Iniciada e arrombada por três

Click to this video!

Me chamo Ana (nome fictício), atualmente tenho 36 anos, morena clara, olhos verdes, magra e tenho mais ou menos 1m65 na época do ocorrido. Hoje sou casada a 8 anos.
Quando tinha uns 13 anos, era virgem e mal sabia o que era sexo. Para mim era tudo teoria e me apavorava das histórias de que minhas colegas de colégio e amigas de rua me contavam. Pensar em tocar num pênis ou de ter o mesmo dentro de mim me causava calafrios. Chupar um pau e engolir porra, cruz credo, me causava pânico. Imaginava fazer isto só depois de casada e lá pelos 30 anos tamanha inocência de minha parte.

Na época, meados de 93, minha mãe conseguiu um emprego de caseira num casarão e trabalhava das 8:00 as 18:00. Nossa casa era um quarto-sala, banheiro e um cozinha de fundos deste casarão.

Não tinhamos muitas coisas e, quando fomos de nuda para lá, levamos praticamente só nossas roupas e, para ganhar um dinheirinho a mais, locamos nossa casa de periferia. Meu pais nos deixou cedo e sumiu no mundo.

Primeiro dia, dona Bianca nos apresentou a casa, nossos aposentos, seu marido e seus dois filhos Caio e Igor que tinham 15 e 13 respectivamente e pareciam educados e simpaticos.

No transcorrer das semanas, era verão, os meninos usavam muito a piscina e até me convidavam para entrar. Como minha mãe dizia que não era para misturar as coisas e para não mecher em nada da casa, agradecia e sempre que voltava do colégio ou da rua, ia direto para nossa peça doa fundos ora para fazer meus trabalhos de colégio ou olhar TV.

Via que oa meninos com o passar do tempo, me olhavam diferente e as vezes ficavam de cochicho me olhando de canto.

Passados uns dois meses, minha mãe me avisou que iria com dona Bianca e seu marido para abrir e limpar a casa da praia e que iria nuna sext-feira de manhã bem cedo e voltariam sábado final da tarde. Mas que os meninos ficariam em casa e qualquer coisa era para dar um grito se ouvisse algo suspeito pela casa.

Naquele dia, pedi pra minha mãe ficar em casa, uma vez já estava praticamente passada por média e deveria ter no máximo 4 faltas no ano.

Lá pelas 9 horas da manhã, ouvi barulho no pátio. Era Igor e Caio em volta da piscina, que novamente me olharam e cochicharam de canto. Tive um mal presentimento. Alguns minutos depois, ouço a voz de Caio e ele batendo na porta.
– Ana, posso ter uma palavrinha contigo bem rápido?!
Eu estava ainda com minha calça do pijama e um camisetão de dormir totalmente sem sutiã e calcinha. Abro a porta só botando a cara pra fora e, nisto, Caio empurra a porta fazendo eu me desiquibrar e cair. Nisto vem Igor logo atrás que, como o irmão, estavam só de calção de banho.
– Vem cá sua putinha morena, hoje vamos a forra contigo. Chupar estes peitos durinhos e arrombar tua buceta…
Dei um grito e recebi um tabefe no rosto.
– Nāo…. por favor não. Sou virgem, nunca toquei num homem.
– Tou sabendo. Ouvi tua mãe contando pra minha e que você é uma menina “pura”!!!
Comecei a chorar e dizia que eles iam se arrepender. Mas apartir dai não tinham mais ouvidos. Arrancaram minhas roupas e me empurraram pra minha cama.
Tiraram seus calções e tavam com as picas duras. Logo o mais velho mandou chupar o cacete dele e do irmão. Tentei resistir e levei um tapa na cara sendo chamada de vadia, e que iria apanhar “afuzéu” se ouvisse mais um não.
Nem adiantou dizer que eu denunciaria eles mas nem deram bola. Comecei a chupar os cacetes deles intercalando um e outro. Nao demorou muito Igor gozou minha boca e segurando minha cabeça, encheu minha boca de porra.
Caio então me faz deitar e meteu o caralho na minha vagina. Foi um cavalo ao meter, e senti uma dor horrivel ao romper meu himem. Ficou uns cinco minutos metendo e na hora dele gozar ejaculou sobre minha barriga e soltando um jato de porra que voou em meus peitos e rosto.
Na hora que Igor ia meter tocou a campainha da casa. Fiquei aliviada pois poderia obter ajuda, mas não. Caio ficou comigo e Igor foi atender. Quando voltou, trouxe um amigo junto, Pablo, um cara de seus 17 anos, alto e moreno. Ouço eles consersando Caio e Pablo fica na rua conversando.
Nisto Igor fica comigo e começa a me fuder metendo forte seja na posição frango assado e de 4 ficando uns 10 minutos sozinho metendo forte, me puxando para pegar meus peitos terminando por ejacular em minhas costas, mandando mamar o resto da porra na pica dele.
Eu já não resistia mais…. um misto entre tristesa por estat perdendo minha inocencia assim ora por estar sendo fudida.
Nisto, Pablo entra no quarto fecha a porta e me diz.
– Paguei para te fuder moreninha.
Ele tirou a camisa e um bermudão e me aparece um enorme de um pênis, grosso ainda meio mole. Balanço a cabeça dizendo nao… não aguento… por favor.
Meu corpo amolece e ele começa a e chupar os peitos e a buceta com vontade com sua lingua dando voltas dentro de mim. Ele me loe de 4 mandando segurar o travesseiro e começa a meter o seu enorme cabeção dentro de mim, fazendo amolecer e quase desmaiar quando me penetrou até as bolas dentro de mim. Ele deve ter ficado uns 10 minutos metendo na minha buceta quando tirou, deu uma guspida no meu cú, guspiu no penis dele e carcou tudo dentro de meu rabo. Dei um grito e comecei a lacrimejar, gemendo num misto de prazer e dor. Ficou fudendo meu rabo mais uns 3 minutos quando ejaculou horrores dentro de mim.
Desfaleci assim que tirou mandando chupar o cabeção limpando o resto da porra.
Devo ter ficado desmaiada uns 40 minutos acordando com Caio metendo dentro de mim novamente.
Permancei nua até o meio da tarde do dia seguinte sendo fudida varias vezes e chupando os cacetes de Caio e Igor.
Tomei um banho e me ameaçaram a ficar quieta. Fiquei submiça durante 6 meses sendo fudida ora por um ou outro quando ficava sozinha com eles, quando minha mãe recebeu outra proposta melhor outra cidade.
Não foi a melhor maneira de me iniciar no sexo mas hoje tou bem, e até lembro com certo tesão do meu passado.