Aposta sexual – descobrindo um segredo – parte 3

Click to this video!

Bom de manhã quando acordei Beto ainda estava dormindo o sono dos justos com aquele corpo lindo e gostoso que me dava muito prazer, mas meu momento de amor foi interrompido por Jefinho que entrou no quarto fazendo chacota da cena foi quando Beto disse que é isso meu irmão sou espada essa puta aqui é só pra usar mesmo, naquele momento eu coração se quebrou em mil pedaços e Jefinho me mandou levantar e ir no quarto da minha mãe e arrumar tudinho para que ela não percebesse que ela deu quase que a noite inteira pra ele.
Quando eu cheguei lá o quarto dela nem parecia o mesmo todo bagunçado e ele ainda de bruços na cama, aquele quarto cheirava a sexo e seu corpo estava todo marcado, Jefinho judiou mesmo daquela puta sua buceta escorria muita porra e seu cuzinho quer dizer cuzao estava todo arrombado lembrei logo de mim quando fui arrombado na primeira vez.
Logo depois Jefinho me disse que era pra fazer tudo direito enquanto ele e Beto iriam arrumar as barracas no quintal para que quando minha mãe acordasse iria ver a gente no quintal e mesmo que ela dissesse algo eles iriam contar a mesma coisa que não saímos das barracas a noite inteira e não ouvimos nada porque caíram duros de sono, então quando minha mãe acordou nós entramos dentro de casa e ela nem conseguia andar direito e falou que alguém tinha estuprado ela, nos falamos que não ouvimos nada e ela disse que estava sentindo que alguém tinha lhe arrombado e os meninos como assim com uma cara de safados que ela não percebeu e ela disse que era pra esquecer então Jefinho disse se ela queria ir na delegacia e ela falou que não porque não iriam acreditar por ela não lembrar de nada e não tinha testemunhas .
Bom ficamos no meu quarto e Beto disse cara você acabou com a vadia e Jefinho rindo falou é mesmo deixei ela louquinha na cama fiz ela gozar gostoso na minha pica então eu disse que era mentira e ele disse quer ver eu gravei tudo e tirou seu celular do bolso e colocou um vídeo onde ele estava enrrabando minha mãe e dava pra ouvir um pequeno gemido no quarto fora o barulho da pélvis dele batendo contra o rabo dela foi quando ele puxou o cabelo da minha mãe e sua face era de prazer e ele gritava está gozando safada, gozando com uma pica no cu e dava pra ouvir ela gozando porque logo depois Jefinho disse olha a safada ta jorrando pela buceta e metia cada vez mais forte e dava tapas na sua cara e ficava falando tia Neide que fantasia estranha de dar pra mim fingindo que ta dormindo mas to adorando.
Eu perguntei porque ele disse aquilo no vídeo e ele apenas riu mas não disse e pela cara de Beto ele já devia saber o que seu amigo cafajeste iria fazer, passamos o resto do dia na barraca até que Beto disse que iria embora pra sua casa e que depois se falavam e me deu um apertão no rabo que me arrepiei todinha, Jefinho riu e falou nossa a putinha só fica no tesão de dar, depois que ficamos sozinhos ele me chamou para irmos na sua casa e quando chegamos lá só estava sua mãe porque seu pai viajava a trabalho e sua irmãzinha de 11 anos estava de férias na casa dos avós, então cumprimentei sua mãe dona Ana e quando entramos era praticamente um quarto de garoto foi quando eu estava ali olhando tudo ele já veio apertando minha bunda por cima do calção e me disse que era pra que eu fica-se de joelhos e mama-se sua pica eu disse que não porque sua mãe estava na sala ele me deu um tapa que sua mãe perguntou o que tinha acontecido e ele disse que nada e me disse que não tinha perguntado nada e que iria se pior pra mim.
