Putinha pervertida

Click to this video!

olá meu nome é bruno e no último relato contei minha vida de putinha com meu primo e seu amigo rogério.
Todos os dias os dois me comia e já estava relaxado com o rogério, parecia que ele estava cumprindo o combinado de não abrir o bico pra ninguém que eu era putinha dele e do meu primo. Meu primo deu ideia dos dois me comer de uma só vez, mas rogério gostava de ficar sozinho comigo e confesso que gostava de um por vez. Curtia dar pro meu primo, mas a pegada do rogério era muito boa, todas as vezes eu ficava de pinto duro, ele me chamava de putinha e gemia gostoso e bombava fundo e forte. Até hoje bato uma pensando nele.
O tempo foi passando e logo o rogério abriu o bico e virei putinha da turma deles, tinha dia que dava pra cinco, um de cada vez, parecia cadela, um saía e outro entrava, era muito dolorido e tinha um tal de baiano que o seu pinto era gigante e sempre ficava pro final, os outros falavam que se ele comesse primeiro depois não tinha graça, pois meu cuzinho ficava arregaçado. Acontece que quando ele ia me comer já estava todo assado e ardido e ele não tinha pena, socava rápido e forte até encher meu cuzinho. Durou mais ou menos um ano e antes de me mudar pra são paulo com 13 anos o rogério aparecia de vez em quando pra me comer…
ao chegar em são paulo, minha mãe recebeu uma promoção da empresa e ficava praticamente o dia todo fora. Não conhecia ninguem e tinha apenas um colega na escola. Fiquei uns 3 anos sem transar era só punheta lembrando do passado. Um dia fui na lavanderia pelado procurar uma cueca, pois tinha acabado de tomar banho, estava escuro e peguei junto uma calcinha da minha mãe, me veio uma maldade na cabeça e vesti a calcinha dela, renda preta e curtinha, fiquei me olhando no espelho e veio outra maldade, fui correndo pro quarto dela e saí procurando as roupihas mais curtas que ela tinha e achei, uma saia florida, uma blusinha branca, uma sandália salto alto de tirinha e fui me produzindo, até que me olhei no espelho e senti um tesão tão grande como nunca havia sentido. Meu corpo branco, com pelinhos finos e loiros, magrinho e com as perninhas cumpridas, fiquei parecendo uma ninfetinha e daí em diante nunca mais deixei de me produzir e ficar me olhando no espelho, ou quando contrato um gp levo minhas roupinhas, salto alto, perfume feminino e até peruca. Depois vou contar como foi minha primeira transa vestida de putinha…..