Julia, sua irmã, e suas quatro filhas

Click to this video!

Os nomes que aqui vou usar são fictícios para que ninguém sai prejudicado. todos os fatos que passarei a relatar são verídicos. depois de muito pensar, resolvi contar fatos da minha vida, que aconteceram a mais de 10 anos atrás, mas só agora, após ler alguns contos deste site, tive a coragem de me abrir e contar a minha história, que eu pensei que jamais viesse acontecer comigo. nos anos de 1999 eu conheci uma família por uma acaso do destino, era um dia de sabado e fui passear como sempre, com minha moto, parei para bater um papo com um amigo, e comecei a ouvir uma voz de criança, pedindo para alguém parar com o que estava fazendo, perguntei ao meu amigo se ele estava ouvindo, ele me disse que não, continuamos a conversar por um tempo e logo depois meu amigo foi embora, tornei a ouvi de novo aquela voz quase chorando, pedindo para alguem não tirar sua roupa. eu já estava cismado, com o que estava acontecendo, resolvi então procurar saber o que estava acontecendo, perguntei a uma senhora que morava em frente, para saber quem morava naquela casa e ela me disse que era Julia com a irmã e quatro filhas, mas que as duas irmãs, estavam trabalhando, que só estavam ali às quatro filhas, mas que um rapaz, tinha entrado há meia hora mais ou menos, pelo o que eu tinha ouvido imaginei que alguma coisa errada estava acontecendo, resolvi seguir meus instintos e entrei casa adentro. deparei-me com um quadro lindo e ao mesmo tempo estarrecedor, pois tinha duas garotas lindas nuas na cama e um rapaz, com o cacete enorme na boca da mais velha que tinha dez anos e chupando a xoxotinha da outra que tinha nove anos, aquilo me fez ficar de pau duro na hora, eu fiquei sem nenhuma ação, ele ainda não tinha me visto, pois estava de costa para entrada do quarto, não sabia se parava com aquilo ou se continuava olhando extasiado para o que estava acontecendo, mas resolvi intervir, principalmente, na hora que ele colocou a mais velha de quatro e encostou aquele cacete enorme, no buraquinho róseo do cuzinho daquela menina linda. peguei-o pelo braço e botei porta fora, chamei à senhora que ainda estava na porta contei a ela o que tinha acontecido e que levaria as meninas para minha casa, e quando a mãe delas chegasse que fosse à minha casa buscar as meninas (eu moro na outra rua, minha casa vai de uma rua outra), o quintal da minha casa, da exatamente ao lado da casa das meninas.

Por volta das 18 horas, quando, a mãe das meninas chegou, esteve na minha casa para buscar as meninas e me agradecer por não ter deixado acontecer o pior com as meninas, eu respondi, que não foi nada, que qualquer um faria a mesma coisa. mas na hora das meninas irem embora, sandrinha a mais velha, perguntou se não podia ficar na minha casa todos os dias, enquanto a mãe, e a tia, estivesse trabalhando, falaram que não tinha problema, mas que a mãe dela teria de concordar, e ela disse que não tinha problema, como as mais velhas estudavam pela manhã eu as levarias para o colégio e as mais novas ficariam em casa com a minha funcionária, no retorno do meu trabalho sempre passava para pegar as meninas ou então elas iam para o meu trabalho me esperar, para irmos pra casa.

As meninas sempre me trataram com maior carinho a todo instante eu ganhava um beijo ou um abraço delas, a mais velha sempre dizia que ia casar comigo, que ela só seria minha e de mais ninguem. um belo dia, as deixe elas assistindo filme de desenho e fui para o meu quarto assistir um futebol, assim que começou o jogo, sandra se deitou ao meu lado e disse que ia ver o jogo comigo, se aconchegou a mim e ficamos ali abraçados, só que ela começou a alisar o meu cabelo e passar as mãos fazendo carinho em meu peito e barriga, quando comecei a sentir aquelas mãos em meu cabelo e no meu peito, comecei a ficar arrepiado, e de pau duro, cruzei as pernas para ela não notar que eu estava de pau duro, a primeira cena que veio a minha mente, foi exatamente quando a encontrei pela primeira vez, quando o homem estava a ponto de enfiar o cacete naquela buceta linda e apertadinha, sacudi a cabeça para tirar esses pensamentos impuros, mas parece que ela tinha lido meus pensamentos, pois falou que se naquele dia tivesse sido eu, em vez do homem que tinha tentado tirar a roupa dela ela teria deixado, aquilo me deu um frio na espinha e o pau parecia querer pular do short para poder entrar na bucetinha maravilhosa de sandra, procurei me concentrar no jogo, mas aquela mãozinha, não ia dar em nada que prestasse, pois continuo a alisar a minha barriga, cada vez descendo mais a mão, chegando bem perto do meu cacete, de tal maneira que já não sabia mas o que fazer, pedindo ao todo poderoso que me desse um sinal de como agir. a menina de carinha inocente, mas de atos diobolicamente maravilhosos, sentiu que eu já não estava mais me aguentando de vontade, de acaricia-lá todinha, emquanto eu pensava ela agia, pois não demorou em que ela colocasse a sua mãozinha em cima daquele caralho enorme totalmente duro, e começou a alisar e falar que aquela era a maior pica que ela já tinha visto, e que se entrasse na sua vagina lhe rasgaria toda, mas que ela seria a menina, mas feliz, por ter perdido a virgindade para mim, falei que aquilo não era conversa para uma criança, mas ela disse que sabia tudo sobre sexo, pois já tinha vista a mãe dela transando com alguns amigos, que viu uma vez um homem enfiando uma pica enorme na bunda de sua mãe, e que ela ficou com vontade de fazer aquilo também, só que nunca tinha encontrado alguem com quem ela tivesse vontade de dar sua bundinha, eu perguntei se ela não tinha algum namoradinho com quem ela pudesse brincar de médico, ela virou pra mim, muito séria e disse, voce sabe que meu namorado é voce, então me torne sua mulher agora mesmo, eu dei risada pela forma como ela falou, virei pra ela e comentei, já imaginou se eu coloco este meu cacete de 25/7 em sua bundinha ou na bucetinha eu ia acabar te machucando todinha. ela olhou pra mim, mais séria ainda e falou: porque não tenta então, pois tenho certeza que vou engolir ela toda sem dar um gemido, só se for de gozo, como minha mãe fala quando o namorado penetra nela.

