Como virei putinha do meu chefe

Click to this video!

Meu nome é Sarita – fictício, naturalmente! Mas a história que vou contar é absolutamente real e teve, posteriormente, vários capítulos picantes e, porque não dizer, deliciosos. Sou alagoana, moro e trabalho em São Paulo, tenho 43 anos mas aparento bem menos. Sou magra, 1,70 m de altura, morena e, modéstia à parte, tenho um corpinho de fazer inveja a muitas menininhas de vinte e poucos anos. Sempre fui muito recatada e tinha até medo de fazer sexo. Tive um filho com um estrangeiro e alguns relacionamentos sexuais interessantes, com homens mais velhos, mais jovens – aliás alguns até bem mais jovens (rsrsrs), mas nunca me senti totalmente liberada. Tinha muito medo do que poderiam pensar e que fosse vista como uma mulher vulgar. Até um dia em que, 5 anos atrás, no meu trabalho chegou um novo chefe, de quem eu seria assessora. Em princípio, aquilo não me dizia nada, mas com o tempo começou a surgir uma admiração pelo profissional, pela pessoa e, depois, pelo homem! Um dia, saindo mais tarde do trabalho, meu novo chefe me ofereceu uma carona. Como já estava tarde para esperar pelo ônibus ou mesmo caminhar em direção ao metrô, resolvi aceitar. No caminho, ele me convidou para tomarmos um chopp rápido e a conversa começou a ficar um pouco mais apimentada. Não sei o que houve, mas o fato é que comecei a ficar excitada e nos beijamos, ali mesmo no bar. Ele vivia com uma mulher e eu tinha um parceiro de apenas vinte e poucos anos, que morava comigo, mas àquela altura do campeonato eu já havia decidido que iria fazer sexo com ele. Fomos para o carro e lá mesmo começamos a nos tocar, ele enfiou a mão pela minha calça e tocou na minha ceta, que a esta altura já estava ensopada. Tirei seu pau para fora e chupei ali mesmo. Adoro chupar um pica e mamei com vontade naquele cacete. Posso dizer que sei como fazer um homem gozar assim. Passei a língua pela cabeça do pau dele, que pulsava intensamente. Ele delirava de tesão e disse que estava louco para me comer. Rapidamente, arriou minha calça e me fez sentar um pouco naquele pau gostoso do qual, daquele dia em diante, decidi não mais me afastar. Senti seu pau rasgando minha bucetinha, a essa altura toda babada e prontinha para ser penetrada. Tenho a bucetinha bem apertadinha e capaz de agasalhar bem um pau gostoso como aquele. Sentia ele pulsar dentro de mim e pronto para explodir em gozo logo logo…Foi uma transa meio urgente e arriscada, afinal estávamos na rua, onde os carros passavam constantemente e quase em frente a um bar e restaurante da cidade! Apesar disto, ele me comeu com muito tesão e eu nunca mais esqueci dessa foda! Gozamos juntos… Nunca tinha feito sexo assim, exposta ao perigo de ser flagrada por terceiros, mas confesso que isso me excitou mais ainda e despertou a putinha que sou hoje – mas só dele! Vivo, hoje, com um estrangeiro residente no Brasil, de quem eu gosto muito, mas que pelo jeito não dá a devida atenção à mulher fogosa, gostosa e carinhosa que tem em casa. Por isto, como ele passa a semana viajando, eu continuo sendo a putinha gostosa do meu chefe, que me come toda semana e é o dono exclusivo do meu cuzinho, pois me faz gozar mesmo quando come minha bunda. Já fizemos de tudo e continuamos evoluindo sexualmente e obtendo um entrosamento cada vez maior. Nunca pensei que fosse capaz disto, mas confesso que hoje eu gozo fazendo sexo anal – e adoro! Mas os outros capítulos dessa história eu relatarei nos próximos contos. Aguardem!