Dar não é tão ruim

Click to this video!

Sempre tive vontade de contar o que aconteceu comigo ate meus 13 anos,hoje sou um homem de 60 anos mas pareço ter bem menos,viuvo,pele clara e aposentado,vivo modestamente e sou feliz,moro sozinho e nao tenho filhos,nao sou de conversa com vizinhos e nao procuro parentes,gosto de me divertir e ainda procuro mulheres embora nao seja como antes,mas o que vou contar se passou a muitos anos,mas,ate hoje lembro de tudo,nao tenho vontade de repetir o que fazia mas,nao me arrependo;agora vamos ao conto.
Nasci numa cidade pequena no interior do rio de janeiro,la as crianças viviam bem soltas pois o lugar era tranquilo e todos se conheciam,ate os 3,4 anos quase nao usavamos roupas isso é,andavamos pelados ate proximos à nossas casas,na rua em que morava tinha umas 15 casas,com quintais grandes e muitas frutas,um dia veio morar na casa de dona matilde a filha dela que antes morava na capital,ela veio cuidar da mae que estava doente e era idosa,essa filha de nome creuza nao tinha marido e trouxe seus dois filhos,uma menina de12 anos que todos chamavam de bel,e um filho de 14 anos chamado paulo,na nossa rua nao tinha adolecentes,ou eram adultos ou crianças de colo,pedro ficou meio deslocado e acabou vindo fazer amizade comigo,eu tinha 7 anos e tinha acabado de entrar na escola,passamos a andar juntos pegando frutas nos quintais pois,nao tinham cercas nem muros,essa nossa amizade ja durava mais de um mes e um dia quando estavamos no quintal de minha casa ele me perguntou se eu ja tinha feito troca troca,nao entendi e ele me esplicou,dizendo que se colocava o pinto um no outro,eu nunca tinha imaginado nada parecido e ele foi explicando e sempre dizendo que o que ele me falava nao podia ser contado pra ninguem,eu comecei a me intereçar e jurei que nao contaria,num outro dia foi eu que entrei no assunto,e ele perguntou se eu queria fazer,concordei na hora e fomos pra casa dele,nos fundos do quintal tinha um barracao de ferramentas que nao era usado a muito tempo e, ele me levou pra la,ai o paulo mandou eu mostrar meu pinto tirou o dele pra forra,nossa,eu nunca tinha visto nada parecido,era grande grosso e cheio de cabelo,olhando aquele pinto o meu começou a ficar durinho,nao conseguia tirar os olhos e achei bonito,paulo baixou a roupa e pediu que eu esfregasse meu pinto na bunda dele mas nao dava altura,ai ele ficou de quatro e eu meio sem jeito fiz o que ele mandou,pra ser sinsero nao gostei muto e parei,agora seria a vez dele,ele me deixou de quatro sobre uma poutrona velha e encostou seu pinto na minha bundinha,ai passou cuspe no pinto e ficou esfregando,senti que escorregava e era muito gostoso,paulo deu umas cutucadas mas nao empurou,ficou assim por muito tempo ai mandou que eu ficasse em pe e botou minha mao no seu pinto,e me ensinou a bater punheta,quando ele gozou fiquei curioso e ele disse o que era e mesmo sem entender muito gostei de ter ajudado ele,ja estava escurecendo e fui pra casa;no outro dia quando cheguei da escola,almocei rapido e fui procurar ele,ficamos sentados na varanda e eu chamei pra irmos pro barracao,la notei que ele tinha arrumado um pouco,na verdade ele tinha tudo preparado,quando mandou esfregar nele disse que nao tava com vontade,e ja fui ficando de quatro na poutrona,ele pegou uma latinha com uma pasta e passou na minha bunda e no pau dele,falou que ia comer meu cu e era pra mim agunetar se doesse porque depois ia ficar gostoso,foi empurrando e comessou a arder mas eu nao reclamei,quando a cabeça passou a dor almentou e eu quiz sair,ele nao deixou e foi me acalmando,a dor diminuiu e ele enfiava e tirava