Vamos pelo menos tente, ou então deixe lhe mostrar uma coisa que já vi minha mãe fazer, respondi que ela podia me mostrar, bem não terminei de falar ela já estava tirando a roupa, ficando totalmente nua e subiu em mim ficando com a boca no meu pau e sua buceta na minha cara, e começou a agir, meteu a mão dentro do meu short e colocou o gigante pra fora, começando a chupar com dificuldade por causa do tamanho do cacete, mas mesmo continuo a passar a lingua e ao mesmo tempo esfregava sua bucetinha praticamente sem pelo na minha cara, e eu não resistindo mais, comecei a passar minha lingua em sua xotinha toda molhada, sentindo minha lingua em sua buceta começou a mexer mais, sua respiração foi ficando ofegante, seu corpo tremia todo, só que eu é que não aguentei, dei uma tremenda gozada na boca e no rosto dela mesmo continuo me chupando bebendo toda minha esperma, que também tinha espalhado por todo meu corpo, resolvi então dar tudo de mim para fazer ela gozar, foi enfiando minha lingua em sua buceta, passando pelo seu grelho e enfiando também no seu cuzinho, senti que ela estava no auge, voltei a enfiar em sua grutinha entrando e saindo com rapidez foi então que ela deu um suspiro profundo e desceu de dentro de sua buceta, aquele liquido, viscoso e quente melando meu rosto e caindo pelo meu peito, o gozo foi tão grande que ela desmaiou, com seu rostinho com um sorriso de dar inveja, resolvi aproveitar aquele momento maravilhoso, para tentar colocar meu cacete em sua buceta.

Coloquei ela na cama fiquei em pe ao lado da cama, coloquei ela de joelho na beira da cama com as pernas bem abertas e sua grutinha ainda toda molhada, peguei meu pau que já estava duro encostei em sua buceta e comecei a tentar penetra-la com carinho, fui fazendo o vai vem bem devagar e com carinho, fui forçando aos poucos, mais com força até senti que a cabeça tinha entrado, mais me assustei quando vi saindo um pouco de sangue da sua bucetinha, aguardei um pouco e comecei a voltar a fazer os movimento de entra e sai, no começo bem devagar e fui aumentando o movimento até sentir que tinha encontrado resistência do himen, verifiquei que não tinha entrado nem a metade, tirei um pouco e voltei a entrar e sair sempre retirando o cacete todo e voltava a colocar, para amaciar bem o canal, até quando não guentei mais e gozei de novo, senti também que mesmo desmaiada, ela tinha voltado a gozar também, tirei meu cacete e vi a esperma descer pelas suas pernas e cair na cama, botei ela no meu colo e levei ela para o banheiro abrir o chuveiro e comecei a passar sabonete em seu corpo lindo e maravilhoso a minha disposição ali no meu colo, foi então, que ela abriu seus olhos lindos me olhou com aquele sorriso maravilhoso que ela tinha, passou seus braços pelo meu pescoço colou sua boca a minha e começou a me beijar de uma forma que nunca tinha sido beijado antes, foi o beijo mais gostoso que já recebi, o único problema é que era de uma criança de 10 anos com corpo e mente de uma mulher de 20, sabia que o que estava fazendo era errado, mas ela não me deixava continuar assim, pois a todo instante ela dizia que me amava e o que nos faziamos não era errado e sim amor entre duas pessoas uma mais nova e outra mais velha, mais era amor verdadeiro.

Enquanto estava dando banho nela, as suas irmãs entraram e resolveram tomar banho com a gente e ficaram todas nuas, ela então voltou a ser uma criança brincando com suas irmas, mas de vez enquando vinha segurava meu rosto e me beijava na boca, aquele pequeno gesto me deixava cada vez mais apaixonado por ela, sempre que ela me beijava, olhava bem firme nos meus olhos e dizia: voce é meu homem e eu serei sua mulher, somente sua, até o dia de nossa morte, eu não entendia, como uma criança com aquela idade, poderia dizer coisas daquele tipo e com tanta firmeza. com aqueles pensamentos não notei que estava de novo com o pau duro, só notei quando vi as meninas rindo e apontando para o meu cacete, sandra pediu a paula que viesse até mim e pegasse no meu pau, ela não esperou a irma terminar de falar e já estava com as duas mãos segurando meu pau, sandra chegou junto dela e começou a mostrá-la como batia uma punheta, depois mandou a irma, começar a beijar a cabeça do meu pau, ela começou a lamber meter a lingua no buraco só não deu para enfiar na boca, por ser muito grosso, mas foi lambendo ele todo e começou a chupar o meu ovo, voltando depois a lamber a cabeça, deitei no banheiro e peguei paula e coloquei-a sentada no meu peito e comecei a chupar sua buceta deixando ela toda maluca gemendo e empurrando minha cabeça contra sua buceta, com tanta força que fiquei com medo que ela se machucasse, mas continuei enfiando minha lingua toda em sua buceta, quando ela não aguentando mais deu uma senhora gozada em minha boca fiquei ali lambendo aquele liquido gostoso.

