Menina Curiosa o Titio Tira o Cabacinho

Click to this video!
Autor

Quase todos os finais de semana eram a mesma coisa.
Era um quintal grande com quatro casas, tipo uma vilinha, meu avô mesmo que construiu tudo.
Morava a família toda naquele quintal.
Na casa da frente, moravam minha avó, meu avô e o tio Jean,que era solteiro,e também o caçula dos irmãos.
A segunda casa era do meu tio Elias, o mais velho dos irmãos,casado com a tia Sara, tinham dois filhos, o Jonas que tinha a mesma idade que eu,onze anos e o Tércio com doze anos.
A terceira casa era a minha, moravam meu pai que era o segundo filho,minha mãe e eu.,
E na última casa moravam a tia Silvia,terceira filha, e o tio Luiz, eles não tinham filhos, mas os sobrinhos do tio Luiz ficavam lá a semana inteira, minha tia que cuidava deles porque o irmão do tio Luiz e a mulher dele, trabalhavam num hospital em outra cidade e só vinham pra casa nos finais de semana.
Eu era o xodó do meu avô e da minha avó, pois era a única menina, e de certa forma causava um pouco de ciúmes nos meninos, mas nada que provocasse brigas ou discussões.
Meu avô tinha uma grande mercearia, que ele falava que era um ”armazém de secos e molhados", trabalhavam ele, meu tio Jean, minha avó, minha mãe e minha tia Silvia, e também tinham mais dois funcionários, a Lais e o Felipe,que eram filhos de um conhecido do meu avô…e eu…que chegava da escola todos os dias e ficava por lá também, mais atrapalhava do que ajudava, mas ninguém reclamava comigo, porque meu avô não permitia, mesmo ele não estava.
De segunda a sexta-feira, depois do almoço, minha avó e meu avô não voltavam, pois eram eles que abriam a mercearia todos os dias bem cedo.
Nos finais de semana o movimento era infernal, a procura pelos defumados e os assados feitos pelo meu avô, eram muito grande, sem contar com as compotas que minha avó fazia, e por isso a família toda trabalhava lá.
Nos fundos da mercearia tinha um corredor comprido e bem largo, de um lado tinha um cômodo grande, que era usado pra guardar o estoque, do outro lado, ficavam os banheiros, e no final do corredor, havia outro cômodo pequeno que era o escritório do meu avô.
Mas vamos ao que interessa.
Num domingo já quase perto do horário de fechar, meu avô chamou meu tio Jean e pediu pra ele ir no estoque buscar uma mercadoria que precisava repor.
Ele estava indo quando eu falei que ia junto para ajuda-lo, ele disse não, e mandou eu ficar onde estava. Eu insisti, mas ele achou ruim, parei e fiquei olhando pra ele.
Antes de chegar no corredor que dava para o estoque, ele passou pelo balcão onde a Lais ficava e falou com ela.
Eu sempre fui um tanto teimosa, e mesmo ele ralhando,eu fui atrás.
A Lais chamou o Felipe, falou com ele e saiu do balcão rapidamente e foi em direção ao corredor.
Eu passei pelo Felipe e perguntei porque ele estava no balcão, ele respondeu que a Lais precisou ir no banheiro.
Continuei andando.
Entrei no corredor, e vi que a porta do banheiro das mulheres estava aberta, então pensei…
”Ué,cadê a Lais?"
O banheiro dos homens também estava com a porta aberta.
A porta do escritório do meu avô era trancada e só ele tinha a chave.
Fui andando devagar até a porta de entrada do estoque.
A porta estava só encostada, entrei bem devagar…
Escutei a voz do meu tio Jean, falando bem baixinho.
– Que é agora, vai ficar fazendo charminho ?
A Lais respondeu, também falando baixinho.
– Você tá louco é, e se alguém entrar aqui ?
Ele insistiu, e falou sem sussurrar.
– Ninguém vai entrar aqui.
A Lais era a filha mais nova do Seu Agenor, velho conhecido do meu avô, e era de confiança,as vezes quando meus pais tinham algum compromisso, pediam pra ela ficar em casa cuidando de mim, ou as vezes me levava pra escola e me buscava também.
Ela sempre foi uma garota muito bonita, os garotos do bairro sempre davam um jeitinho de se aproximarem dela, mas ela não dava mole não.
Eu andava o mais devagar que podia, sempre olhando para o chão para não tropeçar em alguma das caixas que ficavam espalhadas pelo local.
