“Escolhi esperar” de Cu é Rola

Click to this video!

Namoro à sete meses com uma garota que é virgem. Tem 17 anos e é da filosofia “escolhi esperar”. Uma merda. Tenho muito tesão por ela. Temos uma amiga em comum à anos, ela é gordinha, linda, gente boa de mais, porem tem essas inseguranças em relação ao corpo que a maioria das mulheres tem. Ela por ser um pouco mais acima do peso em relação às amigas dela se sente meio mal com isso. E as meninas, vocês sabem como são, né? Gostam de competir umas com as outras para ver quem ganha mais curtidas no face ou instagram, quem é a mais gata, quem ganha mais cantadas dos carinhas no wpp, enfim… Essa competição besta que as mulheres tem entre si por vaidade.
Um dia desses, essa nossa amiga (Adrielly) pediu que eu mandasse uma foto do meu pau pra ela, eu estava com a minha namorada, elas se falaram por 15 minutos no celular e depois minha namorada me disse que a Adrielly queria me pedir um favor. Adrielly me disse depois de muitos rodeios que uma “amiga”, muito nojenta, ficava se gabando que ganhava fotos de paus quase todo dia pelo Wpp e a Adrielly nunca ganhou nenhuma. Na cabeça dela, ela acha que não ganha porque é feia ou gorda de mais, porem, ela não ganha por ser uma menina de respeito e os caras ficam intimidados e não tomam essas liberdades. Mas enfim… Essa menina que recebe essas rolas no wpp é do tipo promiscua, da muita confiança para os caras, não se dá ao respeito e, sendo assim, os caras abusam mesmo, infelizmente.
Eu num to nem ai, mandaria a minha foto de boa, sem mostrar o rosto, é moleza. Num tenho nada pra esconder, mas vi ali uma oportunidade de esquentar as coisas com minha namorada, já que por sua vez ela estava ali do meu lado, e eu tinha a oportunidade de levar as coisas à um outro “patamar”. Então enquanto a Adrielly falava comigo no celular pelo viva voz, me explicando a situação, tentando se justificar, eu já fui logo dizendo: “Adrielly, por mim tudo bem, mas a Maessa (Minha namorada) vai ter que me ajudar.” Adrielly riu, e afirmou em nome da amiga: “ela vai ajudar, né amiga?” (Risos) Maessa sorriu meio sem graça, e disse que ia pensar e que nos sabíamos da condição e dos princípios dela. Adrielly foi logo enfatizando a presa e a urgência da “causa”, e falou: “Miga, pensa rápido porque preciso logo dessa foto. Você conhece o Manim (meu apelido) sabe que ele não vai fazer nada que não queira, só toca uma ai pra ele, por mim” (risos) Eu sorrindo e com um olhar debochado disse pra ela que queria chupa-la bem gostoso, ela nem precisa fazer mais nada. A Adrielly gargalhou e concluiu: ” ai que delicia. Melhor ainda amiga, você vai adorar, entra no clima e relaxa.” Minha namorada, mais relaxada com o rumo que a conversa tomou disse que ia pensar com carinho e já retornava para a Adrielly.
Nos estudamos de manha e eu trabalho na oficina do meu pai durante a tarde, porem nas segundas, quartas e sextas a Maessa vai lá para oficina, porque fazemos aula de inglês nessas escolas online dás 15:00 às 17:00h, então ficamos sozinhos no escritório. Eu arrumei esse curso com a esperança de ficarmos à sós, e rolar alguma coisa mais ousada, porem eu cai do cavalo, já estava nessa à cinco meses, e nada, ela sempre me advertia com discursos moralistas, e eu, claro, respeitava. Percebia que ela tinha muita vontade também, que era difícil pra ela resistir, mas ela era irredutível. Estava firme na causa! Então quando vi essa oportunidade, não poderia deixar escapar, sou mais velho que ela, tenho 22 anos, tinha que agir com inteligencia, cautela e paciência para atingir meu objetivo. E por isso disse que queria chupa-la! Se eu chupasse aquela bocetinha ela ia liberar pra mim.