Vi que sandrinha estava toda molhada e como eu estava deitado ela ficou de pernas aberta em cima de mim e foi abaixando até encostar sua abertura na cabeça do meu pau e foi deixando meu pau entrar em sua buceta o maxímo que pode e começou a descer e subir, notava que de vez enquanto ela tentava forçar um pouco para baixo, mas devia doer muito e ela não aguentava e voltava a subir e descer, foi aumentando os movimentos e senti que ela ia acabar gozando, resolvi segurar ela por baixo para na hora dela gozar, pois ela poderia se arriar de vez em cima do cacete e se machucar, bem não acabei de segura-la por baixo ela começou a gozar, gemer, me chamar de seu homem, seu sacana cacetudo e marido eterno, todo aquele conjunto de palavras e movimentos me fizeram gozar junto com ela, o gozo tão intenso, que quase não consigo segurar ela, fui obrigado a tirar o mais rapido possível o meu cacete da sua buceta antes que acontecesse algo pior, deitei ela em cima do meu corpo e fui beijando seus cabelos seu rosto e sua boca carnuda, ficamos assim por 30 minutos, depois tomamos banho e fomos descansar, só levantamos quando a sirene tocou, era julia que tinha vindo buscar as filhas, mas ninguem quis ir, julia brincou, dizendo que eu estava tomando suas filhas, sandra me deu o maior susto quando se levantou e disse não minha mãe, eu é que o amo e vou ser a mulher dele para toda a vida, a mãe continou brincando e falou: e eu que pensei que ainda ia dar uma namorada com ele e deu uma risada, sandra em resposta pegou meu rosto me deu uma bitoca, e disse, fique com seus amigos este aqui é meu homem, só meu.

Julia notou que eu estava todo vermelho, ela deu risada e disse que eu não me preucupasse, pois sandra era como ela, tinha uma personalidade forte e sabia muito bem o que queria, e ia até o fim para conseguir. eu parei, e perguntei o que ela queria dizer com aquilo, ela deu risada e disse que um dia eu descobriria. fiquei sem entender, mas procurei não me preucupar, júlia me disse também que no fim de semana iria ver a mãe no interior e iria levar as mais novas e deixaria sandra e paula com uma amiga, sandra logo reclamou dizendo que iria ficar comigo, paula também concordou com a irmã, julia então virou pra mim, viu o que lhe disse, pois acredite, ela só vai parar quando voce for dela fiquei todo sem jeito quando ela disse isso, mas resolvi entrar também no jogo e falei: e voce o que vai achar caso isso aconteça, ela respondeu com a maior tranquilidade, dizendo que se era o que ela queria e tinha certeza que caso acontecesse eu saberia cuidar dela com carinho, dei risada e não respondi. ficamos ali no sofá conversando um pouco, senti Julia sempre olhando para o meu, até que resolveu perguntar o que era que eu tinha de especial, para fazer a filha dela tão nova se apaixonar por mim, respondi, dizendo a ela que aquilo era coisa de criança, ela deu risada e perguntou se podia tomar no meu banheiro, pois a casa dela estava sem água, eu disse que não tinha problema, Julia pediu as meninas para ir buscar suas roupas na sua casa, logo que as meninas saíram ela começou a tirar a roupa ficando totalmente nua na minha frente e me chamou para esfregar as suas costas, não me fiz de rogado fui atras dela olhando aquela morena de 1.69 m umas coxas roliça uma bunda bem arrebitada, fui tirando meu short, pois já estava de pau duro outra vez, entramos no banheiro nos beijando e acariciando-nos, assim que entramos ela se ajoelhou e começou a chupar o meu pau, começando de leve e enfiando aos pouco em sua boca, ela disse pra mim que poderia até morrer sufocada, mas iria colocar aquele gigante dentro da sua boca e foi enfiando aos poucos até coloca-lo todo dentro da sua boca, nenhuma mulher tinha conseguido aquilo até aquele momento, continuo chupando por mais uns minutos e pediu para que enfiasse logo o meu caralho em sua buceta que já estava toda molhadinha, satisfiz a vontade dela, levantei uma de suas pernas e empurrei com vontade meu caralho naquela buceta toda lubrificada, enquanto eu enfiava, pedia que ela gozasse logo, pois queria enfiar no seu rabo, então ela pediu que eu botasse nela de quatro, fiz sua vontade quando ela ficou de quatro, foi que vi a beleza da sua buceta toda raspadinha e do seu cuzinho lindo, procurei enfiar tudo dentro da sua xota e meti o dedo polegar em seu rabo, e fiquei mexendo com o dedo em seu rabo para deixar bem amaciado, fui aumentando o vai e vem em sua xota até que senti o gozo chegando nela, assim que ela gozou eu tirei o cacete de sua buceta e coloquei bem na portinha de seu cú, ela pediu para ir com calma, só que eu estava doido para enfiar naquele rabo, que segurei em seus quadris e fui empurrando devagar mais com consistência, até ve-lo todo dentro daquele rabo, júlia gritou mais não fez movimento para sair, após uns minutos para ela descansar, comecei a entrar e sair daquele cuzinho apertado, não deu muito tempo para que eu pudesse gozar, pois as meninas chegaram e tocaram a sirene.