Além de algumas prateleiras, tinham também três gôndolas que antes eram usadas na mercearia, e que ficavam bem no meio do cômodo. Eu entrei por um corredor que ficava entre duas gôndolas, e por um vão entre as mercadorias eu conseguia ver meu tio Jean em pé,e a Lais estava sentada numa caixa.
Ele estava com as mãos na cintura, e ela estava passando as mãos nele.
Meu tio falava pra ela não enrolar e parar de frescura.
Ela soltou o cinto e depois abriu o ziper, abaixou um pouco a calça, e depois a cueca…a rola do meu tio saltou pra fora com tudo, eu fiz um ”hã"…mas como meu tio falava com ela, então não me ouviram, foi por pouco.
Eu me ajeitei para ver melhor, consegui afastar uma caixa pequena sem fazer barulho.
A Lais já estava segurando a rola do meu tio com as duas mãos, eu fiquei paralisada com a cena.
Já tinha visto os pintinhos dos meus primos, e também dos sobrinhos do meu tio Luiz, a maior de todas era a o Tércio, mas comparada a do meu tio Jean…não era nada…
Ela começou a punhetar ele bem devagar, e ele falou novamente pra ela não enrolar.
Ele segurou ela e começou esfregar a rola no rosto e nos lábios dela.
Ela abriu a boca ele enfiou mais da metade da rola,e começou a meter na boca dela, a cena era até engraçada, ele gemia e ela engasgava, mas não largava a rola dele… e que rola…
Não demorou quase nada e logo meu tio começou a gemer e urrar…ele segurou na cabeça dela e enfiou quase a rola inteira na boca dela…ele gemia e urrava e ela não parava de chupar.
Começou escorrer uma baba branca pelos cantos da boca dela e meu tio falava pra ela…
– Isso gostosa…é assim que se faz…engoli tudo lindinha…engoli tudo tudo…
Ele tirou a rola da boca dela, e falou
– Viu…pra que ficar fazendo charminho se vc gosta disso ???
Ela deu um sorriso, e disse pra ele que gostava mesmo…mas que ele ainda estava devendo pra ela e queria saber quando ele iria pagar ela.
Meu tio levantou a cueca e a calça e respondeu que logo logo ela iria pagar ela…com juros…muito juros.
A Lais se levantou, limpou a boca nas mangas da blusa dela deu um beijo no rosto do meu tio, falou que ia esperar então, e saiu.
Eu me abaixei no corredor pra esperar meu tio sair dali…mas dei azar…
Ele começou a empurrar umas caixas, e uma delas caiu bem ao meu lado e com o susto, eu gritei…
– Aiiiiiiii….
Ele veio rápido até onde eu estava me pegou pelo braço,me levantou e perguntou bem bravo.
-O QUE VC ESTÁ FAZENDO AQUI ??? EU DISSE PRA VC FICAR LÁ ONDE ESTAVA…NÃO DISSE ??
Não respondi nada, pois não consegui nem falar.
Na hora pensei que ele iria me bater, porque eu nunca tinha visto meu tio tão bravo daquele jeito.
Eu pedi pra ele me soltar, mas ele me apertou mais forte ainda.
Eu sempre fui baixinha e perto do meu tio naquela época…eu era anã…
Ele se abaixou, ficou de joelhos no chão, e com as mãos apoiadas no meu ombro ele falou comigo, mas a voz dele era de quem estava mais calmo.
– Sheyla minha princesa, me diz uma coisa…
– O que tio ???
– Porque vc não ficou lá onde estava como o tio te mandou ???
Eu abaixei a cabeça e não respondi nada.
Ele segurou no meu queixo e perguntou.
– Quanto tempo vc estava abaixada aqui me olhando ???
Olhei bem nos olhos dele e respondi.
-Eu num ‘tava’ abaixada.
Ele me olhou meio assustado, se levantou, ficou em pé bem na minha frente, novamente segurando no meu queixo, só que fazendo eu olhar pra ele.
– É assim então, agora vc fica por aí espiando os outros ?
Ele me soltou e mandou eu ir embora porque ele precisava separar umas mercadorias, e eu poderia me machucar, se alguma caixa pesada caísse em cima de mim.
Eu saí dali quase mais que depressa.
Fui até onde minha mãe estava e disse pra ela que estava com sede e perguntei se podia pegar um refrigerante.
Ela olhou bem pra mim e quis saber onde eu estava e porque meu rosto estava vermelho daquele jeito.
Eu disse que estava no estoque ajudando o tio Jean, e uma caixa quase caiu em cima de mim, e que o tio gritou comigo porque tinha mandado eu sair dali eu não sai.
Ela deixou eu tomar o refrigerante, mas mandou eu ir pedir pra Lais pegar pra eu.
