Cunhada amamentando

Click to this video!

Nunca pensei que algo assim me deixaria tão excitado. Para alguns, essa historia poderá ser até horrível, mas quem pode controlar o tesão que sentimos?
Tudo começou quanto minha cunhada se separou. Ela sempre foi gostosa, mas durante a gravidez, e mesmo depois de dar a luz, seu corpo ficou ainda mais delicioso. Com mais ou menos 1,60m de altura, cabelos escuro liso acima do ombro e pele branca, minha cunhada é dona de um belo quadril (com uma bunda maravilhosa) e um par de seios que normalmente já eram grandes e agora com leite materno, estou irresistíveis. Ela deu a luz a uma filha, muito linda por sinal, e com pouco mais de um ano de dar a luz, minha cunhada se separou do marido.
Ela ficou arrasada pois como não trabalhava e como a casa já era do marido antes do casamento, ela se viu praticamente jogada na rua, pois o agora ex não se preocupou nem ao menos com a filha de tivera.
Minha esposa ficou muito comovida com a situação e mesmo, a principio, contra minha vontade, ela chamou a Irmã para morar em nossa casa por um tempo até as coisas se arrumarem. Na hora eu pensei: “que porra, agora tenho que sustentar duas bocas extras. E nem foi eu que fodi essa puta (minha cunhada) pra falar que a filha era minha”. Mas depois, com a cabeça mais fria, fui aceitando a situação, já que afinal, não teria jeito mesmo.
Como estava trabalhado muito, na primeira semana que minha cunhada ficou na minha casa eu praticamente não cruzei com ela já que eu chegava muito tarde. Minha esposa, uma professora universitária bem estabelecida na sua área, estava com viagem marcada para um congresso fora do país e eu, que pensei que ficaria em casa sozinho, tive que ficar com minha cunhada e filha dividindo minha casa.
Na segunda semana que minha hospede estava em casa, com minha esposa já viajando, eu acabei ficando mais em casa no período da noite e então comecei a ver mais minha cunhada. Aqui começou aquilo que jamais pensei que aconteceria.
Como minha cunhada ainda amamentava sua filha, reparei que ela sempre estava sem sutiã em casa. Ela falava que “era mais pratico pois a filha sempre queria mamar”. Com aqueles peitos fartos com biquinhos sempre acesos percebi também que suas blusas sempre estavam molhadas de leite (ela tinha muito leite mesmo).
Aquilo, sem ter me dado conta, me excitava de uma forma que jamais pensei que ficaria. Como não tenho filhos ainda nunca tive um lactante tão próximo de mim. No começo pensei em disfarçar meu tesão, mas depois refleti e pensei: “foda-se, ela que é visita. Não vou ficar me escondendo na minha própria casa”. Na fazia questão de esconder que meu pau ficava duro e ela, seja porque precisava do favor da hospedagem, seja porque não ligava, nunca falava nada.
Passado dois dias da viagem da minha esposa (ela ficaria ainda mais 13 dias fora) era frequente eu ver minha cunhada e seus peitos molhando sua blusa passando para lá e para cá em casa. Mas nesse dia, eu assisti talvez umas das cenas mais excitantes da minha vida: ela amamentar a filha. Sentada no meu lugar do sofá (alem disso era folgada, claro) com um dos peitos para fora ela acomodou a filha no colo e pois o bico na boquinha dela que sugava com devagarzinho como se aproveitasse cada gota. Minha cunhada estava em transe com aquilo, pois ela amamentava e com os olhos fechados ela se alto acariciava o outro bico por cima da blusa. Vendo aquilo da cozinha não resisti e sem ela me ver eu comecei a bater um punheta deliciosa. Não sei se estava excitado com a filha mamando ou com a minha cunhada acariciando o outro bico ou se foi os dois. Depois de assistir aquilo tive uma ideia que me deixaria mais contente em ter minha cunhada na minha casa. Sabendo que ela não tinha pra onde ir, resolvi apelar para a boa e velha chantagem.
Naquele mesmo dia que assisti ela amamentando a filha, já na hora do jantar, tive uma conversa direta com ela:
Eu: “ola cunhadinha, tudo bem? Foda essa situação com seu marido heim?”
Cunhada: “ai nem me fale, já chorei tanto depois disso!! O pior que preciso arrumar um emprego mas agora não sei como! E minha filha? Como vou fazer? Ainda bem que vocês foram uns anjos em deixar eu morar aqui.”
Eu: “Então cunhadinha, era disso que eu queria falar. Sabe que não poderá ficar muito tempo aqui, né? Na boa, sei que é triste mas na real, esse problema é seu não meu. Só to deixando você aqui pela sua Irmã que não para de me encher o saco. Mas você não pode fica aqui pra sempre. Tenho planos pra casa e você não esta nele.”
