De interno de orfanato a comedor profissional

Click to this video!

Me chamo Leandro, cresci num orfanato ministrado por freiras, onde havia dois pavimentos, um ficavam as meninas e o outro os meninos, totalmente separados e sem comunicação, as regras eram rigidas, la tinhamos as aulas didaticas tambem,e o ensino religioso, tudo era mantido pela igreja católica, nos fins de semana iamos a igreja, e la encontravamos outras pessoas, mas nem podiamos falar com ninguém, teve um dia eu na igreja notei que havia no banheiro um vitro no alto, e la eu ouvia as vozes de meninas e de mulheres, resolvi subir na pia para olhar, e vi as meninas mijando, algumas mulheres mijando e depois secando a buceta, eu nunca tinha visto aquilo e fiquei curioso, eu tinha uns 11 pra 12 anos, no orfanato eu fiquei imaginando aquelas coisas, e não via a hora de chegar o fim de semana de novo, quando chegou eu fui o primeiro e ficar pronto pra ir a igreja, as freiras até me elogiaram, pois eu enrolava pra ir, e la chegando eu fui direto ao banheiro, subi de novo na pia e fiquei olhando, entrou uma, depois outra, e outra, e eu delirava, naquele dia quando terminou a missa estavamso indo pro orfanato, e passamos perto de uma banca de jornal, tinha muita gente eu vi uma revistinha com uma mulher pelada na capa, e sem ninguem ver eu peguei e coloquei dentro da blusa, no orfanato eu entrei no banheiro, e comecei a folhear a revista, haviam varias mulheres peladas, uma chupando o pau do cara, outra tomando o gozo do cara, ainda outra de 4 e o cara metendo nela, em outra o cara chupando a buceta da mulher, eu fiquei de pau duro, e outra mulher masturbando o cara, eu escondi a revista debaixo da pia, a noite eu comecei a mexer no meu pinto e foi muito bom, gozei sem nem mesmo saber o que era, mas foi bom, a maioria dos meninos eram mais novos que eu e eu estava ja aprendendo outras coisas, materia da sexta série, e muitos ainda coisa de primario, eu entrei no banheiro e dei mais uma olhada na revista, ai tive a ideia, de mandar algum moleque mais novo me masturbar ou me chupar, na hora do banho visto que era meio que coletivo, eu fiquei por ultimo, pois os menores iam depois, ai eu fui, la eu entrei e pedi pra um menino me chupar, ele achou meio estranho mas eu insisiti e ele veio meio que com medo e passou a lingua no meu pau, depois engoliu a cabeça e foi bom, ai eu pedi pra ele fazer mais um pouco, ele colocou a cabeça do meu pau na boca e passou a lingua, eu quase fui ao delirio, e eu falei, vai continua, ele continuou e eu gozei na boca dele, e todos os dias foram assim, com os de 9 anos, um a um forma me chupando, mas ai teve um que resolveu falar com a freira que cuidava da gente, eu fiquei de castigo, isolado, num quarto, la eu me masturbava muito, quando a freira ia la me dar aula de catecismo eu até cheirava o lugar que ela sentava depois que ela saisse, tudo me escitava, a freira tinha uns 40 anos, mas parecia ter mais, nos fins de semana eu ficava la sozinho, trancado, foi ai que resolvi fazer algo, como a porta do quarto era meio velha eu tentei com algumas chaves que encontrei dentro do armario do banheiro, e consegui achar uma que abriu a porta, eu sai e fui até o alojamento das freiras, la eu vi calcinhas enormes, pequei algumas cheirei, algumas usadas me masturbei, e no alojamento das meninas havia tambem uma que estava de castigo, ela tinha 13 anos, e ficou de castigo por ter brigado e batido numa menina, eu li num relatorio que estava escrito, ai procurei a chave de la, e encontrei tres chaves que abria a porta do alojamentos das meninas, e eu fui la, bati na porta e a menina pergontou quem era, eu respondi e ela falou, Esta doido, se te pegam aki, vc será crucificado, eu falei, eles só voltam ao meio dia e ainda são 8:00hs, eu procurei a chave da porta e encontrei varias que abriam, e abri a porta pra ela, e dei a chave a ela, da porta e do alojamento dos meninos, enquanto estavam fora bagunçamos tudo, comemos doces, e ela me perguntou pq eu estava de castigo, e eu falei que fiquei pq mandei os meninos chuparem meu pinto, ela falou. Credo, isso é nojento. E eu falei. Não é bom demais, deixa eu te chupar e vc vai ver como é bom. eu tenho a maior vontade de fazer isso numa menina, deixa vai, eu te livrei. E ela falou. Ta bom, mas vai rapido, no proximo fim de semana podemos sair mais cedo e aproveitar mais. Ai ela abaixou a calcinha e eu ja fui de boca, humm uma bucetinha cabeludinha, com pelinhos ralos, eu passei a lingua, e ela falou, que fazia cocegas, eu passei mais, e fui chupando fui muito bom, ai ela falou. Olha esse negocio de chupar o pinto é como, deixa ver eu ver. Sem nenhum medo eu tirei meu pinto pra fora e mostrei a ela, ela pegou, ele ja estava duro. Ai ela falou, Lava pra eu ver se consigo, eu fui ao banheiro e o lavei, e ela me perguntou como é chupar. Eu falei. Passa a lingua e depois poe a cabecinha na boca, Ela fez, passou a lingua, eu delirei, e foi colocando na boca, com um pouco de nojo, mas colocou e passou a lingua, eu ummmm vai e ela chupava, e eu gozei, e com as duas mãos afastei a cabeça dela, ai ela levantou e eu a beijei, e ela falou. Ah assim é muito melhor, e nos beijamos, eu passei a mão na bunda dela, e pedi pra chupar ela de novo, ela deixou, e eu chupei muito, ela começou a dizer que ia mijar, e mijou mesmo, depois fomos pra alojamentos, trancamos e escondemos as chaves, quando as freiras chegaram encontraram tudo bagunçado, e me perguntaram, eu ja tinha combinado com Carmem, a menina que estava de castigo tambem, que iriamos dizer que ouvimos barulhos, e ficamos com medo, as freiras pensaram tantas bobagens, menos que nos tinhamos encontrado as chaves, no outro fim de semana, aidna estavamso de castigo, ai só foi elas sairem e nós saimos tambem, dessa vez resolvemos não bagunçar, e ja fomos nos beijando, eu peguie a revista e mostrei a ela, e ai ficamos fazendo tudo o que estava na revista, ela ja chegou me chupando sem novo, e foi a minha primeira ejaculação, ela bebeu toda minha porra, eu quase desmaiei, eu a chupei muito, muito e ela gozou tambem na minha boca, tentamos a penetração, mas não entrava nem a pau. nos beijamos e deixamso os sofá da sala todo cheio de porra, fomos a dispensa e pegamos doces, pegamos dinheiro tambem delas, que ela recebiam das doaçoes, e escondemos tudo ela tinha uma mochila com fundo falso, era o melhor esconderijo, juramos amor um ao outro e resolvemos que iriamos roubar mais dienheiro e fugir de la, enquanto isso transavamos muito, e eu muitas vezes limpava o gozo nas calcinhas das freiras, ou das meninas que la moravam tambem, tudo era muito divertido e prazeiroso, no proximo eu conto mais, aguardem,