Sonho de consumo

Click to this video!

Já desde o começo do ano a sobrinha de mi há mulher veio morar em nossa cidadã. Mora coma avó, Passou no vestibular e estuda aqui. Ainda com 17 anos é um das 7 maravilhas do mundo. Linda. Olhos grandes verdes, doce, meiga, toda delicada. Sempre, desde que era criança ela me chamava atenção. Sempre viveu com a mãe que se separou cedo do seus pai. Há uns meses ouvi comentários que a menina parecia estar tomando o caminho do interesse por meninas. O que achei um desperdício, mas enfim, cada um com suas necessidades e suas escolhas. Mesmo assim eu a observava, As vezes que fui a casa de minha sogra, a avó dela, para almoços de domingo por exemplo, tive a oportunidade de no banheiro me deparar coma calcinha dela. Não resisti e cheirei. Foi incrível. Deixei meu tesão ali. Quase gozei na calcinha da menina. Lembrei quando era criança. Com seus 8 anos. Certa vez se sentou em meu colo me deixando maluco, esfregando sua deliciosa bundinha em meu pau. Lembro que quase gozei aquela vez.
De uns tempos pra cá ela e minha mulher promoveram a vinda dela aqui pra casa. Dormiu aqui algumas vezes. Foi no verão passado. É que tenho uma filha bem pequena. Ainda bebê e ela adora minha criança. Por algumas vezes fiquei apreciando ela dormindo. Até que crio coragem e levanto o lençol que estava sobre seu corpinho. Lá estava a delícia. Muito linda mesmo . Meu pau se manifestou. Fiquei com receio e fiquei da porta me masturbando. Terminei o serviço no banheiro.
Nossa história esquenta quando estes dias num almoço de domingo, chegamos na casa de minha sogra e lá estava ela, deitada, dorimindo no sofá da sala, de televisão ligada, de costas, só de calvinha. Minha mulher entrou cobrindo a menina e pude ver pouca coisa. Ela acordou com o movimento e segui para seu quarto. Mais uma vez fiquei louco só de ver aquele corpinho quase nú.
No meio da tarde, depois do almoço minha mulher e sogra, decidem ir ao shopping. Sempre acompanhei, mas preferi fica, vendo ali alguma oportunidade para tentar algo.
As duas sairam e ela dormia em seu quarto. Fui espiar e vejo que estava se levantando. Já fazia uma meia hora que as duas tinham sápido. Voltei pra sala. Ela se levanta, vai ao banheiro e depois vai até a sala onde eu assistia tv. Começamos a conversar e fui puxando a conversa para os estudos, faculdade, amigos, balada, até que entro no tema que queria, falando sobre namorado. Perguntei se ela já tinha arrumado alguém . Ela diz não sorrindo. A conversa foi entrando por aí até que ela cria coragem e me diz que tinha interesse em ficar mais com as meninas do que com os meninos. Agi naturalmente o que deve ter dado segurança a ela. Perguntei se ela pelo menos já tinha ficado com algum menino? Ela dia que não. Disse que ela precisava experimentar antes de decidir que as meninas eram melhores que os meninos. Vejo ela bem receptiva a conversa e vou ousando cada vez mais. Me aproximo dela, ponho a mão em sua pernas e pra minha surpresa ela deixa. Dou um beijo no pescoço. A esta altura meu pau já explodia d=preso dentro da calça. Pego a sua mão e coloco em cima. Não sei de onde achei coragem para quilo tudo, mas ela foi deixando. Coloquei minha mão sobre a dela e comecei a acariciar comprimindo entre minha mão e meu pau. Ela não tirou. Comecei a beijar ela peo pescoço, rosto e boca. Chego em sua orelha e vejo que ela se arrepia inteira. Faço isso por um longo tempo. Ela se recosta no sofá, já toda molinha pronta para me receber. Levanto sua blusinha e mamo sua tetinha pequena. Ela geme se contorcendo toda . Abaixo seu shortinho e com o dedo vejo que está toda molhada. Mantenho ela sentada no sofá, abro sua perninhas e chupo seu grelinho . Entrando e saindo com a língua. Morrendo de tesão, libero o pau. Ela não sabia o que fazer. Mostro a punheta ela faz. Quase gozo. Antes disso peço para parar. Levo ela pelo colo no banheiro. Não queira deixar nenhum vestígio de esperma pela sala. Foi o melhor que fiz. Coloco ela sentada no balcão da pia e chupo de novo. Ela fica bem molhada e prontinha para ser penetrada. Começo a colocar quando ela me avisa que ainda não tinha feito aquilo. Fui colocando com carinho, bem devagar. Aquilo era cada vez melhor. Eu estava a ponto de explodir dentro dela. Empurro mais um pouco e estoura o cabacinha. Ela grita num misto de tesão e dor. Entro mais e começo mesmo a fodera aquela delícia. Não demora muito e gozo dentro dela. Ainda ficamos naquele vai e vem até ela gozar de novo. Acho que gozou umas três vezes naquela tarde.
Até hoje, as vezes vou buscá-la na faculdade e levo para o motel. Pelo menos uma vez por semana damos uma. A sobrinha de minha mulher virou minha amante.