Tirei meu pau de dentro dela me lavei, coloquei uma toalha e fui abrir a porta, quando sandra me viu de toalha fechou a cara, passou por mim e foi direto para o quarto, procurei entrar no quarto para ver o que ela ia dizer a mãe, ela entrou no banheiro e reclamou com a mãe, julia virou para ela e perguntou o que ela sentia por mim, ela respondeu com sua inocencia que me amava, mas queria que eu fosse só dela e das irmãs a mãe deu uma risada e disse que não sabia se ela iria aguentar o meu cacete penetrando ela, mais uma vez em sua inocência ela disse a mãe, que já tinha recebido a cabeça toda e mais um pedaço, a mãe perguntou se eu tinha sido bruto, ela disse a mãe, que eu era só carinho com elas, assim eu fico mais tranquila, pois sei que voces estão em boas mãos, agora vá pra sala que eu quero conversar com ele. procurei sair do quarto e fiquei na sala esperando ela chegar e me disse que a mãe dela queria falar comigo, entrei no quarto ela estava totalmente nua e pediu para que eu fechasse o quarto fechei, já ia sentar na cama quando ela pediu que a penetrasse de novo, abri suas pernas e a penetrei com uma estocada só ela gemeu e começou a mexer parecendo uma cadela no cio, nesse vai e vem não demoramos a gozar ela primeiro, pois acredito que ela estava com certeza do que a filha tinha contado a ela, assim que ela gozou, coloquei suas pernas pra cima, tirei meu cacete de sua buceta e enfiei no seu rabo, dessa vez ela deu um grito de dor, mas não me importei, continuei entrando e saindo até gozar dentro daquele rabo, ela me perguntou por que eu coloquei com tanta força.

Respondi, dizendo a ela que eu só era bruto com adulto e nunca com uma criança, e aquilo que estava acontecendo comigo e sandra tinha sido a primeira vez na minha vida, ela deu risada e disse que não seria a última, pois sandra queria que eu fosse marido dela e de suas irmãs e riu de novo. passados uns dias depois daquela minha insanidade, procurei o maxímo possível não ficar sozinho com elas, para evitar, de ter novamente uma recaida daquelas e não conseguir me conter de novo. foi passando os dias, e fui conseguindo, ficar sem tocar nela a não ser beijá-la de vez quando, mais infelizmente chegou o fim de semana que a mãe iria viajar disse que iria passar o fim de semana na cidade da familia delas, mas que só as mais novas iriam com elas, conforme já tinha sido acertado, pois sandra e paula queria ficar comigo, ainda tentei que as meninas fossem também ver os avós, mas conforme sua mãe tinha dito, ela tinha uma personalidade muito forte e foi bem clara, quando falou que se não quisesse mais ficar com ela, que bastava eu falar claramente, respondi que não era nada disso, a mãe dela resolveu intervir e pediu para conversar comigo, fomos para o quarto, e ela perguntou o que era que estava acontecendo, pois sandra já tinha dito a ela, que eu estava me esquivando delas, respondi que não estava certo o que vinha ocorrendo, pois sandra era muito criança para mim, pois ela ainda não tinha nem menstruado pela primeira vez e eu já tinha 44 anos, mais ela me interrompeu dizendo que sera que seria o correto é que ela tivesse sido estuprada por um qualquer, pois o que estava acontecendo comigo e ela, era amor, pelo menos por parte da filha dela e que se acontecesse da filha perder a virgindade que fosse comigo pois a trataria com carinho, falei que mesmo assim era errado, ela respondeu dizendo que deixasse o tempo mostrar quem estava certo, mas que eu continuasse cuidando das filhas com a muito amor. peguei o carro e fui levar ela, a irmã e as meninas na rodoviaria, a onde elas iam pegar o onibus para a cidade de camacã, aproveitei que era feriado, peguei as meninas e fui pra fazenda ver como estava as coisas por lá, assim que chegamos fui falar com pedro que é o nosso gerente para saber como estava as coisas, e sandra não largava do meu pé perguntei a ela se não queria ir tomar banho no rio com a irma, ela disse que precisava entender tudo, pois futuramente ela é que seria minha admnistradora, dei risada da forma como ela falou e pedro também riu. ok minha manager vá se informando de tudo para o futuro.

Ainda tratei de alguns assuntos e resolvi pegar as meninas e irmos até uma cascata que tem em nossas terras, as chamei e fomos andando até a cascata chegando lá tiramos a roupa e fomos nadar, as meninas ficaram sós de calcinha e eu fiquei de cueca, ficamos brincando um bom tempo, enquanto estavamos nadando um cavalo resolveu traçar uma égua que estava no cio, as meninas não parava de olhar a briga do cavalo querendo comer a égua, quando elas viram o tamanho do cacete do cavalo tomaram um susto e perguntaram como a égua ia aguentar aquere caralho enorme, eu disse a ela que a xoxota da égua tinha o tamanho exato para receber o penis do cavalo, então é como a minha que foi feita para receber a sua pica, ri, e disse que a dela ainda era muito pequena para receber minha vara, nisso as duas deram um grito e falaram, olha, olha o cavalo enfiou tudinho na mulher dele e ficaram extaziada vendo as estocadas que o cavalo dava na égua. quando elas viram o pau do cavalo saindo, jorrando esperma pra todo lado elas ficaram encantadas e quiseram ir perto do cavalo para ver direito, as peguei, e as levei até o cavalo, que era o reprodutor da fazenda, ele ainda estava um pouco nervoso, mas fui acariciando seu corpo, para ele se acalmar, e elas não conseguia tirar o olho da vara do animal, ela me perguntou, se ela ficasse embaixo do animal o que aconteceria, disse a ela que ele iria tentar traçar ela, então quero ver como é, resolvi brincar com elas, para ver se elas se assustava, peguei uma cordas que ficava no armazem ali perto e amarrei a égua e o cavalo e levei os dois para o riacho e os amarrei em um ponto onde o cavalo ficaria com as duas patas traseira dentro dágua e as dianteira em uma saliencia, ficando o cavalo em uma posição alta na dianteira e baixa na traseira, e disse e agora que ficar aqui embaixo, ela disse que queria e já ia pra baixo do cavalo, eu a segurei, e disse calma que vou lhe colocar de jeito que ele não lhe machuque, deite aqui na grama embaixo dele e fique queita, que eu faço o resto, fui até a égua e passei a mão na sua xota e melei com o seu liquido do cio fui até sandra e paula e melei a buceta das duas com aquele líquido.