Fui até o balcão onde a Lais fica, e falei pra ela pegar o refrigerante, ela perguntou se minha mãe deixou, respondi que sim.
Ela foi até a geladeira pegou um guaraná, abriu e me deu.
Sentei num banco perto dela e fiquei ali conversando com ela.
Meu tio Jean saiu do estoque, e quando me viu conversando com a Lais, parou e ficou olhando em nossa direção.
Olhei para a Lais, e ela também estava olhando pra ele.
Ele levou as mercadorias até local que deveriam ficar e chamou o Felipe, mostrou as coisas e saiu.
Foi até onde meu avô estava, falou alguma coisa com ele, e veio andando em direção aonde eu estava.
Chegou perto da Lais e perguntou pra ela sem se preocupar comigo ali.
– Ela disse alguma coisa pra vc ???
A Lais respondeu que não, e quis saber porque da pergunta.
Olhando pra mim ele respondeu pra ela…
-Sabe onde ela estava ???
Lais respondeu que não.
– Ela estava lá dentro do estoque…
Ela se assustou com o que ele disse e os lábios dela ficaram brancos…
Eu fiquei sentadinha onde estava, continuei tomando meu refrigerante sem me importar com nada, acho que no fundo eu estava gostando daquilo, eu não sei explicar o que senti naquele momento…mas foi bom…muito bom.
A Lais saiu apressada dali e foi ao banheiro, meu tio ficou atendendo o balcão.
Acabei o refrigerante, chamei meu tio pra pegar a garrafa, ele me olhou e falou que eu sabia onde era pra colocar o vasilhame.
Eu levantei e fui guardar a garrafa vazia, era no corredor que ficavam as caixas dos vasilhames.
A porta do banheiro das mulheres estava fechada, eu sabia que a Lais estava lá mas bati assim mesmo. Bati uma vez…e nada…
Bati novamente, escutei o barulho da tranca sendo aberta.
Empurrei a porta devagar e entrei.
A Lais estava lavando as mãos, mas os olhos dela estavam vermelhos, ela estava chorando.
Eu perguntei pra ela porque ela estava chorando, ela disse que não era nada.
Insisti…
Ela foi até a porta, fechou e trancou.
Foi até onde eu estava, se abaixou e falou comigo.
– Sabe o que é Sheyla, é que tem coisas que a gente faz, e depois se arrepende…entende ???
Eu quis saber o que ela fez.
Ela deu um sorriso meio tímido, e me falou bem baixinho…
– Se vc estava lá no estoque vc viu o que eu fiz…
Respondi que sim.
Ela se levantou, foi até o lavatório, abriu a torneira, lavou as mãos e o rosto, se enxugou, arrumou os cabelos…olhou novamente pra mim e antes de abrir a porta, falou comigo.
– Posso te pedir um favor ???
– Pode…
– Não fala isso pra ninguém por favor…
– Tá bom eu não vou falar.
-Promete ???
-Prometo …
– De verdade ???
– Aí Lais…tá bom, tá bom…eu prometo sim…
-Obrigada…
Abriu a porta e saiu, eu sai logo atrás dela.
Quando voltei pra mercearia, a Lais estava conversando com meu tio, olhei pra eles, meu tio me chamou…
Fui até onde eles estavam, meu tio me abraçou, e falou comigo.
-Tá combinado então ??
-O que tio ???
-A Lais disse que vc prometeu que vai guardar segredo, vai mesmo ???
– Vou sim, mas eu quero uma coisa.
– O que vc quer minha princesa.
Não sei de onde tirei a ideia de pedir aquilo e nem porque pedi.
Meu tio insistiu na pergunta.
-Fala Sheyla, o que vc quer ??
Eu falei baixinho só para o meu tio ouvir.
– Vc e a Lais vão fazer aquilo de novo ???
Ele começou a rir, eu fiquei meio espantada com a risada dele, porque ele riu tão alto que alguns clientes que estavam fazendo compras, pararam e ficaram olhando pra ele.
A Lais olhava pra gente e não entendia nada.
Ele saiu dali, foi até onde estavam meu avô e o Felipe, conversou alguma coisa com eles e voltou.
Eu perguntei pra ele outra vez.
-Tio, tio…vai fazer ou não ??
A Lais chamou ele e quis saber o que estava acontecendo, e ele falou.
Ela fez uma cara de espanto, olhou pra mim e perguntou.
– Porque vc quer saber isso ???
Nem pensei, respondi de bate pronto.
– Porque eu quero ver…
Ela olhou para o meu tio como se perguntasse pra ele o que deveria fazer.
