Meu sobrinho curioso

Click to this video!

Olá.
Me chamo Pedro Henrique, tenho hoje 36 anos, sou casado há 10 anos, e vou contar uma história real que aconteceu comigo em 2007.

Ainda não tenho filhos, porém tenho vários sobrinhos, de diversas idades, todos são lindos e eu gosto muito deles.

Na época eu tinha 26 anos e meu sobrinho Lucas tinha de 8 pra 9 aninhos.
Ele gostava muito de brincar comigo, pois eu sempre curti coisas que criança gosta (videogame, Power Ranger, etc).
Em um dia de verão, nós terminamos de brincar depois de uma tarde inteira, e a mãe dele mandou ele ir tomar banho. Eu disse que tinha que tomar banho também, e como ele usaria o banheiro do meu quarto (tinha um chuveiro melhor que o outro banheiro), eu sugeri de irmos juntos e ele topou (ele já estava acostumado a tomar banho com o pai dele).
Fomos ao quarto, tiramos a roupa, ambos ficamos um tanto envergonhados a princípio, e depois fomos para o chuveiro. Eu perguntei como ele fazia com o pai dele no banho e ele disse: primeiro o meu pai dá banho em mim, e depois eu dou banho nele. Disse OK, vamos fazer assim.
Como o box era muito pequeno e só cabia uma pessoa, um ficava dentro e outro fora.
Pois comecei a passar o sabonete no corpo dele, esfregando os braços, a barriga, a costa, pulando a parte íntima, as pernas, os pés, depois a bunda (aí ele chegou a dar uma risadinha) e depois esfreguei o peru dele, ainda um tanto pequeno. Ele ficou com nervo, mas não disse pra parar. Depois de passar o sabonete eu repassei com a mão e com água. Quando peguei no peru dele o meu pau cresceu, me deu uma sensação estranha, pois nunca tinha sentido isso dessa forma, sempre foi com mulher e mais velha. A consciência pesou um pouco, mas eu de alguma forma estava gostando, até que resolvi colocar a boca, disse que ia ajudar a limpar. Coloquei tudo dentro da minha boca e senti o volume, depois tirei. Ele achou estranho.
Depois trocamos. Ele saiu do box e eu entrei. Fiquei sentado no chão porque era muito mais alto que ele, e ele começou a esfregar meus braços, meu peito, meu rosto, e depois eu fiquei em pé… nessa hora o pau já tava enorme. Me virei de costas e ele lavou minha bunda, depois minhas pernas, e quando virei de frente novamente, ele começou a esfregar aquelas mãozinhas com sabonete no meu pau. Que sensação louca de desespero e prazer ao mesmo tempo. Só que ele insistiu em continuar fazendo. Até que eu perguntei se ele queria colocar a boca e ele disse que sim, com uma risadinha. Colocou a boca até onde deu, e foi quase até a metade do meu pau. Foi delicioso, mas pedi pra ele tirar, não estava aguentando e ia gozar, mas não queria que fosse nele. Instantaneamente me virei de costas e terminei o serviço, gozando muito enquanto ele ainda esfregava minhas pernas. Nos trocamos e voltamos para a cozinha.
Quando estava chegando a hora de dormir, ele perguntou se eu queria dormir com ele, pra assistir algum filme ou desenho juntos. Eu disse que sim, e chamei ele pra dormir no meu quarto, porque tava muito quente e eu tinha ar condicionado. Ele aceitou, e a mãe dele também permitiu.
Pois entramos no quarto e me veio aquela lembrança do banho, não sei o que deu em mim que resolvi tirar toda a roupa, dizendo que eu não conseguia dormir de roupa. Ele falou que tudo bem.
Deitamos no colchão e começamos a assistir. Depois que terminamos e fomos dormir, quando ele fechou os olhos eu comecei a olhar pra calça do pijama dele e me deu tesão. Comecei a tocar uma punheta olhando pra aquela rolinha dentro do pijama, e resolvi colocar a mão bem de leve. Ele gostou, e me deixou abaixar a calça e a cueca dele.
Quando comecei a mexer no peru dele eu já tava explodindo de tesão. Resolvi botar a boca e chupei bem gostoso. Ele ficou com um pouco de nervo e pediu pra eu parar. Guardou o peru na cueca e na calça do pijama, mas eu continuei com muito tesão.
Pedi pra ele colocar a mão no meu pau e ele colocou e começou a tocar uma punheta fantástica pra mim (até parece que ele já havia feito isso antes). Foi uma delícia e eu gozei muito. Dormimos e acabou o dia.
No fim de semana seguinte a história se repetiu. Brincamos até cansar, depois fomos pro banho juntos, mas dessa vez fomos menos desinibidos. Dessa vez, antes de entrar no chuveiro eu brinquei um pouco com o peru dele, coloquei na boca, e vi que ele ficou duro. Tomamos mais um banho muito gostoso. A noite, na hora de dormir, aconteceu a mesma coisa, mas foi muito melhor… dessa vez ele também tirou toda a roupa e ficou com aquele corpinho lindo e com aquela carinha de quem queria fazer maldade.
Comecei acariciando o peru dele, e chupando gostoso. Chupei as bolas dele também, e beijei a barriga dele. Ele ainda não produzia porra, mas o pinto dele ficou todo melado comigo. Quando foi a vez dele retribuir, ele se virou de frente pra mim, ficou entre as minhas pernas e já caiu de boca, sem eu falar nada. Foi a chupada mais gostosa da minha vida. Ele chupava enquanto eu pirava de tesão, controlando a cabeça dele com a minha mão, mas nem precisava pois ele sabia muito bem o que estava fazendo!
Quando eu estava quase gozando pensei “e agora, gozo ou não gozo na boca dele?” mas enquanto eu me decidia ele acelerou a linguinha e eu não aguentei e gozei MUITO naquela boquinha dele. Sentia ele engolindo a porra enquanto ainda estava com a boca no meu pau. Engoliu tudinho, não precisei nem de papel depois…
Fomos dormir.

