Fui Toda Fodida

Click to this video!

Sou morena clara, 1.69 de altura, tenho 22anos, cabelo abaixo do ombro, 66 quilos, seios médios, barriguinha sarada, bumbum grande, coxas grossas. Sou bem gostosa – pelo menos é oque os homens dizem-, faço academia pra deixar tudo em seu lugar.

O que vou contar agr, aconteceu de verdade. Era sábado de noite e tava em um baile funk. Pra quem já foi, sabe que as musicas são bem ousadas e com a bebida, vira uma verdadeira putaria. Fui com uma cara que eu ficava de vez em quando (Ele tbm é moreno, um pouco mais que eu. tem 26 anos, musculoso, tem um rostinho lindo e chama atenção da mulherada por onde passa), bebemos muito e ele queria ir pra outro lugar mais calmo. Fomos.
Ele me levou pra casa dele, onde morava com o irmão (24 anos). Assim que a gente chegou lá, tava tudo escuro e parecia que não tinha ninguém na casa. Mas logo ouvimos barulho de alguém gemendo perto do quarto do irmão (Vitor),
ficamos na porta e ele tava acompanhado de uma garota, que gemia alto e gritava pra ele não parar de fode ela.
Acho que por causa da bebida, isso já me deixou cheia de tesão e a Eduardo tbm, que não perdeu tempo e me levou pro quarto dele. Eu tava com um vestido preto bem curto, uma sandália vermelha, bem maquiada, com uma bolsa pequena tvm vermelha. Vestia uma calcinha minúscula e um sutiã rosa.

Assim que entramos, Edu me deu um beijo bem gostoso, segurou forte no meu cabelo, com a outra mão ele apertava a minha bunda como se fosse esmaga-la. Ele sempre soube que eu adorava ser submissa, mas nunca tentara nada. Ele me beijava com força, me apertava com gosto… Isso foi me deixando louca de tesão. Ele beijava meu pescoço, mordia minha orelha e sussurrava no meu ouvido: ‘ Você é muito gostosa, tava me deixando louco dançando daquele jeito, hoje eu vou fazer tudo oque eu quiser com você. Tudinho’.
Eu já não tava mais aguentando, queria ser fodida por aquele homem. Nós nunca tínhamos transado, mas tinha certeza que daquela noite não passaria.

Ele se sentou e me mandou fazer tudo oque ele mandasse, sem questionar nenhuma ordem, pois senão eu sofreria as consequências. Achei estranho aquilo, pois ele nunca tinha falado comigo naquele tom, sempre era carinho… mas aquela noite tava rude, com um olhar frio e ao mesmo tempo cheio de tesão, estava grosso… Confesso que fiquei com medo, pois tínhamos bebido bastante.
Ele me olhou de cima a baixo, acendeu a luz e falou com uma voz autoritária: – Dança pra mim do jeito que você tava dançando no baile, só que muito mais sensual.
Comecei a dançar o mais sensual que conseguia: passava minhas mãos nos meus seios, virava pra ele e empinava a bunda, batia nela e olhava pra ele, ia abaixando com as pernas abertas bem devagarinho, passava a mão no cabelo, chupava o dedo, sempre olhando nos olhos dele. Tava dançando melhor que puta.