Meu tio, veio onde eu estava e falou comigo bem baixinho.
-Se vc prometer de verdade que guarda segredo mesmo, eu prometo deixar vc ver tudo, do começo ao fim, mas vc tem que prometer.
Na hora me senti importante, e falei que prometia de verdade.
A Lais veio até nós e falou com ele…
-Vc tá doido…fumou maconha embolorada, ou comeu merda de cachorro louco ???
Ele pegou um pano e começou a passar no balcão, e ao mesmo tempo falava com ela.
– Calma Lais, a Sheyla é inteligente, e se ela prometeu tá tudo bem, se acalma…
Ela saiu de trás do balcão e foi para o outro lado da mercearia, passou pelo irmão, ele falou algo pra ela, ela deu de ombros e foi até onde minha mãe estava.
Lá do fundo dava pra eu ver ela conversar com minha mãe, logo as duas estavam rindo.
Ela voltou para o local de trabalho dela,e falou com a maior naturalidade.
– Tá resolvido, sua mãe deixou vc ir no cinema comigo hj.
Virou para onde meu tio estava e falou pra ele.
– E vc também vai…
Meu tio quis falar alguma coisa, mas ela não deixou, já cortou ele falando num tom mais alto.
– Vc vai sim…e hj vou aproveitar e cobrar o que vc me deve…
Ele olhou sério pra ela, e apontando pra mim, falou.
-Agora é vc que fumou maconha embolorada…vc quer levar ela também ???
-Porque não, foi vc que disse pra ela que iria deixar ela assistir tudo…do começo ao fim…
Eu aproveitei, abracei a Lais e falei com o meu tio…
-Vc falou sim, falou que eu ia ver tudo…do começo ao fim…e eu quero ir.
Meu tio olhou para a Lais e disse.
-Vc é louca Lais…
Saiu de trás do balcão e foi lá pra frente da mercearia porque meu avô e o Felipe, estavam começando a guardar as coisas porque estava na hora de fechar, pois já passava das 13:00 horas.
Eu estava entusiasmada com tudo aquilo, não fazia ideia do que estava por vir.
Ajudei a Lais limpar e arrumar tudo.
Fui até o caixa que minha mãe estava, e perguntei se eu podia subir pra tomar banho e me trocar logo,já que ela havia deixado eu ir no cinema com a Lais.
Minha mãe sorriu pra mim, e falou que era pra eu me comportar, e não ficar pedindo nada pra ela.
Fui falar com a Lais pra ela me esperar,porque eu ia tomar banho,me arrumar e descia.
Ela disse que tudo bem, que ia me esperar, mas que depois nós íamos até a casa dela porque ela também precisava se arrumar.
Tomei banho e me vesti mais rápido que o normal, desci.
Ela estava conversando com a minha tia quando eu cheguei, ela olhou e falou…
– Nossa, vou ter que me arrumar muito bem pra sair ao seu lado…
Eu sorri pra, e já fui chamando ela pra ir embora.
Minha mãe já tinha dado algum dinheiro pra ela, pra pagar o cinema e comprar alguma coisa que eu quisesse,e antes de sair, novamente fez as recomendações de sempre.
Saímos da mercearia e fomos caminhando devagar, eu quis saber porque estávamos andando tão devagar, ela disse que era pra dar tempo do meu tio Jean voltar, porque ele tinha ido levar o Felipe na quadra onde ele jogava futebol de salão.
Quando chegamos na esquina, o carro do meu tio estava parado, fomos até lá.
A Lais conversou com ele,e ficou combinado que ele pegaria a gente no ponto de ônibus, e ela disse pra ele não demorar.
Fomos pra casa dela.
Chegamos, não tinha ninguém em casa, perguntei pelos pais dela, ela disse que eles foram na casa do tio dela que tinha operado o joelho.Ela já foi logo separando a roupa que iria usar, e me perguntou se estava legal, eu disse que estava. Ela ligou a tv no quarto dela e disse pra eu ficar a vontade que ela não demoraria.
Pegou uma toalha,um robe,tirou o tênis,calçou um chinelo de dedo e foi para o banheiro.
Não foi um banho demorado.
Ela entrou no quarto, pegou a roupa e voltou para o banheiro.
Se vestiu e voltou para o quarto, arrumou o cabelo, se maquiou…e saímos.
Descemos a rua, e fomos para o ponto de ônibus…
Logo meu tio chegou, parou o carro, entramos e ele saiu rápido.
Me olhou pelo espelho e perguntou se eu estava bem, respondi que sim, e perguntei onde nós íamos.
