Meu vizinho descobriu minha esposa 5

Click to this video!

Continuando a relatar e detalhar,como nosso inquilino e vizinho,James,um negro solteiro de 46 anos,segurança,grande e fortíssimo,dotado de um cacete cavalar de 26X5,5cm,acabou descobrindo em minha branquinha,magra,pequena e pacata espôsa,com quem sou casado há 10 anos,uma femea na qual ele se realiza totalmente como macho,impondo sua magnífica e pujante masculinidade,submetendo e subjugando-a sexualmente de forma ampla e total,fodendo-a insaciavelmente durante varias vezes num único dia e durante muitas horas,fazendo-a acabar-se toda em inúmeros e arrasadores orgasmos,tornando-se assim,seu único e exclusivo dono. Logo que descobri tudo,e fui tirar satisfações dentro da casa dele, ele com seu físico,e sua masculinidade, infinitamente mais forte e mais macho do que eu,imediata e soberanamente se impôs e me enquadrou de forma plena e absoluta em minha situação de corno,que me deixou como única e exclusiva opção aceitar essa situação,que desde então assumo com satisfação e prazer cada vez maiores….Minhas diferenças físicas e sexuais com ele chegam ao absurdo,seu corpo é quase o dobro do meu em tamanho e peso,enquanto eu cheguei a passar mais de 30 dias sem foder minha espôsa e passei 10 anos casado com ela sem ter rompido seu hìmem complacente,ele na primeira vez que meteu seu cacetão cavalar nela rompeu seu hímem fazendo-a sangrar na sua verga e tornar-se mulher em sua plenitude,além de fode-la varias vezes e durante horas de maneira total e insaciavel,e nossa maior e mais significativa diferença é o tamanho e as proporções de nossos cacetes,enquanto o meu mede 13X3cm o dele absurdos 26X5,5cm, o que significa um volume de cacete quase 5 vezes maior que o meu….
Mas não param por aí os motivos pelo qual aceito e tenho prazer nessa minha situação de corno,o prazer inenarravel que vejo minha espôsa Giselle se entregando,suportando dores e dificuldades enormes para receber em seus buracos aquele cacete anormal e gigantesco,mas ouvir e ver ao final de cada foda a que é submetida, os gemidos e choros de puro prazer enquanto recebe a gala do macho em seu útero ou em suas entranhas e tendo uma série de orgasmos plenos e arrasadores…James,o macho negro, dono de minha mulher,tambem sabe como se impôr, sabe que tem domínio total da situação,sem humilhar ninguem, ele lenta e sabiamente, vai dominando todos espaços que deve ocupar aquele que sabe que tem o poder,assim,minha esposa,totalmente viciada nos prazeres inerraveis que ele lhe proporciona,não conseguiria mais viver sem seu total domínio sexual,isso deveria me preocupar,mas estranhamente me excita muito,assim como, me excita o fato dele ir paulatinamente se assenhorando da situação,iniciou fodendo minha esposa na lavanderia de nossa casa,e só na buceta,nunca fodia minha esposa nos finais de semana porque eu estava em casa,e assim permaneceu, até que eu descobri tudo,mas o fato de eu ter descoberto,e a forma máscula e decidida com que ele me enquadrou como corno nesse dia,ao invés de deter seu avanço fez com que visualizasse seu real poder de estar comandando,a partir daí seu domínio evoluiu mais rapidamente,e já nessa primeira semana aconteceram todos os fatos que estou relatando nessa série de contos…. numa quinta-feira eu descobri que ele fodia,há uns 6 meses, diariamente minha mulher na lavandeira de nossa casa,na sexta-feira pela manhã invadi a casa dele pra tirar satisfações,por pouco ele não me quebra na porrada,me enquadrou como corno e nesse mesmo dia,tendo me avisado previamente o que faria,pela primeira vez invadiu a privacidade de nosso quarto conjugal e dentro de minha casa,em nosso leito de casal fodeu muito minha mulher na buceta,mas a invasão teria que ser maior,mais dominante,total,ele naquela cama transtornou-se e transformou-se,quiz dominar o ultimo reduto ainda intocado de minha espôsa,quiz seu ânus,só quem já viu aquele cacete monstruoso, como eu havia visto,pode imaginar o que uma femea tem que padecer pra suportar aquela aberração,e agora sei