Essa história continuou a se repetir durante 5 anos, sempre que chegavam as férias ele ia pra minha casa e a gente repetia a dose.
Mas conforme ele foi crescendo foi ficando mais safado e mais roludo.
Nas últimas vezes, quando ele tinha lá seus 12/13 anos e eu nos meus 30/31, ele chamava pra ir no quarto assistir filme (mesmo sem ser hora de dormir).
Na última vez fomos ver um filme no laptop, entramos no quarto, tranquei a porta, liguei o ar condicionado, deitamos no colchão, nós dois com roupa, e começamos a ver o filme.
Depois de alguns minutos ele começou a passar a mão em minha barriga, e encostou a cabeça do meu lado. O meu pau começou a ficar duro. Quando ele percebeu, começou a beijar minha orelha esquerda, aí eu pirei de vez, até que ele virou meu rosto pra ele e me beijou na boca. Um beijaço de língua bem gostoso que melou minha cueca toda, e nisso ele colocou a mão no meu pau. Eu nunca achei que um dia eu fosse beijar um menino/homem na boca, porque não sou e nunca tive tendência a ser gay, mas eu curti pra caramba beijar aquela boquinha safada.
Depois disso ele tirou toda sua roupa, e eu a minha. Ele tava com uma rola muito maior. Fazia tempo que eu não havia feito nada com ele. Deu tesão só de ver.
Na hora a minha vontade era de mamar aquele pau, então pedi pra ele, eu me deitei, ele sentou na minha cara metendo aquele pauzão na minha boca. Mamei demais, mas ele não quis gozar ainda. Depois foi minha vez. Ele ficou deitado encostado no travesseiro, e eu enfiei meu pau na boca gulosa dele como se tivesse metendo e gozei DEMAIS, muita porra mesmo, tudo na boquinha dele, e ele engoliu tudo.
Depois ele pediu pra eu chupar ele, com ele naquela posição, e eu chupei. Senti o pau bem duro dele batendo no céu da minha boca, quase engasguei e ele gozou muito, e eu engoli tudinho.

Depois disso nós achamos melhor parar, eu continuei minha vida normal, ele cresceu, hoje tem 17 anos. No fim descobri que essa curiosidade dele tinha explicação, pois ele tinha tendência a ser gay, e hoje é gay assumido.
Apesar das várias vezes em que brincamos, nunca saiu do oral, embora ele tivesse tentado me comer umas duas vezes.

Espero que tenham gostado.