Vendi o carro e comi a esposa evangelica

Click to this video!

Sou moreno claro casado, não sou exatamente bonito, mas acho que tenho um tcham com as mulheres. Adoro ler contos e nunca escrevi, agora com quase 40 estou me atrevendo a contar minha primeira história, tomara que gostem.
Recentemente estava vendendo um carro, fechei negócio com um cara, meio tiozão, barrigudo, de bigode, pastor e quis por o carro em nome da mulher, multa essas coisas, ele ocupado na loja, para acertar documento foi a mulher, dona Célia, uma mulher de 34 anos, filha adolescente, meio feiosa, mas bem cuidada, escondida naquelas saias jeans enorme, aquelas roupas péssimas que as evangélicas usam, magra, mas impressionante o tamanho da bunda, imagina uma mulher magra, pouco peito, tronco fino, em cima tem o corpo de menina mas embaixo, enche o banco do carro, senta quase cobre o engate do sinto de segurança com as ancas, meio desproporcional o tamanho da bunda, um bundão mesmo e eu adoro bunduda, mexeu comigo!
Fui buscá la em casa em Osasco, longe para caralho e lá fomos para o cartório passar o documento do carro, conversa vai, conversa vem, ele fala bastante e eu também, veio um criança pedir dinheiro no farol, fomos falando que esse povo tem filho sem pensar e depois fica assim, ela falando do cuidado com a filha que já é mocinha tem 15 anos, aquela conversa de mãe conservadora, eu perguntei se ela casou cedo, disse que sim com 17 para 18 anos e virgem, era tão bobinha e novinha…..como se lamentasse sabe?
Rimos e a conversa foi fluindo naturalmente, mulher conservadora mexe comigo. Ahh, mas casar virgem é chato, melhor experimentar o sexo, se conhecer mais antes, imagina casar com alguém que não tem afinidade na cama, que não faz gostoso contigo….vi que ficou meio sem graça e me interrompendo disse, Ahh moço, nem me fale…..!
Fui falando de mim de forma discreta, mas apimentada para ver se ela contava algo, fui falando que a rotina é difícil que eu tenho afinidade com minha mulher, temos a mesma idade, que fazemos sexo gostoso e tal, mas a rotina diminui as coisas a senhora sabe como é dona Célia…..Ahh vou te chamar de vc, é mais nova que eu, ja tenho 40, sou um coroa Rsrs, que nada, tu é moço, parece ter menos, magro, meu marido que tem 53, mas parece mais de 70, muito velho, conservador demais, é difícil viu moço, só eu sei, a gente quando é nova não sabe nada da vida, depois é tarde……
Imagino Célia, tem dessas coisas, por isso que temos que ter experiências boas na vida, e a gente parado no trânsito e volta e meia para mudar a marcha eu roçava meu braço no dela e percebi que ficava super sem jeito, uma hora até arrepiouperguntei, vc não imagina que podia ter tido outras experiências sexuais? Ela ficou constrangida, mas acabou soltando, confesso que sim, imagino que a vida podia ter sido diferenteComo assim diferente, vc fala de fantasia, prazer? Ela meio sem jeito, falou, nem sei o que é isso, nunca tive prazera voz embargou, vi que quase chorou. É mesmo? Mas seu maridointerrompeu, ahh moço, sou jovem ainda, não sou amada, sou uma mulher que cuida da casa e ajuda na loja, nem de mim posso cuidar….aí chorou mesmo, parado no transito, abracei ela, vem cá, chora aqui no meu ombro, sou seu amigo, pode desabafar. Encostei e abracei ela forte de lado no carro, fiquei falando, calma, a vida tem dessas coisas, passava a mão pelos cabelose ela meio chorando, quente e eu de calça social com o pau já em riste, duro. Loucura isso, a mulher chorando, lamentando a vida e eu com o pau duro……eu abraçava, passava a mão nos cabelos dela e alisava seu rosto, pescoço, tocava seu labios com os dedos e abraçado tocava suas costas pela pela pequena abertura da blusa, fiz com carinho interesseiro mas verdadeiro, ficamos minutos assim, sentindo o calor do abraço, apertei ela forte, alisando, fiz cafuné na cabeça e fomos desencostando, dei beijos na face dela, falei que era jovem e bonita que tem a vida toda pela frenteela resmungando disse, minha vida já era…..não faço nada, não posso nada, só não sou gorda pq eu aumento só a bunda, nem me depilar eu poço, tenho vergonha de mim, sou peluda demais, pareço um macho pelada, quando jovem depilei as pernas e fui recriminada, sou toda peluda, milha virilha é toda cabeluda e ficou constrangida de contar, era um desabafo.
