Comendo Minha Filhinha

Click to this video!

Tudo bem pessoal? Eu não vou dizer meu nome de verdade, mas podem me chamar de Paulo. Eu sou um PM aposentado e recém divorciado. Estou bem acima do peso, tenho cabelos brancos e uma filha, a Bia. Uma menininha doce de 9 anos de idade.
Desde o divórcio quase não nos vemos mais, e sinto muita falta dela. No último fim de semana a mãe dela deixou-a aqui em casa. Estava um dia quente e íamos passar na piscina.
Ele chegou e pulou em cima de mim com um abraço bem gostoso. Me beijou na boca, ela sempre fez isso, um selinho lógico e já falou que ia se trocar. Eu fui pro meu quarto também botar uma sunga.
Quando eu tirei a cueca ela apareceu, me pedindo pra ajudar a amarrar o biquíni eu me cobri rápido mas sabia que ela tinha visto meu pau mole e os pentelhos grisalhos.
_ Papai, você pode amarrar o meu biquíni.
_ Bi, você não pode entrar assim no quarto do papai, eu tava me trocando.
_ Tudo bem papai, eu já vivi pênis no livro da escola, mas era pequeno no desenho.
_Deixa eu amarrar isso e você deixa eu me trocar. Olha pro outro lado.
Eu coloquei a sunga e amarrei o biquíni dela. Ela me abraçou de novo e me agradeceu e nos fomos pra piscina.
Brincamos muito, eu estava ensinando ela a nadar e ela estava começando a pegar o jeito.
Mais tarde fomos tomar banho pra jantar. Eu estava no chuveiro e ela bateu na porta.
_Papai eu tô apertda.
_Eu já tô saindo.
_Mas eu tô muito apertada, mamãe falou que faz mal segurar.
_ Não dá pra esperar 5 minutos?
_Abre logoooo.
Eu me enrolei na toalha e abri a porta. Ela ainda tava de biquíni e ele estava meio apertado, ela tinha crescido muito no último ano, e tava entrando na bucetinha dela. Eu encarei por mais tempo do que eu pensei e ela me pediu pra virar. Eu entrei no box de novo e voltei a tomar banho. Dava pra ouvir o chiado dela mijando, e ela deu um suspiro. Por meio do box com vapor eu via a sulheta dela, e ela parecia estar olhando pra mim. O que eu não notei que ela também via minha silhueta e meu pau estava em riste.
Eu virei quando notei mais sabia que ela continuava olhando.
_Posso tomar banho agora?
_ Papai ainda não terminou.
_Lembra que a gente tomava banho junto?
_Mas isso faz tempo, agora não pode mais.
Como eu estava virado, não vi ela entrando no box, peladinha com aquele corpinho lisinho, pele rosada. Eu não conseguia parar de olhar pra linda bucetinha dela.
_Vem bebê, eu vou ajudar você a se limpar.
Eu peguei a sabonete e passei nas costas dela, ela sentia cócegas e ficou meio mole. Fui descendo até a bundinha redondinha dela e ensaboei ela toda, até no reguinho. Fui me aproximando e roçando meu pau entre as pernas nas costas dela devagar, em meio a passada de sabonete acho que ela nem notou. Ai eu virei ela e lavei a barriga e depois eu passei a mão por cima da buceta dela. Eu tremia de tesão. Ela estava me olhando com uma cara calma, não se incomodava. Mas quando eu virei ela viu meu pau.
_Nosssa pai, ele ficou maior do que tava agora pouco, é assim mesmo?
_ Ele cresce sempre que a gente tá perto de quem ama, ele crescia pra sua mãe e cresce pra você.
Enquanto eu via o rosto alegre dele eu passava o dedo no grelinho dela, e ela começou a virar os olhos. Eu ensaboei a buceta dela e fui colocando o dedo devagar. Ela foi ficando mole e se soltando, se inclinou pro meu lado, se segurou em mim e passou a outra mão no meu pau. Era tão macia e pequena a mão que agarrava a cabeça do meu pau. Eu não aguentava mais.
Terminei o banho Fui até o quarto e peguei um sonífero meu. Sabia que não era muito forte. Dei pra ela e disse que era vitamina. Ela tomou e durante o desenho que assistíamos ela foi ficando sonolenta. Eu enfiei a mão dentro do shortinho dela e ela não conseguia falar mais. Eu coloquei o dedo inteiro dentro dela e senti ela se contorcer.Tirei o short e rasguei a calcinha, ele deu um gritinho de leve e eu fiz carinho na barriga dela. Subi no peito dela e botei meu pau na boquinha. Joguei um pouco de lubrificante comestível e falei pra ela que era docinho de morango pra ela chupar. Ela começou a lamber a cabeça do meu pau e ia a loucura. Eu já estava quase lá. Peguei um tubo de lubrificante abri a bucetinha dela e joguei bastante. Ela estava bem mole mais acordada. Eu encostei a cabeça do meu pau na entrada da buceta dela e fui colocando. Ela começou a gritar e me pedir pra parar. Eu tapei a boca dela e continuei a forçar. Ela tava deitava esticada na cama e com meu peso ela nem se mechia. Eu meti com força, e entrou quase tudo. Eu pude sentir o selinho dela rasgando e um pouco de sangue escorreu. Ela gritou contra minha mão, e eu comecei a estocar sem dó, mexendo com o dedo no clitóris dela, e com o tempo ela foi se soltando. Estava com os olhos virados e gemendo ao invés de gritar. Eu já metia como na mãe dela entrando e saindo por inteiro com meu pau grosso. Botei ela de quatro, e depois por cima, e mandei ela cavalgar. Ela não conseguia, estava muito mole, então eu levantava o rabo dela com a mão e trazia de encontro a meu pau. Tava muito gostoso comer a minha filha, já que minha mulher não me dava mais.
_Veu amor, que papai vai te dar leitinho pra você dormir. Eu tirei ela de cima de mim, virei de lado e botei o pau áté a garganta dela e esporrei. Gozei litros, como não gozava a anos e ela engoliu tudo. Depois dei mais do lubrificante de morando pra melhor o gosto e ela dormiu. Enquanto ela estava apagada ainda comi mais um vez, deixei ela de frango assado e gozei dentro dela. Não posso esperar o próximo fim de semana.