O reprodutor sentiu o cheiro e começou a colocar o pau para fora de novo, foi ficando duro, segurei o gigante e comecei a esfregar de leve na xota de sandra, ela começou a se mexer dizendo que estava ficando muito gostoso, cuidado, pois ele não vai demorar a estocar, deixa ele estocar meu gostoso, vai deixa, deixei por que na posição que ele estava, não dava para estocar forte, encostei o cacete do cavalo na bucetinha dela, assim que ele sentiu aquela pressão, começou a tentar estocar forte, mais não podiapor causa da posição, somente forçava um pouco contra sua bucetinha, perguntei se ela queria continuar, ela disse que só mais um pouquinho, uns minutos depois, ela disse que queria sair, ai foi eu que pedi a ela pra aguentar mais um pouco, pois ela estava perto de gozar e eu já estava com uma tezao enorme e o caralho já a ponto de rasgar a cueca, ela aceitou e eu dei uma ajudinha ao cavalo, abri bem as pernas dela e arreganhei bem aquela grutinha e dei uma cusparada em sua grutinha e voltei a colocar aquele caralho enorme em sua xota, ele começou a estocar de novo, aproveitei pequei paula coloquei-a de quatro na saliência e meti a lingua em sua buceta, dei uma chupada bem gostosa deixando-a bem molhada, ela gemeu gritou e mandou enfiar minha lingua em sua buceta, pois estava gozando, assim que ela gozou, eu coloquei a cabeça do meu pau em sua buceta e comecei a estocar de leve enquanto ela gemia e gritava, mete, vai mete seu sacana, viado, tarado, mete todinha vai, como já estava maluco em ver sandra gemendo de dor e prazer com o cavalo roçando em sua entrada e paula me pedindo para enfiar, dei uma forçada mais forte e vi a cabeça do meu pau sumir na gruta do prazer de paula e ela gritou dizendo que eu a tinha rasgado toda, me chamou de sacana, tentou sair, mas segurei com força a sua bundinha e pedi para ela ficar quetinha para a dor passar e ai vi a cavalo encher sandra de porra por tudo que era lugar, mais uma vez ela desmaiou, perguntei a paula se a dor tinha passado, ela disse que não, mais que eu podia estocar também para encher ela todinha de porra também, comecei a estocar de leve somente na entradinha, quando senti que ia gozar tirei o pau e apontei para a cara dela.