Quando Maessa desligou o celular já me olhou com uma cara mista: Uma mistura de safada, mas com receio de não saber o que tinha por vir. Eu fui cauteloso, fui chegando de vaga, fiz uma piadinha sobre ela “ajudar uma amiga”, comecei a beija-la devagar, com carinho. Estávamos em pé, coloquei minhas mãos na cinturinha dela por cima da blusa, depois, fui mais ousado, e passei minhas mãos em suas costas, e acariciava sua cintura e passando as mãos nos furinhos anatômicos que ela tem nas costas (acho muito sexy esses furinhos) depois, com um abraço pela cintura e, ainda a beijando a pressionei contra mim sentindo aqueles peitinhos durinhos no meu peito. Ela na pontinha dos pés, passava as mãos na minha nuca, fazendo um cafuné com as unhas… Em um dado momento ela parou e olhou em volta, como se tivesse preocupada com alguém nos ver, ali percebi, que ela estava disposta a “ajudar a Adrielly.” Nesse momento, olhei pra ela, perguntei se estava tudo bem, ela sorriu, passou a mão nos seus cabelos e se apoio na mesa do escritório. Eu fui até a janela fechei a persiana só pra ela se sentir mais segura, porque não da pra ver nada nem se quisessem. O escritório fica em uma plataforma de metal fazendo um segundo piso na oficina, fizemos assim para liberar espaço lá em baixo, mais enfim, voltemos… Olhei para Maessa e estendi a minha mão pra ela, queria ficar próximo ao sofá! Ela saiu da mesa, deu um passo pra frente e pegou minha mão. Nesse instante meu pau estava tão duro que se eu tirasse ele pra fora ele dominaria o mundo. A puxei em minha direção, a beijei novamente e fiz com que ela sentisse meu tesão por ela. Apertei ela contra mim para ela sentir meu cacete pulsando por ela.
Maessa é bem estilosinha, do tipo hipster, branquinha, ela é do sul, descendente de ciganos romenos, uma delicia de branquinha. Uma falsa magra de primeira, tem uns peitinhos gostosos, uma bunda definidinha, ela faz yoga desde pequena… Essas paradas deixam as meninas bem gostosas. Sua cintura é uma delicia de tão perfeita, um umbiguinho certinho, parece que foi desenhado. E os furinhos nas costas!? Nossaa, isso me mata de tesão. Pra quem não sabe o que é, e acha que eu sou loco (talvez eu seja mesmo) são umas covinhas na parte inferior das costas. Tem o nome de “covinhas de vênus.” É um tesão aquilo. Ela é magrinha, mas suas pernas são definas, bem desenhadas, seus músculos são tonificadinhos por causa da yoga, ela gosta de dançar Anitta, Anaconda da nick minaj, rebola gostoso de mais. Adoro sair pra dançar com ela, porque ela rebola, se requebra inteira se esfregando em mim, tem uma flexibilidade incrível. Sua postura é sempre ereta, parece uma bailarina clássica, isso faz com que ela fique mais empinadinha ainda. Maessa se parece muito com a Manu Gavassi. Quando vou busca-la na academia, e ela esta com a roupa de fazer yoga, eu fico louco. Ela fica muito gostosa, chega me dá água na boca… Ela usa um rabo de cavalo bem despojado, um macacão legging cinza com as custuras verdes neon e um par de meias brancas que faz o contorno dos dedos certinhos. Seus pézinhos são lindo, delicados, macios, bem cuidados… O conjunto da obra me deixa maluco. Ela é gostosa, safada, em cada detalhe… É como se seu corpo tivesse sido feito só pra me dar tesão, me deixar fissurado. Já cheguei ao ponto de deixa-la em casa depois da academia e bater uma punheta na porta do prédio dela dentro do meu carro.