Eles riram, e ela respondeu pra eu ficar tranquila que eu ia gostar do lugar.
Andamos um bom tempo de carro, acho que uns vinte minutos ou mais.
Meu tio parou numa rua, desceu do carro, abriu a porta de trás e me perguntou.
– Vc tem certeza que quer ir mesmo ???
– Quero sim.
-Tá bom, mas vc não pode falar pra ninguém sobre isso…
Eu disse que já tinha prometido pra ele.
Ele fechou a porta, entrou no carro, ligou e fomos embora.
Andamos mais uns minutos, meu tio parou deu uma chave pra Lais, ela desceu e abriu o portão de uma casa.
Meu tio guardou o carro na garagem, fechou o portão e entramos na casa.
Assim que entramos ele já abraçou a Lais e começaram se beijar…
Foram se agarrando e se beijando em direção de um dos quartos, tinha uma cama de casal no quarto, ele sentou na beirada da cama a Lais sentou no colo dele e continuaram se beijando.
Eu fiquei parada na porta do quarto olhando.
Meu tio começou a tirar a roupa da Lais, logo ela estava só de calcinha e sutiã.
Ele tirava a camisa enquanto ela soltava o cinto dele, logo ele já estava só de cueca.
A Lais começou a morder a rola dele por cima da cueca, ele gemia e falava um monte de besteiras pra ela.
-Isso safada…morde gostoso …morde…é todo seu sua puta safada…
Ela tirou a cueca dele e jogou na minha direção, a cueca caiu bem perto de mim.
Eu peguei a cueca e fui até perto deles e coloquei a cueca na cama.
Ela segurava a rola do meu tio e começou a chupar com muita vontade, ela engolia quase toda, sugava tanto que chegava engasgar.
Eu estava em pé ao lado do meu tio, ele me puxou e me fez sentar na cama, pra ficar assistindo de frente.
A Lais parecia uma doida, chupava a rola dele inteira, tirava tudo e engolia de novo…
Ela parou de chupar e ficou só punhetando ele.
Olhou pra mim e perguntou.
– Tá gostando Sheyla ???
Eu não falava nada, só olhava.
Ela pegou na minha mão e me puxou pra perto, fez eu ficar bem próxima do meu tio, pegou minha mão e levou até a rola dele e falou.
-Pega…sente como é gostosa de segurar…
Eu timidamente segurei na rola do meu tio e a Lais foi me falando como eu devia fazer, logo eu estava punhetando ele enquanto ela assistia.
Eu estava usando um vestido de alcinha e um sutiã de menina moça, já que meus seios estavam começando a nascer, não eram como os da Lais, mas já estavam grandinhos e os biquinhos eram bem durinhos.
A Lais segurou a rola do meu tio e começou a esfregar no meu rosto, e nos meus lábios do mesmo jeito que meu tio fez com ela no estoque.
Ela chegou bem perto do meu ouvido e começou falar…
-Beija ele…beija…
Ela esfregava a rola no meu rosto e mandou eu abrir a boca…
Eu abri um pouco, meu tio forçou pra eu abrir mais,e enfiou a cabeça toda na minha boca e a Lais falou…
-Isso gatinha é assim mesmo…chupa gostoso gostoso chupa…
Comecei a chupar bem devagar, e meu tio começou a gemer cada vez mais alto, e falava comigo…
-Nossa princesa…que boquinha gostosa….chupa o titio chupa…chupa gostoso que eu quero gozar nessa boquinha…
A Lais tirou da minha boca e começou a chupar bem rápido…meu tio segurava a cabeça dela e metia na boca dela sem dó…
De repente ele falou…
-Eu vou gozar…eu vou gozar…
A Lais me puxou e colocou a rola na minha boca e mandou eu chupar bem rápido…
Eu chupava como ela mandou, meu tio segurou na minha cabeça e enfiou mais um pouco, eu senti bater na minha garganta… e logo senti os jatos de porra…
Ele gozou muito e a Lais falava pra comigo…
-Isso gatinha, é assim que se faz…chupa chupa chupa…engoli tudo engoli…
Engoli muita porra mesmo, e cheguei engasgar também…
Meu tio tirou a rola da minha boca, e se jogou na cama, e Lais me puxou como se eu fosse um bebe e se deitou comigo na cama.
Ficamos assim por alguns minutos, e logo ela já estava alisando a rola dele novamente…
Ele se ajeitou na cama, me puxou pra sentar no colo dele, eu estava de vestido, então senti a rola dele dura encostar na minha bundinha, e a sensação foi gostosa.
