O Coroa

Click to this video!

Como todos sabem sou casado, somos bi eu e minha mulher e sempre que podemos e temos oportunidade transamos com homens ou mulheres, mesmo gostando de um caralho gostoso me comendo adoro também comer um cuzinho, e quando tenho oportunidade como um cuzinho também.
Estava num bar conversando com amigos, minha esposa estava viajando com as crianças e como não queria ficar sozinha em casa, fui até um bar e encontrei alguns amigos, quando vi aquele coroa delicioso se aproximando de nós, fiquei vidrado nele, bonito, sem barrigada, cara limpinha e grisalho. Começamos a conversar e o pessoal foi saindo acabamos ficando nós dois conversando, ele olhava diretamente nos meus olhos, tinha bebido um pouco da conta o vinho, começo a desejar intensamente que nossa conversa passe logo à ação, principalmente porque achava que iria apagar jája. Cada palavra dele eu ia imaginando outras situações, foi quando ele tocou em minha mão e perguntou se eu estava bem e a minha resposta foi, completamente desconexa, sem sentido, fora do assunto ou sei lá o que passou pela minha cabeça. . Desejo seu corpo! Foi o que respondi pra ele! e, pelos seus olhares gulosos, descubro que em sua cabeça tem os mesmos pensamentos.
Vamos embora? Foi sua resposta a minha resposta! Como estava bem alto entrei com ele no seu carro, já que estava em perto de casa. fomos direto para o apartamento dele no Centro do Rio. Chegamos e tomamos mais um vinho, mais suave. Admirei seu apartamento, que estava bem arrumadinho e ele falou que era o matadouro dele, que era só para comer um cú bem gostoso sem ser atrapalhado por ninguém, cheguei a ficar arrepiado com as palavras fortes e diretas. Nos olhávamos e não víamos a hora de estarmos um no corpo do outro. Finalmente pudemos extravasar o tesão que nos enchia desde o primeiro momento em que cada um pôs os olhos no outro. Começamos a nos beijar, uma delicia sua língua parecia querer comer minha boca. Ele foi descendo sua boca até meu pescoço e suas mãos começaram a me livrar das roupas, tirando minha blusa e soltando meu cinto. Com vontade, chupou meus peitos. Arrepiei-me quando ele passou a língua pelos mamilos, uma coisa que não me deixa com tesão, mas h oje foi tudo diferente, que logo ficaram rijos. Abri seu cinto e percebi todo o tesão que ele guardava para mim. Seu pau, quente e duro, latejava em minhas mãos. Enquanto eu encaminhava minha boca para aquele pau tão apetitoso com as veias formando seu volume, ele acabou de me livrar das calças eu vestia e ficou louco quando me viu usando um fio dental, ele passo a mão na minha bunda e disse, que bundinha deliciosa e com esse fio dental está melhor ainda. Sentou no sofá e enfiei com vontade minha boca no seu caralho, lambia, colocava suas bolas na boca, lambia seu caralho como fazia com o sorvete. Minha saliva escorria pelo seu caralho. Lambia-o e chupava-o com tesão. Minha saliva escorria por todo seu pau. Chupei e passei a ponta da língua pela cabecinha intumescida com vontade, não parava de babar seu mel na portinha, que eu sugava e colocava a ponta da língua bem dentro do canal.
Sentia o coroa se contorcer dentro de minha boca. Ele me agarrou pelos cabelos e enfiava o pau com vontade em minha boca, chamando-me de putinha, fudendo minha boca como se fode uma buceta quente e úmida.
Seus dedos percorriam por minhas costas e peito, que a essas alturas, eu já não entendia nem em que posição estava, tanto era o meu tesão. Ele explorou cada centímetro do meu corpo, enquanto eu continuava a chupá-lo com gosto. Segurou minha cabeça e encheu minha boca com seu leitinho, bebi tudo me deliciando com aquele gosto delicioso, limpei seu caralho, ele continuava de caralho duro e pediu para eu sentar no seu caralho,, o que fiz com rapidez. Sentei-me sobre seu pau e quase gozei ao receber o volume teso em minha portinha, que por incrível estava lubrificada com a baba do meu próprio pau. Movimentava-me, fazendo seu pau forçar a entrada do meu cú que piscava de tesão, contraia minha bunda como mordendo seu mastro e me levantava arrastando a cabeça do seu caralho por todo meu rego. Ele me agarrava pela bunda, fazendo-me rebolar sobre sua pica impaciente, forçando seu cabeção na entrada. Fiquei de costas sobre seu caralho, Ele arfava e me acariciava a bunda, fa lando do tesão da minha bunda, com marquinha de sunga, lhe dava. Eu estava com o corpo bronzeado, pois fazia poucos dias que havia chegado da região dos lagos. Então, o coroa, me pediu desculpas e foi ao banheiro se lavar, eu estava com o cú piscando de tesão, olhando ele se banhar me deixava ainda mais tesudo, eu fazendo uma limpeza bucal e ele lavando todo o corpo, o aroma do seu perfume estava me deixando mais tarado ainda e não resisti e fui pra dentro do chuveiro com ele que me colocou de quatro e meteu com vontade seu pau entre as minhas coxas.