Nesse dia na oficina ela e tava com um short jeans azul claro que na frente parece ser uma mini saia, uma camisa da jack daniels preta com as mangas cortadas e um all star branco. Eu a beijava com muito tesão, um beijo profundo e molhado, aos poucos comecei a me aproximar do sofá… Quando cheguei onde queria, comecei a beijar seu pescoço, morder sua orelha bem suavemente, e minhas mãos alternavam entre seu cabelo e carinhos nos ombros que se estendiam ao longo de seu braço e iam ate a palma de suas mãos. Nesse momento, peguei a mão dela e fiz ela passar no meu pau que ainda estava dentro da calça. Eu coloquei a mão dela, fiz um movimento e ela segurava e soltava, sem muita intimidade. Ainda no frenesi do beijo, e ela pegando no meu pau, ela sorriu e disse:”nossa, acho que é hora da foto.” … Eu sorri de volta, continuei beijando e dessa vez fui conquistar mais espaços. Passei a mão nos peitinhos dela, e dessa vez ela não mandou eu tirar. Passei a mão na bundinha dela, e dessa vez, ela ficou na pontinha dos pés. Nesse momento parei de beijar e olhei dentro dos olhos dela e continuei agarrado nos seus peitos… Ela sorriu meia sem graça, porem com cara de safada. Olhei pra ela por uns 4 segundos com meu rosto grudado no dela, voltei a beija-la com mais tesão. Ela suspirava e se esfregava em mim. Sua boca, seu corpo, seu beijo estavam tão quentes que pareciam que iam me queimar inteiro. Nesse momento, sentei no sofá e deixei ela em pé na minha frente, comecei a desabotoar o short dela. Eu olhava pra cima, e ela ficava mordendo os lábios e alternava as mãos passando no seu cabelo, para tira-lo do rosto, no meu cabelo, me fazendo um carinho meio afoito, e invariavelmente beliscava seus peitinhos. Eu finalmente tirei o short, e enquanto ele caia, eu olhei nos olhos dela de novo, ela sorriu, mordendo os lábios novamente, disse que eu era maluco e se abaixou para me beijar. Me beijou mexendo no meu cinto, eu abri e coloquei meu pau pra fora, que estava explodindo de tesão. Ela colocou a mão e me deixou ainda mais desnorteado, porem eu segurei a onda. Há coloquei de pé de novo na minha frente, nesse momento ela se livrou do short que estava embaraçado nas suas pernas, e ficou de calcinha, tênis, e blusa ali na minha frente. Ela usava uma calcinha boxer com listas na horizontal colorida, um tesão. Bem apertadinha, fazia seus contornos certinhos, sua bocetinha estava meia fofa, com pelos de médios pra pequenos. Sua bundinha era a coisa mais linda… Redondinha, certinha com aquela calcinha maravilhosa.
Então eu levante à beijei bem gostos, esfreguei meu pau nela com força, passei a mão na bundinha dela, e ela levantava a perninha tentando apoiar um dos pés no sofá que estava atras de mim. Tirei sua camisa, e ela tirou a minha, comecei a chupar seus peitinhos lindos enquanto siriricava aquela bucetinha fofa por cima da calcinha. Ela não tirava a mão do meu pau, ficava me punhetando meia sem jeito, enquanto rebolava no meu dedo nas pontas dos pés. Eu a virei em um movimento rápido de costas para mim, nesse momento ela disse: “ai mô, nossa”. Eu comecei a siriricar ela com uma mão, com a outra alternava segurando seu pescoço e acariciando seus peitos, e meu pau roçava na bundinha e nas minhas covinhas deliciosas. Eu dizia pra ela: “rebola minha branquinha, vai. Rebola no meu dedo, ta gostoso, né?” Ela empinava a bundinha, ficava na ponta dos pés, e rebolava feito uma louca. Em resposta as minhas interações, ela só dizia: “uhum, ta gostoso, mô. to rebolando, to rebolando.” E me dava a boca para eu beijar. E assim eu comecei a descer a calcinha dela, e enquanto siriricava passei a esfregar meu pau nela por trás, e nessas sarradas frenéticas, eu não aguentei, e gozei na calcinha dela que estava na metade da coxa. Dei uma gozada tão explosiva que me tremi todo.
