Mudança Radical na minha vida

Click to this video!

Bem o que eu vou relatar para você e a pura realidade uma mudança radical de vida, quando eu tinha 19 anos conheci um menina que na época ela tinha 15 anos de idade, muito espevitada, namoradeira, sapeca mesmo, gostava muito de se mostrar, andava com shortinhos curtos mostrando a bundinha e que bunda redondinha maravilhosa, saliente, e que já havia namorado quasse todos da rua, mais era só fogo de palha, namoro só mesmo com beijinhos e amasso, nada de sexo, comecei namorar ela firme em casa, me apaixonei por ela, todos diziam que eu iria ser corno, ela era chamada de maria gasolina, não podia ver um carro, namorando em casa consegui convence-la a deixar eu foder o cuzinho dela, depois de algum tempo já metendo no cuzinho dele, num descuido escorreu e entrou na na boceta, mas eu já estava gozando acabei gozando dentro, dai fiquei metendo na frente, só que ele acabou engravidando, o pai dela era bravo, então antes que descobrisse resolvemos nos casar, casamos novos eu com 24 anos, nossa eu tinha um ciume doentio, pois ela gostava de usar roupas curtas, justas de mais, transparente, uma loucura, a gente brigava muito, não adiantava reclamar, ela dizia você me conheceu assim, ela estava estudando ainda com aqueles uniformes de antigamente nossa recebia muitas cantadas, uma loucura.

Se formou professora, logo nasceu o filho, temos dois, eu era caminhoneiro tinha que trabalhar muito para sustentar a família, ela acabou passando num concurso municipal e foi ser professora, não tínhamos tempo para se divertir, era só trabalhar, acabei passando num concurso publico também, vendi o caminhão e comprei a nossa casa, sai do aluguel, ai nossa vida começou a mudar, as crianças já estavam maiores, a gente podia sair para se divertir, íamos a praia ela colocava aqueles biquine curtinhos, nossa, depois dos filhos ela ficou mais gostosa ainda, encorpou, as coxas engrossaram, o quadril volumou-se e a bunda ficou mais saliente, não ao exagero mas no ponto, na praia não tinha quem não olhasse, eu gostava de ir na praia aos sábados, num destes sábados eu fui num local que havia uma barraca de um clube que uma firma jogava bola todos os sábado, só tinha homens, eu não sabia explicar porque eu ficava exitado vendo aqueles homens olhando para a bunda dela, nossa me dava um tesão danado, já não sentia tanto ciumes assim e mais tesão, eu acabei dizendo a ela, aumentando e claro, e disse os homens estão de rola dura olhando para esta bunda, ela riu, e falou deixa eles, olharem, o que e bonito e para mostrar, e deu uma rebolada, nossa, e disse, você deve gostar de ver eles me olhando pois me trouxe para cá, tanto lugar sossegado você veio parar aqui.

Ela estava muito gostosa, ela é branquinha, bem bronzeada, com a marca do biquine,cabelo castanhos claros, curtos, uma delicia mesmo, logo fomos embora, em casa os meninos não estavam acabei pegando ela e começamos a transar, eu estava louco de tesão, ela adora sexo anal, aquele bunda, comecei a foder o cu dela, e a chamar ela de puta, vagabunda, que estava querendo ser enrabada, que qualquer dia ele seria enrabada, por uma rola grande e grossa, a minha rola e pequena, um pouco grossa, ela rebolava a bunda, e eu socava, ela dizia vai filho da puta mete neste cu mete, me arrombada todinha com este rolão, eu já no auge do tesão perguntava tu queres uma rola grossa nesta bunda não quer sua puta e ela dizia que sim, nossa eu gozava muito, e ela perguntava você vai deixar eu dar para um piro cudo, eu dizia que sim, e a gente gozava.

Virou rotina falar estas coisas na hora do sexo, mais fica só na fantasia, cade a coragem para tal, quando foi no final do ano fui convidado para uma festa de confraternização de uma firma que prestava serviço na minha seção, combinamos de irmos, e fomos ela se produziu toda, uma churrascada muita bebida, comida, ela foi com um vestidinho curto rodado, bem a vontade, e uma calcinha fio dental que deixava a bunda toda aparente, depois de muita bebida, já bem soltinha, ela havia ficado conversando com umas mulheres, eu estava conversando com dos diretores ela veio ate a mesa pegar algo para comer, se debruçou nossa mostrou a bunda, deu uma olhadinha e saiu dando risada, o cara nossa ficou vidrado, já era umas 17 horas muita gente já havia ido embora, eu fui dar uma volta mais fiquei de longe só observado as atitudes dela, percebi que ele estava atiçando alguém, abria as pernas e fechava, deu um tempinho, ela deu uma disfarçada e veio falar comigo, eu disse amor vamos embora, ela disse agora, eu perguntei porque ela me respondeu estou flertando com aquele cara que estava conversando com você, ele me convidou para ir ate uma sala ali com ele, você deixa, eu disse você e quem sabe, ela me respondeu se for eu que sei eu vou, eu disse esta bem, mais fiquei de olho, eles entraram, numa sala, eu fui ver ele trancou a sala, nossa fiquei numa ansiedade, só em pensar o que poderiam estar fazendo, acabei gozando num canto ali mesmo.

