Comida pelo titio

Click to this video!

Meu nome é Giovanna, tenho 12 anos. Olhos verdes e grandes, cabelos negros longos até a bunda e pele branquinha igual a neve com sardinhas. Minha boquinha é rosa e pequena e meu nariz fininho e tenho 1,51. Enfim, a alguns dias eu tinha ido passar uns dias no sítio do meu tio, pois meu pai havia ido trabalhar e minha mãe estava numa viagem de trabalho. Minha relação entre eu e meu tio sempre foi ”diferente” dos outros tios e sobrinhos, pois desde pequena sempre fui muito apegada a ele, porém apegada demais.
Ele sempre me colocava em seu colo, me dava banho, selinhos em lugares inapropriados e as vezes quando estava calor, me dizia pra andar nua pela casa. Porém ele sempre me dava presentes caros no natal, certa vez ele me deu a Barbie mais cara da loja, e depois uma mansão de bonecas muito cara para acompanhar. Esses presentes portanto, não eram de graça, eu precisava dormir de conchinha nua com ele a noite enquanto ele esfregava minha vagina pequena e rosada com os dedos ou as vezes até mesmo ele acariciava com vibradores ( que eu julgava brinquedinhos ) para ganhar essas coisas, porém como sempre fui muito inocente, não sabia que ele era um tarado.
Estavamos almoçando juntos na sala enquanto ele comia sem distrações pelo fato da TV estar ligada. Dei alguns olhares discretos porém, não tinha nada. Talvez ele tivesse realmente mudado e tivesse parado de ser aquele homem de 6 anos atrás, porém talvez eu estivesse errada.
– Algo de errado, Gi? – ele disse enquanto me pegou desprevinida olhando para ele
– Nada não, titio. – eu disse e ele exitou por alguns instantes e sorriu, com seu sorriso cínico porém acolhedor de sempre
– Parece estranha, não está com fome? – perguntou – você não almoçou hoje.
– Ah não, está tudo bem. Estou só cansada da viagem, você sabe tio, eu fiquei 3 horas de viagem até cá. – eu disse e ele passou a mão em minha coxa, a deslizando para perto de minha vagina
– Está calor, por que não tira a sua roupa? Vai te refrescar. – ele disse, com o olhar vidrado em minhas pernas
– Não precisa tio, estou bem. – coloquei minha mão em cima da sua com intenção de tira-la, porém ele deu um aperto em minha coxa que me fez gemer baixo
– Tem certeza, querida? Eu estou sentindo muito calor, acho que vou tirar a camisa e talvez tomar um banho, olhe, está suada, eu vou com você. – ele disse em meio a várias palavras, vi o monstro em sua calça subir levemente
– Não quero não, acho que vou para cama. – tentei me levantar porém ele me segurou e me puxou para seu colo, tampando minha boca
– Pensei que você já soubesse o que eu queria, gostosa. – ele disse em meu ouvido e em seguida mordendo meu pescoço, quis gritar porém minha boca estava tampada e ele era muito forte – rebola em mim como antes, você ainda rebola como quando tinha 6 anos? – ele perguntou com uma voz rouca em meu ouvido, e me deu um tapa na coxa e a apertou com muita força, enquanto me dava um chupão no pescoço
– Para tio, por favor não faz isso. – eu disse com dificuldade enquanto ele tampava minha boca.
– Rebola, e eu paro. – ele disse e eu obedeci, rebolando a minha bunda em seu colo. Ele abraçou minha cintura e começou a se contorcer para tentar sentir mais o toque, eu estava sentindo muito nojo na hora, porém admito que estava um pouco gostoso. Ele gemeu e me deu alguns tapas na boca me pedindo para gemer em seu ouvido. Obedeci e ele me soltou, porém rapidamente me jogou brutamente no sofá e ficou por cima, arrancou minha blusa e já que eu estava sem sutiã, mesmo tendo peitos médios eles não apareciam muito. Sem exitar, ele colocou seu pênis entre meus seios e começou a fazer movimentos entre eles e a acelerar. Ele batia seu pênis gigante em meu queixo pequeno e delicado e me fazia cuspir em cima. Ele beijou minha boca e me deu um tapa, aumentando os movimentos. Ele foi parando até que finalmente parou e desceu até minha vagina.