Nunca tinha visto tanta esperma na minha vida, o rosto e cabelo de paula ficou todo melado, mandei ela abri a boca e coloquei a cabeça do meu pau dentro de sua boca e pedi para ela chupar o resto de esperma, e ela chupou todinho, peguei sandra ainda desmaiada embaixo do cavalo e a levei para o riacho e dei um banho, quando a água fria bateu em seu corpo, ela acordou olhou para mim e disse que foi a melhor gozada que ela já tinha sentido, foi mais gostoso do que comigo, e quando ela cressesse ia querer receber tudinho dentro da sua vagina, resolvi voltar para a sede, almoçamos e voltamos para a cidade. chegamos a casa passava a noitinha e estavamos muito cansados, tomamos um banho e fomos dormir. no sabado elas acordaram cedinho e me chamaram para levar elas para a praia, coloquei uma sunga as mandeielas vestirem os biquinis e lá fomos nós para a praia, elas se soltaram, nem parecia aquelas meninas que viravam umas verdadeiras piranhas na cama, aquilo me deixava maluco sem entender, era nessa hora que eu me sentia o pior dos homens, achando que estava fazendo mal aquelas meninas tão lindas com todo um futuro pela frente, fiquei olhando elas e resolvi que quando a mãe delas chegassem iria ter uma conversa séria, para acabar com aquilo, enquanto tomava cervejas e chegaram umas amigas e ficamos batento papo, bastou as meninas chegarem e sandra e paula sairam da água e vieram pra mesa, pedi pro garçon um lanche pra elas e uns refrigerantes, e ficamos conversando, quando acabaram de lanchar, ajeitaram as cadeiras para deitar e colocaram a cabeça no meu colo e dormiram, minhas amigas falaram pra que pensava que eu era solteiro, nem imaginava que tinha filhas, expliquei que não eram minhas, e contei a historia para elas sem muito detalhes, pois é, quem mandou não casar, agora vai virar papai noel, dei risada, logo depois paguei a conta, me despedi das amigas, levei as meninas para o carro e voltei para casa, chegamos dei banho nas meninas coloquei o almoço delas e fui descansar um pouco.lingua naquele grelhinho novinho, e de vez enquando metia minha lingua no buraquinho ainda virgen, mesmo desmaiada a sentiaela tremer quando minha lingua a penetrava, dei uma parada e comeicei a bolinar a paula irma dela que estava ali ao lado dormindo, me encostei ao lado dela por tras, coloquei meu pau entre suas coxas bem rente a sua bucetinha e começei a me esfregar nela devagar e fui mordendo de leve o seu pescoço e sua orelhinha, ela então começou a ficar toda arrepiada e toda molhadinha, quando notei que ela tinha virado a cabeçã e ficou me olhando, perguntei se ela queria que eu parasse, ela disse que não, eu então peguei ela e botei deitada em cima de minha barriga, peguei meu cacete e coloquei a cabeça dele bem na porta de sua grutinha, e começei a estocar bem de leve para não machuca-la, por motivo da cabeça do meu pau se bem avantajada, fui beijando sua boquinha e sua orelhinha e pedi para ela mexer bem devagarinho, enquanto eu ia estocando bem devagar para ir amaciando aquela grutinha com o seu próprio lubrificante, que brotava em grande quantidade, nisso a sandra acordou e queria tirar a irmã de cima de mim para poder ficar no lugar dela eu peguei ela a mandeiela colocar aquela bucetinha em minha boca para que eu pudesse chupá-la e ela não se fez de rogada, colocou aquele monumento em minha boca, que comecei a chupar na mesma hora, deixando ela doidinha se mexendo todinha e empurrando com força sua buceta contra minha boca, e eu aproveitei para empurrar a lingua dentro da sua buceta, no começo deve ter duido um pouco pois ela empurrava devagar mas depois ela começou a se movimentar mais rapido, não demorando para gozar e melar minha cara toda com seu gozo e caindo para o lado mais uma vez quase desmaiada e eu continuei empurrando meu cacete em paula, mas não tinha entrado nem a metade da cabeça, resolvi dar uma forçada, segurei ela pelos quadris e dei uma forçada com mais força, até ela dar uma gemida de dor fiquei com ela naquela posição e pedi para ela dar uma mexidinha, quando ela começou a mexer eu não guentei e dei a maior gozada dentro daquela gruta e no auge do gozo dei uma empurrada com mais força e ela deu um gritinho, imediatamente tirei me cacete de dejunto de sua buceta e a esperma correu na buceta e em cima de mim, com a esperma veio um pouco de sangue, na hora me assustei, mas vi que não tinha sido nada demais, apenas uma pressão maior, levei ela para tomar banho e passar uma pomada para aliviar a dor.

Fomos dormir ás quatro da manhã, as nove já estavamos de pé, peguei as duas e fomos para a praia, procurei uma praia bem deserta, por isso procurei a praia da barra aonde quase ninguem vai, pois fica bem distante, chegando lá as meninas foram loga para água, depois de arrumar tudo e tomar uma cerveja, fui para água também, e as meninas vieram logo para cima de mim, e começamos a brincar, mesmo brincando minha mente começou a pensar no que poderia acontecer e meu pau ficou mais duro que pau de tarado, e ficou o senhor volume dentro do short, que não passava despercido a ninguem, e não demorou para elas notarem e começarem a conversar em ter elas, e eu sentindo que não ia demorar a acontecer alguma coisa, me deitei na areia, com a parte de baixo dentro d’água, para não dar muito na pinta do volume, a sandra foi chegando e sentou bem em cima da minha pica, enquanto paula sentou em cima do meu peito, a sandra começou a pular em cima do meu cacete eu disse a ela que em vez dela pular era melhor mexer, pedi a ela que ficasse de cocora e tirei meu pau de dentro da sunga e coloquei ele em pé com a cabeça fora d’água, mandei ela dar uma chupada para deixar ele bem melado, e ela não se fez de difícil, foi logo enfiando a boca no meu pau mesmo com dificuldade, pedi a paula que voce ajudar a irmã na tarefa de lubrificar a minha pica e aproveitei para puxar aquela bundinha pra cima de mim e comecei a chupar sua bucetinha para deixar bem lubrificada, comecei mordendo seu grelhinho e fui enfiando a lingua dentro de sua buceta cada vez mais rapido, quando senti que estava bem lubrificada pedi para ela para de chupar, mandei ela colocar aquela buceta bem na cabeça de meu pau e comessase a subir e descer na minha pica. ela segurou minha pica colocou a cabeça bem na sua grutinha e começou a subir e descer, eu mandei que sempre que ela, que forçasse o maximo para baixo, ela foi fazendo como mandei, eu já estava que não guentava, já a ponto de gozar, de tanto vai e vem, tava ficando cada vez mais gostoso, e eu vendo, aquela buceta ir engolindo meu pau cada vez mais a cabeça tava entrando, quando eu vi estava gozando e com a gozada veio a estocada mais forte e a cabeça da minha pica entrou na primeira etapa daquela buceta maravilhosa, mas um filete de sangue escorreu pelo meu cacete juntamente com o esperma, só que a dor também apareceu naquele rostinho maravilhoso eu a peguei, dei um banho nela e comecei a beijar ela todinha e disse a ela que hoje não fariamos mais nada para não machuca-la mais eu pensei que ela ia aceitar, mas ela virou-se pra mim e disse que doeu mais que foi gostoso, e que a noite ela queria ser todinha minha para sempre e que eu aproveitasse para fazer a irma senti o gosto de um orgasmo, pois paula também desejava gozar também. aproveitei a ideia dela e comecei a chupar os peitinhos de paula que ainda parecia com um limão, foi metendo o dedo em sua vagina e comecei a bater uma siririca e ao mesmo dar umas mordiscada em sua orelha e chupando seu pescocinho lindo e a vendoela ficar cada vez mais arripiada ela começou a ficar molhadinha e eu mais uma fiquei com o pau latejando de dor de tao duro que ele estava, continuei alisando paula.

