Minha infância 2

Click to this video!

Continuando… Eu sair correndo dali, ate me bati na porta. Eu entrei em casa muito assustado e não conseguia parar de pensar naquela situação. No dia seguinte fui pra escola e na hora de ir pra casa passei correndo enfrente a casa de D.Rosa com medo dela me ver e me chamar. Naquela semana eu mal coloquei a cara na janela. Até que na outra semana eu estava no mercado com a minha vó, quando de repente ficamos de cara com D. Rosa.
– Oi D. Carmen
– Tudo bom D. Rosa
– Oi Paulinho
Fingir não ser comigo, porém minha vó disse:
– Fala com sua vizinha Paulinho não seja mau criado. Eu apenas balancei a cabeça.
– Carmen minha neta Patrícia veio passar uns dias lá em casa ela é da idade de seu neto. Ela mora no interior e ta lá esses dias, se quiser ir na praia amanhã com a gente. Ai eles podem brincar.
Minha vó logo aceitou o convite, mas eu não gostei da ideia, pois estava com medo de D. Rosa.
Fomos pra praia no dia seguinte e conheci a neta dela. Patrícia era ate bonita, tinha os olhos claros só os cabelos que eram crespos, ficamos amigos na praia e brincamos muito.
Quando estávamos chegando em casa minha vó disse que precisava ir na farmácia comprar o remédio do coração que havia terminado e perguntou a D.Rosa se eu poderia ficar lá ate ela voltar. Na hora fiquei trêmulo pois estaria na casa com aquela mulher denovo, mas como Patrícia estava lá imaginei que estaria seguro.
Então chegamos e foi ai que aconteceu, D. Rosa disse assim.
– Todos dois para o quintal vão tomar banho pra almoçar.
Fomos para o quintal e tinha um chuveirão e uma mangueira. Estávamos la nos molhando ai D. Rosa apareceu e disse:
– Paty quando terminar tire o bikini e pendure ai na corda pra secar, aqui esta a toalha sua e de Paulinho.
Ela acabou de tomar banho se enrolou na toalha e tirou a parte de baixo do bikini depois a parte de cima deixou la e correu p dentro de casa. Foi nessa hora que D. Rosa apareceu e falou assim:
– linda minha netinha não é Paulinho?
– vc quer ver ela pelada?
Eu fiquei sem ação na hora.
Mas ela já sabia das coisas e fez assim:
– Corri vem ver antes que ela ponha a roupa nesta.
Eu larguei a mangueira e nem fechei a água e fui de sunga mesmo. Ela me levou pro quarto falou pra eu me esconder dentro do armário. Depois saiu e chamou Patrícia dizendo que iria enxugar e pentear seus cabelos.
Eu fiquei la escondido. Elas entraram no quarto e D. Rosa pôs ela sentada no chão de frente para o armário e sentou-se atrás na cama para enxugar e pentear os cabelos.
Abrir a porta do armário devagar deixando so uma fenda e foi ai que deu pra ver. Ela estava sentada e dava pra ver a raxinha lisinha sem pelos ai D. Rosa mandou ela tirar a toalha e eu vi Paty totalmente nua. Seus seios eram pequenos mas já estavam redondinhos com os bicos ficando escuros. Sua bucetinha era linda dava pra ver a raxinha bem lisinha.
Vi também que D.Rosa sempre olhava para porta do armário pra ver se eu estava olhando. Quando acabou pediu p ela ir se vestir e esperar na sala pra almoçar.
Quando paty saiu do quarto eu ainda estava de pinto duro dentro do armário ai D. Rosa veio e disse:
– Deu pra ver Paulinho? Ela não é linda?
Respondi que sim.
– Ta vendo vc ficou ate de pinto duro. Prometo que se vc deixar eu pegar novamente eu dou um jeitinho de vc ver ela denovo pelada. E já foi catando meu pai na sunga, apertando. Depois me levou para o banheiro que era dentro do quarto mesmo sentou-se no vaso tirou meu pau pra fora e começou a chupar.
Nossa como era gostoso ela chupava e lambia meus ovinhos como se fosse um sorvete. Ela enfiou a mão por baixo da saia e ficou se esfregando e me chupando. Mas não demorou muito pq Patrícia gritou:
– Vó…D. Carmen esta aqui.
Então ela disse assim:
– Esse é o nosso segredinho. Posso confiar?
E falou pra eu esperar um pouco e depois sair.
Fui para o quintal pra terminar o banho quando Patrícia me surpreendeu:
– Vc estava aonde?
Disse que estava no banheiro pois tava com dor de barriga. Entrei em casa e fui embora com minha vó.
Passei a noite toda sem dormir so pensando.
No outro dia vi Patricia e D. Rosa saindo mas não quis ir falar, estava meio amedrontado com tudo aquilo.
De tarde minha mãe mandou eu ir comprar pão e quando estava passando Paty me chamou e disse se eu queria assistir um filme lá.
Pedi permissão a minha mãe e fui. Isso tudo pq não parava de pensar nas coisas que estava acontecendo.
Cheguei lá e D. Rosa me recebeu com um sorriso.
– Tudo bem Paulinho?
Vou fazer um lanche pra vcs e não demoro também quero assistir o filme.
O filme tava chato pois eu já tinha assistido era aquele De volta para o futuro. Não demorou muito Patrícia já estava dormindo ai sua vó falou:
– Menina vai dormir na cama, ponha a camisola e vai dormir.
Não entendi mas vi uma certa vontade de D. Rosa que Paty fosse deitar.
Ainda faltava duas partes para o fim do filme. E quando acabou eu já estava me despedindo de D. Rosa ai ela fez aquele sinal de silêncio. E me chamou. Me trazendo ate o quarto de ponta de pé.
Abriu a porta e quando vi paty estava deitada so de camisola toda aberta. Dava pra ver sua calcinha amarelinha. D. Rosa fez:
– Paty…Paty… Acho que pra se certificar que ela dormia.
Ficamos ali próximos a cama. Ai D. Rosa se aproximou dela levantou a camisola e foi baixando sua calcinha ate o joelho e me chamou:
– vem ver Paulinho de pertinho.
– vc já viu uma xotinha cabaço olha aqui…
E com os dedos abriu um pouco a buceta de paty era rosinha por dentro.
Eu estava trêmulo e com muito medo de tudo aquilo mas não me mexia apena olhava.
Então D. Rosa passou o dedo na boca e disse:
– olha que cuzinho apertado e pos o dedo no buraquinho de paty…
Depois olhou pra mim e falou:
– quer meter seu pauzinho aqui…

Continua….