Passou o drama, claro que ela viu o volume do meu pau duro na calça, meu pau não é enorme, mas é médio e grosso, percebi ela olhando, mas aquele momento deu muita intimidade e deu para sentir que tinha um clima. Foi se desculpando pelo drama e tudo mais, eu super tranquilo, disse que a gente tem de ter amigo, é o que nos salva e ela ganhou um amigo para tudo, que podia ter confiança e tal e lá fomos nós para o cartório…..
Transito danado, falei que ela não tinha que se achar feia, pq ela é uma mulher bonita, tem sorriso lindo e corpo bem desenhado, e os pelos, eu mesmo até fantasio com mulheres das entranhas peludas, não gosto da moda de tudo depilado não, acho bonito o sexo feminino coberto de pelos. Ela disse, que bom que tu gosta, mas nem falo das partes intimas que estas só eu vejo, as pernas é que é difícil, olha e mostrou a canela, nossa, ela tem pelos até os tornozelos, realmente ela é peluda para caralho, tadinha, eu falei que achei bonito e tal. E fomos conversando de tudo, mas sempre conduzia para esse lado mais intimo e ela ficava meio tímida, quase tremia, mas me contava, comecei achar que tava louca de tesão, perguntei, há quanto tempo vc não tem sexo? Ela disse, tenho vergonha de dizer…….mas faz tempo, mas de um ano….nem acreditei.
Chegamos no cartório, uma fila do cacete, não deu para fazer a transferência do documento, ficou para outro dia, fui levar ela embora naquele transito a gente conversando com tesão danado, sempre pegava na mão dela brincando, paramos em café, me esbarrei nela, meio encoxando, fomos embora, marginal toda parada eu com uma vontade de mijar danada e conversando com ela, o pau de vez em quando ficava duro a cada coisa picante que a gente falava e já descontraída depois de uma tarde juntos e conversando sem parar, e falei que adoro dar prazer e tava louco para saber da curiosidade delaela falou que não tinha, mas riu…..e eu sempre dizendo que tava louco para fazer xixi, já em Osasco, andando por umas ruas meio estreitas, anoitecendo, parei para mijar na rua mesmofoi a oportunidade que eu precisava para mexer na curiosidade dela, parei numa rua daquelas sem movimento, encostei o carro perto de um muro e desci, de pau duro de imaginar que ela ia ver. Dei a volta por traz do carro fingindo esconder, mas abri a calça pau meio duro balançando e fiquei em pé bem na direção do retrovisor e olhando pra longe como se nem imaginasse que ela estava babando de verdifícil de mijar com pau duro, mas rolou, entrei no carro, vi que ela mordia os lábios.
Me desculpei pelo mal jeito, que eu realmente tava precisando, mas por dentro eu tava pegando fogo o pau duríssimo de imaginar que que ela tinha vista, com uma cara de constrangida nem falava direito. Falei de novo que eu adoraria saber das curiosidades dela…..que sendo recatada ela devia ter muitas fantasias…….ela falou, a gente as vezes imagina, mas quando a vê, é demais, dá calor, dá medo, mas também dá vontade demais. Claro que estava falando do meu pau né?
Falei, sabe que tem coisa na vida que a gente não sabe se vai ter outra oportunidade, é como se o mundo acabasse, ou é agora ou agora, sabe? Ela disse, eu sei sim, mas tenho uma família e medo demais, sabe…….eu sei, mas tb sei como fazer as coisas com segurança, vc confia em mim? Sim. Então Célia, diz que posso fazer tudo com vc, aiaiaiaiaia, pode sim, ai meu Deus que medo, o que vc vai fazer comigo?
