Sexo a três

Click to this video!

Quando casamos eu e minha esposa estavamos com 19 e 17 anos respectivamente, viviamos transando em todos os cômodos sa casa. Acordavamos de madrugada pra transar, varias vezes chegamos atrasados no trabalho por estarmos transando. Nessa época minha esposa cultivava uma bucetinha peludinha, nada exagerado, mas, era delicioso sentir a maciez dos seus pêlos pubianos. Depois de mais ou menos 5anos de casados, nossas fodas apesar de serem ainda deliciosas não eram como no começo, então começamos apimentar nossas transas com filmes pornos. Aquilo mexia com a gente, tanto que começamos a fantasiar outra pessoa na nossa cama, as vezes outro homem, as vezes outra mulher, era delicioso sentir minha mulher se excitar vendo aqueles caras pausudos, sua bucetinha que nessa época era só um risquinho de pêlos parecendo a extensão da rachinha, ficava muito melada desejando ter aqueles membros dentro dela, ela se contorcia de prazer e várias vezes gozou nos meu dedos. Ela não tinha desejos em paus enormes, somente em ser possuida por outro homem. Adorava vê-la saindo do banho peladinha indo se secar no nosso quarto, aquela bunda deliciosa, fazia eu ficar excitado so em ver. As vezes ela ia pegar algo na gaveta de baixo do guarda roupa e ficava aparecendo a poupinha da bucetinha dela, era muito tesão. Um noite enquanto Tranzavamos, ela foi descendo ate abocanhar meu pau que babava muito, mamou um pouco e começou a mamar minhas bolas enquanto me punhetava, tava uma delicia, ela começou ir além, beijando entre minhas bolas e meu cuzinho, aquilo mexeu comigo, num misto de espanto e tesão ergui meu quadril e abri minhas pernas assim como ela fazia esperando eu penetra-la, senti sua língua melada tocando meu cuzinho, confesso que me segurei pra não gozar nessa hora, lembro que comecei a falar pra ela: -que ta fazendo, que loucura é essa? e ela: -dexa meu safado, deixa eu te possuir, não tive outra reação ao ser responder arqueando ainda mais a sua língua ja dentro de mim. Aquilo era novo, diferente, delicioso, não estava mais aguentando e anunciei meu gozou então ela se virou fazendo um 69 e gozamos juntos. Exaustos dormimos, mais ou menos uma hora depois acordei com a imagem deliciosa da bucetinha da minha esposa praticamente na minha cara, me movimentei um pouco e minha esposa acabou acordando também, veio ate minha boca e começou a me beijar, aquele gosto de pau, de porra na sua boca, mexia comigo, ai perguntei se ela havis gostado do que tinha feito, e tive um sinoro sim como resposta, ela também quis saber o que tinha achado e obvio que tinha adorado, então ela disse: -você ficou muito excitado, nunca senti teu pau tão duro, e começou a rir, a abracei forte e perguntei: – por que você quis fazer isso? e ela: -tava conversando com a G**** (cunhada dela) ela confidenciou que fazia com o marido, (irmão da minha esposa), nossa, aquilo me levou a loucura acabamos transando novamente so que agora com ela de quatro dando pra mim. A partir desse dia, nossas tranzas começaram a ficar mais ousadas, minhas esposa começou a masturbar e colocar se dedinho em mim, tirando minha virgindade completamente, no começo um pedacinho do dedinho que ela lubrificada com KY e lidocaina e depois passou a me foder todo, enfiava o dedo todo me chamava putinho safado me fazia gozar com ela dentro de mim. Foi nessa época também que ela começou a pedir pra que locassr filmes pornos com casal bi, que o homem curtisse dar pro outro, nossas fodas ficaram cada vez mais intensas então começamos a fantasiar com pessoas das nossas relações, no começo ela preferia que nossas fantasias fossem com desconhecidos, mas, depois, ela adorava me chamar com o nome de tal conhecido enquanto me dava, aquilo era delicioso de mais, sentir ela gozando no meu pau como se fosse o de outro. Um dia enquanto estavamos deitados, nos beijávamos, ela comecou a contar uns detalhes da cunhada pra mim, ela dizia: -nossa, a G*** (a cunhada), fica elogiando sempre o S****(irmão da minha esposa) na cama, que ele faz tudo e que é um pausudo, no que ela falava vi um brilho nos olhos, no que perguntei: -você ja viu o pau do seu irmão? e ela fitando meus olhos disse: -já, não tinha como não perguntar e tasquei: -só olhou? e minha esposa: -não, aquilo de alguma forma me deixou excitado e ao mesmo tempo com raiva e perguntei: -o que faziam? e ela: -quase toda noite ele vinha no meu quarto e fazia eu masturba-lo ate gozar, e onde ele gozava? perguntei e ela: – na barriga dele, perguntei se ela o chupava e ela disse não, porque era novinha (na época 13anos) e ele 17 e porque o pau dele era muito grande. Não tive como segurar e gozei sem me tocar, sem que ela me tocasse, só ouvindo essa confissão. Essa rotina de contos, desejos de sexo a três, inversão so aumentava. Num verão qualquer tivemos a visita de um sobrinho