Ele começou a roçar seu pau em minha buceta fazendo movimentos muito rápidos enquanto eu sentia uma lágrima escorrer. Ele roçava muito rápido e as vezes entrava somente com a cabecinha, que já me fazia gritar de dor. Meu tio ria com meu sofrimento e em um desses vai e vem, enfiou tudo de uma vez só.
Titio prendeu minhas mãos embaixo do meu corpo e começou a me beijar loucamente, enquanto mordia meus lábios fininhos e rosados, que agora já estavam inchados e avermelhados, quase sangrando. Meu tio ia rapidamente indo e voltando, o que me fazia chorar cada vez mais. – Está doendo muito, tio – disse em meios as lágrimas e gritos, ele deu mais algumas estocadas e eu senti o sangue escorrer pela minha vagina, que já estava toda arrombada. Ele se divertia com a situação cada vez mais com minha dor, deu um tapa na minha cara e cuspiu em mim. Pensei que tivesse acabado naquela hora, porém não. De repente, ele veio com seu pênis por cima de mim, e enfiou ele todinho em minha boca, ele parecia que estava me fudendo pela boca. Eu me enchi de nojo.
– Chupa ou eu te mato, vádia. – ele gritou dando um tapa na minha vagina e enfiando a mão inteira de uma vez só. Comecei a me contorcer e tentei morder o pau dele, que foi uma péssima ideia. Ele tirou seu pau dali e começou a me espancar, me deu 3 tapas no rosto, 4 na perna e um soco no olho, com um sorrisinho sádico. – PUTINHA DO CARALHO, EU MANDEI CHUPAR, NÃO MANDEI? – gritou em meu ouvido esfregando sua mão com força em minha buceta, que ardia muito no momento. Senti que iria quase morrer. Ele tentou abrir minha vagina com os dedos e eu senti arder mais ainda. Estava doendo demais. Meu tio voltou para a posição em que estava antes e começou a enfiar seu pau de 15 cm todinho em minha boca. Eu não conseguia respirar então comecei a tossir mas nada dele tirar seu pau dali. Pegou minha cabeça e forçou apenas mais ainda contra seu pau. Ele ficou ali por uns 3 minutos até que finalmente gozou em minha boca, eu fiquei com vontade de cuspir porém ele fechou minha boca e mandou eu engolir todo o leitinho.
Ele descansou por uns 5 minutos e eu estava ali quase morta e imóvel. Quando ele veio para cima de mim e se deitou e me colocou por cima dele, começou a esfregar seu pau duro em minha xana e me dando sarradas, a cama balançava no mesmo ritmo que a gente e ele mordeu minha orelha me mandando gozar, ou se não receberia mais punições.
– Eu não sei gozar, titio, por favor, não me pune não, você me machucou muito já. – disse com voz doce e inocente, porém com medo. Ele então, aumentou os movimentos e enfiou o pau dele novamente em minha buceta e começou a balançar, enquanto masturbava minha vagina com 3 dedos e chupava meu pescoço com muita vontade, quando senti o pau dele latejar em minha vagina logo o meu melzinho veio e ele sorriu satisfeito, me deu mais algumas estocadas fortes até conseguir gozar novamente agora dentro de minha bucetinha que já não era mais virgem. Ele então, saiu dali e me colocou de conchinha com ele, já exausto, começou a esfregar em mim com mais calma e leveza, enquanto sua mão apertava meus seios com toda força, ele adormeceu ali e no dia seguinte, eu quis ir embora,ele deixou e nunca mais vi meu tio na vida, depois que ele se mudou para Dubai, perdemos o contato, e esse foi o conto de hoje!!!