Entrei num drive in, nem sabia que ainda existia, tinha umas 2 horas ainda para levar eladentro do carro, beijamos gostoso, fomos se pegando, ela tremia, sabe quando a pessoa tá em choque, coração disparado, uma sensibilidade, quando toquei o pescoço dela com os lábios ela gemia e tremia, pegava fogo, falava no ouvido dela baixinho, todas as besteiras, agora vc vai ser mulher como nunca, vai sentir prazer nas entranhas, vai gozar, vc merece, vc pode tudo, pegando nas pernas peludas dela, ainda resistente segurando minha mão, beijando ela, baixei minha calça até o joelho com cueca e tudo e dei o pau pra elahummmm, eu vi de longe, nossa, mas é grosso heim? Foi pegando no pau duro, nas bolas, foi passando a mão nele, melando a cabeça, latejando e dizia, que lindo, gostoso, o cheirofalei sente o gosto Célia, vc pode, é seu, mordeu os labios, nunca fiz isso, continuou segurando nas bolas e beijou a cabeça do caralho que tava vermelhíssima e latejando, mamou a cabeça, sem pratica, só mamou na cabeça, mas foi delicioso, a realização do sonho de uma mulher madura praticamente virgem, falei tenta por todo na boca…….ficou surpresa de eu beijar ela em seguida, fui falando no ouvido e subindo a saia dela, passando as mão nas pernas grossas, descemos do carro e ficamos beijando em pé na frente do carro, tirei a saia por cima, a blusa com sutiã e tudo, ela envergonhada, pegando fogo, peitos miúdos e bonitos, bicos pequenos, com alguns pelinhos, embaixo a calcinha, maior que minha cueca, pêlos grandes e pretos para todos os lados, muito peluda, quadril enorme, a bunda gigante mas sem barriga, rasguei a calcinha feia dela, deixei ela nua e fui passando o pinto na barriga dela e nos pelos da buceta, ela gemia, se encolhia, quando pus a mão na buceta, parecia um vulcão, já tinha melado até as coxas, tava escorrendo, imagina, um mulher fogosa muito tempo sem fuder, molhou os pelos todos, pus a bunda dela no capô do carro e meti em pé de pernas abertas, não quis ficar de 4 por vergonha da bunda peluda acredita!? Fodi ela assim mesmo, em pé, beijando na boca e fui enfiando, ela gemendo e pedindo devagar, o caralho entrou todo, ela tremia e delirava, tinha espasmos, eu com força bombei na buceta dela, tirando o caralho todo pra fora e socando fundo, metendo, fodendo, chamei ela de gostosa até de minha putinha e metendo com ritmo, sentia molhar até meu saco com aquele liquido bucetal, senti as contrações daquela buceta gulosa escondida no meio daquele monte de pelos gozando no meu pau e eu sem camisinha, não resisti e gozei dentro dela, enchendo ela de porraficamos de pernas bambas.
Nos recompomos para ir embora, chegando na casa dela o marido tava chegando cumprimentei ele, me despedi dela todo formal pegando só na mão, combinei com ele de fazer o documento outro dia e fui embora por isso e aquilo e fui embora.
De manhã ela fica só em casa, e eu passei a ligar todos os dias, mexendo muito no tesão dela, fantasiando, despertando mais vontades, até do meu desejo de comer o cuzinho dela, que jurou que isso nunca fariajuro pela filha, atrás nãomas sabe como é, falar é fácil……
Dias depois fui lá pegar ela para passar o tal documento, fizemos o documento rapidamente, demos uns amassos dentro do carro, ela chupou meu pau e fui deixar ela em casa, chegando liguei para o marido na loja, tava tudo certo, ele pediu para esperá lo, ia demorarfudeu, comi ela na casa deles mesmo. Uma loucura! Dessa vez tb foi rápido, mas delicioso, pude explorar melhor a bunda dela, chupei tudo, aquele rego cheio de pêlos, chupei a buceta e principalmente o cu dela, dei uns tapas na bunda dela e a mulher se transformou, ficou doida de tesão, ela nem sabia que podia ter esse efeito os tapas, trepamos no tapete da área de serviço, deitei e fiz ela agachar fazendo a buceta engolir meu pau, despertei nela o tesão no cu, pincelei o pau melado no cuzinho só para deixar com vontade e peguei ela de 4 metendo na buceta, ela nunca deu de 4 acredita? Fiz ela gozar fodendo de papai e mamãe no chão do lado da maquina de lavar. E nossa, impressionante o tamanho da bunda, bunda, enorme, gordinha, mas lindo aquele bundão, ninguém imagina aquilo com as roupas que ela veste.
O cara chegou, conversamos, todo sério, pediu para servir um café, tomamos e fui embora.
Continuei ligando pra ela, falando quase todo dia um pouquinho eu falava umas besteiras para ela por telefone e ficava doida de tesão, a minha ousadia, palavras safadas, tudo novidade para ela, ficava louca de tesão, faço ela falar que é minha putinha, só minha e tal, Imagina? Ela fala “sou sua puta” e chega a ficar ofegantee fantasiamos de todo jeito, se exibir mexe com ela, mas morre de vergonha.
