Meu avô foi o 1° a me enrabar

Click to this video!

Tenho dezesseis aninhos e me pareço bastante com a Kelly Ley, coicidentemente. Porém meus seios seios são enormes e objeto de desejo do meu avozinho, que sempre aconchega sua enorme benga entre eles, quase toda noite quando ele vai dizer boa-noite prá mim!! Eu ví ele enrabando, minha mãezinha, sem que eles me percebessem!! Eu havia ido até a antiga casa dele pegar as correspondencias quando ví um Escort amarelo XR-3 estacionado em frente. Achei estranho e adentrando a casa sorrateiramente ví minha mãezinha sentada com uma rolona entrando e saindo meladamente de seu cuzinho! Ao chegar em casa depois da escola, ví o mesmo escort na nossa garagem! Logo em seguida meu avó saia de dentro de casa em direção ao escort!! Então me toquei que o enrabador de mamãe era seu sogro! Eu tremia enquanto meu avô passava os braços em volta de meus ombros e perguntava o que eu achava de seu Escort amarelão! Eu com voz tremula balbuciava que sim. Seu Bruno, meu avô, notou minha aflição e disse que era melhor entrarmos. Minha mãe encontrava-se sentada de lado em cima das pernas com os braços em volta do pescoço de meu paizinho, sendo tremendamente amável com ele!! Como erámos felizes! Beijei a ambos e disse que ía tomar um banho! Resumindo, embaixo do chuveiro, conseguí gozar dedilhando meu grelinho e com tres dedos totalmente enfiados e dilatando meu cuzinho!! A indisposição inicial foi logo vencida pela minha ousadia já no segundo dedo que conseguí deslizar prá dentro do meu anus. Quando conseguí com algum esforço e dorzinha introduzir o terceiro dedo até a metade deles, eu parei de respirar um instante até me acostumar e sentir o desconforto passar e em seguida, lentamente deslizei prá fora um pouco meus tres dedos,passei a empurra-los lentamente de volta prá dentro do meu cuzinho! Meu clitóris era friccionado como nunca havia sido antes, enquanto agora, o vai-vem apenas com dois dedos se tornava mais dinamico!Não sei porque, mas perto do meu gozo me deu uma imensa vontade de me dilatar mais ainda e então juntei meu dedo médio aos outros dois e os enfiei o mais fundo que pude prá dentro do meu tubinho anal!! Gozei como louca, que cheguei a emitir um grito! Maravilhoso! Eu havia me auto-deflorado analmente (assim pensava eu!). A boquinha do meu anelzinho anal estava sensível quando sentei prá jantar com a familia. Depois, quando estávamos todos vendo tv, como sempre me avô se retira prá varanda, prá ler alguma coisa. Desta vez porém, ele se dirigiu para a garagem e me chamou prá ir junto. Neste momento mil pensamentos me confundiam. Eu amava Marcelo. Eu queria dar prá ele! No entanto vendo agora aquele homenzarão, que eu sentia que era um macho que sabia tratar e dominar uma femea, alí me chamando prá ir ver o carro dele, minha xaninha se molhou ao mesmo tempo meu cuzinho ardia maravilhosamente! Lógico, jamais eu pensaria em dar pró meu avô! ERa pura loucura!! Pecado!!Era Marcelo quem tinha que me comer!! Mas, mundo louco, eu queria a rola de meu avôzinho me dilatando meus buraquinhos!!Assim, vestida com um discreto shortinho e uma blusa que teimava em não esconder meus imensos seios, calcei minhas sandalias e corrí atrá dele! Bruno era alto, nem gordo nem magro. Tinha 56 anos, era professor e muito popular com a garotada. Eu adorava ele. Eu me sentia uma super-girl por ter dois heróis dentro de casa! Ele disse que íriamos dar uma volta.Fomos para orla da praia. Paramos numa barraquinha para tomarmos água de coco. Ele me perguntava sobre minhas notas e o papo acabou sobre meu namoro com Marcelo. Aí, me sentí tão magoada que comecei a chorar baixinho. Ele disse que era melhor voltarmos prá casa, enquanto me confortava dizendo que eu era muito especial e bonita! E que eu seria sua namoradinha!! A escutar aquilo, mesmo sabendo que era brincadeirinha, me derretí toda! E então meu instinto de femea conquistadora lentamente foi aflorando e respondí que aceitava ser até mais que sua namoradinha! E dei uma risadinha que me pareceu ser sensual!! Deus! Eu estava me transformando sem me controlar!! Meu vô pareceu não perceber. Eu sentí que era o momento e exclamei que estava com calor, enquanto distraidamente desabotoava quatro botões da blusa, expondo meus bojos juvenís, cor de pessego, prontos para serem mamados. Meu avô, disfarçadamente dava olhares para meu busto enquanto tentava conversar. Eu lhe perguntei se beijar de língua era mal. Ele não sabia o que responder. Perguntei então se eu podia deixar Marcelo me beijar os seios!! Bruno, parando no sinal, me encarou e disse que ele não era pessoa prá me orientar sobre isso! Eu respondí, que entendia, porém ele era a pessoa certa prá me ensinar essas coisas!! O carro morreu com o susto que meu vozinho levou! Antes que ele se recobrasse, apalpei sua