Chantageado pelo meu filho

Click to this video!

Não tenho o hábito de escrever histórias, por isso, perdoem os erros.

Isso aconteceu comigo no ano de 2015, me chamo Marcelo, na época tinha 32 anos. Forçado a casar, pra esconder minha condição homossexual da minha família bastante conservadora, vivi uma relação vazia e sem amor com a minha esposa com quem eu tinha 2 filhos. Um menino de 9 anos chamado Nathan e uma menina de 7 chamada Priscila.
Para suportar essa vida de hetero e matar minhas vontades homossexuais, arrumei um amante que na época tinha 19 anos chamado Guilherme. Era filho da senhora que lavava roupa na casa da minha mãe. Aquele rapaz me fazia ir às estrelas. Bonito, cheiroso, olhos azuis lindos, e um corpo malhado e magro sem pelos que me levava a loucura.
Umas duas vezes por semana, inventava alguma história pra chegar mais tarde em casa só pra curtir com meu ninfeto. Íamos a motéis, longe da minha casa, e passávamos horas fudendo. Sempre sou o passivo, e dou igual uma puta barata, adoro rebolar naquele cacete comprido do meu lolito.
Durante uma de nossas fodas, guigo (apilido carinho do meu boy), começou a me filmar com o meu próprio celular enquanto eu era enrabado.

-Quando cê tiver Saudades da minha rola, vê esse vídeo aqui! -disse ele enquanto metia até o talo no meu cú.

Meu filho Nathan, viciado em games, vive pegando os celulares da família pra instalar jogos, assim ele ganha mais pontos no jogo dele, não sei explicar essas coisas que ele faz. -Já viram que vai dar merda, né?!
Foi isso mesmo que aconteceu. Eu havia esquecido totalmente do vídeo gravado pelo guigo, e emprestei meu celular pro meu filho. Uma meia hora depois ele me devolve o aparelho e não falou nada. Senti ele estranho comigo, meio calado. Não passou pela minha cabeça dele ter visto o vídeo, Eu nem lembrava mais do vídeo.
Os dias passaram, eu estava me preparando pra fuder muito com o meu jovem amante na minha própria casa, pois minha mulher iria viajar com as crianças por 1 semana. Eles iriam pra cidade natal da minha esposa aproveitar as férias das crianças no meio do ano.
Eu andava pela cada já imaginando:
-vou dar o cú aqui na sala, aqui na cozinha, aqui no corredor, vou tomar banho com ele…
De última hora, meu filho desistiu de ir com a mãe, e disse que iria ficar pra jogar vídeo game com os amigos. Isso foi um balde de água fria, tentei argumentar para que ele fosse:

-filho, não vou ter tempo pra cuidar de você, quem vai fazer sua comida? Quem vai te olhar quando eu estiver trabalhando? Melhor você ir com a sua mãe.

Ele argumentou que já estava grande, que não precisava de babá e que sabia fazer miojo e pedir pizza… Isso bastou pra que minha mulher o deixasse ficar, aposto que ela deixou de propósito pra ficar alguém de olho em mim.
Não houve outra saída a não ser aceitar. No dia seguinte, minha esposa e filha saem cedo e pegam a estrada. Já eu, continuei deitado. Acordei com alguém subindo na minha cama, era meu filho puxando assunto:

-Pai, o senhor tá dormindo?
-estava…
-O senhor ama a mamãe?

-que pergunta é essa, Nathan? Sua mãe mandou você perguntar isso? É claro que eu amo ela, se não já teria me separado – respondi

-Acho que o senhor não ama ela tanto assim, não!

-Por que você tá dizendo isso?

-Acho que quem ama a esposa não faz essas coisas que o senhor faz…

-Que coisas? Do que você está falando? -eu achei que ele ia dizer sobre deixar ela viajar sozinha ou algo do tipo. Mais ele pegou o celular dele e me deu.

-aperta o play.

Quando eu apertei, quase tive um infarto. Ele havia passado o vídeo do meu celular para o dele.
Meu sem pensar disse:

-onde você conseguiu esse vídeo?

-no seu celular pai. Não se preocupa, não vou dizer pra mamãe!

-Muito obrigado meu filho, isso acabaria com a minha vida, sua mãe pediria divórcio, minha família iria me odiar se essa história vazasse. Prometo que nunca mais isso vai voltar a acontecer! Isso foi um erro, eu prometo meu filho! Obrigado por compreender. – disse isso chorando, tentando comover meu filho.