Ele foi ficando louco de tesão, passava a mão no seu pênis que tava a ponto de explodir pra fora da calça jeans. Ele me chamou pra dançar mais perto dele, agora tendo um contato físico. Fui imediatamente: me esfregava toda nele.
Derrepente ele se levantou e me deu um tapa no rosto, daqueles bem fortes, puxou meu cabelo e falou: – Tira esse vestido, antes que eu rasgue ele todo.
Com medo de outro tapa daquele, foi oque eu fiz, tirei e deu pra ele. Ele jogou o mesmo longe. E quando me viu, semi nua, falou: – Mas é uma vagabunda mesmo, olha essa calcinha… vira e deixa eu ver atrás. / Me virei.
– Nossa, que delicia. Vou te tratar como se trata uma puta, vou fazer com você tudo oque eu quiser e se voce reclamar, vou te bater pra valer… agora vem aqui.
Cheguei mais perto dele e ele puxou minha calcinha com tanta força que se rasgou, logo depois tirou meu sutiã e cheiro minha calcinha. – Huum, que delicia.. tá com a bucetinha cheirosa, sem nenhum pelinho, deve tar toda molhada né vadia?! / Ele me jogou na cama com toda força, tirou sua roupa deixando aquele enorme pau todo pra fora – que era lindo, enorme, devia ter uns 23cm e era muito grosso, nunca tinha visto tão grande-, subiu na cama e me mando chupar o pau dele dizendo: -Vem aqui sua putinha, chupa meu pau bem gostoso, chupa tudinho e se eu gozar vai ter que engolir, sem deixar cair uma gota. / Tava louca pra chupa-lo, pois do jeito que ele falava me dava um arrepio na espinha, que ia subindo e deixando minha bucetinha em brasas… Abocanhei aquele pau, que mal cabia na minha boca, sugava a cabeça e descia até onde eu conseguia, lambia ele todo, passei a língua pelas bolas e subia até a cabeça novamente. Ele segurava no meu cabelo e pressionava a minha cabeça, ditando como queria que eu o chupasse, tentava fazer eu engolir todo aquele mastro, enfiando seu pau até a minha goela, fazendo com que eu me engasgasse varias vezes. Escoria lágrimas dos meus olhos e ele ria e dizia: – Não tava me provocando? Agora aguenta, quanto mais você faz carinha de choro, mais eu gosto… que delicia de chupeta, é uma puta de verdade e das boas. Agora engole tudinho, que eu vou gozar na sua boca e lembre-se se deixar cair, vai apanhar.
Finalmente ele gozou, engoli aquela porra gostosa todinha, que delícia que aquilo tava…
Ele abriu as minhas pernas e começou a me chupar. Que sensação maravilhosa que eu senti, ele sugava meu clitóris, me fazendo gemer alto de tanto prazer, ele chupava muito bem, me fez gozar varias vezes na boca dele. Subiu em cima de mim e me deu um beijo muito forte e encaixou aquele pau na entrada da minha bucetinha, dava pinceladas que iam do meu grelo até o meu cuzinho. Com um movimento brusco ele forçou seu pênis pra dentro da minha vagina de uma vez só, que dor que eu senti, parecia que tava me rasgando toda, começou a força-lo ainda mais e eu pedia pra ele ir devagar, mas toda vez que eu reclamava da dor ele me batia no rosto com toda sua força. Finalmente aquele pau entrou e foi me laceando toda. / – Puta que pariu, é melhor do que eu imaginava, a putinha é apertadinha, mas pode deixar que a partir de hoje vai ficar toda larga. Se prepara que eu vou te foder até meu pau não aguentar mais e ele demora pra cansar…
– Por favor, com menos força. Tá doendo muito. Por favor, mais devagar… Eu imploro !
– A putinha não tá aguentando é ? Mas vai ter que aguentar, só paro de te feder quando eu ver que ta bem larga! / Ele parou por alguns minutos e pude sentir seu pau pulsando dentro da minha xaninha, latejava. Agora ele começara a chupar meus peitos, me fazendo quase gozar de tanto prazer, pude sentir minha xoxota se lubrificar ainda mais com aquela mamada gostosa. Ele voltou a me foder, mas agora, não sentia mais dor e sim uma prazer que nunca tinha sentido antes.. Ele me mandou ficar d4 e fou bombando na minha xota, cada vez mais fundo e rápido. Gozei feito louca, e pedia mais pra ele, pra me fuder mais a sua cadelinha. Não deu outra, ele enrolou a mão no meu cabelo, me batia na bunda e socava bem fundo aquele pau. Ficamos uns 20 minutos daquele jeito e perdi a conta de quantas vezes gozei…
Ele me mandou chupar novamente o seu pau e foi enfiando o seu dedo no meu cuzinho, e mais um, e mais um.. até que ficaram quatro dedos dentro do meu rabinho, ele lubrificou bem o meu cuzinho pra entrar toda aquela tora. Eu queria tanto aquele mastro dentro do meu rabinho que pedi pra ele se deitar, que queria sentar até meu cuzinho engolir tudo sem deixar nada pra fora e assim ele fez, se deitou e eu subi em cima dele.
– Quero esse pau dentro do meu cuzinho, sem deixar nada pra fora. Vou sentar muito nele e vou te fazer gozar dentro dele. Mas não pense que quando você gozar eu vou parar de sentar que não vou. / Levei um bofetão na cara que fiquei tonta. E ele disse: – Cala essa porra dessa boca, que quem manda aqui sou eu e puta não tem que falar nada. Vai sentar porque eu quero que você sente e se der mais um piu, vou te enfiar tudo de uma vez…fiquei 3 dias sem sentar depois que ele meteu tudo de uma vez…..