ate que senti que tinha entrado tudo,ai paulo começou num vai e vem ate que ele se tremeu todo,tiinha gozado,quando ele tirou seu pinto de dentro senti um vazio que nao sabia o porque,quando fiquei em pé comessei a peidar e sua porra desseu por minhas pernas,fui pro quintal e num cantinho tentei fazer cocô,mas saiu mas porra e fiquei soutando peido,ele me deu um pano e me limpei, e tinha um pouco de sangue,ele falou que era porque tinha sido a primeira vez e que nao ia acontecer mais,meu cu ardia um pouco mas eu tinha gostado,me vesti e fomos pegar uns cajas pra comer com sal,ao andart senti que estava andado com as pernas abertas,na escla tiva que sentar meio de lado mas depois melhorou,passamos dois dias sem fazer mas no final de semana ele meteu duas vezes,ele me fudia com força e eu estava me acostumando com aquilo,fiquei dando pra ele por uns cinco meses,mas, dona matilde faleceu e a filha vendeu a casa pra voltar pra capital,quem comprou a casa foi meu pai que,reformou pra alugar,sentia falta de paulo e procurei alguem pra meter no meu cu,achei um garoto de 12 anos mas seu pinto era muito pequeno e so fiz com ele duas vezes,a casa foi alugada e eu torci pra que tivesse um garoto mas,veio um casal,seu clovis e sua esposa dona maria,ela estava gravida e logo fizeram amizade com o pessoal la de casa,seu clovis devia ter uns 25 anos e sempre me chamava quando ia no mercado,comprava doces e me tratava muito bem,um dia a minha mae foi com a dona maria ao medico e seu clovis ficou tomando conta de mim,me deu um suco e ficou bebendo cerveja,ele ja estava meio bebado mas nao muito e me colocou no colo me fazendo cocegas,senti que seu pinto tava duro e coloquei a mao em cima,ele começou a me fazer algumas perguntas tipo se eu ja tinha segurado um pinto,se eu gostava,ai me tirou do colo e me levou pro quarto,tirou toda minha roupa e ficou alizando minha bunda,baixou a calça e botou o pinto pra fora,era bem maior que o do paulo,deu uns beijinhos em todo meu corpo e me deitou na cama,botou um travesseiro na minha barriga deixando minha bundinha pro alto,pegou um creme numa gaveta e lambusou meu cu,encostou seu pinto e foi metendo,senti que me rasgava mas aguentei firme,por estar meio bebado nao mediu as consequencias e foi metendo direto,meteu num vai e vem acelerado e alagou meu cu de porra,tirou o ppinto e foi rapido pro banheiro,eu custei a ficar de pé e estava todo arrombado,nao conseguia nem vestir a roupa,ele veio e me levou ao banheiro e me lavou, depois me vestiu e me pediu pra nao contar nada pros outros,eu disse que nao ia falar nada e ele me deu biscoitos e mais suco, minha mae e dona maria chegaram e eu fui pra casa,nao vi seu clovis por uma semana,mas,um dia ele ia passando e minha mae chamou pra pedir que se ele fosse ao mercado trazer cafe,ele pegou o dinheiro e me chamou pra ir com ele,fomos e o caminho ele me perguntou se eu tava chateado com ele e eu disse que nao,ai ele perguntou se eu tinha gostado e eu disse que sim,ai ele3 comessou a esfregar seu pau,ai quando voltamos ele pediu se poderia me levar na casa dele, claro que minha mae deixou e la vi a mulher dele deitada dormindo,ele me levou pro banheiro e mandou eu esperar, quando voltou trouxe o creme e foi logo tirando meu chorte,passou o creme e cravou o paozao no meu cuzinho,mas dessa vez foi com cuidado,ficou metendo bem lento por um tempo,depois,acelerou e gozou,me mandou sentar no vaso e a porra saiu,me limpou e saimos do banheiro,ele meteu em mim ate meus 13 anos,ai se mudaram,eu estava entrando na puberdade e nunca mais dei,hoje conto e sei que tem muito machao que tambem ja tomou no cu,