Ele começou me acariciar, e perguntou se estava tudo bem comigo, eu disse que sim…
Ele me levantou, me fez ficar em pé na cama, começou a passar as mãos nas minhas coxas e ia até minha bundinha, ele apertava forte, e eu estava experimentando novas sensações…e estava gostando muito.
A Lais veio por trás, e começou a soltar as alcinhas do meu vestido que caiu na cama…eu fiquei só de calcinha e sutiã na frente do meu tio…
Ele começou me alisar inteira, parou com as mãos nas minhas costas e desabotoou meu sutiã…tirou ele bem devagar…olhou para os meus seios pequeninos e falou…
-Nossa…olha isso Lais…que delicia…
A Lais sentou ao lado dele e me perguntou.
-Deixa o titio beijar seus peitinhos deixa princesa ???
Eu não falava nada, só consentia tudo acenando a cabeça.
Ele me puxou pra ficar bem perto dele e começou a lamber meus seios…
Eu senti um calor que percorreu meu corpo inteiro em frações de segundos…eu estava toda arrepiada, eu sentia que estava…
Meu tio começou a sugar meus seios alternadamente ora um ora outro…e o que senti durante o tempo que ele estava me chupando foi indescritível…só sei que ele passou as pontas dos dedos na minha xaninha por cima da calcinha mesmo, e falou pra Lais…
– Olha isso Lais…passa a mão pra sentir…olha com ela está toda molhadinha.
A Lais passava uma mão na minha xaninha e com a outra foi tirando minha calcinha…
Meu tio ficou um bom tempo olhando pra minha xaninha, e não resistiu…
Ele me deitou na cama e foi direto com a língua no meu grelinho…ele sugava minha xaninha inteira, e passava a língua por toda extenção.
Ele levantou minhas pernas e abriu o que dava e passava a língua do meu cusinho até o grelinho…
Eu não aguentei muito tempo também e logo já estava me contorcendo toda e gemendo cada vez mais alto…de repente minha respiração parecia que ia sumir, eu respirava cada vez com mais dificuldade…e logo senti aquele calor outra vez, só que agora mais forte e mais longo…
Foi bom…foi muito bom…
Enquanto meu tio me chupava a Lais chupava ele e logo ele gozou novamente, e dessa vez na boca dela, que engoliu tudo…tudo mesmo.
Meu tio deitou na cama e me colocou deitada sobre ele.
A Lais ajeitou a rola dele entre as minhas pernas, eu sentia ele roçar ela na minha xaninha, e eu me mexia também conforme os movimentos dele.
Ele conversava com a Lais e falava que não sabia quem era o mais louco dos dois, ela corrigiu ele.
-Dos dois não, dos três, porque ela quis também…
Eu ouvia os dois conversando mas não estava nem ai pra conversa, eu estava concentrada no rola do meu tio esfregando na minha xaninha.
Eu comecei a sentir aquela sensação novamente, então fechei as pernas pra e comecei a remexer mais rápido e mais forte e também estava gemendo mais alto…
Meu tio parou de falar com a Lais e começou a esfregar e rola com mais vontade também enquanto falava comigo…
-Isso princesa…mexe gostoso…quer gozar outra vez…o tio vai fazer vc gozar muito hj…isso princesa…mexe …mexe…
Logo eu gozei outra vez…dessa vez eu senti um coisa diferente porque as contrações começaram dentro da minha xaninha, foi muito mais gostosa que as outras…
Eu fiquei largada no colo do meu tio, e ele falou pra Lais.
– Eita menina tarada…
Ela então falou…
-Isso porque só chupou e bucetinha dela, os seios…e esfregou a rola no grelinho…imagina se faz tudo mesmo…
Meu tio perguntou.
-Como assim…tudo ???
-Ah Jean…para de graça…
-Porque ??? Vc tá falando de comer ela pra valer ???
– Sim, porque não ???
– Vc tá doida Lais…ela não aguenta minha rola não…
-Quem disse ???
Ela me chamou.
-Sheyla…
Eu virei para o lado que ela estava, e ela falou pra eu sair um pouco do colo do meu tio.
Eu levantei e deitei do outro lado, mas virada para o lado que eles estavam.
Ela começou alisando a rola dele,e logo já estava dura novamente.
Ela começou a chupar com muito mais vontade que das outras vezes, ela engolia quase toda e soltava bem devagar…
Meu tio estava deitado, ela foi se ajeitando por cima dele, pegou a rola colocou na entrada da xana e foi sentando bem devagar…logo a rola sumiu dentro dela.