coxa (louca, louca eu estava me sentindo!) e dise que queria ir prúm lugar discreto! Falei isso firmemente, lhe encarando (não sei daonde saiu tanta coragem!)Bruno se virou prá mim enquanto ligava o carro e partia e perguntou zangadamente se estava louca! Não desviei o olhar dele e com voz meio furiosa disse-lhe que tinha visto ele com minha mãe naquela manhã! O carro morreu de novo! Esperei dessa vez ele se acalmar e ordenei que fossemos para um lugar que eu sabia que ele podia me agarrar! Lá, sem que ele esperasse, pus em prática o beijo chupão que tinha aprendido a dar semanas antes. Bruno, agora calmo, respondeu ao meu beijo e foi me dominando com a boca e com sua lingua serpeteante, que eu imaginava como seria em redor de meu anelzinho!! Eu praticamente amolecí enquanto o extase já começava a ferver dentro da minha xaninha, em volta de meus seios e mamilos, do meu cuzinho entumecido devido minhas dedadas no chuveiro! Bruno descolou seus lábios dos meus e iniciou uma conversação de como deveríamos nos comportar, e juramos segredo eterno.Assim, naquele momento tive nas mãos por um longo tempo aquela piroca maravilhosa pela primeira vez, enquanto meu avozinho acariciava com maestria minha xaninha e meu grelinho!! Minha mão quase não circulava aquela grossura! Bruno, meu amado avô, macho da mulher do filho dele, me beijava delicadamente, quase me sufocando com sua lingua se degladianbdo com a minha me fazendo ter outro tremendo gozo naquele dia!! Eu lhe disse que queria que ele me ensinasse a chupar sua piroca e já baixando a cabeça pró seu colo, quando vimos um carro da policia se aproximando. Resolvemos voltar prá casa, porque também já era hora!! Eu estava frenética e tentava esconder esse comportamento, por isso fui logo pró meu quarto. Me masturbei duas vezes prá baixar meu fogo. Mas não adiantava! Duas horas depois, eu tentava pegar no sono, quando notei a porta do quarto ser lentamente aberta, e aquele deus de cabelos grisalhos veio se sentar na beira da cama, me acariciando o rosto, os cabelos e depois me ajudando a tirar a camiseta que me servia de camisola, me deixando completamente nua!!Um pouca atemorizada mais cheis de tezão lhe perguntei se não era melhor deixarmos para irmos num motel no dia seguinte. Vô Bruno me respondeu que papai e mamãe estavam fazendo o quê nós iríamos fazer agora!! Fui novamente dominada pela aquela boca colada na minha enquanto meus seios foram suavemente esmagados por aquelas mãos enormes!! Meus seios eram tão cheios que mesmo sua enorme mão não conseguia fechar em volta!! Chupões, mordidinhas mil em meus mamilos foram o suficiente para que eu, uma ninfetinha de dezesseis aninhos agarrase um homem másculo de 56 anos pelos cabelos e direcionasse sua boca para a minha xana sedenta por beijos e chupões!! Parei de contabilizar quantos maravilhos orgasmos eu fui premiada com boca de meu vozinho!! Eu me contorcia feito uma serpente e meus gritos eram abafados mordendo a base do meu dedo polegar!! Bruno agora meu macho queria sua porção do saque!! Enquanto eu me recuperava, ele veio sentar-se quase em cima de meus roseados seios. E confortavelmente sem deixar seu peso me sufocar, colocou sua imensa bega, com aquela cabeçorra derramando pré-gozo, entre o vale de meus fartos seios!! Eu automaticamente, espalmando ambas as mãos em ambos os bojos lateralmente enluvei quase que completamente aquela colunona de carne e de meus desejos!! Bruno suspirou fundo enquanto sua tora era massageada pelas carnes de meus lindos seios de adolescente!! Gotas de pré semem continuavam sendo despejadas em meu colo, lubrificando mais ainda nossa fricção e deixando um brilhoso rastro por onde aquela cobra deslisava!!Sentindo que seu orgasmo estava próximo, vô Bruno se levantou de meu torso, eu então surpresa, segurei sua vara e fui aproximando meus lábios daquela cabeçona arroxeada, não querendo deixá-lo escapar! Cheguei até dar um tremendo chupão na ponta da glande, porém meu ozinho disse que eu ainda não estava preparada para praticar uma perfeita chupação nele e pediu para eu me virar de bruço!! Meus desejos seriam realizados!! Meu maravilhoso avô iria saborear meu cuzinho guloso!! Iria fazer de mim sua segunda femea!! Ele seria o dono dos cuzinhos da mãe e da filhinha!! Bruno, corneava o próprio filho dentro de casa e agora ía tornar a filhinha de seu filho em sua femea! Eu seria sua neta amante, sua amante putinha!! Involuntariamente, talvez por instinto, espalmei minhas mãos em ambas bandas de minha buchechuda nádegas, separando-as o máximo e expondo meu solzinho rosado para uso e abuso de meu macho, meu vozinho! Em segundos eu estaria desmaiando de gozo quando das primeiras pinceladas da ponta da lingua dele em meu cuzinho!!Quando ele conseguiu introduzir um pouco mais da língua no meu cu, eu apaguei!!