Como estava dizendo continuei alisando a paula, passando a mão em sua bucetinha, chupando os seus peitinhos e umbiguinho, de vez em quando metia minha lingua em sua boquinha carnuda, pedi a sandra que deitasse de barriga para cima e mandei paula ficar de quatro em frente a sua irmã e começasse a chupar bem de leve a bucetinha de sua irma, enquanto que eu comecei a meter minha lingua no seu cuzinho e naquela bucetinha que já estava toda melada, comecei a estocar minha lingua bem la dentro de sua gruta e em movimentos bem rapidos que ela começou a se tremer todinha e gemer como uma maluca, até que ela não aguentando mais, me deu um jato de gozo na minha cara, ela já ia arriando de lado após o gozo, mas não deixei, achei que estava na hora de amaciar aquela bucetinha já preparando para o próxima penetração total, que sabia que um dia iria acontecer, deixei ela de quatro, pedi a sandra que ficasse em baixo dela chupando o grelhinho de paula e meu cacete ao mesmo tempo, depois, fiquei de joelho em frente daquele monumento a minha frente e empurrei meu pau em direção da vagina ainda virgem e comecei o vai e vem do meu pau em sua buceta, sendo que dessa vez comecei a forçar mais a entrada da cabeça do meu pau naquela grutinha.

Eu sabia que estaria doendo, mais ela não reclamou um minuto, e me aproveitei disso, para aumentar os movimentos de vai e vem e com mais força, senti que não ia demorar em conseguir, colocar a cabeça do meu pau naquele canal totalmente apertadinho, quando senti que ela tentava recuar, perguntei, se queria que eu parasse, ela respondeu, que tava doendo um pouco, mas que também estava gostoso, que podia continuar, segurei mais forte pelo seu quadril, fui mais rapido no movimento de entra e sai, procurei dar uma estocada mais forte até que vi que a enorme cabeça do meu cacete já se encontrava la dentro, aproveitei para dar uma descansada, paraa que ela se acostumasse com a dor, enquanto isso pedi a sandra para chupar meu pau para que ele ficasse bem melado, ela começou a lambuzar meu pau todinho, ficou ali até paula me perguntar se eu não ia, mas enfiar nela, eu disse que estava com medo que doesse muito e ela não aguentasse, dei até risada com a resposta dela, pois ela falou que sabia que eu ia rasgar ela todinha, mas ela queria esprementar mesmo assim, fiz então a vontade dela, mas para provocá-la eu tirei o pau e voltei a empurrar fiz isto varias vezes, até sentir que a entrada já estava mais relaxada, mas, quando tentei empurrar mais um pouco, senti o canal ainda bem apertado, mesmo assim, empurrei com mais força, até sentir que tinha encontrado o obstáculo do seu himen se segurando para não ser rompido, olhei e vi que não tinha entrado nem a metade do meu cacete, comecei entao um entra e sai bem lento e enquanto isto, melei bem meu dedo polegar e comecei bolinar o seu cuzinho, enfiando bem de leve o dedo, já pensando com maldade em enfiar aquele enorme cacete naquele rabinho e tirar todas as pregas do seu cuzinho, ela perguntou por que eu estava fazendo disse que ia fazer o que ela pediu. rasgar ela todinha a começar por aquele cuzinho maravilhoso, mas uma vez ela me surpreendeu, vai rasga, meu cuzinho todo, eu quero ser sua puta. procurei primeiro dar prazer para ela poder aguentar a dor que iria sentir depois, com meu pau na entradinha daquele paraiso, fiquei mais rapido nos vai e vem, pede sentir sua respiraçãoficando ofegante, falando palavrões e dizia: mete na sua putinha vai mete todinha me rasga que eu quero sentir este cacete enorme dentro de mim, e me xingava todo, meti todo meu dedo polegar dentro de sua bunda e comecei a rodá-lo dentro do seu cu, tirei o polegar e meti dois dedo ela gemia, bem alto, senti que ela ia gozar procurei estocar mais forte.

Estoquei com tanta vontade, que só ouvi seu grito de dor, pois tinha acabado de tirar a sua virgindade e notei meu pau todo melado de sangue, mas mesmo assim continuei segurando ela firme sem tirar meu cacete de dentro daquela buceta, ela sem saber o que dizia, pois ficou dizendo, tira bota, tira bota, eu pedi que ela ficasse queitinha para a dor passar, e ficamos por uns cinco minutos parados, foi então que resolvi mudar de posição, pedi a sandra para colocar uma tolha de praia na areia e coloquei paula de barriga para cima, sem tirar o pau de dentro só rodando ela com ajuda de sandra, abri bem as suas pernas, e mandei sandra chupar meu pau ainda melado de sangue, ela começou a chupar meu pau e também a bucetinha de sua irmã, deixando meu cacete bem melado.