Ela apoiou as mãos no tórax dele e começou cavalgar como uma louca, ela não gemia, ela chegava gritar de tanto tesão e meu tio gemia cada vez mais alto e mais forte, e ao mesmo tempo ele incentivava ela.
-Isso gostosa…assim mesmo, não para não …
E ela também falava.
-Mete mete…fode essa buceta …fode gostoso fode…me arromba desgraçado….fode essa bucetaaaaa…
Eu me sentei na cama e fiquei maravilhada com aquela cena…
Ela me olhava e falava…
-Olha princesa é assim que se faz…ta vendo …tá vendo ??
Ela me puxou pra ficar mais perto,mandou eu abrir as pernas, e falou para o meu tio tocar uma siririca em mim…
Ele começou alisando bem devagar e logo estava em um ritmo mais forte…minha xaninha encharcou em segundos, e eu subi um pouco mais e abria bem as pernas.
Meu tio lambuzava os dedos na minha xaninha, e esfregava na minha boca também, mandava eu chupar e depois passava na minha xaninha de novo, logo ele estava tentando enfiar o dedo no meu cusinho.
Ele percebeu que eu fiquei parada quieta e deixei ele continuar o que ele estava fazendo, ele foi forçando cada vez mais.
Senti o dedo dele entrar no meu cusinho, doeu um pouco, e eu tranquei, fechei as pernas, e ele mandou eu relaxar…e a Lais também falava comigo.
-Relaxa Sheylinha…relaxa que vc vai gostar…
Ela falava comigo e continuava cavalgando na rola do meu tio.
Eu me soltei um pouco mas meu tio ficou como estava, não tentou enfiar mais, ficou só com a ponta do dedo dentro do meu cusinho.
A Lais pegou a minha mão e colocou em cima da minha xaninha e falou…
-Vai menina… mete o dedo nessa buceta…hj vc vai sair sabendo tudo…
Eu discretamente comecei a me masturbar, e logo peguei o jeito e o gosto…não demorou muito eu gozei mais uma vez…
A Lais também gozou, ela gritou muito na hora, parecia que estava apanhando e não fazendo sexo…
Meu tio relaxou totalmente na cama.
A Lais saiu de cima dele e deitou ao meu lado…
Ela começou a passar a mãos nos meu cabelos, e logo já estava acariciando meus seios, ela apertava não muito forte, mas de um jeito gostoso…
Ela me perguntou se estava tudo bem comigo, respondi que sim…
Ela se levantou um pouco e ficou bem perto do meu rosto e falou assim.
-Agora vai ser a sua vez…
Eu não entendi e quis saber o que era.
Ela desceu a mão até a minha xaninha, deu uma apertadinha e falou no meu ouvido bem baixinho…
-Sua vez de de dar essa xaninha gostosa pro seu tio…vc quer ??
Olhei pra ela e falei.
-Quero…
-Quer mesmo ???
-Quero…
-Taradinha do jeito que vc é vc vai gostar muito…e depois da primeira vez,vai querer dar sempre…
Ela saiu de cima de mim e chamou meu tio.
-Jean…Jean…
Meu tio abriu os olhos e perguntou o que ela queria.
Ela já estava alisando a rola dele…
Ela me chamou e mandou eu chupar.
Eu comecei a chupar a rola do meu tio, e logo ela já estava em riste novamente.
A Lais mandou eu subir no colo dele e esfregar minha xaninha na rola dele, enquanto eu esfregava ela se levantou, foi até um móvel que tinha no canto do quarto, abriu uma gaveta, pegou algo e voltou pra cama.
Mandou eu sair de cima do meu tio, e mostrou a camisinha pra ele.
Abriu a embalagem, tirou a camisinha e colocou na rola do meu tio.
Mandou eu me deitar e abrir bem as pernas, e disse para o meu tio…
-Vamos titio…a sua princesa que sentir sua rola dentro da bucetinha dela…
Meu tio olhou pra mim ali deitada na frente dele com as pernas abertas, ficou quase em cima de mim e falou comigo bem baixinho.
-Vc quer isso mesmo ??
Não falei, só acenei que sim…
-Tem certeza princesa…
-Tenho tio…
Ele começou me beijando, primeiro um selinho, e depois começou a enfiar a língua na minha boca, e a Lais ajudava falando comigo.
-Abre a boca princesa…assim…viu como vc sabe…vc vai gostar…
Meu tio me beijava de um jeito que me faltava até o ar, e ao mesmo tempo esfregava a cabeça da rola na minha xaninha.
Ele ficou bem colado comigo e falou baixinho…
-Se doer é só falar que o titio para…
Eu abracei ele bem forte e procurei a boca dele pra beijar.