o quanto minha mulher ama e tem prazer em superar seus limites,sofrendo,gemendo e chorando,ela suportou,depois eu soube que foi com prazer, o arrombamento,no qual o macho se fez pleno,após esgotar seus culhões nas entranhas de sua femea,trouxe das profundezas dela,em sua glande,um melaço composto por sua porra máscula e pelo sangue e algumas fezes de sua femea,além de arregaçar pra fora do ânus algumas pregas da femea submissa e servil…e eu pude ver todos esses resquícios pois assim que ele saiu de nossa casa eu fui direto ao nosso quarto constatar a cena que tanto me excitou,cheiro fortíssimo de sexo,poças de porra no lençol,toalha amassada e enrolada com aquele melaço triplo,não deixei ela notar que eu havia visto e notado esses detalhes,e como nunca havia feito antes,passei a tarde naquela cama,palco do ato escabroso,usufruindo,acariciando e lambendo o corpo dolorido,usado e abusado de minha esposa,e para culminar,delirante, pela primeira vez enfiei meu pequeno cacetinho no cu de minha esposa,que acabara de ser detonado por seu macho e esporrei alucinadamente alí….e ela sem saber que eu já sabia de tudo…
A sequencia esta toda relatada nos outros quatro relatos…
Voltamos àquele sábado,menos de 24 horas após o desvirginamento anal de minha esposa em nossa cama,ela mal podendo andar,não havia acordado, fui até a casa de James,estava curioso pra saber detalhes do arrombamento anal,ele notou meu interesse,que eu tava gostando da situação,decidiu naquele mesmo instante tomar definitivamente as rédeas do seu comando,pra minha felicidade resolveu que não teria mais finais de semana sem foder minha esposa por eu estar em casa,ele só não a foderia quando tivesse compromisso de trabalho ou quando não desejasse,eu não seria mais empecilho,eu só pedi a ele que não deixasse minha esposa saber que eu já sabia do caso deles,e que eu gostaria de ficar vendo tudo todas as vezes que pudesse,e assim praticamente fizemos um pacto,ele me ajudaria a ficar vendo e ouvindo tudo sem ela saber,e todas as vezes que conseguissemos armar essa situação,ele se preocuparia em determinar um lugar onde eu pudesse ter boa visão e poder escutar tudo enquanto ele a fodesse da forma e o quanto quisesse….porisso,na manhã daquele sábado eu já tinha visto,pela primeira vez e alucinado de tanto tesão,de dentro do guarda-roupas do quarto dele, ele fodendo minha mulher que se entregava de maneira plena e total ao seu macho,mas não parou nisso,agora estavamos no nosso quarto de casal,eu cumprindo minha parte no plano que ele havia arquitetado,que está relatado nu conto anterior a esse,fingia dormir pesadamente,mas,com um tesão enorme gozei,me melando todo,enquanto via minha esposa se contorcendo toda em gozos e orgasmos enquanto seu macho,com aquele cacete cavalar enterrado nela, enchia seu útero com golfadas fortes e fartas de sua porra reprodutora…mas eram apenas umas tres horas da tarde e eu sabia que ele permaneceria com ela,ali em nosso quarto e em nossa cama,até as cinco da tarde,só não sabia onde eles arrumariam mais vigor pra continuarem fodendo,pois ele já havia enchido o útero dela duas vezes num espaço curto de tempo e ela já havia tido inúmeros orgasmos fortes,intensos e duradouros,mesmo tendo acordado em frangalhos naquela manhã, quase sem poder caminhar, devido à violencia do arrombamento anal a que fora submetida na manhã do dia anterior ….mas minha espôsa tem o dom de se entregar e manter aquele negro, de cacete monstruoso e poderoso, em sua plenitude máscula,sua maneira femea e submissa de ser,incita e instiga aquele macho a ser cada vez mais potente e vigoroso em suas arremetidas,e nesse instante ela limpava com sua boquinha sequiosa e sua lingua sensual toda extensão daquele mastro negro gigantesco,as bolas enormes de seu saco escrotal,que há pouco haviam se esvaziado no útero dela,e estava todo melado de porra e dos inúmeros gozos que ela havia expelido,esse ato me mostrava inequivocamente sua submissão e sua rendição total ao macho e vi que ele tambem achava isso pois ouvi ele dizendo:
#(tu é femea demais minha branquinha….tu precisa de macho que te faça sofrer,que te faça gemer no cacete….quando penso que tu tá sofrendo,que tu não vai suportar mais,sinto teus gozos na cabeça do meu cacete e sei que é disso que tu precisa….isso me faz te querer mais…todo dia…toda hora….todo instante…isso mesmo….lambe teu macho…limpa tudo que meus culhões ja estão se enchendo novamente daquilo que tu mais gosta…)#
enquanto ele dizia essas coisas ela lambia cada vez mais sofregamente,a glande gigantesca,a haste,as bolas do saco, e sem parar de lamber,ia fazendo sinais de sim com sua cabeça,concordando com tudo o que ele dizia,e isso me alucinava de tanto tesão…
ela amava demonstrar sua feminilidade e sua submissão à ele,e isso o instigava demais,despertava suas mais loucas e ousadas taras,cheguei a ficar apreensivo,temeroso,o jeito tarado com que ele a olhava,me fez pensar que ele seria ainda mais impetuoso nos próximos momentos,e constatei isso quando ele continuou a falar:
#(te conheço minha cadelinha…tu não se contenta com pouco….tu precisa de muito mais…..e tu ainda não é uma femea completa,como precisa ser e como tu gostaria de ser….ontem tu deu o primeiro passo…sei que foi dificultoso e doloroso,mas ainda não foi completo…)#
eu não acreditava no que ouvia,mesmo com aquele jeito calmo e pausado de falar,ele estava determinado a seguir em frente, minha espôsa ainda mal podia andar e muito menos sentar,e ele insinuava que ainda não teria sido completo o arrombamento anal que ele lhe impusera no dia anterior,nesse momento minha esposa parou de lambe-lo,ela tambem sabia o que ele queria,agora,olhava-o nos olhos e parecia querer pedir clemência,o estado lastimavel do seu ânus,detonado e arrombado no dia anterior,não suportaria nova investida principalmente pelas dimensões descomunais do cacete daquele seu macho,notei que ela hesitava,não dizia nada,mas temia,não entendi quando ela levantou da cama,me pareceu que iria fugir,com certa dificuldade ela deu alguns passos em minha direção,cerrei mais meus olhos e fingi um ronco abafado,notei que ela se afastava e ousei abrir os olhos,ainda vi seu corpo fragil,totalmente nu,e sua bunda de femea,branquinha,nada volumosa,mas mutio bem contornada e desenhada,e ela já próxima ao leito onde o macho,de cacetão em riste, observava soberano e dominador,os passos de sua femea,que ele parecia saber previamente onde terminariam,ele tambem levantou-se da cama e assim pude ver toda sua pujança máscula,o negrume daquele rolo poderoso,enorme,gigantesco,brilhante e reluzente sob a luz do abajur, só eu ainda achava que minha esposa pediria clemência,não seria maluca de deixar ele enfiar aquela aberração roliça em seu ânus detonado,dolorido e em flôr,ela aproximou-se,ele enlaçou-a em seus braços fortes e ela procurou com sua boca os lábios enormes do negro,seu macho,seu dono,e beijaram-se ardorosa e apaixonadamente,longa e languidamente…aquilo era excitante demais de se ver,o contraste daqueles corpos em tamanho e em tonalidade,só se equivaliam no tesão e no desejo mutuos…
eu, não ouvi o pedido de clemencia que achei que ouviria,doido, alucinado de tesão ouvi-a balbuciante dizer:
*(tua vontade prevalece….voce é meu dono….meu maior desejo pessoal é servir meu dono….faça tudo ….sim tudo o que for preciso pra que eu seja tua femea completa….foi doloroso…..talvez seja ainda mais hoje… se ontem foi o primeiro passo,voce saberá me conduzir aos outros passos…todos os anteriores me deram um prazer imenso….)*
…que loucura….jamais achei que um dia ouviria isso…minha esposa sempre pacata,mas com personalidade forte e até um tanto autoritária comigo e com os demais familiares,estava ali,se declarando a serva branca de seu macho e algoz negro,declarando e admitindo que tem dono e tambem que seu maior prazer pessoal é servir a esse dono,e pronta pra se deixar foder no seu ânus,que ainda estava dolorido e arregaçado,em flôr,com algumas pregas expostas,e isso tudo me deixava com um tesão enorme,com o cacete explodindo,mesmo tendo gozado minutos antes….