Emprestei o apartamento de um amigo que mora em Osasco, perto do CARREFOUR, perfeito para se encontrar no supermercado. Se já tinha sido bom e gostoso na pressa, em lugares perigosos, imagina com fantasia, segurança, conforto e tempo, ahhhh fodemos de se lambuzar. Sabe que com carinho, paciência, tesão e principalmente curiosidade toda mulher dá o cuzinho, principalmente as virgens no ânus!
Como a gente já tinha fantasiado, encontrei ela no carrefour, tava de vestido, fiz ela ir banheiro e tirar o sutiã e a calcinha, ficar só de vestido e saímos pelo supermercado afora, ela com as bochechas coradas de vergonha, mas excitadíssima e eu perto dizendo, finja que tá tudo bem, ninguém sabe que vc tá sem calcinha, vc é minha putinha, e fomos passeando, imagina uma mulher recatada fantasiando isso, sempre que podia discretamente eu passava a mão na bunda dela, deixando a saia socada na bunda, aquele bundão mordendo o pano, disse que se sentia pelada, era como se todo mundo tivesse olhando pra elae eu andando junto falando putarias bem baixinho para elars. Entramos no carro e eu já de pau duro e ela doida de tesão, subi o vestido e fui passando a mão na buceta peluda dela, tirei o pau pra fora e ela foi chupando no transito, eu guiando ela abaixada chupando minha rola, passando perto de ônibus para as pessoas ver ela chupando a pica, quando chegamos no prédio pus meus óculos escuros nela um boné e fiz ela ficar com o vestido na cintura dentro do carro, para o porteiro ver a buceta peluda dela, o porteiro babou e ela ficou doidaquando entramos no apartamento, ela estava desorientada de tesão, já meti nela em pé, aquele calor do tesão, fodemos no chão da sala, no sofá, tirava o pinto da buceta lambuzada dela e fazia ela chupar, na cama, falei que ia comer o cu dela, ficou cheia de medo, mas tava tão hipnotizada pelo clima de tesão que relaxou eChupei gostoso, peitinhos, buceta e cuzinho, lambuzei com o liquido da buceta, passava a mão molhada com cheiro de buceta na cara dela, aí cuidadosamente passei ky no buraquinho, fui lambuzando bem com o dedo o cuzinho e fiquei de conxinha, falei para ela relaxar e confiar em mim, me encaixei atrás dela, pus a cabeça da pica naquele cuzinho medroso e virgem e fui brincando, sentia que ela contraíadeixei, fui brincando, até a cabeça ficou no ponto certo, não forcei, pus a mão dela no meu quadriu de ladinho…..vc puxa para entrar, vê se aguenta, se doer vc para……ahh, foi puxando, relaxou e senti a cabeça passar, sabe quando a cabeça passa pelo anel? Se sentiu segura, disse que tava doendo, mas não queria parar, com a outra mão fui massageando o grelo todo melado e ela gemia, foi puxando e eu aproveitava para fazer entrar…..ai tá doendo….quer que pare? NÃO, tava determinada a dar o rabo, aí fui entrando devagar e foi fácil, entrou todinho no cu dela e eu pedia para ela passar a mão no cu para sentir que tava todo dentrofui virando ela de bruços com o pau dentro, ficou de pernas abertas, aquele cuzão pra cima, pus um travesseiro embaixo para empinar ainda mais aquela bunda enorme e fui metendo devagar, disse que doia mas que tava se sentindo realizada, amando a sensação……e eu metendo devagar, sem camisinha metendo no cu peludo dela, sentido aquela delicia de foder o cu virgem de uma mulher casada recatada, tirava um pouco e metia de novo, fui aumentando o ritmo deixando só a cabeça dentro e metendo até o fim de novo, cu quente e lambuzado, contraindo, apertando o pinto quando metia fundo até que perdi o controle e comecei a bombar…….o desejo ficou maior do que eu podia controlar e já tinha metido bastante, bombei com força, segurando ela forte, que gemia, pedia para parar, gritava mas eu não parava, só chamava ela de minha putinha e meti com ritmo alguns minutos, sem parar, fazia aquele barulho de molhado e eu fodendo, fodendo com força até explodir gozando, gozei, esporrei, enchi o cu dela de porra e e fiquei alí imóvel em cima dela, sentindo ela gemer, o pau foi amolecendo, até amolecer de vez e eu tirar de dentro e ver aquela porra vazando do cu e ela sorrindo.
Repetimos isso várias vezes, comi o cu dela diversas vezes, já gozou com minha rola atolada no cu loucamente e tem sido mais raro, mas sempre que dá para escapar a gente fode e ela evoluiu, tá cada vez mais gostosa. Delicia compartilhar. Deixem emails, comente, adoro saber o que acham.