Traição

Click to this video!

Olá, vou dar continuidade no desabafo que contei à alguns dias. Quem não leu o conto anterior, aconselho a ler para pelo menos entender o que estou falando e assim compreender o que estou passando.
Como eu disse no outro conto, eu trabalho em uma empresa onde eu tenho um cargo razoável, sou moreno, 1,70m, 70kg cabelos negros, um pau de 13 cm. Minha mulher se chama Alessandra, também é morena, tem 1,66, um corpão de fazer todo mundo na rua olhar, seios fartos e uma bunda muito grande, e sempre andando com roupas curtas e coladas, inclusive no trabalho, onde ela trabalha como secretária de um advogado.
Depois daquele dia, que eu chupei a buceta da minha mulher cheio de porra de outro homem, eu me senti muito envergonhado mas estranhamente excitado. Eu não parava de pensar em quantos homens a minha mulher já deu e quantas vezes eu meti nela com aquela xota usada por outro, mas por outro lado, ultimamente a gente tem transado uma vez ou outra, sempre com alguma desculpa por parte dela. Decidi ler alguns contos sobre o assunto aqui no site e fiquei surpreso pela maneira como os homens levam suas vidas, pensei comigo se esse será meu destino, mas claro, acredito que muitos sejam mentirosos, pois tem muita coisa absurda…enfim. Um certo dia, resolvi ligar para minha mulher, convidando para um jantar em um restaurante perto de casa e comer alguma coisa diferente do habitual. Quando ela chegou, eu ainda não estava arrumado e ela logo reclamou, mas eu não pensava em outra coisa a não ser chupar aquela buceta novamente, então fui pra cima dela e comecei a arrancar sua roupa, ali na sala mesmo, e ela como sempre, dando desculpas para eu não prosseguir, e isso me deixou mais excitado ainda, afinal, era uma prova que ali passou piroca. Eu tirei toda sua roupa e meti a cara entre as pernas daquela vagabunda, lambendo gostoso aquela cavala como se fosse a última buceta do mundo, e novamente, aquele gosto diferente veio ao meu paladar, fiquei doido e resolvi caprichar na chupada. Ela gemia e gemia, pressionava minha cara na buceta dela e assim foi até anunciar que gozou, mas dessa vez ela não recuou e deixou eu terminar o serviço, meti nela de 4 até gozar dentro daquela putinha. Quando eu acabei, decidimos ir pro restaurante e na volta simplesmente apagamos na cama. Quando eu acordei, não vi minha mulher na cama e achei estranho, resolvi ligar para sua amiga carla e saber se estavam juntas, mas ela disse que nem sabia onde minha mulher estava. Liguei para o trabalho dela e suas amigas mas nada de achar minha mulher, naquele momento já imaginava que ela estava com outro macho, fiquei excitado e bati várias punhetas durante o dia pensando no que a minha mulher estava fazendo. Quando ela chegou de noite, eu perguntei onde ela estava e ela disse que estava com a carla, mas eu disse tinha ligado para ela, então minha mulher ficou nitidamente ansiosa e tentou me enganar dizendo que passou lá por último, pois tinha ido na casa de sua mãe fazer uma visita, como eu não tinha pensado em ligar pra lá, passou batido. Passou alguns dias e outra revelação surgiu, mais uma vez de uma conversa dela com a carla onde eu entrei sem bater, pois eu resolvi que iria fazer isso sempre que pudesse para pescar alguma coisa se possível. Quando eu cheguei perto do quarto, dei uma olhada e as duas estava na cama conversando assistindo a novela, o som atrapalhava um pouco mas deu pra escutar a conversa toda, e foi assim que eu peguei a conversa:
– Nossa que gostoso alessandra, seu marido é muito engraçado, que homem pra ter vocação pra corno hem, disse a carla rindo demais.
– Realmente, o meu marido é uma coisa que só se vê em filme, pois eu nunca vi um homem chupar uma buceta tão gostoso quanto ele, somente quando tem porra do marcelo nela, disse ela se referindo a um de seus amantes, que aparentava ser fixo.
– Olha lá hem, de repente ele é boiola e tu não sabe, pra gostar de porra de homem assim, ele deve ter uma inclinação aí hem.
– Eu também acho, é muito engraçado a situação, mas eu gosto, é muito mais gostoso. O marcelo me disse ontem que eu devo fazer meu marido chupar a porra dele sempre que eu trepar com ele, como ele não tem reparado, eu vou fazer né, disse minha mulher com um tom de deboche.