Fiquei de joelhos e tirei sua calca e comecei a minha função de escrava chupando como ele gostava e depois de uns 10 minutos sua mãe perguntou se nos iriamos querer alguma coisa e ele disse que não, eu sabia a porta do quarto não estava trancada e que se ela entrasse ali iria me ver naquela situação então Jefinho mandou que eu ficasse de 4 e tirou minhas calcas eu nem reclamei por saber que apanharia de novo então não demorou muito pra sentir aquela pica invadindo minhas entranhas eu já nem mais sentia dor por já estar acostumado, com ele eu não sentia prazer como com Beto, foi quando ele começou a gemer e dizer que adorar fuder uma puta safada eu pedia pra ele não gritar assim porque sua mãe poderia ouvir mas ele nem ligava foi quando sua mãe entrou com tudo no quarto e me viu naquela situação tentei sair mas Jefinho não deixou e ainda disse quietinha ai sua piranha que não acabei com você e olhou pra sua mãe e disse e você o que faz parada ai vai pra sala que depois te procuro.
Sua mãe saiu de lá e não disse nada e eu fiquei chocado com aquela cena mas voltei a realidade sentindo as estocada dele o meu cu e foi quando ele montou em mim e gozou rios de porra no meu rabo, depois ele disse que iria cuidar da outra puta e saiu pelado do quarto e eu curioso sai sem ele perceber e eu vi uma cena que não acreditaria sua mãe de joelhos chupando seu pau olhando em seu olhos e ele dizendo ta gostado safada do gosto do cu daquele viadinho depois ele colocou ela de 4 e sentou a pica no rabo dela que ela deu uma chorada que deu pra ver que ela também não era acostumada em dar o rabo e ele castigava ela cada vez mais até que quando estava pra gozar fez ela ficar de joelhos e gozou tudo em sua boca e ainda jorrou um pouco na sua cara e depois disso tudo ela perguntou quando ele iria terminar com aquilo e ele disse quando ele quiser e deu um tapa na sua cara e mandou ela fazer algo para ele comer e ela foi toda obediente.
Comemos e eu e sua mãe ficamos nos olhando com cara de vergonha até Jefinho me chamou pro seu quarto acabou me contando que pegou sua mãe dando para um carinha e filmou tudo e como ele sabe que seu pai era muito violento e não aceitaria traição começou chantageando sua mãe até o ponto que começou a fuder ela até tirar a virgindade do seu rabo que nem o amante conseguiu fazer até que eu pedi se podia ir embora e fui liberado sem antes mama- lo de novo e tomar mais porra, e fiquei relembrando tudo que aconteceu desde o dia que dei a 1 vez pra eles, o dia que eles fuderam minha mãe até o dia que vi o Jefinho fudendo a própria mãe e percebi que minha vida não seria mais a mesma, e as férias acabaram e quando estava na escola já dei de cara com Jefinho e Beto que sorrindo me chamaram e já avisaram que era pra me encontrar com eles na sala na hora do recreio e quando isso aconteceu Jefinho me mandou entrar e já mandou que eu ficasse de joelhos e começasse meu trabalho eu fiquei com medo de alguém ver e parece que ele lia meus pensamentos e já falou pro Beto vigiar e era fácil porque minha sala era no fim do corredor e não tinha como alguém chegar lá sem que ele visse.
Então chupei por muito tempo até que ele já me botou de 4 e sentou a pica foi rápido por causa do tempo depois Beto disse que era sua vez e nem quis a mamada e já meteu a pica e demorou um pouco até que Jefinho disse que já estava vindo gente e ele num urro abafado me encheu de porra. Ficamos fingindo que não tinha acontecido nada e passei a aula toda com porra escorrendo de meu rabo até que acabou as aulas e eu tive que colocar minha blusa em volta da cintura pra disfarçar minha calca suja de porra, quando cheguei em casa minha mãe ainda estava abalada por tudo que tinha acontecido com ela e me chamou e perguntou se não tinha acontecido nada naquela noite porque ela ainda não entendia e eu com medo de o que poderia acontecer por contar fiquei calado, vi em seu olhos que ela estava com vontade de chorar e até fiquei com vontade de lhe contar toda verdade mas minha vergonha e humilhação me impedia.
Bom galera depois continuo porque já ficou muito grande esse, até mais.