O que não se faz por drogas

Click to this video!

É impressionante o que uma pessoa não faz pra conseguir drogas.
Eu sou contra e sempre fui contra as drogas. Acho que elas acabam com a pessoa e com a família delas.
Moro num condomínio grande, com 5 torres de 15 andares cada, e neste condomínio tem uma grande área de lazer (piscina, campinho, etc)
Estava eu curtindo um dia em casa, pois tinha resolvido matar o dia de trabalho, e acabei descendo para esta área de lazer. Além das piscinas, tinha uma área cheia de arvores, com muitos pássaros cantando, ou seja, um lugar muito bom para se desligar.
Estava eu, sentado no chão, encostado um uma das arvores, quase dormindo quando escuto alguns mulekes do condomínio conversando. Na verdade eram dois meninos, apesar de um deles parecer muito um viadinho, e uma menina.
Não reparei quem eram, só escutava a voz deles.
Eles não tinham reparado que estava la, por isso fiquei na minha.
Escutando as conversas deles, reparei que a coisa estava meio tensa, e me esforcei pra escutar melhor o que estava ocorrendo.
Eles estavam preocupados que não conseguiam mais grana para comprar a “marvada”, um deles já não conseguia mais grana com o pai, a menina já tinha vendido algumas coisas na casa e os pais já estavam desconfiando.
Nisso, comecei a gravar a conversa deles. Estavam tensos, pois estavam no ponto de precisar de mais droga e não sabiam o que fazer. Nesta hora, a menina expressou:
– Vou acabar dando o rabo pra conseguir grana
e o viadinho já soltou um gritinho e disse
– Ai, eu vou adorar dar o cu.
Nesta hora, eu me levantei e disse “Se quiserem grana, eu tenho”. Os três se assustaram. a menina e o menino saíram correndo, o viadinho ficou parado e não disse nada.
– Se quiserem grana, podemos fazer um acordo
– que acordo? disse o viadinho
– Vocês disseram que dariam a bunda por grana, eu tenho a grana, vocês tem a bunda, então…
O viadinho deu um sorrisinho e disse:
– Espera aqui que eu volto logo.
Ele saiu correndo e não entendi o que poderia acontecer. Não demorou muito tempo e o viadinho voltou com os dois fugitivos, e pediu pra repetir o que tinha oferecido a ele
– Dou 150 para cada um por um boquete, um cuzinho, e no caso da menina, uma xaninha.
O menino já recusou na hora
– Não vou dar o cu pra ninguém por grana
Olhei pro viadinho e pra menina
– E vocês? topam
o viadinho ficou todo alegre, acenando com a cabeça que sim
a menina ficou meio pensativa
– Vai rolar buceta também??
– Sim, claro que sim
– Mas ai não vale, você vai ter mais vantagens comigo do que com eles
ela estava certa, eu não estava a fim de comer o cu dos mulekes, queria comer a menina
– Não se preocupe, eles terão coisas piores
o menino novamente disse
– Não vou dar o cu pra ninguém
– Entao fica ai, que agente vai arrumar grana rápida
eles perguntaram aonde iriamos? meu apartamento, daqui a 15 minutos
– E você, vai ou não vai? perguntei pro machinho??
– Nem fudendo que você vai me fude
Dei risada e sai em direção ao meu apartamento.
Eles ficaram la discutindo entre eles.
Esperei ancioso e em menos de 10 mintos, toca a campainha. Era o viadinho. entrou todo sorridente, afinal de contas ele era o único que ia se divertir.
Ele já chegou querendo arrancar a roupa e eu pedi paciência, pois eu queria a menina.
Poucos minutos depois toca a campainha, era a menina. O nome dela era Claudia, tinha 14 anos, e além de linda, parecia ser muito gostosa
Ela já entrou meio receiosa e grudou no viadinho, como que querendo se proteger.
Perguntei se o menino viria e eles achavam que não.
Quando deu os quinze minutos, disse que começaríamos e nesta hora toca a campainha.
Era o menino, entrou de cabeça baixa, com cara emburrada e não disse nada.
Expliquei as minhas regras dizendo que queria boquetes deles, comer o cu dos três, e no caso da menina, rolaria uma bucetinha. Todo isso por 150 reais, e se rolasse algo a mais, seria 50 por cada “serviço extra”
Estamos todos em pé, então pedi para os dois meninos pagassem um boquete pra mim. O viadinho vai foi tirando meu pinto pra fora, dando uma punhetada e caindo de boca. O outro só ficava assistindo.
– Ou os dois chupam e não vai rolar.
O carinha não teve outra opção senão começar a chupar. Estava até engraçado pois o viadinho tentava ensina-lo a como chupar um pinto.