No momento que falei isso soou meio duro mas queria que fosse assim pra ver a reação dela. E ela não me decepcionou! Seus olhos encheram de lagrimas e ela quase se ajoelhou aos meus pés:
Cunhada: “Pelo amor de Deus, eu sei que agora não posso ajudar, mas você não pode me expulsar daqui. Já não basta meu ex? se eu sair daqui não sei o que vou fazer acho que vou morar na rua…”
Eu: “eu sei, mas ai é foda né meu… você vai morar aqui com sua filha e eu vou sustentar todo mundo? Não sei…” E então ela mordeu a isca…
Cunhada: “faço o que você quiser. Limpo a casa, faço o jantar… o que quiser mas não me expulsa também!!!”
E ai dei a cartada final: “Ok, ok. Não precisa se humilhar não. Não quero uma empregada domestica porque a gente as se vira bem. E como cozinheira, pela amor de Deus, você é péssima na cozinha. Mas tem uma coisa que você pode fazer pra mim. Se você topar eu convenço sua irmã a deixar você morar o quanto tempo você quiser. Se não topar, faço a cabeça da sua irmã e no mês que vem você vai rodar bolsinha com sua filha em qualquer puteiro.”
Ela respondeu sem gaguejar: “Eu topo, topo o que quiser!!!”
Eu: “Ótimo!! Vou ser direto. Quero que você seja minha puta particular. Quero foder você enquanto tiver aqui. Você escolhe, pode foder só comigo e em troca eu deixo você morar e até ajudo a criar sua filha. Ou pode ser puta la fora e dar pra quantos aguentar pra poder dar comida pra sua filha.”
Cunhada: “é isso você quer ir pra cama comigo?”
Eu: “não só ir pra cama”. Quero você minha principalmente quando tiver amamentando sua filha. Eu vi você ontem amamentando ela e acariciando seu outro seio. Fala a verdade putinha, tava se excitando com sua filha mamando?”
Cunhada: “Não não (ela falou com espanto). Eu tava massageando o outro bico pra ela poder mamar se fazer força.”
Eu: “Sei sei. Foda-se!!! Quero saber quando vai amamentar ela agora?”
Cunhada: “Ela tem que mamar daqui a meia hora”
Eu: “Então daqui a meia hora vou te esperar na sala. Quero você pelada e com uma fralda de pano ok.” Ela acenou com a cabeça e pareceu aceitar as ordens que eu dava. De repente percebi que ela tinha um lado submissa que talvez o ex não tivesse explorado.
Passado meia hora ela estava na sala no sofá sua com a filha no colo já mamando no seio direito. A fralda de pano estava do lado dela. Cheguei perto, meu pau já latejando (eu estava pelado também), peguei a fralda e coloquei por cima do rosto da filha dela, mas deixando o outro seio a mostra. Fui direto no biquinho já aceso, e no primeiro toque muito leite materno esguichou e me acertou na barriga. Fui apertando com mais força o biquinho e ela parece sentir um misto de dor e excitação com aquilo.
Firme, ela continuava segurando a filha quanto ela mamava. Com ela sentada e eu em pé, aproximei meu pau no rosto da minha cunhada e falei pra ela: “vem, mama em mim quanto sua filha mama em você”. Peguei ela pelo cabelo e puxei com força pra meu pau. Enquanto ela me chupava, eu ouvia a filha dela sugando o seio direito e eu com minha mão apertava mais o bico do seio esquerdo dela.
Ela chupava com maestria. Primeiro envolvia a cabeça do meu pau com a lingua e sugava ele por inteiro. Ela me puxava e eu quase apertava a filha dela contra ela. Não aguentei e tirei a fralda do rostinho da filha. Queria ver ela mamando e queria que ela visse a mãe me chupar. Ela olhava com olhar inocente, sem sabe o que era. Os labiozinhos rosinhas sugando aqueles bico escuro me deixou mais excitado e, antes do que eu queria, sentir minha porra jorrando.
Não sei onde mirei sei que parte esporrou na boca da minha cunhada, que se assustou e largou na hora. Mas meu pau não pararia de esporrar. Com jatos contínuos, gozei uma duas três .. cinco vezes. Parte foi para o rosto da minha cunhada. Mas outra parte foi no corpo dela. Sem perceber esporrei nos seios dela e uma parte escorreu no seio direito onde a filha ainda estava mamando. Ela fez menção em pegar a fralda e eu falei que não. Ela obedeceu mas foi tirado a filha do seio e de novo mandei que não tirasse. Queria ver para onde minha porra escorreria. Aquele momento durou uma eternidade… mas numa outra hora eu termino a história.