Mesmo sendo crente, adoro dar o cuzinho 2

Click to this video!
Autor

Depois de ter feito anal com o pastor e o Cicero, finalmente fui convidada para o retiro. Como já sabia que ia rolar fui mais preparada, claro né. Sofri bastante na primeira vez com dois morenos bem fortes, não é qualquer mulher que aguenta um pau grande, imagina uma novinha que nem eu, que só tinha 15aninhos na época. Dessa vez nos íamos para um sitio de um dos fiéis que bancava as festinhas também. Na viagem fui ao lado de uma garota que tinha uns 18 anos, ela já era veterana, pois foi uma das primeiras a frequentar e continuava no grupo. Conversamos bastante sobre tudo e ate sobre sexo, ela me deu muitas dicas de como fazer e claro, como agrada-los para que eles sempre me chamassem. Quando descemos já fomos logo para o quarto guardar nossas bolsas, como era só um dia, então não levei muita coisa, só o básico mesmo. Voltei para a sala e todos foram em direção a piscina onde estava sendo servido um churrasco, tinha algumas bebidas e muitos já estavam bem a vontade.
Entrei na agua e fiquei observando no canto como era o movimento entre eles, todos estavam bem assanhados de uma forma que nem pareciam ser da igreja. Percebi que tinha alguns homens me observando e eu olhava de volta, foi quando o Cicero chegou perto deles e começou a falar algumas coisas pra eles. Como o som estava alto não deu para perceber o que era, mas senti que era sobre minha pessoa, pois não paravam de me olhar com mais malicias.
Em quanto eles conversam o Aloisio um dos mais jovens devia ter uns 21 anos, veio falar comigo. Ele era branco, bom porte físico e bom de papo, fiquei entretida com ele, e isso me deixou muito bem mais a vontade na festa. Aos poucos ele me acariciava como não reclamava e nem tirava as mãos dele, ele chegou bem perto de mim e me beijou bem gostoso. Correspondi sem vergonha nenhuma e cada vez mais ele me agarrava, apertava bem minha bunda, adorava aquele jeito dele bem safado. Ele me pegou pela as mãos me levou para um lado do sitio mais reservado, nos abraçávamos a cada vez mais, ele tirou a parte de cima do biquíni e começou a chupar e morder de leve meus peitinhos. Eu estava tão a vontade e nem percebi que os homens que me olhavam estavam ali perto.
O Felipe que era o mais velho perguntou se podiam participar, olhei pro Aloisio e ele falou só se eu estivesse a vontade. Só balancei a cabeça e eles se aproximaram. Felipe tinha uns 51 anos, era moreno, alto, Wagner, 31, era o motorista do ônibus, branco, e Antônio, 41. Eles me acariciavam e eu retribuía de todos os jeitos.
Eles tiraram a parte de baixo do biquíni e começaram a me lamber toda, fiquei toda molhadinha de tanto linguada. Me ajoelhei no meio deles e comecei a chupa-los, todos eles socavam na minha boca, metiam tanto que faltava ar… Wagner tinha levado um lençol e esticou no chão, falei que só ia dar bundinha… O Felipe falou que eles já sabiam e que iam me tratar com carinho.
Como o Aloisio chegou primeiro, pedi pra ele meter devagar… ele parecia estar bem nervoso e que metendo quase tudo de uma vez, tentei me segurar pra não gritar. Felipe já veio colocando o pau dele na minha boca e começou a foder, qualquer lado que eu fosse, estava sendo bem fodida. Eles revezavam na minha bundinha, sentia menos dor dessa vez. Fiquei de todas as posições possíveis, logo eles gozaram bem na minha boquinha um a um. Nos vestimos e voltamos para curtir a festa. Quando voltei o Cicero perguntou se tinha me divertido e disse com a cara de safada que sim, que já estava ficando craque levar no rabinho…
Ele mandou que eu fosse em direção ao estacionamento e espera-lo. Não demorou muito ele veio ao meu encontro, ele tinha ido de carro e me levou para o banco de trás. Ele tirou só a parte de baixo e enfiou a rola dele, chegava ver estrela, dessa vez aguentei firme aquele pau em mim.
Ele me chamava de safada, cachorra que eu era a putinha dele e socava tudo… quando ele começou a meter mais forte, aquele safado gozou dentro de mim… ficamos um tempinho conversando bastante ainda e voltamos para a festa.
Com certeza matei a minha curiosidade, quando tinha essas festas, adorava ouvir o meu nome na lista.