Quando vi que ela estava bem melado, comecei a empurrar meu pau todo em sua buceta, ela gritou de dor, chega veio lagrimas em seus olhos. depois que o senti todo dentro dela, segurei-a e me virei para ela ficar por cima de e comecei a beijá-la, acaricia-la, mordendo sua orelhinha, seu pescoço, e ela foi se acalmando quando notei que ela já estava pronta, a mandei ela ficar de cocoras e começar ela mesma a subir e descer no começo ela sentiu dor, mas aos pouco ela foi se acostumando e foi ficando mais rápido e não aguentei e acabei enchendo ela de esperma, ela continuo subindo e descendo até gozar, gemendo e xingando até que arriou de vez em cima do meu cacete e ficamos nessa posição durante os trinta minutos, só fazendo carinhos nela.

Quando resolvemos levantar, que a tirei dou meu pau tomei um susto em ver o estrago que estava a xota dela, toda arreganhada, tentei dar um banho nela, mas não foi possível, pois a água salgada ardia sua buceta, resolvemos ir pra casa para que eu pudesse cuidar dela, arrumamos as coisas e fomos para casa, tive que entar na garagem com as meninas dentro do carro para o povo não notar que ela não estava podendo fechar as pernas direito, dei um banho nela com agua morna com todo carinho e depois passei uma pomada super refrescante e otima para estes casos, depois coloquei o almoço das meninas e fomos descansar e acabamos dormindo, quando acordei já devia quase dez horas da noite, sair para comprar os sanduiches e sorvetes que as meninas adoram.

Quando voltei elas já estavam acordadas me esperando, lanchamos e colocamos um filme para assistir, ficamos assistindo filmes até mais ou menos umas 10 horas e fui tomar banho para me deitar, as meninas quando me viram entrar no banheiro resolveram tomar banho comigo, aproveitei para dar banho e paula e passar pomada na xoxotinha dela para aliviar mais o ardor que ela ainda sentia, depois que cuidei dela voltei para o banheiro para terminar meu banho, mas a paulinha ainda estava lá me esperando para tomar banho comigo, ela me pediu para colocar ela no colo, e assim o fiz, mas quando a coloquei no e ela começou a me beijar, o cacete que não tem consciência endureceu na mesma hora e encostou em sua buceta, como já estava me imaginando fuder ela, encostei meu pau em sua buceta e fui alisando-a pelo corpo todo fui tançado pelas suas pernas na minha cintura, encostei ela na parede, e comecei a forçar meu pau em sua entrada até ver a cabeça entrar e fui tirando e botando sem parar forcei tanto que ela disse que eu estava machucando-a. parei e pedi desculpas a ela, que me respondeu que eu não precisava pedir desculpa, mas, porque queria perder a virgindade na cama mais tarde, que ali queria era uma boa sacanagem, uma entrada do que iria acontecer mais tarde, e ficamos naquele entra e sai nos acariciando e nos beijando durante uns trinta minutos, onde ela deve ter gozado umas tres vezes e eu uma. terminamos o banho e fomos para cama, onde começamos tudo de novo, eu já não aguentava de vontade de quebrar aquela virgindade e torna-la minha para sempre, comecei a chupá-la todinha mordi seus biquinhos fui descendo a minha lingua até seu umbiguinho lindo e dali desci até aquele paraiso eu tanto sonhava em possuir, fui chupando-a bem devagar e fui passando a lingua naquele clitoris, maravilhoso, enfiando em sua gruta minha lingua, fazendo-a gozar cada vez mais, botei meu pau para fora e dei a ela para chupar e enfiou a cabeça na boca e começou a chupar ele todinho não enfiando em ele na boca, pois só entrava a cabeça, mas passando a lingua nele todo, quando ela sentiu que eu já estava no auge a ponto de gozar, me mandoueu deitar de costas e subiu em cima de mim ficando de cocoras e colocando meu pau em sua gruta e enfiou a cabeça do meu pau em sua gruta e começou a cavalgar devagar e foi aumentando a velocidade aos pouco depois de uns quinze minutos cavalgando ela foi forçando para baixo, tomei um susto quando ela parou e levantou, ela pegou a filmadora e me entregou para registrar aquele momento, ficou em pé em cima e pediu para eu filmar a partir daquele momento, liguei a filmadora e comecei a filmar ela de baixo pra cima, comecei pelas suas pernas, fui passando pelo joelho, coxas e cheguei no triangulo das bermudas maravilhoso ainda com poucos pelos passei pela sua barriguinha cheguei aos montes da minha vida cheguei naquela boca carnuda no rosto angelical, em uma menina que queria se tornar mulher comigo e voltei até sua bucetinha, que foi descendo, descendo até se encontrar com meu pau, que já estava em sua mão e foi colocado em sua vagina que foi sendo engolido aos poucos, senti que ele tinha encontrado resistência, mas mesmo assim ela não parou e foi forçando para baixo até eu sentir que seu himen tinha sido rompido e ela continuo descendo, descendo até encontrar o final daquele cacete enorme, quando levantei os olhos, lagrimas cai dos seus olhos, ela virou pra mim, e disse a coisa mais linda que um homem poderia ouvir, estou chorando de felicidade, porque a partir de agora sou sua para toda eternidade,

Aquela frase me fez chorar também, pois me senti o homem mais feliz do mundo no coração e no cacete, pois bastou o cacete entrar, para eu gozar, um gozo maravilhoso como nunca tinha sentido em minha vida, ela arriou o corpo em cima de mim, e ali ficamos nos acariciando até dormimos ainda com o pau dentro daquela xota, quando acordei de manha que aquela menina mulher em cima de mim ainda com meu pau dentro dela contarei depois, hoje tenho 55 anos e sandra tem 20 e paula 19 anos e continuamos nos amando com muito amor.