ela nem se lembrava mais que eu estava naquele recinto,preparava-se pra servir as taras de seu macho,não se importando com nada,nem com sua integridade física e muito menos com minha presença ali,minha situação de corno se consumava cada vez mais,só ela não sabia o quanto aquilo me excitava,isso por opção minha,que imaginava que ela não gostaria de foder com ele diante de mim e isso pudesse atrapalhar sua entrega total e sem limites…
depois dela ter falado,ainda em pé voltaram a se beijar,enquanto suas mãos percorriam pelo corpo do outro,se acariciando,se alizando,se excitando….ele deitou-se de barriga pra cima e a haste gigantesca apontava para o teto do quarto,ela mamou e babou bastante naquela verga qua não parava de se agigantar….eu estava maluco,aquilo era cacete pra foder o cu de uma égua,ou de uma vaca,mas como entraria na bundinha de minha frágil esposa?… mas ali haviam dois alucinados sexuais,que se desejavam extremamente, e eu já não duvidava de mais nada….se essa era a vontade dos dois,se queriam foder-se,esfolarem-se,sangrarem, até arrefecer e saciar plenamente seus desejos infindaveis,que assim fosse,e agora eu ansiava pra que começacem o quanto antes,pois estava disposto a ver e observar todos os detalhes e com o prazer que passei a ter em ser o corno daquela situação, e agora muito mais corno,pois tudo acontecia na cama onde eu teria que ser o macho,mas só deixei minha esposa muitas e muitas vezes a ver navios,passando semanas e até meses sem fode-la um dia sequer…naquele instante e naquela cama agora realmente tinha um macho com M maiúsculo,e uma femea que o completava e o realizava totalmente,a mim restava ficar vendo e gozando,e ainda agradecer ao macho por me deixar ficar ali,sabendo que eu tinha prazer em ve-lo fodendo minha esposa, colaborando e até me propiciando melhores angulos de visão e audição pra que eu pudesse ver e ouvir tudo e todos os detalhes…
enquanto eu pensava eles iam se posicionando,o macho deitado de barriga pra cima com o mastro enorme,todo lambuzado com a saliva de sua femea,ela agora tentava sentar naquilo,mas seu ânus estava muito sensivel,James então resolveu me brindar com uma visão maravilhosa,posicionou minha esposa de quatro na beirada do colchão de forma que o ânus dela ficou de fente pra mim,a certa distacia que eu estava podia ver o quanto aquele cu estava sofrido e detonado,me pareceu loucura dos dois tentarem algo daquela forma,mas percebi que nada e nem ninguem os deteria de seus intentos,mais uma vez pensando em mim ele virou minha mulher pra uma outra lateral do colchão e ficaram de lado para mim e assim eu poderia ver o descomunal mastro ir entrando(se isso fosse mesmo possivel) na bunda de minha mulher…
vi que ele posicionou um pouco abaixo do ânus,na entrada da buceta,e falou:
#(agora minha cadelinha,trate de gozar bastante e melar todo esse cacete do teu negão….femea que é femea tem que produzir seus lubrificantes pra receber o macho todo…e hoje vamos dar o segundo passo pra voce se tornar completa…ontem foi a” abertura” desse teu cusinho lindo e delicioso, hoje ele tem que entrar até a raiz)*
ela suspirou e até gemeu quando ele disse isso,e dengosinha disse:
*(eu quero….muito mesmo….achei que já tivesse acontecido ontem….foi tão doloroso…tão fundo…achei que tivesse ido todo…me abriu toda…tá dolorido até agora….mal consigo sentar…).
