Enrrabando a vizinha de 18 aninhos!

Click to this video!

Tenho 40 anos, sou im cara b afeiçoado e comunicativo. Carol era uma menina baixinha, em torno doa seus 1m50, corpo meio cheinho mas não se passava por gordinha. Desde seus 14 anos sempre foi peitudinha, bundinha cheinha, com seus cabelos e olhos castanhos escuros.
Sempre gostou de se vestir bem e, quando em casa, adorava usar bermudinhaa justas e camisetões que claramente percebiam estar sem sutiã.
Cerro dia, como era minha vizinha, vi ela em seu apartamento com porta aberta em suas roupas “soltas” que me pediu ajuda para trocar uma lâmpada do banheiro. Era umas 2 horas da tarde e stava sozinha em casa e, enquanto trocava a lampada Carol contou que a familia voltaria apenas pelas 8 da noite, que achava calor, vontade de ficar andando só de calcinha casa.
Tá, pensei, a lãmpada foi um pretesto. Desço da escada e começo nitidamente olhar pra ela de cima a baixo e ficar de pau duro.
– Sabe Carol, tiozonho aqui tem 40 anos e adoraria te ver assim.
Nisto ela observa e repara que pelo meu volune das calças estou com caralho duro.
– Hummm… não quer me pegar no tranco?! Adoro homens me peguem com certa brutalidade, ainda mais quando observo que estão com cacete duro em baixo das calças.
Sem esitar muito puxo ela para perto de mim e sussuro no ouvido!
– Tio tá de pau duro louco pra te comer!
– Duvido que é homem pra me satisfazer.
De pau durou e mexendo com meu brio…
– Me leva pro teu quarto e arranca tua roupa se não quer que arranque tua roupa.
Ela fica meio acuada com olhos de espanto pedindo calma.
– Vai cadela, não vou te pedir duas vezes.
Ela meio receosa vai e tira o camisetão deixando os ricos peitos cheinhos, mamilos grandes marrons com os bicos empinados. Era claro que estava exita.
Me ajoelho e tiro suas calças. A lindinha estava sem calcinha deixando agora sua rica bunda de fora e sua buceta peludinha com uma rica racha.
Não quis perder tempo com preliminares. Botei a guria de 4, dei uma linguada na buça dela que já estava molhada, dei uma arregaçada na bunda enfiando o dedo no cú dela (que era virgem) arrancabdo um …aaaaiiiii!!!!
E fui pro abraço: dei uma guspida do cacete e meti na buceta. A garota gemia como uma cachorra apertando os lábios, ora ofegante…. fode tio…
Prestes a gozar, tirei o pau e dei uma guspida no rabo…. bombei no cú dela mais uns três minutos, fazendo ela dizer que era o macho dela, arrancando gritoa abafados pelo travesseiro, lágrimas e gemidos onde finalmente gozei tudo dentro dela.
Terminado, perguntei se tinha alguma outra lãmpada para trocar, fiquei um pouco de conversa e me fui embora.
Passo eventualnente por ela e sou cumprimentado com um sorriso com a promessa de que a garota qualquer hora vai me chamar pra “trocar outras lãmpadas!”