Mas eu não poderia parar, ela estava à toda! O sofá ainda estava atras de mim, fui beijando as costas dela, me sentei e terminei de tirar a calcinha dela que estava cheia de porra. Comecei a beijar e lamber suas covinhas, desci mais um pouquinho, beijei o cox, dei um beijo em cada lapinha daquela bundinha linda, e à virei bem lentamente. Coloquei o dedo na bocetinha dela comecei a siriricar. Ela mordia os lábios e colocava minha mão no lugar certo para lhe proporcionar mais prazer enquanto rebolava o quadril. Eu pegava nos peitos dela e continuava siriricando. Em um movimento rápido puxei ela pra mim e cai de boca na bocetinha dela, chupei com vontade. No começo ela se assustou, mas depois foi se acustumando. Lambi a bucetinha dela com gosto, babei ela inteira. Ela apoiou um dos pézinho no braço do sofá, e ainda em pé na minha frente, forçava minha cabeça em direção a sua boceta quentinha, cheirosa e seladinha. Em um dado momento, eu ainda com o pau meio bomba, tinha que continuar chupando, e para ficar mais confortável à deitei no sofá. Nossa que delicia que foi ver a Maessa se contorcendo enquanto eu à chupava. Ela passava a mão nos cabelos, apertavas seus peitos, puxava meu cabelo, rebolava na minha boca, e eu chupando, molhado e profundo. Hora ela apertava minha cabeça com as coxas, no minuto seguinte, ela se arreganhava inteira para eu chupar mais fundo. E eu me punhetando pra piroca voltar ao combate. Ela começou a passar os pés nas minhas costas, e eles ainda estavam calçados com seu all star branco, então eu chupando sua bocetinha, fui subindo… beijei coxas, joelho, panturrilha e tirei seus tênis. A deixei descalça, enfim minha Maessa totalmente peladinha entregue a mim! Aproveitei dei umas mordidinha nos seus dedinhos lindos e um beijo bem molhado nas suas solinhas macias e rosadas. Maessa olhava, sorria, suspirava e siriricava… Nesse momento meu pau estava voltando, aproveitei que estava de joelho na frente dela, e ela toda arreganhada pra mim, me posicionei e comecei a punhetar e roçar meu pau na bocetinha dela. Ia passando, aumentando a frequência, em alguns momentos posicionava no cabacinho e força. Hora me debruçava sobre ela, beijava sua boca, chupava seus peitinhos, e não parava de roçar. Ela dizia com um sorriso bem sacana: “Isso, assim ta bom.” Quando eu empurrava, ela se contraia e dizia:”ainn, amô…calma!” E olhava pra bocetinha e colocava as mãos. E eu não parava… Em uma dado momento, voltei a chupa-la, grudava minha boca nela como uma sangue-suga. E ela se movimentava bem lentamente com reboladas imorais que me deixavam louco. Ela dizia:”Nossaa, isso é bom. Você não se cansa, né? Ainnn, hunn, isso mô!” E eu apertava os peitinhos dela e ela forçava minha cabeça com as mãos. A bucetinha dela estava pegando fogo, muito molhadinha. então eu fui subindo em direção a sua boca: Dei a ultima chupada, terminei com uma lambidinha na virilha, lambi seu umbigo, segui beijando ate seus peitinhos, chupei seus mamilos rosinhas, e terminei na boca… A beijei, chupei sua língua, fiz ela chupar meu dedo, com a saliva dela lubrifiquei meu pau e fiquei esfregando meu cacete nela bem gostoso, posicionei e empurrei com força…. Me joguei parcialmente em cima dela e estava tudo dentro. Que gostoso, apertadinha! Eu senti as contrações da quela bocetinha pelando no meu pau. Ela deu