Sexy Desde Novinha: Minha Tara Proibida

Click to this video!

Meu nome é Wanderley, sou casado e tenho uma filha de nove anos que se chama Milena. Ela nasceu com um problema chamado de Sinequia dos Pequenos Lábios ou Vagina Fechada. Isso ocorre quando os tecidos dos lábios vaginais nascem um grudado no outro, entre os três meses e mais ou menos até os seis ou sete anos de idade. A solução para tal são alguns pequenos procedimentos cirúrgicos ao longo dos primeiros anos de vida da criança, aplicações de cremes especiais, e o problema se resolve ao longo da puberdade. No começo, eu e minha mulher ficamos muito assustados. Minha mulher então, nem se fala… entrou em desespero, mas depois adquirimos informações e nos tranquilizamos. Com isso a relação que minha filha tinha com sua “coleguinha” (é assim que ela chama sua bocetinha) era bem peculiar. Como ela nasceu com esse problema, e nos primeiros anos de vida tudo girou em torno disso, desde muito cedo ela notou que aquele ponto lhe causava sensações diferentes. Já aos quatro aninhos, minha mulher foi dar banho nela, saiu do banheiro para pegar alguma coisa, e quando ela voltou Milena estava se tocando inocentemente. Ficamos preocupados, achamos que estávamos estimulando nossa filha sexualmente sem saber, porque tínhamos que passar cremes diariamente por conta do tratamento. Fomos a uma psicologa e ela nos acalmou, disse que era frequente crianças terem essas curiosidades, que era normal, e que nós não precisávamos nos preocupar. E assim visemos… De acordo com a minha mulher, era frequente na hora do banho pegar Milena se siriricando. Minha mulher não falava nada, agia naturalmente. Eu nunca tinha visto, ate porque, era minha mulher que cuidava dessas questões relacionadas à manutenção do tratamento da Milena. Eu cheguei a fazer umas duas ou três vezes, no máximo, mas não ficava excitado, juro por Deus! E assim seguimos nossa vida… Milena se recuperando muito bem, minha mulher sempre prestativa, atenciosa, paparicando Milena, mimando, enfim… Filha unica, vocês sabem como é.

Quando Milena estava com 7 anos nos mudamos para outra cidade, por causa do meu emprego. Sou engenheiro petroquímico e trabalho uma temporada em terra e dois meses fico em plataformas em alto mar, e so volto pra casa nos finais de semana, sendo assim, fomos morar no litoral, que é mais perto para eu ir e voltar pra casa. Milena foi pra escola nova e começaram os problemas: Aluna nova, as crianças são muito cruéis umas com as outras, Milena é cheia de vontade, fresca, enfim… A combinação perfeita pra dar merda! Começaram a pegar no pé dela. Milena se lamentava pra mãe, minha mulher ia na escola reclamar, dizia que era Bulling, que Milena sofria preconceito por ser mulatinha… Uma novela! Eu sou tranquilo, dizia pra Milena que ela não tinha que se importar, não dar moral, ser superior a isso, que ela ia fazer amigos, e logo ia passar… Mas minha mulher adorava dramatizar a situação, super valorizar o drama, a criança via, e se aproveitava para se vitimizar ainda mais e matar aula. Em um determinado dia tinha acabado de chegar em terra, estava indo pra casa, e minha mulher me liga furiosa dizendo que ia buscar Milena na escola, que ia tira-la de lá, que isso, que aquilo… Eu a tranquilizei, e fui lá ver o que estava acontecendo. A diretora relatou que Milena estava brincando com uma amiguinha esbarrou em uma outra criança e a garota foi lá e beliscou a Milena, e ela começou a chorar, pegou o celular e ligou pra mãe. (Eu sei! Não foi eu que dei o celular para minha filha. Foi a mãe!) Eu me resolvi com a diretora, bem tranquilo como sempre… Isso é coisa de criança e amanha vai esta tudo bem! Como minha mulher é nervosa, eu pedi que ela me esperasse na praça de alimentação de um centro comercial que tem aqui na cidade, eu busquei a Milena na escola e fui ao seu encontro… No carro Milena começou a me dizer que a menina tinha dito que ela era feia, tinha cabelo “toin oin oin”, que isso, que aquilo… Descemos do carro, eu conversando com a Milena, peguei ela pela mão e a levei para frente de um espelho, coloquei ela em pé em cima de um pufe que fica no longe da praça de alimentação e disse para ela se olhar, para ela ver como ela era linda, que a