Demoraram um bom tempo, nem sei quanto tempo acredito que mais de duas horas, logo ela saiu apresada e dizendo vamos amor vamos embora, eu perguntei o que houve, porque esta sangria toda, depois eu te conto, e saímos.

Já no carro no caminho de casa ela começou a contar, que ele tinha uma rola muito grossa, que ela havia chupado ele, e que ele pediu para chupar o meu cuzinho, ela debruçou numa mesa ele começou a chupar nossa que delicia, foi subindo e quando eu dei conta ele meteu na minha boceta, nossa dei um gritinho ele socou tudo, ai não dava mais para eu parar, estava bom de mais, eu só pensava em você quando me chamava de puta, e eu estava sendo uma puta mesmo, recebendo uma rola enorme na boceta e estava gostando, eu gozei umas três vezes, ele acabou gozando, eu perguntei ele usou camisinha, ela disse e claro, ele tirou a camisinha e ficou brincado pincelando a boceta e o meu cu, colocou outra camisinha e continuou pincelando de repente ele socou a rola dentro do meu cu, nossa que dor, dei um grito, ele socou tudo, ate o saco, e ficou brincando tirava e colocava nossa que coisa de louco, de repente senti que ele tirou a rola fora e meteu de novo, só que pelo que senti percebi não ser a mesma rola, parecia mais grossa, doeu quando entrou a cabeça maior, quando olhei para trás era outro cara, me disse calma amor deixa eu gozar gostoso, o filho da puta havia combinado com um outro cara, e na hora de gozar veio e gozou na minha boca o outro tirou a camisinha e gozou no meio da minha perna em cima da minha bunda, ai eu sai correndo, estou toda melada, nossa chegamos em casa ela quis ir tomar banho eu não deixei estava louco de tesão, tirei a calcinha dela e cai de boca na bunda dela e na boceta, sentia aquele cheiro de porra, ela começou isso seu corno chupa a minha boceta melada de porra chupa, eu lambi tudo a bunda dela, beijei ela ela disse ainda estou com porra na boca, acabei gozando e ela também, ela foi tomar um banho, eu fiquei pensando como pode eu deixei a minha mulher meter com outro cara, e ainda chupei a porra dele, eu devo estar louco, não acreditava o que eu tinha feito, ela veio e começamos a conversar, ela disse amor apesar de tudo eu adorei, obrigado, por me proporcionar este prazer.

Depois disso conversamos muito, eu acabei falando que eu gostaria de chupar a boceta dela toda melada de porra, mais para isso teria que foder sem camisinha, ele então me disse olha vou proporcionar este prazer para você, eu perguntei como assim, ela me respondeu o Marcio, e marido da irmã dela, segundo ela me contou que a irmã já havia comentado com ela que ele tem uma rola enorme, grossa, e que o Marcio já havia dado umas cantadas nela que ate já havia agarrado ela uma vez, e que ela iria dar para ele e ficaria esperando eu chegar, assim aconteceu ela inventou uma historia chamou ele, ele veio, ela estava bem a vontade ele acabou cantando ela, só que ela disse olha ate deixo, só que não pode demorar muito o meu marido esta para chegar, ele logo pegou ela começou a chupar ela, e meteram, ele meteu sem camisinha, gozou na boceta e no cu também, ele se arrumou foi embora, ela mandou ele encostar a porta e ficou na cama, logo eu cheguei ela na cama peladinha, dizendo vem amor estou todinha cheia vem, nossa quando eu olhei ela estava toda esporrada, escorria porra de dentro, ela fechava a boceta e o cu sai porra, eu chupei tudo, nossa acabei gozando na boca dela num 69, nossa que delicia.
Nossa vida agora e outra, gozamos muito, já transamos com outros elementos que conheci, ela já transou com os caras da festa outras vezes, sinceramente nunca me passou pela cabeça uma coisa dessa, jamais iria imaginar eu vendo minha mulher temer com outro homem e eu sentir prazer, uma loucura, mais uma loucura maravilhosa, somos muito mais felizes, espero que tenham curtido esta historia e verídica mesmo, adoro ver ela dando gostoso e chupar a boceta dela melada de porra.