um gemido, e disse:”Ai, filho da puta. Que merda! Ainnn, ainn.” Eu dei um beijo no rosto dela, disse que eu a amava, e com sorriso sacana disse que ela era gostosa de mais. Enfatizei afirmando que ela era apertadinha. Ainda choramingando ela empurrava meu peito pra trás para tentar ver, mas eu não tirei de dentro, fiquei fazendo movimentos bem lentos de entra/sai. Uma lagrima desceu no seu rosto, eu enxuguei com as mãos e perguntei se ela queria que eu tirasse, ela sorriu e disse meia ofegante:”ai, que babaca você é, isso doí. Mas agora deixa, vai devagar.” E eu fui… Devagar e bem gostoso. Eu mantinha contato visual com ela, olhava dentro dos olhos, e ia aumentando a frequência ela ia gostando, e naquele remix de dor e prazer eu chupava os peitinhos dela, e continuava marretando. Ela gemia muito gostoso, me arranhava e puxava meu cabelo, quando me debrucei sobre ela, e aumentei a frequência, ela me deu uma mordida no músculo a cima da minha clavicular que esta roxo ate agora. Com o susto, perguntei:”ta gostoso branquinha?” E entre uma gemidinha e outra, ela disse:”ain, ain, doí um pouco mais ta bom! Como você se importasse, ta me comendo, caralho!” E sorriu bem sacana… Eu disse:”como mesmo, quem mandou ser gostosa!? Fica por cima, ai você controla!” Eu puxei ela, e ia deitar no sofá pra ela ficar em cima de mim, porem, o movimento que fiz, eu fiquei sentado primeiro, com ela no meu colo, para depois deitar, meu pau saiu de dentro, e foi quando ela disse:”não, vamos ficar assim.” Então fiquei sentado, ela em cima de mim. Eu passei a mão na bucetinha dela que estava bem molhadinha, e umedeci o meu pau com aquele mel, e ela começou a sentar. Sentou bem devagarinho, ia sentando e saindo, fez esse mesmo movimento umas cinco ou seis vezes, enquanto me olhava, dava um sorrisinho bem sacana, e fazia um barulhinho com a boca como se tivesse expressando desejo: “sssss”. Abria a boca como se fosse falar “ai”, mas não saia som, apenas a intenção, mexia no cabelo e ficava olhando pra ver ate onde meu pau já tinha entrado no bocetinha dela. Eu eu louco de tesão chupava os peitinhos dela feito louco e fazia movimentos pra penetrar mais fundo dentro dela. Ate que depois de uns dois minutos ela sentou e aquela bocetinha engoliu todo o meu cacete sozinha… Ela sorriu e começou a ir pra trás e pra frente. Começou lento mais foi aumentando a frequência e a intensidade, eu segurei na cinturinha dela, colocando força pra baixo pra ela se esfregar com mais vontade, e assim, ela foi ficando mais e mais excitada. Rebolava, se esfregava com o meu pau dentro, eu puxava seus cabelos bem de leve pra marcar presença, arranhava suas costas com carinho e sacanagem, beijava a sua boca e ela cada vez mais entregue… Apoiou seus pezinhos no meu joelho e começou a cavalgar com mais clareza, subia e descia em um galope frenético e gostoso, dava uma gemidinhas muito excitantes: “mmm, mmm, ainn, ainn”. A oficina cheia, em pleno vapor, a galera trabalhando la em baixo, então nosso barulho nem era notado, minha branquinha podia gemer bem gostoso o quanto ela quisesse. E eu, claro, não aguentei, e gozei. Gozei gostoso, dentro e forte. Ela sentiu com certeza meu jato dentro dela, foi incrível, Maessa ficou mais uns 30 segundos cavalgando e desfaleceu no meu ombro. Não sei se ela gozou, mas gosto de acreditar que sim.