menina que brigava com ela era imatura, e tinha inveja dela, e por isso fazia essas coisas. Milena, de frente para o espelho, de costas pra mim disse:”é pai, eu sou linda mesmo, ela é ridícula… Eu só tenho aquele problema na minha “coleguinha”, né!? Fora isso eu sou perfeita, igual a mamãe!” Ela disse isso encostando a bundinha no meu pau. Num sei se era porque eu estava na plataforma, e ja fazia uns dez dias que não via uma boceta ou se foi o tom de voz ou o jeito que ela falou… O que sei é que meu pau ficou duro na hora escorado na bundinha da minha própria filha. Nossa, fiquei assustado, mas não me afastei, continuei encostando o pau nela, e respondi:”Não filha, você é perfeita em todos os aspectos. Igual a mamãe! Sua “coleguinha” ja sarou você esta bem e linda. O papai e a mamãe te amam muito e é isso que importa.” E abracei ela por traz. Ainda de frente para o espelho, percebi minha mulher vindo e comecei a tirar foto com o celular, depois, ela se aproximou e pegou a Milena no colo, e eu fiquei disfarçando meu pau duro. Minha mulher perguntou se estava tudo bem, Milena ja tinha ate esquecido, porem, dramática como sempre, sismou de leva-la à psicologa mais uma vez, alegando que Milena tinha baixa alto estima. Brigamos, eu disse que não precisava, que ela tinha que parar de super valorizar o problema e focar nas soluções, mas não adiantou, no sábado, nos fomos na porcaria da psicologa, que provavelmente, também esta de saco cheio de ver a cara da minha mulher. Nessa bendita consulta a psicologa ficou com a Milena uns 40min fazendo uns desenhos, e depois veio falar com a gente, e sugeriu que nos tirássemos umas fotos da Milena, tipo um álbum de 15 anos para ela “aceitar a própria imagem e começar a se perceber bela”. Na minha opinião, uma puta de uma palhaçada, porem, eu sou fotografo por hobbie a 17 anos, então poderia unir o útil ao agradável… Fazer um programa de familia, ir à praia, ir à ao park, achar cenários, paisagens e fazer um album familiar bem bacana. E assim fizemos… Eu tinha uma semana de folga, combinei com minhas meninas, e no domingo fomos a praia, levei umas lentes, um tripé, fizemos algumas fotos e familiares. Na segunda, fomos a um park, minha sogra foi também, e tiramos mais fotos. Na terça minha mulher quis fazer um ensaio com a Milena com a roupa do Ballet, com a roupa que ela fazem yoga e pilates juntas, com uma calda de sereia, com biquine, enfim… Ela arrumou uma porrada de roupas para a Milena trocar e eu fotografar. A primeira foi com a roupinha de ballet… Nossa que tesão! Sabia que era errado, absurdo, criminoso, imoral, cruel, sujo, enfim… Mas não conseguia evitar minha excitação. Milena é muito lindinha, espevitada, atrevida, charmosa, assanhada, safadinha, sensual de um jeito inocente… Com uma roupa de Ballet azul clarinha com uma sainha de tule branco, meia calça, sapatilha… Ela joga o cabelo, requebra o quadril, levanta o pézinho, empina a bundinha, deita no sofá faz pose de anjo, cruza as perninhas, faz um dengo, um olhar meigo malicioso… Nossa, eu fotografando de pau duro e minha mulher orientando a Milena. Depois, enquadrei o sofá, e nos três fomos tirar fotos juntos. Coloquei a câmera para dispara sozinha, sentamos no sofá e tiramos umas fotos. Na sequencia Milena veio pro meu colo, e eu e a mae dela começamos a fazer cosquinha nela, para as fotos ficarem mais espontaneas. Ela se remexia inteira no meu colo e gargalhava, eu aproveitava, e me esfregava na minha menina. Na confusão, tirei a sapatilha dela, e modia seus pézinhos… E minha mulher, não percebeu nada. Passava as mãos nas perninhas dela, nos peitinhos, na bundinha, estava louco de tesão. Depois foi o figurino que elas fazem yoga… Um short legging preto bem justinho e um top azul escuro. Ela trocou de roupa na minha frente e eu percebi Milena de um jeito totalmente diferente, ela me excitava muito, era desesperador vê-la. Ela é fotogênica, joga charme, seu corpinho é atlético, tem uma bundinha empinada, pernas torneadas, cintura fina… Ela puxou minha mulher. É mulatinha, morena clara, tem cabelo cacheados, olhos castanhos claros, traços finos, lábios carnudinhos… Mariana (Minha esposa) é esportista, sempre colocou Milena para praticar algum tipo de atividade