Minha primeira cadela!

Click to this video!

Até meus dezoito anos eu morei no interior, trabalhava na lavoura e no campo, e desde meus doze anos eu vivia numa tesão danada, perdi minha virgindade numa égua, vivia fodendo cú de galinha, terneiras e éguas, e as vezes alguma porca, nunca tinha pensado em foder cadelas. Meu tio, casado com uma tia minha, morava na frente da nossa casa do outro lado da estrada. Ele gostava muito de caçar perdizes e um dia ele ganhou uma cadela perdigueira, já com um ano de idade e ensinada a caçar, era uma cadela grande com um pelo branco com bolas marrom claro, muito linda. Então sempre que a gente ia para o campo ou lavoura a cadela ia junto, pensando que a gente ia caçar. As vezes a tardinha eu ou um dos peões íamos numa lavoura que ficava nos fundos do campo buscar cana de açúcar para dar para as vacas comer, a gente levava uma corda, cortava um tanto de cana, fazia um feixe atava com a corda colocava no ombro e se vinha embora.
Num desses dias eu fui buscar cana, e a cadela me acompanhou, ficava um pouco ao meu lado, um pouco corria na frente, nas vezes que ela correu na frente eu não sei por que reparei na buceta dela, era uma buceta não pequena, tamanho médio, vermelha, e ela corria e a bucetinha tremia, aquilo me deu uma tesão enorme, e eu pensei bem que poderia comer esta cadela, o pau já estava duro que parecia uma pedra. Já fui maquinando como fazer, cheguei na beira da lavoura, chamei ela, peguei a corda que eu trouxera para atar as canas, passei no pescoço dela, atei no palanque da cerca, tirei a roupa, e ela instintivamente cheirou o meu pau e deu umas lambidas, eu quase explodi de tesão, deitei ela de costas e ela ficou quieta não tentou fugir nem morder, cuspi bastante na bucetinha, me ajeitei entre as pernas dela, meio deitei em cima, com uma das mãos eu segurei ela na boca para não morder, com a outra mão eu ajeitei o pau bem na entrada da buceta toda lambuzadinha de cuspi, e empurrei o pau, deu uma resvaladinha, ela meio se torceu, eu ajeitei de novo, fiz ele encaixar a cabeça na entrada e meti, foi a cabeça e um pedaço, trancou num anel ( é a parte apertada onde tranca o nó do cachorro), a cadela gruniu forte quis sair mas eu tava firme em cima, dei um tempinho e quando ela se acalmou eu soquei forte e o pau rompeu aquele anel e se foi, senti os beicinhos da buceta bater na minha pélvis, a cadelinha se bateu para os lados grunia forte, mas eu estava com tudo dentro e dono da situação, ralhei forte com ela e ela se aquietou, aí comecei uma foda gostosa, lentamente, falava com ela, acariciava ela, e ela se acalmou, fudi com gosto, com um prazer imenso, quando vi que ia gozar, enfiei tudo e gozei no fundo da bucetinha, esperei o pau amolecer e saí de cima, só rolei para o lado e fiquei deitado na grama, cansado. A cadela correu em roda por que estava atada, sentava lambia a buceta suja de leite e um sanguezinho, e depois veio e lambeu toda minha piça. Me recuperei, peguei ela com a corda, puxei até um matinho que tinha do lado onde passava uma sanga, lavei bem a bucetinha dela para não ficar muito inchada, deixei bem limpinha, me lavei, soltei ela e fui cortar minhas canas, fiquei tres dias sem procurar ela para que ela se recuperasse bem, dali uns quatro dias fui buscar cana de novo, ela estava deitada lá na área da casa dela, só estalei os dedos e ela se veio, cheguei lá no mesmo lugar, coloquei a corda no pescoço dela, e ela não tentou escapar, deitei ela de novo, cuspi bem na bucetinha, ajeitei o pau, fui botando, ela deu umas reboladinhas para sair mas se aquietou, eu botei tudo de novo, e desta vez já não precisei segurar na boca, ela ficou quietinha deitada, aí eu falava carinhoso com ela, fazia carinho nela e fudia com vontade. Vocês não fazem idéia do que era gostosa aquela bucceta, eu ficava louco olhando meu pau todo dentro, e os beicinhos da buceta esticadinhos com meu pau, coladinho nos pentelhos, era uma loucura. Depois disso eu comia ela quase diáriamente, era ter uma oportunidade e eu metia a piça. As vezes eu esperava o pessoal dormir, abria a porta do meu quarto e ela vinha correndo, entrava e vinha direto lamber meu pau, eu fudia ela as vezes duas por noite, uma quando ela entrava no quarto, e de madrugada antes de colocar ela para fora. A cadela ficou de uma maneira apaixonada por mim que eu tinha que andar me cuidando, as vezes eu estava conversando com alguém, ela me via e vinha correndo e já enfiava o fucinho no meu pau. Por muito anos eu transei com ela, aí um belo dia eu vejo um homem atando ela em cima de uma camionete, eu corri e perguntei para o tio, aonde ele vai com a Guarita(este era o nome dela), o tio disse eu vendi para ele, ele gosta muito de caçar, tem um cachorro muito bom mas ta ficando velho, então ele comprou a guarita para tirar umas crias. Fiquei muito triste, andei muito tempo pelos vizinhos, pela estrada, procurando uma cadela para substituir a guarita, até que achei, mas isto é outra estória!