…… e ele enquanto ia enterrando o monstrengo na buceta dela foi dizendo:
#(foi bastante sim minha cabritinha….mas ficou um terço dele fora….e tu não é femea que fica satisfeita sem engolir o macho todo…se não te conhecesse como te conheço, ontem já seria o suficiente..)#
ela gostou do que ouviu,já com quase todo o cacete cavalar enfiado em sua buceta.olhou pra trás com aquela carinha de tarada safada e foi dizendo:
*(voce me enlouquece….me conhece mesmo…não sei porque sou assim….teu pintão é gigante,me machuca,me causa dor,qualquer outra se contentaria com menos da metade….mas eu quero todo….preciso de todo…deixa assim fazendo força no fundo….voce me mata de prazer….me deixa gozar,só eu gozo,não enche meu útero agora…quero toda tua gala,atrás,depois do sofrimento vou precisar de toda tua potencia de ejaculação…)*
com ela dizendo essas coisas o macho teve enormes dificuldades pra não encher o útero dela naquele momento,a forma como ela dizia tudo, era mais um estímulo pra ele ejcular do que pra ele frear a ejaculação,mas ele atendeu aos apelos dela,foi retirando da buceta aquele porrete que parecia nunca mais ia parar de sair dela,e sabendo que ele não havia esporrado dentro,pude ver a quantidade enorme dos líquidos vaginais dela que melou toda a extensão do mastro e pingava o excesso…imediatamente ele foi ao cu,com os dedos recolhia os gozos dela em seu majestoso cacete e passava no ânus em flôr dela,o ato escabroso estava pra acontecer,o corpo fragil dela estremeceu por inteiro quando ele encostou a glande gigantesca e forçou a entrada do ânus,ele segurava firme as ancas dela não deixando que ela se afastasse um milimetro de sua verga,eu via os dedos das mãos dele afundando nas carnes brancas e macias das ancas dela,ele sabia que era o momento dele não ter piedade,não podia dar nenhuma chance dela recuar,ele empurrou sua virilha pra frente e a glande pulou pra dentro do esfincter anal,arrancando um grito da garganta dela,o corpo dela estremeceu todo,mas incrivelmente ela permaneceu sem querer escapar da terrivel enrabada,ele notou isso,suas mãos lentamente foram soltando as ancas dela,até ficarem estendidas junto ao seu corpo,ele ficou imovel,olhou pra onde eu estava,fez um sinal de cabeça pra que eu olhasse em direção ao traseiro dela,ele permaneceu imovel,estarrecido vi que lentamente ela projetava seu traseiro pra trás,em direção ao cacete dele procurando um pouco mais de cacete em seu rabo,até que deslizou mais um tanto de cacete para seu interior,agora ela suspirou e gemeu,ele permaneceu imovel,curtiando toda a submissão de sua femea,ainda faltava mais da metade para fora,ela olhou pra trás e viu o macho de olhos cerrados curtindo a posse,dobrou um pouco mais seu corpo e forçou seu corpo pra trás,eu não tirava mais meus olhos dali,e vi que minha esposa naquele instante era uma vadia alucinada por rola em suas entranhas,e ele se regozijava em me mostrar isso,ficaram nesse jogo excitante até que o cacete entrou até faltar uma terça parte pra fora(como havia ocorrido no dia anterior),ela tentou receber mais fundo,mas,por mais que tentava não passava daquilo,chegou então a vez do macho tomar as rédeas da foda,ele estava excitadíssimo, notou disposição em sua femea de recebe-lo todo em seu ânus, ainda em estado deploravel pelo arrombamento a que fora submetido,novamente firmou suas mãos nas carnes macias das ancas de sua femea,foi intensificando a pressão,pelo tamanho daquela jeba, já deveria estar pressionando a curva no final do reto,ele forçava e ela não pedia clemência,até que o cacete monumental ultrapassou internamente algum obstaculo,e dessa vez assustei-me com os urros dela ao mesmo tempo em que chorava compulsivamente,ele não se abalou,nem apiedou-se dela,só ficou imovel,seus dedos ainda pressionavam as carnes macias das ancas dela,ele sabia o que fazia,deixava-a bem presa