física. Ela fez natação, judo, Jazz, alem de Ballet que faz desde os 4 anos, yoga e pilates que Milena pratica com a mãe todos os dias desde que que nasceu praticamente. Mariana sempre foi adepta desse estilo de vida e passou para nossa filha. Essa atividades deram para Milena uma flexibilidade incrível, rigidez muscular, suas pernas são definidinhas, tonificadas, sua postura é ereta que a deixa mais empinada… seus peitinhos estão começando a aparecer e fazem marcas no seu top, sua bundinha é redondinha, saliente, seus pezinhos são pequenos, delicados, macios e estão sempre em evidencia, ja que por sua vez, ela adora mostra-los. Enquanto eu fotografava ela ia fazendo as posições de yoga, se arreganhava inteira, ficava de quatro empinadinha, levantava suas perninhas acima da cabeça segurando seu pézinho, eu assistia o seu short entrando na “coleguinha” dela fazendo a marca certinha da patinha de camelo… Eu estava louco de tesão. Depois tiramos fotos da Mariana e da Milena juntas fazendo uns movimentos de yoga e pilates, na sequencia fomos tirar os três juntos. Eu tentei fazer alguns movimentos, mas virei piada, Milena tentava me ensinar, Mariana me ajudava, e eu aproveitava e acariciava minha menina discretamente. Em um dado momento ela subiu nas minhas costas, me fazendo de cavalinho e ficava esfregando a bucetinha na minhas costas, eu fingia que não percebia, mas saquei de qual era a dela. Depois de brincarmos um pouco, eu bolinar bastante minha menina, esfregar meu pau naquele corpinho gostoso dela, minha mulher diz pra ela trocar de roupa para continuarmos com a sessão de fotos. A tarde foi passando, nos fotografamos o dia inteiro, Milena usou varias roupas diferentes, inclusive um top floridinho e uma calda de sereia que a deixou especialmente sexy, nesse momento, ela não conseguia andar por conta da calda, tinha que se locomover dando pulinhos, então eu a levava no colo, e aproveitava quando minha mulher não estava vendo. No final da tarde estava na hora da minha mulher ir trabalhar, ela dá aulas de ginastica rítmica em uma academia da cidade, é mais um hobbie do que trabalho, ela ama de paixão. Então, fomos levar Mariana para o trabalho, e depois fomos comer um sanduíche em um quiosque que tem na orla e esperar a Mariana sair do trabalho. Comemos e depois fomos para a porta do trabalho da minha mulher, e eu comecei a ver as fotos no computador, Milena ja veio e sentou no meu colo. Ela usava o short preto legging, uma sainha lilas, uma blusa branca com uma borboleta bordada e uma alpargata azul marinho. Começamos a ver as fotos e eu fazia comentários, elogiando, dizendo que ela estava linda, parecia a mãe dela, fazia umas cosquinhas na cintura dela e ela rebolando no meu colo, meu pau começou a ficar duro… Ela sorria e interagia com meus comentários, dizia qual ela gostou mais, qual era pra apagar e tal. Em um dado momento apareceram as fotos dela fazendo as posições de elasticidade, com as pernas arreganhadas. Ai eu disse:”Nossa filha, não sei como você e sua mãe conseguem fazer isso. Pode ate rasgar a “coleguinha” de vocês!” Ela sorriu e disse que era só treinar que da pra fazer e que não tem perigo de machucar a “coleguinha” porque ela é um músculo e se estica também! Eu perguntei se ela não sentia dor quando ela fazia as aberturas, por causa do tratamento dela. Milena com um sorriso no rosto disse que não sentia nada, que gostava e que sua coleguinha ja estava curada. Eu estava louco de tesão, ja tinha colocado o computador no banco do carona, na minha frente no estacionamento tinha uma S10 branca, do meu lado direito tinha acabado de parar um ford fiesta todo detonado, do lado esquerdo era vaga de deficiente e estava vaga. Eu olhei para um lado, olhei para outro e pedi para eu ver como estava a “coleguinha” da minha menina. Ela sorriu e disse: “ta bom, mas pra passar o creme tem que estar com as mãos limpas.” E começou a tirar o shortinho preto, eu ajudei, tirei seu sapatinho, levantei os meus vidros e ela afastou a calcinha e me mostrou… Nossa, que linda! Arreganhou a perninha, ficava me olhando e olhando para a bucetinha eu disse que era linda, que ja estava curadinha, peguei um protetor solar que estava dentro do carro, passei na minha