Relato de um comedor

Click to this video!

RELATO DE UM COMEDOR: (conheci o corno-viado e depois a esposa puta)
Meu nome éOsmir 38 anos sou moreno1,95, boa pinta, pau grande, 23 cms, bem grosso e consigo mantê-lo duro mesmo após duas ou três gozadas. Um dia estava num bar com uns amigos bebendo umas cervejas e notei que na mesa ao lado um coroa me encarava. Fingi não notar e continuei bebendo e ele me encarando. Já havia saído com outros homens e não me incomodei. Depois de um tempo fui ao banheiro e poucos segundos depois ele estava lá também “tirando água dos joelhos”. Notei que de rabo de olho ele olhava meu pau. Nada dissemos e voltei para minha mesa e ele para dele. Tempos depois vou novamente ao banheiro e mais uma vez sou seguido por ele. Desta vez faço questão de que ele veja meu pau pois me virei mais para o lado dele e balancei. Nessa hora chega um amigo, disfarço e digo que vou deixar minha parte pois vou embora. O coroa dessa vez saiu antes de mim. Quando chego a minha mesa pago minha parte e saio. Lá fora encostado em um carro está o coroa. Ele abre seu carro e entra. Fico só olhando. Ele pisca o farol e sigo até ele. Entro no carro. Digo oi e continuo: “Você estava me encarando.” Ele dá um leve sorriso e diz: “Me desculpa, mas você é um homem muito bonito e chamou minha atenção.” Pergunto: “Você gosta de homens ?” Ele responde: “Nunca fiquei com nenhum, mas não tenho nada contra, se ele for interessante, mas é que não surgiu uma oportunidade.” Eu falo: “E agora surgiu?” Ele dá um sorriso e diz: “Não sei, mas na verdade o que eu quero mesmo é dar um belo presente para minha esposa e pelo que pude notar você tem um presente e tanto.” E olha em direção ao meu pau. Falei: “Ahhh entendi!!! Você quer ver sua mulher transando com outro macho. Quer ser corno?” Ele diz que sim que é seu grande sonho. Abro minha calça, coloco meu pau para fora e digo: “Pega nele, sente para saber se ela vai gostar mesmo.” Ele sem cerimônias segura meu cacete e começa a alisá-lo.Digo: ”Chupa!” E ele cai de boca, mamando como uma bezerrinha com fome. Seguro sua cabeça e faço ele me mamar até que digo que vou gozar. Ele acelera os movimentos, diz goza, e assim encho a boca do coroa de porra que bebe tudo e ainda lambe meu cacete até ficar limpo. Ele diz: ”Que delícia! Ela vai amar o presente.” Anota meu telefone e fica de combinarmos para o mais breve o nosso encontro dessa vez com a participação da esposa dele. Dias depois recebo seu telefonema. Encontraríamos-nos num motel. Eu pegaria um quarto e ele com a esposa outro. Quando estivesse tudo pronto ele me mandaria uma mensagem e eu iria para a suíte deles. Quando cheguei tomei banho, me perfumei e me preparei para a noitada. Meia hora depois recebo a mensagem: “Vem foder minha putinha, mas ela não sabe de você. Silêncio” Entro no quarto só de roupão de banho. Encontro os dois nus, ela vendada e ele dando morangos com chantili, champagne, e ao mesmo tempo alisava e metia seu dedo na bucetinha. Ela gemia de tesão. Vendo aquela cena e aquela mulher gostosa meu pau subiu dentro do roupão. Aproximo-me, tiro o roupão. Ele dá um morango a ela pega meu pau e mama um segundo. Então ele diz: “Amor você quer seu presente agora? Quer receber sua surpresa?” Ela diz :”Quero amor.” Ele pede para ela abrir os lábios e ele me segurando pelo cacete me aproxima da boca dela. Ele diz: “Abre a boca e engole.” E coloca a cabeça de meu pau na boca da esposa. “Ela dá uma mamada, lambe os lábios e diz:” Está diferente amor, o que você fez?”Ele diz: “Estica as mãos e segura.” Ela pega então meu cacete. Dá um gritinho de susto e diz: “Amor, quem é”? Que pau é esse”?”“Ele diz:” Relaxa, é seu presente meu bem, arrumei algo bem especial para você, para te deixar bem arrombadinha e com muito tesão, hoje você vai ser muito bem fodida.” Ela disse: “É verdade?” Ele me acena com a cabeça e respondo: “É sim minha putinha branca, hoje você vai gozar muito com meu pau, vou te levar à loucura.” E caí sobre ela beijando, chupando seus peitos, metendo os dedos em sua buceta. Ela mamava meu pau chamava o marido de corninho, que iria dar muito na frente dele, que queria ser toda arrombada com aquele cacetão, e mamando me fez gozar pela primeira vez em sua boca. Mamou tudo e depois me pediu para meter em sua buceta. Meti de todas as maneiras e com ela de 4 novamente gozei dessa vez enchendo sua bucetinha. Ela continuava vendada, só sentindo tudo que acontecia com ela. Ela rebolava e pedia mais e então disse: “Meu corninho quero dar o cú prá ele, quero ser bem fodida para te fazer bem corno. Me prepara para ele, me ajuda a dar minha bunda para esse macho pausudo”. O marido pediu para ela arreganhar a bunda, passou um gel em meus dedos, começou a mamar meu cacete e também passava gel nele. Meti um, dois e três dedos em seu cuzinho e quando achei que estava bem largo falei: ”Prepara putinha, vadia de corno pois agora você vai carimbar o chifre de seu marido.” Ela se abriu mais e disse: “Mete em minha bunda meu cacetudo.” Coloquei a cabeça e fui aos poucos metendo. O marido entrou por baixo num 69 com ela e chupava sua buceta e ficava dizendo que lindo ver meu cacete enorme entrando na bunda da esposa. E pedia para eu meter tudo. Ela gemia e pedia para socar até o saco. Fui empurrando. Meu pau sumiu dentro da bunda dela. Ela chorava, pedia mais e mais, queria muita porra dentro, falava que ela era muito puta mesmo e que queria que eu fodesse ela todos os dias que eu quisesse, era só ligar que ela toparia. E que iria fazer o marido o corninho viado mais feliz do mundo. Bombei seu rabo uns 20 minutos e falei que ia gozar. Ela pediu: ” Vai meu macho, soca bem fundo e me inunda de porra, me dá sua gala, goza comiggoo..” E gozou. Segurei firme sua cintura e soquei com força. Ela disse: “Aii…parece que vai sair pela bocaaa..que tesão…” E gozei dentro dela . Foi muita porra que escorria pelas pernas e o corninho embaixo chupava e lambia tudo. Foi até ela deu-lhe um beijo e passou parte da porra. Os dois beberam minha gala. Caí exausto e assim fiquei. Depois de meia hora levantei-me, disse tchau e voltei para meu quarto onde tomei banho e fui embora do motel. Eles ficaram de me ligar novamente mas infelizmente até hoje nada. Se vocês lerem este conto e se lembrarem de mim entrem em contato. Até hoje aguardo a ligação deles para repetir aquela noitada. Desta vez fodo o marido também.