles.
Quando passou o tempo da lavroura, meu avô passou a ficar mais em casa. As vezes conversamos um pouco, ele perguntava se ja estava me adptando por lá. Falei que sim e continuamos a nos falar um pouco. Minha vó costumava tomar remédios para dormir a noite, ela sentia muitas dores e por isso os tomava para dormir profundamente.
Meu avô as vezes ficava até tarde assistindo televisão, numas dessas noites fiquei assistindo com ele. Ele ficou numa ponta e eu na outra, ele estava bem a vontade só de calção e sem camisa, apesar dos seu 67 anos, estava em forma. Eu estava só com um blusão e calcinha por baixo, fazia muito calor e eu nao conseguia dormir.
Meu avô acabou me chamando para ficar perto dele e fui com a maior inocencia, acabei deitando no colo dele e cochilei um pouco. Minha cabeça estava em seu colo, ele me acariciava as vezes, quando despertei um pouco ele tinha puxado um pouco meu blusão. Minha calcinha ficou toda a mostra.
– Vovô, o que senhor está fazendo.
-Calma minha netinha, faz tempo que não vejo uma garotinha linda.
-Mas, a vovó. Ela sabe que o senhor pula a cerca.
-Por mim, nunca vai saber.
O vovô começou a me olhar com mais safadeza, fiquei um pouco assustada não esperava disso dele, mas ao mesmo tempo fiquei curiosa com o que ele fazia com as outras garotas.
-Olha vovô, como ela ainda está raspadinha.
-Minha nossa deixa eu tocar, estou louco de tesão. Faz tempo que não dou umazinha.
-Tem que prometer que nao vai machucar.
-Pode deixar comigo. Eu sei o que estou fazendo.
-Mas, vovô. Ninguem nunca tocou nela.
-Sempre tem a primeira vez.
Vovô começou a esfregar mais minha calcinha. Mas ao mesmo tempo tinha prazer, tinha medo da minha vó acordar de repente. Ele pos o pau pra fora, era bem grande, me assustei com a grossura, não era cumprida mas muito grossa. Tentei passa a lingua e enfialo na boca, mal entrava. Fiquei punhetando até ele gozar na minha cara. Fiquei com um pouquinho de nojo, mais ao mesmo tempo achei interessante. Não tinha feito com nenhum garoto, era só beijinho.
As tardezinha voltei a encontrar a Andressa e seguimos para um barraco abandonado que tinha perto do rio. Na verdade ficava alguns pescadores a noite ali. Quando chegamos tinha uns dois caras pescando, ficamos um pouco receosa. Ela reconheceu um deles e nos juntamos a eles. Um se chamava Beto, moreno devia ter uns 48 anos, bem forte e ele estava acompanhado do filho da mulher dele, Pedro, branquinho tinha uns 25. Ele morava no Rio, estava ali a passeio.
Nos enturmamos um pouco e me apresentei, falei que me chamava Jéssica e estava ali a pouco tempo para cuidar da minha vó. Andressa e Beto já se conheciam e não se fizeram de arrogados, ele estava sentado e ela no colo dele quicava sem parar, como ela estava de saia deu para perceber que eles estavam se divertindo.
Pedro olhou pra mim e perguntou se eu já tinha ficado com alguem e se eu tinha namorado, falei que não, que eu era nova ainda e tinha todo o tempo do mundo. Ficamos só nos beijinhos e como eu estava já acesa pelo meu avô, sentei com o Pedro no chão e coloquei minha mão sobre as sua pernas, ele percebeu e puxou pro seu pau. Ele se levantou e abriu o ziper e pos aquele pau cumprido para fora. Fui passando a lingua e aos pouco fui abocanhando um pouco, era bem cumprida e nao conseguia enfiar tudo, colocava um pouco e com uma das mão o punhetava.
Ficamos assim por um tempo e ele logo gozou na minha garganta, saiu bastante jatos não consegui tirar a tempo e ele logo gozou, engoli um pouco e engasguei. Ele ficou rindo e disse que minha boca era maravilhosa. Ficamos mais um pouco ali e seu Beto veio pro meu lado. Pedro ficou a Andressa e começara a fazer um sexo bem gostoso, queria experimentar mais ao mesmo tempo tinha medo. O Beto ficou em pe na minha frente e deu o pau dele pra eu chupar, que na hora nao recusei. Ficamos por um bom tempo e ele gozou na minha boca.
Nos ajeitamos e fomos embora logo em seguida… Me despedi da Andressa e fui pra casa, meu avô estava acordado me esperando e ficamos ali na sala… Deposi eu conto o resto.

Beijos e obirgada por ler…