Meu tio abusou de mim (8 anos)

Click to this video!

Meu nome é Valéria e tenho atualmente 41 anos, o que vou contar tem muito tempo, na época eu tinha apenas 8 anos e o que poderia ser algo traumático, se tornou numa boa experiência de vida pra mim.

Minha mãe sempre dizia pra não ir sozinha na casa do meu tio (irmão do meu pai), mas ela nunca dizia o porque. Eu sabia muito pouco sobre ele, só sabia que se chamava Carlos, era solteiro e tinha 20 poucos anos. Mesmo morando perto eu o via poucas vezes e em todas ele me deu dinheiro e me tratou bem, por isso não entendia porque minha mãe não gostava dele.

Um dia estava sozinha em casa (meus pais estavam trabalhando). Eu estava doida pra comprar sorvete numa sorveteira que tinha aberto quase em frente a minha casa, mas não tinha dinheiro, dai tive a ideia de ir na casa do tio Carlos.

Ele abriu o portão meio desconfiado, afinal nunca tinha ido lá sozinha. Ele olhou em volta pra confirmar se eu estava sozinha e após confirma me deixou entrar. Enrolei um pouco, elogiei a casa, disse está com saudades e só depois pedi dinheiro.

Ele cheio de artimanhas foi me enganando, primeiro pediu uns beijos no rosto. Eu dei. Pediu um abraço. Eu dei. Ele aproveitou e me sentou no colo dele. Sentei sem perceber nenhuma maldade. Ele acariciou minhas pernas, me ajeitou em cima de uma coisa dura. Mesmo sem muita maldade eu ate gostava dos carinhos dele. E entendia menos ainda porque minha mãe não queria que eu viesse ali.

Com jeitinho tio Carlos foi tirando minha calcinha, eu achei estranho, mas sempre fui ensinada a não questionar os mais velhos e fiquei quieta. Ele começou brincar com minha perereca, fazia cócegas e eu ria. Ela foi ficando molhada e o dedo grosso dele deslizava gostoso. Por instinto fui abrindo as pernas e assim ele me masturbava mais gostoso ainda.

De repente ele me pegou no colo e me levou pro quarto, achei que ele tinha cansado de brincar com minha bucetinha e ia me vestir, mas estava enganada. Ele me colocou na cama e num gesto rápido tirou meu vestido. Senti uma vergonha enorme e escondi meu rosto com as mãos. Ele me deitou e senti uma coisa quente e molhada na minha perereca. Olhei pra baixo e vi sua cabeça entre minhas pernas, achei estranho ele colocando a boca naquele lugar que pra mim era sujo (pois saia xixi dali), mas nem tive chance de pensar muito. Sua língua tocou em um lugar que me fez arrepiar. Senti um prazer mil vezes maior que com o dedo dele. Eu arrepiei toda e comecei gemer alto e falar coisas sem sentido. Senti uma vontade louca e falei que queria fazer xixi, mas ele não parou. Sem forças pra reagir relaxei e deixei a vontade crescer. O que eu pensava que era vontade de urinar era meu primeiro orgasmo chegando. Gozei como uma vadia. Segurei seu cabelos, prendi sua cabeça com minha pernas e gritei alto. Desfaleci na cama. Acordei não sei quanto tempo depois com ele balançando seu pinto duro em cima de mim e me molhando com alguma coisa (achei que tinha mijado em mim rs).

Ele me levou pro banheiro e me deu banho, não parecia arrependido do que tinha feito, só preocupado em eu não contar pra ninguém. Assim que prometi pela décima vez ele me deu dinheiro pra comprar uns 5 sorvetes. Fiquei encantada e na minha inocência dei um beijão de agradecimento (hoje sei que ele que estava grato por aproveitar de uma menina novinha e linda como eu). Fui embora e tomei sorvete escondido a semana inteira.
Ainda não entendia porque minha mãe não deixava eu ir na casa do tio Carlos sozinha, cheguei ate conversar com ela sobre ele, queria tentar fazer ela mudar de opinião, mas como não podia contar que tinha ido lá, tive que desistir. Mas claro, queria voltar lá tanto pelo dinheiro, mas também porque gostei daquele prazer que ele me fez sentir. Pena que tudo não foi só flores nas vezes seguinte, mas isso conto na segunda parte. Beijos