Depois nos recompusemos, ainda no meu colo Maessa me olha por um centésimo de segundo e leva as mãos no rosto, escondendo-se. Eu ri e fiquei tentado tirar a mãos do rosto, mas ela não tirava! E ainda com as mãos no rosto, ela disse: “e agora, o que vamos fazer? Se minha mãe souber ela vai ficar puta comigo. Meu pai então, nem se fala.. Vai querer matar nos dois. Você terá uma morte muito dolorida.” Ela saiu do meu colo e pegou suas roupas no chão e estava indo em direção ao banheiro. Eu olhei pra ela e afirmei:”se eu morrer, vou morrer feliz e de pau duro. Quer coisa melhor? Relaxa, vai tomar um remédio e vai ficar tudo bem, eu te amo, mesmo você dando pra qualquer um e andando sem calcinha por ai. Não vou te julgar.” (risos) A essa altura ela já estava se vestindo e não colocou a calcinha porque a mesma estava em um estado deplorável. Ela sorriu, veio em minha direção, me beijou, me chamou de otário e ridículo. Muito carinhosa a Maessa. kkkkkkkkk
No recompusemos, tomamos um banho rápido no banheiro da oficina, trocamos uns carinhos, arrumamos nossa bagunça, deixamos tudo como se nada tivesse acontecido e uns 15min depois, Adrielly liga afoita, desesperada, louca pra saber o que faríamos… Se mandaríamos a minha foto ou não. Maessa atendeu, conversou com Adrielly e disse que mandaríamos a foto agora… Ela desligou o celular e me disse:”éh amor, agora é com você, se vira ai, e manda essa foto pra Adrielly sem expor a gente.” Olhei pra ela sentei no meu sofá de novo e comecei a punhetar, nem tinha mais força, estava meia bomba, meio desanimado… Afinal de contas, foram duas baitas gozadas em menos de meia hora, ninguém é de ferro, mas promessa é divida. Me esforcei, fiquei olhando pra Maessa ali na minha frente, com aquele shortinho sem calcinha, aquele corpinho que eu tinha acabado de violar, com minhas covinhas excitantes, aqueles pézinhos lindos e delicados que ainda estavam descalços e meu pau não fugiu a luta, como um guerreiro que é ficou em pé de novo, dei umas cinco ou seis pistoladas no boneco olhando pra Maessa e ele voltou a dar sinal de vida. Como já era quase 17:30 estava na hora da galera fechar a oficina e ir deixar as chaves no escritório, então Maessa ficava na persiana vendo se alguém vinha subindo as escadas, e eu ali na batalha, ele não estava duro o suficiente… Então falei pra Maessa me “ajudar”, tocar uma punheta pra mim. Ela sorriu veio ate mim, sentou ao meu lado, e disse: “Ta bom, você é doido! Mas tem que ser rápido, alguém pode subir.” E começou… Ela meia desajeitada mas tava gostoso, fui beijando ela, e ela punhetando… Em um dado momento mandei ela fazer com o pézinho. Ela deu um sorriso bem sacana, limpou os pézinhos na minha calça jeans, e começou… Encostou aquelas solinhas lindas no meu pau, nossaaaa que delicia. Meia sem jeito ela começou a fazer, me olhando nos olhos e sorrindo com vergonha. Eu dei uns beijinhos nas solinhas dela e voltei com elas para meu pau, esfreguei meu cacete em toda a extensão dos pézinhos dela… Nisso ela se esticou pegou o celular do escritório da oficina e tirou umas fotos, só do pézinho dela no meu pau, e depois veio pra perto de mim, me beijou me punhetando e me deu o celular, eu tirei umas selfies do meu cacete pra mandar pra Adrielly… Com isso feito, eu olhei pra Maessa ainda sentado no sofá, e disse:”Missão cumprida, agora é só