-Mais eu quero que aconteça!

-O que?

-eu gostei do que vi nesse vídeo, pai! Quero ver ao vivo.

-Você só pode estar brincando, Nathan! Você quer me ver, seu proprio pai, transando com outro homem?

-isso! Por isso eu não quis ir na viagem.

-Não vou fazer isso! É loucura! Onde já se viu…-ele me interrompe dizendo a frase mágica que me fez mudar de idéia.

-Se o senhor não fizer eu mostro pra mamãe e todos da família!

O jeito foi seder a chantagem, liguei pro guigo e fui busca-lo de carro e contei toda história.

-caralho, Marcelo! Se minha mãe souber, me expulsa de casa! Tu tem que fazer teu filho ficar calado!

-Vamos fazer o que ele quer por enquanto, depois eu penso em algo.

Chegamos em casa e o Nathan estava no quarto dele.

-filho, esse é o Guilherme! Guilherme, esse é o meu filho Nathan!

-pô moleque, apaga esse vídeo e esquece essa história pelo amor de Deus. Cê num sabe como isso pode prejudicar a vida de todos nessa história. Até a sua vida vai sair prejudicada, já pensou sua mãe se separar de seu pai e arrumar um padrasto ruim pra você…

-não se preocupe com isso, Guilherme – disse Nathan enquanto mexia no computador- se vocês fizerem tudo que eu quiser, essa história nunca vai vazar!

Ele estava abrindo um site porno gay no computador e disse:

-quero que vocês façam igualzinho essa cena aqui!

-tá bom filho! Vamos fazer, mais você não vai poder dizer nada a ninguém e apagar o vídeo do seu celular!

-combinado, pai! Quero que vocês transem na minha cama!

Começamos a fazer igual ao vídeo no computador, onde o ativo lambia o cú do passivo que estava de quatro. Tiramos a roupa e imitamos a cena. Durante as línguadas que invadiam meu cú, percebi meu filho com a mão dentro da bermuda.
Isso me excitou, o moleque tava gostando de ver dois machos transando na cama dele.

Abocanhei a rola do guigo que estava babando como nunca, durante uma chupada e outra, olhei para meu garoto e disse:

-quer provar Nathan? -segurando a rola do meu macho, enquanto ele dedilhava meu cú.

Nathan respondeu que sim com a cabeça e veio rápido pra meu lado. Sua mão mal conseguia segurar aquele pau que pulsava é jorrava um delicioso líquido. Conduzi sua cabeça até o pau, que foi entrando aos poucos na boca do meu filho.
Assim que ele sentiu o gosto da rola, tentou colocar o máximo que pode na boca.

Guigo urrava de prazer. Enquanto Nathan chupava meu amante, fui tirando sua bermuda revelando um lindo rabinho sem pelos e um jovem pau duro. Guigo tirou o dedo do meu cú e começou a fazer movimentos giratórios no cú do meu filho que fazia movimento de vai e vem no pau.

Fui por traz do Nathan e meti a língua em seu cuzinho que piscou. Podia sentir a respiração intensa do meu moleque, que descobria os prazeres que o corpo poderia lhes proporcionar.

Nathan tira o pau do guigo da boca e fala:
-agora quero ver você comendo meu pai!

Obedeci de imediato, não por medo da chantagem, e sim por que eu queria ensinar pro meu filho como se dar o cú pra um macho.

Guigo, atolou de uma só vez sua rola no meu cú, me fazendo gemer igual uma puta de quatro. Nathan entrou debaixo de mim, e abocanhou minha rola enquanto via o gigantesco pau do guigo sumir no meu cú guloso. Eu não alcançava o pai do meu filho pra fazer um 69, por isso só dedava seu virgem cuzinho.

Após alguns minutos nessa posição, não aguentei e gozei na boca do meu filho que no começo não gostou do sabor do leite de pau, mais limpou tudo. Guigo enche meu cú de goza quente e grossa, que escorre pelos meus ovos até a boca de meu filho que suga tudo sem frescura.

Nesse dia, transamos muito. Até ensinei meu filho como se beijava de língua. Tomamos banho e dormimos os 3 na minha cama.

Na manhã seguinte, Nathan nos acorda dizendo:

-hoje eu quero dar o cú!

Fico por aqui, deixem comentários se gostaram.
Se a crítica for positiva, contratei como foi a primeira vez do meu filho e como estamos até hoje.