e ele,para que não se fastasse e nem conseguisse escapar, pois conhecia a enorme capacidade de suportar dor que minha esposa possuia,os segundos passavam e o choro dela foi diminuindo,ia acostumando-se com o gigantesco volume que lhe alargava as entranhas,os dois imoveis,ela suspirava e gemia,ela girou o pescoço pra trás fitando as feições de seu macho,nesse instante eu mal pude reconhece-la,suas faces molhadas de lágrimas denotavam certo sofrimento mas muito erotismo,uma femea no cio,feições de tarada,narinas muito abertas,ofegantes,uma artéria bem dilatada salientava-se no meio de sua testa,e para completar sua transformação vi nos bicos dos seus seios que eles estavam compridos,enormes,pareciam dois dedos,e isso o macho tambem notou, ficou alucinado de tesão, e disse:
#(tuas tetas tão mostrando a femea que tu é…..tu grita e chora,mas os bicos de tuas tetas te desmascaram,eles dizem o prazer que tu sente quando sofre no cacete do teu macho….tu é a femea que eu sempre quiz ter….agora tu é minha….agora tu tem dono….e tu vai ter o que sempre precisou ter…)#
ele acabou de falar,grudou ainda mais suas mãos nas ancas dela e arremeçou seu púbis pra frente cravando o cacete cavalar até a raiz no ânus de minha esposa que gritou alucinada,dessa vez ela tentou escapar,mas estava totalmente presa por ele,a dor foi tanta que os bicos dos seus seios voltaram rapidamente ao normal,como eles estavam de lado pra mim vi que não existia nenhum espaço desencostado,aquele monstro descomunal que eu já conhecia tão bem estava totalmente atolado nas entranhas de minha doce esposinha,que gemia e chorava,a penetração tinha sido total,ele ficou imovel,olhando pra onde eu estava ele foi aliviando vagarosamente a pressão de seus dedos nas ancas dela,ele viu que eu observava tudo atenta e tesudamente,e vi que mesmo sem ele segura-la ela não se afastou nem um milimetro dele,estavase acostumando com a poderosa invasão, dominada plenamente,e começando a curtir aquele empalamento absurdo,dessa vez quando olhou pra trás seu olhar era de pura submissão,sua boca semi-aberta parecia esperar o premio por sua submissão total e esse premio veio,com o cacete cavalar enfiado até a raiz no ânus de minha mulher,ele curvou seu corpo totalmente sobre o dela e suas bocas se encontraram,naquela posição as linguas ficavam expostas, e eu podia ver como elas iam se lambendo,cada vez com mais sofreguidão e voluptuosidade,ela alucinada,começou a mexer levemente seus quadris,evidenciando a seu macho que já se adaptara com a penetração profunda,o que fez ele descontrolar-se totalmente e começando a fazer leves movimentos de cópula foi dizendo:
#( não existe outra como tu….porisso terá tudo o que merece….e o que tu quer e merece é muita rola…e isso nunca mais vai te faltar….tu me instiga…tu me deixa doido….)#
eu não acreditava no que estava vendo e ouvindo,meu tesão chegava à loucura, enquanto ele começou a bombar cada vez com mais potencia aquela estaca magistral na bunda de minha mulher,o corpo dela fraquejou e ela que até então estava de quatro, desabou no lençol, e aquele corpo enorme de seu macho foi sobre o dela,mesmo assim o cacetão estava profundamente enterrado nas tripas dela,aquela visão era assustadora,mas terrivelmente excitante,aquele macho de corpo negro enorme sobre sua femea branca de corpo pequeno e fragil,mas aquilo que podia parecer uma aberração,um absurdo,era justamente o que os excitava e os impulsionava para o ato ser cada vez mais intenso e arrasador…. ele fodia minha esposa na bunda,ela cravava suas unhas no lençol da cama, suportava e se entregava àquela aberração de forma incrivelmente submissa,enquanto o macho de forma implacavel estampava com seu peso e sua voluptuosidade o corpo dela sobre a cama,seus movimentos de cópula foram se tornando mais fortes e mais rápidos,ela dizia coisas desconexas,como não