Quando os dois estavam la se revesando na minha rola, puxei a Claudia perto e comecei a beija-la na boca, e já passeava por seu corpo, apertando seus lindos seios.
As vezes eu parava pra ver os dois ajoelhados na minha frente chupando minha rola. Claudia até soltou um sorriso de tudo aquilo.
O menino tava ficando cava vez mais puto com tudo aquilo, e o viadinho se deliciando, foi quando pedi para os dois se beijarem na boca. O menino na hora disse que não, que não beijaria ninguém na boca
– Ou beija ou cai fora
Ele ficou super puto, chegou a levantar e eu pensei que ele iria mesmo embora, mas acabou cedendo ao beijão do viadinho.
nisso brinquei com a Claudia
– Nossa, tão lindo, eles se beijando…
Ela soltou um sorriso e continou a me beijar
– TODO MUNDO PELADO, exclamei a todos
o Viadinho a começou a tirar toda a roupa, e Claudia começou a tirar bem devagar e o menino, como sempre se recusava.
Poucos minutos depois, estávamos todos pelados. o viadinho pulava todo alegre, o menino de cara fechava, emburrada, e a Claudia toda envergonhada.
Mandei os três ficarem de quatro em frente ao sofá, pois começaria naquele momento a hora dos cus rodarem.coloquei uma camisinha, passei bastante gel na ponta e comecei a pincelar os Cus. O primeiro cu a pincelar foi do viadinho, que rebolou bastante, achando que seria o primeiro a levar a rola. Passei mais um pouco de gel e pincerei o cu do menino. Ele não disse nada, só enfiou a cara no sofá e ficou esperando. cheguei a pincelar e forçar, quando senti que a cabeça tinha entrado, fiquei um tempo assim até ele falar alguma coisa. Nada, ele não disse nada.
Tirei do cu do muleke, tirei a camisinha e fui por tras da Claudia e comecei a enfiar naquela bucetinha deliciosa. comecei a socar forte e rápido, e a putinha não disse nada, recebia a rola na buceta e só gemia.
Nesta hora o viadinho reclamou
– E eu???
nesta, eu joguei uma camisinha do menino e disse:
– Fode esse viadinho por mim
O menino não pensou duas vezes, se levantou, colocou a camisinha e meteu no cu do viadinho. Durante as trepadas, eu virei pro menino e disse
– divirta-se, porque você será o próximo.
Ele até diminuiu as bombadas no cu do viadinho, mas continuou assim mesmo.
O viadinho estava se realizando, levando a vara que ele tanto adorava no cu, e o menino ate que estava adorando, até que resolvi receber pelo pagamento que faria, então me levantei, coloquei uma camisinha e comecei a enterrar no cu do muleke. ELe tentava parar, mas eu forçava para entrar tudo, então enquanto ele comia do cu do viadinho, eu comia o cu dele.
E não é que o carinha acabou gostando????
Faltava um cu, o cu da Claudia, um cuzinho muito bonito pelo que via.
a Claudia realmente tinha um corpo muito gostoso, mas eu não queria come-la lá no sofá, junto com os meninos, ela merecia algo melhor, e por isso, a peguei no colo e a levei pra minha cama.
Lá, eu pude chupar melhor aqueles seios, aquela barriguinha, beijar com vontade aquela boca, chupar aquela buceta antes de dar mais uma rapidinho, e por fim, o Cu da Claudia.
Comecei a meter bem devagar e não demorou muito, estava socando com tudo dentro daquele cu, sem camisinha, sem nada.
Quando senti que estava pra gozar, disse no ouvido dela
– Aonde você quer que eu goze? dentro da sua buceta, do seu cu ou da sua boca
– Huuuuummmmmm, goza no meu cu.
Com isso, acabei liberando toda a minha porra dentro daquele cu delicioso.
Deixei meu pinto por um tempo dentro da bunda dela, pois queria sentir cada momento com aquela menina.
nesta escutamos gemidos na sala, e ficamos curiosos para saber o que estava acontecendo.
Fomos bem devagar, sem fazer barulho, ver o que acontecia.
E não é que o muleke estava la, de quatro, e o viadinho metendo rola no cu dele???
Ficamos la assistindo até que o viado encheou o cu do menino de porra, e saiu de tras todo sorridente.
Eu a Claudia começamos a bater palmas para os dois, que acabaram se abraçando e seu beijando.
Acabei pagando 200 reais para cada um, com a promessa de não contar nada pra ninguém, diminuir nas drogas e lembrar que a cada trepadinha com eles, teriam 50 reais esperando por eles.
Até hoje eles frequentam meu apartamento.