mão e comecei a alisar a bucetinha dela. Comecei passando o dedo da rachinha, depois fui pro grilinho, Ela sorria, me olhava e dizia: “nossa, pai” e dava uns sorrisinhos meia ofegante. E eu continuava siriricando, acariciando, explorando a “coleguinha” da Milena. Ela se acomodou no meu colo de costas pra mim debruçada sobre meu ombro, como se fosse aprender a dirigir. Com as perninhas abertas e os pezinhos apoiados nos meus joelhos. Eu passava as mãos nos peitinhos dela, e voltava a siriricar, em um minuto por cima da calcinha, no outro, violava o paninho e tocava sua bucetinha. Ela estava sentindo alguma coisa, acho que nem ela sabia o que era direito, só sabia que era bom! Ela me olhava sorria e respirava pela boca abrindo sua boquinha bem de leve… Eu perguntando: “ta boa a massagem, meu amor, você esta gostando?” Ela so acenava com a cabeça, e murmurava: “Uhumm.” Eu questionava: “Você ja fez isso antes, néh? Mas só que sozinha, agora o papai vai te ajudar, ta bom?” Milena de imediato confirmou e disse:”vou tirar a calcinha!” Nossa. como é putinha a minha filha! Ela tirou a calcinha, eu ajudei e voltei a siriricar, a “coleguinha” dela, ja estava babadinha, meia úmida, ja deixava um vestígio discreto de mel no meu dedo… Eu masturbava sua bocetinha e os efeitos colaterais iam se manisfestando de maneira progressiva e discreta: Ela dava cada vez mais reboladinhas, segurava sua virilha, respirava fundo, passava a língua nos seus lábios, estava ofegante, entusiasmada, seus pézinhos se contraiam, ela passava suas solinhas nas minhas coxas e joelhos. Em um dado momento coloquei meu pau pra fora, ela olhou, se assustou, mas não falou nada, só me olhou… Eu maluco de tesão, comecei a passa na bucetinha dela e mandava ela se mexer. Ela dava umas reboladinhas, e eu punhetando esfregando na “coleguinha” dela… Fiz com vontade, esfregava no grilinho dela com muito tesão, e ela, por mais incrível que pareça, interagia e participava de um jeito discreto, porem ativo. Ate que eu gozei… Foi um alivio, estava preso o dia todo! Melei ela inteira de porra. Foi na bocetinha, na barriguinha, na sainha dela, enfim… Tirei minha blusa, e comecei a limpa-la, enquanto ela fazia cara de nojinho. De repente meu celular toca, levo um susto do caralho. Era minha mulher, queria saber onde eu estava… Eu acelerei o passo limpando a Milena e disse que estava no estacionamento em frente. Na sequencia adverti a Milena dizendo que ela não poderia contar para ninguém o que aconteceu, porque se não a mamãe ia ficar brava com o papai. Ela concordou, vestiu a calcinha, seu shortinho, agiu como se nada tivesse acontecido e fomos pra casa.
Depois disso se tornou frequente nossas trocas de “carinho”, ensinei minha menina a chupar e ser chupada. Fiz uns ensaios fotográficos com ela sensualizando com a roupinha de Ballet se calcinha, com a roupa de praticar yoga e pilates, um tesão, a menina nasceu pra isso. Fotografa muito bem, é sexy, sabe sensualizar, é desinibida, alem de ser muito linda. Quando é chupada se treme inteira, na primeira vez, sorria, dizia que era bom, mas fazia cosquinha, rebolava na minha boca, foi um tesão. Não penetrava por conta do problema que ela tem, sempre tive medo de agravar a situação. Alem do mais, ela vive indo ao medico para avaliações por conta do problema dela, e numa dessas, a médica ia constatar que ela não era mais virgem, então me contento so me esfregando mesmo. Atualmente já faz uns 4 meses que não fazemos nada, minha mulher esta gravida do nosso segundo filho, e meu tesão por Milena acabou, as vezes me sinto culpado, sempre quando fazia, e depois que gozava, ficava com um puta remorso, me sentia mal, muito mal mesmo… Isso foi fazendo com que eu perdesse o interesse. Alem do mais, eu passei a foder uma garota novinha, de 13 aninhos recentemente, ela bem safada, uma putinha de primeira. Acho que minha filha vai ser pior na adolescência, porque ela me provoca, fica usando uns vestidinhos sem calcinha, sobe no meu colo, faz pose de anjo no sofá, fica dançando na sala, enfim… Doutrinei minha própria filha pra ser putinha para os outros comerem.
Depois vou contar como comecei a foder Ana Flavia, a menina de 13 anos que citei anteriormente. Muito safada essa putinha!