Com uma das mãos ele acertou a cabeça da rola na minha xaninha e começou a forçar…
Forçou a primeira vez, senti uma dorzinha, mas eu abracei ele mais forte…
Ele forçou a segunda vez, e senti a cabeça da rola dele começar invadir minha xaninha…ele forçou mais um pouco, e a cabeça entrou, senti uma pontada mais forte, que cheguei a dar uma mordida de leve nos lábios dele…
Ele deu mais uma forçadinha e senti uma dor mais aguda…parecia que tinha alguma coisa me rasgando no meio, eu cheguei a lacrimejar um pouco, e senti uma coisa quente escorrendo, era sangue…mas foi bem pouquinho,nada que assustasse.
Ele parou, ficou quieto pra eu acostumar.
Me olhou no olhos e disse…
-Tá chorando princesa ???
Eu acenei que não,mas consegui balbuciar…
-Doeu tio…doeu muito agora…
Ele me beijou e falou que era só na hora e que depois eu ia adorar e querer mais e mais e mais…
A Lais acariciava meus cabelos, e também meus seios…passava as mãos pelo meu corpo todo, e ao mesmo tempo falava comigo.
– Isso princesa…calma…relaxa…relaxa…
Meu tio começou se movimentar novamente, e minha xaninha já estava quase engolindo a rola inteira do meu tio, que depois eu fiquei sabendo que media 16cm…
Ele começou a bombar bem devagar e aos poucos aumentou o ritmo…ele falava uma monte de coisas…eu nem prestava atenção…
Eu comecei a curtir ele meter em mim e comecei a falar as mesmas coisas que a Lais falou pra ele quando metia nela…
-Assim titio…fode gostoso fode…fode minha bucetinha fode…
E ele por sua vez também falava…
-Gostosa…que bucetinha apertadinha e quente que vc tem princesa…
A Lais também incentivava…
-Vai Jean…soca a rola nessa putinha safada…mete nela…arromba essa buceta, não para…
Meu tio começou a falar comigo.
-Vou gozar princesa…vou gozar comendo essa bucetinha gostosa que vc tem…
Eu já não sabia mais o que era aquela dor do inicio…já estava curtindo muito meu tio metendo na minha bucetinha e falando que ia querer me comer todos os dias…
Eu comecei a sentir aquelas contrações novamente, e o calor por todo meu corpo.
Na hora eu abracei meu tio bem forte, e entrelacei as pernas na cintura dele, e comecei a gemer mais alto do que as outras vezes…
Meu tio acelerou as estocadas…e logo desabou em cima de mim…gemendo e urrando feito um bicho…
Ele ficou quieto por alguns minutos, e saiu de cima de mim…
A Lais deitou ao meu lado começou me beijar e falava comigo…
-Que danadinha… vc gostou princesa ??
Respondi que sim, ela quis saber se eu estava bem, eu disse que sim…
Ela me abraçou mais forte me deu um selinho e falou.
-Agora vc é uma mulher sabia…não é mais uma menininha…mas tem que guardar segredo pra sempre viu…não pode falar o que aconteceu aqui hoje pra ninguém…
Ela me fez prometer que seria nosso segredo, e eu prometi.
Descansamos um pouco mais…depois levantamos, tomamos banhos todos juntos, nos vestimos, e fomos embora.
No caminho de volta pra casa, descobri que aquela casa é do meu tio Jean, que foi deixada pra ele como herança pela madrinha dele, que era a minha bisavó.
Chegamos na casa da Lais, descemos do carro e meu tio foi embora.
Entramos na casa e fomos direto para o quarto dela, ela trancou a porta, ligou a tv, e mandou eu tirar a roupa,eu estranhei, mas ela falou que olhar meu corpo pra ver se tinha alguma marca que pudesse dar problema, ela olhou e não tinha nada, mandou eu me vestir…e me levou pra casa.
Quando nos despedimos, depois dela me levar até minha casa e e falar com a minha mãe, que agradeceu muito.
Eu acompanhei ela até as escadas…ela me abraçou e falou no meu ouvido…
-Quando vc quiser é só me pedir.
Me deu outro selinho e desceu as escadas…
Assim foi minha primeira vez…eu tinha onze anos na época…hj estou com 21…e já tive outras experiencias, tão marcantes quanto essa.
Depois desse dia, tivemos outros encontros como esse…e no estoque da mercearia…não era mais só ela que chupava a rola gostosa do meu tio Jean.
****************************************************************************************
Sei que ficou muito longo o conto…mas preferi contar de uma vez só…
Se gostarem, deixem seus comentários.