enviar.” E ela já estava com tesão de novo, ela ficava apertando as coxas descaradamente, então resolvi fechar com chave de ouro: Fui para a ponta direita do sofá e disse:”Vem aqui e me chupa!” Só isso que faltava, Maessa não tinha me chupado! Ela veio com uma cara de safada e começou a me chupar. E uma coisa eu posso te dizer: Dar aquela bocetinha gostosa, ela só deu pra mim, mas chupar, tenho certeza que ela andou chupando outros por ai. Porque a branquinha caiu de boca gostoso, como se já tivesse feito. Começou pela cabeça, lambeu gostoso, lambeu a lateral, lambuzou todo meu pau, chupou molhado e macio… fiquei louco com ela me chupando. Em um determinado momento ela ficou de bruços com os pézinhos pra cima e não parava de chupar, parecia que tinha feito aquilo a vida inteira, impressionante. Com meu pau todo babado e ela chupando igual uma puta eu disse pra ela:”deixa bem babado que quero comer essa bucetinha apertada de quatro agora!” Ela sorriu bem safada, mordeu os lábios de um jeito bem obsceno, mexeu no seu shortinho, e já virou a bundinha pra mim… Nossaaa, eu abaixei o short ate a metade da coxa, dei uma brincadinha passando meu pau entre o cuzinho e a bocetinha, dei mais uma chupadinha pra deixar babado, e meti minha rola pra dentro, empurrei com força! Ela deu uma gemida e colocou a mão no meu abi domem como se quisesse controlar a força da marretada me afastando um pouco. E eu metendo gostoso naquela grutinha apertadinha, Ela dizia: “ain, ain… amô calma” e eu metendo, e espiando pela persiana pra ver se alguem subia. Que delicia, ficamos uns cinco minutos com essa putaria sensacional, e eu gozei de novo, mas dessa vez, gozei fora. Caiu porra no sofa, peguei minha blusa e limpei, quando estava dando os arremates na limpeza vejo meu pai subindo. Nos saímos correndo, Maessa levantou o shot, correu para o computador, e eu abri o armário de arquivo pra disfarçar. Meu pai entrou, cumprimentou a Maessa, deixou as chaves em cima da mesa e me chamou para eu ajuda-lo a colocar os carros pra dentro da oficina. Eu desci, Maessa ficou la em cima se certificando que não deixamos rastros. Secou o banheiro porque tínhamos tomado banho anteriormente, passou um pano no sofá, mandou as fotos da minha piroca pra Adrielly no celular do escritório da oficina, apagou as fotos do celular sorrateiramente, e ficou tudo certo.
Quando voltei à levei para casa, nos despedimos, e na quinta feira de manha, na escola foi mó love, romance pra lá, beijo, carinhos e o caralho, a tarde eu mandei umas flores pra ela e tal… Na sexta dormimos juntos pela primeira vez, fodemos gostoso a noite inteira… Dessa vez foi mais confortável, em uma cama bacana, quentinha, com edredons manerios. Estou muito feliz com minha mulher, apesar dela ser muito novinha, tem umas atitudes que me irritam as vezes, e umas amigas que pedem fotos do meu pau no wpp, nós nos damos muito bem em todos os aspectos. Só acho interessante como funciona a cabeça dessa mulherada: Eu passei cinco meses tentando comer, fiz de tudo: fui carinhoso, romântico, respeitador, gentil, educado, e ela fazia doce. Dizia que preferia esperar, que não era a hora, porque a igreja isso, a igreja aquilo e bla bla bla e bla bla bla… Ai uma amiga pede uma foto do meu pau no wpp pra pagar de pegadora, e do nada a garota resolve perder o cabaço. PQP… Vai entender, né?