– Isso, corno tem que tratar assim mesmo, porque se eu fosse casada, meu marido levaria dois chifres por dia, você está até sendo boazinha com ele, disse a carla caindo na gargalhada com a minha mulher.
Nesse momento, eu saí dali e fui pra rua arejar minha cabeça, era informação demais pra um dia só. Naquele momento eu deveria decidir qual a vida que eu iria levar e qual decisão deveria ser tomada: separar da minha mulher e procurar uma outra certinha ou aceitar que eu sou um corno mesmo e contar logo pra minha mulher o que eu sei para aí ver como será minha vida, pois eu já não queria viver mais sabendo do que acontecia e ficar com ela como se nada tivesse acontecendo. Eu estava confuso, envergonhado e me sentindo traído, mas por outro lado, me sentia excitado e não parava de pensar no quanto eu amo aquela mulher, então resolvi tomar minha decisão: aceitar ser corno mesmo e ver no que dá. Passou dois dias e eu consegui, finalmente, tomar coragem para falar com a minha mulher, deixei a casa bem arrumada e combinei com a minha mulher que de noite teríamos uma conversa e um jantar caprichado que eu fiz. Quando ela chegou, decidimos que iriamos comer primeiro. Tinha tudo que ela gostava, ela comeu e fomos para o quarto conversar. Eu decidi falar mas demorou um pouco para sair as palavras, olhei bem no fundo dos olhos dela e consegui arrumar as palavras que precisavam ser ditas:
– Alessandra, só peço que não fale enquanto eu falo, espera eu concluir tudo para você falar. Estamos casados tem um bom tempo e eu te amo demais, não consigo encontrar palavras para dizer o quanto eu te amo. Me apaixono por você todos os dias, você é a mulher que eu sonhei desde o colégio, mas eu tenho que te falar uma coisa que tem tomado conta da minha mente nos últimos tempos. Talvez você imagine o que eu tenho para te dizer, mas eu acho que você não sabe. Para falar isso, eu levei horas e dias pensando muito bem no que eu queria e no que seria a partir de agora, então, não tem mais volta. Eu já sei de tudo, sei que você me trai, eu vi suas conversas no facebook e sei de todos os seus amantes, pelo menos os que você tem contato lá. Eu já ouvi sua conversa com a carla, me chamando até de viado, pois você leva porra na buceta e eu chupo com vontade, mas eu decidi que se você quer levar sua vida assim, eu não vou te proibir e nosso relacionamento continua do jeito que está, pois eu te amo de verdade, você não tem ideia no quanto, por isso eu já decidi que vou levar uma vida de corno manso sem reclamar e nem proibir você de nada, afinal, eu tenho pau pequeno eu sei, nunca te levei a loucura e você precisava disso, então eu preciso saber: o que você tem a dizer sobre isso tudo?
Ela estava totalmente chocada com o que ouviu e demorou bastante pra começar a falar, eu deixei ela o mais relaxada possível e enfim, ela falou:
– Poxa amor, diante disso tudo eu não posso mais mentir. Realmente eu tenho dado pra um monte de homem por aí! Eu não conseguia ter prazer com você, eu sei que você é esforçado e tenta me dar prazer, mas eu não consigo com um pau desse tamanho, eu precisava de maiores, entende? Eu nem acredito que você vai aceitar isso, eu estou muito feliz pois eu não queria me separar de você, mas eu preciso ter prazer fora de casa. Nossa vida a partir de agora vai ser muito melhor, pois eu nunca gostei de mentir pra você, sempre quis te contar a verdade mas ficava com medo da sua reação. Não tive peito pra te falar tudo, e na minha cabeça, o mínimo que iria acontecer era uma separação imediata, mas com o que você me disse, me deixa tão feliz que tenho até medo de te perder um dia, caso você decida não aceitar mais essa condição ou qualquer outra coisa, inclusive, como você sabe, a carla sempre soube de tudo, não consigo ver a hora de contar essa novidade maravilhosa pra ela.
Quando ela acabou de falar, a gente se beijou por pelo menos 30 minutos e tivemos o melhor sexo de toda a minha vida, eu realmente senti aquela mulher naquela noite, não foi apenas sexo, foi amor entre duas pessoas. No dia seguinte, a carla veio a nossa casa porque a minha mulher pediu, mas isso eu conto em uma outra oportunidade, possivelmente em breve