estar suportando e nem conseguindo segurar,que ele estava indo acima das forças dela, gemia descontroladamente,o macho diante disso tornou-se ainda mais dominante,e ouvi seus urros de prazer enquanto ele levantava seu torax e pressionava sua pelvis sobre as ancas e sobre as coxas de minha mulher,dava golpes profundos e ficava segurando lá no fundo,fez isso algumas vezes e urrando de prazer foi enchendo as entranhas de sua femea com sua semente gordurosa e farta,fazendo minha mulher gemer alucinadamente….. ele foi retirando a jibóia negra das entranhas dela,quando finalmente apareceu a glande gigantesca, em forma de cogumelo, apareceram tambem vestígios de sangue e de fezes,minha esposa estava estendida na cama,quando levantou seu corpo e encarou seu macho de frente ouvi ela dizer que estava envergonhada,que não conseguiu conter aquilo,entendi,então, o porque ela dizia não estar conseguindo segurar,ela havia se urinado toda,uma mancha úmida enorme sobre o lençol,mas aquele constrangimento dela começou a se dissipar quando ele lhe disse que a femea perfeita é aquela que durante a posse do macho não refreia e nem se contem,deixa seu corpo falar por si,não se impondo limites….minha esposa ouviu essas coisas e não se conteve,deitou seu pequeno corpo branco sobre o corpão negro do seu macho e beijou-o na boca,o beijo foi se alongando,se intensificando,se erotizando,uma loucura o quanto se desejavam,tudo iria recomeçar,eu não queria atrapalhar, estava disposto tambem a ver muito mais,mas ao mesmo tempo eu queria agora, ter contato com o corpo usado e abusado de minha espôsa,eu queria chupa-la e lambe-la todinha,ela tava sensivel e toda sujinha do seu macho,e isso me alucina,ele parece que leu meus pensamentos,e embora ainda tivesse mais de uma hora para ficar por ali deu uma desculpa que teria que se apressar pro seu trabalho e se foi,minha esposa ia entrar no banheiro quando me viu levantar da poltrona em que eu até então fingia dormir,e assustou-se,logo tratei de acalma-la,disse que havia acabado de acordar e tinha tido um sonho com ela que me deixou louco de tesão,ela disse que iria primeiro tomar uma ducha que estava toda suada,e eu dizendo que adoro todos os cheiros do seu corpo consegui leva-la pra nossa (nossa???)cama,me deliciando em estar com ela naquele leito,com cheiro de sexo,cheiro de macho poderoso, onde ela a minutos fora fodida de forma total,gemendo,chorando,sangrando,se borrando e se urinando toda sob o jugo do seu macho,ela havia estendido duas toalhas sobre a mancha úmida da cama,chupei e lambi aquele corpo alucinadamente,com um tesão que eu mesmo não sabia que tinha,e pra culminar esvaziei meu pequeno saco naquele cu completamente detonado por seu potente macho negro….
ainda totalmente nus,adormecemos exaustos,sem ao menos nos limpar, quando pensei que naquele sábado nada mais poderia acontecer,já eram umas 22 horas,o celular de minha esposa toca,ela vê o número de quem ligou e foi atender londe de mim,fiquei apreensivo mas ao mesmo tempo ansioso,só poderia ser ele,minha esposa volta pro nosso quarto com um copo de laranjada na mão,me beijando deliciosamente na boca me levou em direção à poltrona,sentei-me,ela me deu a laranjada,que bebi ansioso e com o coração aos pulos,em cinco minutos fiz o que sabia que teria que fazer,fingi dormir pesado,sem minha esposa sair do lugar,próximo à mim, a luz do quarto se apagou e a luz do abajur que iluminava a cama se acendeu,ouvi minha esposa levantar e abri uma frestra nos olhos pra poder ver,ela dirigia-se pra cama,ao lado da cama ele,enorme,majestoso,totalmente nu,o cacete incrivelmente enrijecido com dimensões assustadoras,os corpos nus se aproximaram,se enlaçaram,se atracaram……nunca vi e tive tanto tesão em minha vida,foi uma loucura que durou a noite toda….se quiserem saber os detalhes comentem que eu terei prazer em narrar.