Peguei minha cunhada abusando da minha filha de 7 anos

Click to this video!

Minha cunhada tinha 19 anos se chama Flavia. Ele assumiu ser sapatão aos 16 anos, até ai tudo bem. A família ficou chocada no começo mas depois respeitou a escolha dela. Ele sempre andou cercada de meninas mais nova que ela, e não digo nova do tipo 1 ou 2 anos a menos não. A vagabunda gostava de andar com meninas de 10,9,8…anos. Eu claro não sabia o que ela fazia com as meninas, ate porque se soubesse nunca deixaria ela ficar a sós com minha filha.

Eu comecei desconfiar das atitudes dela graças a uma outra menina que ela cuidava chamada Simone de 9 anos. A menina era muito grudada nela e não estou falando daquele grude normal do tipo amor de amigas não. Elas viviam se abraçando, agarrando etc. Dava ate agonia ver.

Com o passar do tempo minha filha começou ficar igual. E quando eu apertei ela confessou. Fiquei pasmo com o relato, eram beijos, abraços, mão boba. Mesmo ouvindo não consegui acreditar, eu tinha que ver, pegar aquela vagabunda no flagra.

Falei que ia sair e pedi pra Flavia cuidar da minha filha, ela claro aceitou na hora. Eu fingi sair e me escondi nos fundos e esperei por uns 15 minutos. Quando achei que estava tudo bem silencioso eu fui pé ante pé e entrei pela cozinha. Elas não estavam na cozinha, nem no banheiro, nem na sala. Fui pelo corredor ate os quartos, não estava no quarto de hóspedes nem no da minha filha. Ouvi risos e gemidos abafados vindo do meu quarto. Olhei pelo cantinho e vi as duas peladas deitadas na minha cama. Elas estavam fazendo uma espécie de 69. Chocado vi minha filha passando a língua naquela bucetona da vagabunda da minha cunhada. Elas estavam tão distraídas que nem me viram. Eu recuei e sem acreditar no que vi fiquei uns segundos pensando na cena que acabei de ver. Voltei olhar de novo e elas continuavam. Era chocante ver minha filha de 7 anos chupando e dedilhando uma buceta como uma vadia profissional. Recuei novamente e fiquei pensando no que fazer. Eu estava bravo mas estranhamente estava excitado também. Massageei meu caralho e ajeitei dentro da calça. Fiquei espiando escondido um bom tempo. Até que minha filha me viu. Como estava por baixo eu não conseguiu sair e correr. Fiquei olhando nos olhos dela e vi o medo e o pânico no seu olhar. Flavia sem perceber minha presença ordenou que minha filha voltasse a chupar ela. Diante da recusa ela se levantou e instintivamente olhou pra porta. Vi seu sorriso virar terror. As lágrimas brotaram na hora. Senti que ela ia tentar pegar sua roupa e fugi pela janela. Intervir na hora tranquei a porta e a janela e coloquei a chave no meu bolso. Minha filha e ela estavam chorando e tentando se vestir. Mandei elas tirarem a roupa de novo. Eu estava tão furioso que elas nem esperaram eu falar de novo.

Minha filha estava nua sentada no cantinho da cama morrendo de medo de apanhar. Já minha cunhada estava sentada na beirada perto da cabeceira da cama tentando esconder os seios com as mãos e a xota com a roupa. Me aproximei e levei a minha mão até a roupa, ela se protegeu achando que eu ia lhe dar um tabefe. Peguei as roupas e fui puxando e ela cedendo aos poucos. Joguei as roupas longe e em seguida fui separando aos mãos e pernas dela. Deixei tudo exposto, seios, buceta… Deitei ela e pude ver o cuzinho também. A buceta era 100% depilada e o cuzinho era apertadinho. Massageei meu pau e tirei minha roupa. Minha filha parou de chorar e olhava curiosa pra minha pica dura.

Coloquei meu caralho na entrada da xoxota de Flavia e comecei meter ela gemeu alto de dor. Metia com raiva. Virei ela de bruços voltei bombar. Dava inúmeros tapas na bunda dela deixando bem vermelha. Fiz com ela o que muitas putas nem imaginam que existe. Minha filha ficava com dó e pedia pra não machucar a tia dela. Eu ria e fazia ainda mais. Quando coloquei pra vagabunda me mamar ela por inexperiência (por segundo ela nunca ter chupado um pau) arranhou meu cacete com os dentes, fiquei puto e enterrei meu pau na goela dela fazendo vomitar. Minha filha com do veio tentar ajudar a tia. Fiz ela limpar meu pau com a blusa e depois ajudar a tia chupar meu pau. Flavia olhou assustada com a minha ordem, mas não reclamou. Na raiva chupei Flavia e obriguei minha filha ajudar nossas línguas se tocavam e beijei minha filha gostoso. Depois inverti chupei minha filha e fiz Flavia me ajudar. A melhor parte foi quando enterrei o pau no cu da minha cunhada e o dedo no cu da minha filha. As duas choravam de dor e prazer. Depois as coloquei pra me chupar até eu gozar. A cara de nojo delas era Hilário, mas obedeceram, chuparam e engoliram minha porra toda. Desde esse dia eu ainda fodi Flavia muitas vezes e ela nunca contou pra ninguém, assim como não contei pra irmã o que ela fez com nossa filha.

Depois me arrependi do que fiz com minha filha e nunca mais toquei nela. Mas com Flavia foi diferente transamos por 3 anos até ela se casar (sim com o tempo ela descobriu que não era lésbica e sim bi sexual). Conversamos várias vezes sobre o ocorrido, ela se desculpou pelo que fez com minha filha e eu me desculpei pela brutalidade da nossa primeira vez. Conversamos também sobre a tara por meninas novas eu passei a curtir também inclusive ela me trouxe várias meninas que ela tomava conta como babá mas isso conto outra hora. Hoje ela mora em outro estado com o marido e tem duas filhas.