de minha esposa, na época um moleque normalzinho, como tínhamos um quarto de hóspedes ele ficou lá, um dia minha esposa teve que ir ao mercado então convidei o J**** pra irmos tomar banho de lagoa, no que aceitou na hora, minha esposa ja tinha saido de casa e eu esperava o moleque quando ele me chamou: -Tio, não tenho bermuda de banho e agora? e eu brincando com ele, ah moleque, fui no meu quarto e peguei uma sunga minha e dei a ele, sai do quarto e esperei-o na cozinha, quando ele chegou não tive como não notar o volume entre as pernas, falei pra ele: – ei J**** melhor você se aliviar primeiro heim? Tá excitado guri? -não tio, ta normal assim, sério? disse a ele. Aquilo mexeu comigo e tive uma ereção. Fomos pra lagoa e entre um mergulho e outro começamos a brincar de passar por entre as pernas por baixo d’agua, como estávamos sozinho acabei tirando a sunga no que J**** notou mas ficou na dele,, de tanto insistir ele também tirou a dele, ai a brincadeira ficou mais intensa, impossível passar por entre as pernas dele e não toca-lo e obvio acabou ficando excitado assim como eu. confesso não dava pra tirar os olhos daquele pau enorme, quando convidei ele pra ir mais pra beira da lagoa onde tinha deixando um cooler com refri e salgadinhos, sentados na grama ficava fitando e imaginando segurar o pau do moleque. Num ímpeto de tesão perguntei o que ele achava da tia N***(minha esposa), e ele: -gosto muito dela tio, de vocês. Ai fui mais ousado: -você acha ela gostosa? :-a tio, ela é sua mulher, não posso falar e eu :-claro que pode, somos homens não tem problema e ele:-acho tio, a tia N*** é a tia mais gostosa que tenho. Naquele clima de tesão, os dois de pau duro, perguntei: -você tem vontade de brincar na cama com a tia? e ele: -tenho. Aquilo foi o gatinho, gemi alto e gozei, gozei alto. Falei pra ele: -goza, quero ver você gozar, e ele: -agora não tio, num ímpeto segurei seu pau e comecei a masturba-lo, não resistiu e pude sentir aquela vara novinha, enorme na minha mão. Não demorou muito e gozou também um leitinho ralo, mas, bem farto, caimos deitados na grama. Fomos pra casa, no caminho ia admirando aquele moleque que apesar de franzino tinha um belo instrumento entre as pernas no que me deu uma nova excitação e falei pra ele: -olha como voce ta deixando o tio, e apontei pro meu pau, senti sua mão repousar sobre meu pau ate chegar em casa. Nesa noite, transei demais com minha esposa, tanto que ela percebeu e acabei contando o que havia acontecido, minha esposa atônita, perguntava detalhes e ficou muito curiosa com o tamanho do pau do sobrinho, contei tudo, inclusive a tara dele por ela. Pedi pra ela entrar na brincaderia e dormimos, no outro dia, ela vestiu um Shortinho bem cavadinho e regata sem sutien, parecia que sabia dos olhares do J*** pra ela. No final da tarde minha esposa estava recolhendo a roupa sua no cesto que fica no banheiro e me chamou: -amor, olha o que eu encontrei! Era uma calcinha usada dela toda suja de porra. Ela dizia: -não acredito que o safadinho ta com tesão mesmo por mim, e eu emendei: -também, toda safadinha andando quase nua pela casa, o moleque não resiste. Quando fomos dormir, fazia muito calor e como so tínhamos ar condicionado no nosso quarto, minha esposa fez uma cama no chão pro J***, ele esperando ela fazer a cama comia ela com os olhos, pois vestia um baby-doll rosa de renda nos seios deixando se ver os mamilos. Deiamos e não demorou muito eu comecei a atiça-la, fala no seu ouvido: -amor, o J**** ta ali na beiradinha da cama doido pra meter com você, ela :- ai, para, ele é meu sobrinho, é um guri ainda, e eu: – é mais, ele morre de tesao por você! Nisso eu acariciava seu corpo, sua bucetinha estava muito melada, comecei a falar sacanagens pra ela, falava mais alto pra ele ouvir também. Falei pra minha esposa: – vou buscar o J**** pra brincar com você, não tive negativa e fui ao encontro do sobrinho, praticamente deitei em cima dele, senti seu pau duro como pedro e falei encostando minha boca na dele: – vai ali brincar com a tia, ela quer sentir voce todinho, levei ele pra minha cama e os dois começaram a se beijar como dois jovens casal, a luz do abajur acesa dava o toque a mais de tesão. Minha esposa procurou o pau do sobrinho e soltou: – auuu, é enorme, puxasse teu pai. Caiu de boca e engoliu ate onde pode engasgando muitas vezes. Depois deu seus belos seios pra ele, como se amantaase a um filho, eu vendo toda aquela cena me masturbava lentamente, não queria perder nada. Minha esposa tirou toda sua roupa ficando s mercê do moleque que a penetrou um pouco desengonçado, mas arrancando muito gemidos da minha putinha, ela por vezes dia sentir o pau dele tocar seu útero. Minha esposa anunciou o gozo depois de 4-5 penetradas dele e que acabou gozando dentro dela também. Nessa noite tranzaram mais uma vez. Continuação em breve…