Seus movimentos me faziam gemer de tesão. Sua pica estava entrando e saindo de minhas coxas como se ele estivesse comendo uma xotinha com vontade, em cada mivimento seu pau ia pegando volume novamente. Enquanto metia em minhas coxas, com as mãos acariciava meus peitos que, a essa altura, já estavam duros de tanta excitação. Não agüentei e gozei com vontade, enquanto este coroa, baixinho em meu ouvido, me chamava de putinha, dizendo que ainda tinha mais pra mim.
Depois de gozar intensamente, quis retribuir o prazer que me proporcionou. Fomos para seu quarto principal do matadouro e perguntei como ele queria me rasgar o cú? Sentou na na beirada da cama e com cuidado ficou segurando sua pica apontando para o alto, que parecia prestes a gozar a qualquer instante. Ele já intuía o que eu iria fazer. Levantei-me e, aos poucos, fui colocando aquela vara dura em meu cuzinho de costas para ele, pois ele queria ficar alisando minha bunda que é muito apetitosa. Eu olhava para trás e via a excitação e o prazer estampados em seu rosto. Meu cuzinho foi engolindo com prazer àquela pica que, vez por outra, ensaiava entrar em meu cuzinho com mais
força, eu forçava meu cú para baixo sentindo a preção da cabeça do seu pau na entrada e tirava novamente. Adoro esse jogo, de controlar a ansiedade de uma rola por entrar na minha bunda. Quando ele forçava a entrada, eu parava. Aos poucos, ele percebeu que eu é que controlava a brincadeira e deixou que meu cuzinho cobrisse totalmente seu pau tão impaciente. Então, quando meu cu já cobria totalmente o tesão de caralho que tinha, o coroa virava os olhinhos de tesão, passei a fazer movimentos de vai-e-vem, pressionando meu cú para simular uma buca mordendo seu pau sem dentes, ele gemia, tremia e falava muita besteira, até me chamar de sua mulher ele chamou, jogando minha bunda com tesão sobre seu corpo, pude sentir seu pau latejar e aumentar de tamanho e com seu grito de “urra”. De repente, ele me colocou de quatro novamente e meteu com vontade em meu cuzinho que piscava já bem anestesiado. Eu gemia de prazer e dor e, quanto mais eu gemia, mais ele enfiava, já nã o era eu que estava controlando a brincadeira. Eu sentia-o alargado pelas estocadas vigorosas que meu coroa tesudo dava. Até pedi para que ele parasse, mas nada, ele apertava com força minha bunda e estocava com mais violência seu caralho no meu rabo. Quanto mais eu gemia, mais força ele dava às estocadas. Não agüentei e gozei
novamente, chamando seu nome. Em seguida foi a vez dele, enchendo meu cuzinho de porra quente, como tinha leite este coroa. Exaustos, vencidos pelo cansaço, dormimos juntos, ele agarrado às minhas costas. Na manhã seguinte, acordei com o pau duro do meu coroa enfiado em minha bunda, abrindo passagem e ele dizendo ao meu ouvido: “Aqui está o café da manhã pra essa putinha”. Mal tive tempo de acordar direito e o coroa já metia com vontade em minha bunda, que ainda não estava totalmente alargada e dolorida. Bastaram umas estocadas de sua pica, para que meu cú recebesse com tesão o volume duro que lhe invadia. Em poucos momentos gozávamos juntos, sua pica enchendo de porra minha bunda inchada e sua barba por fazer roçando meu cangote. Fomos para a mesa ele pegou um pote de manteiga e falou agora com manteiga, e começou a me comer novamente, me colocando no seu colo e me comendo com prazer, até que gozamos novamente, não sei como mas o coroa tinha um fogo daque les e sabia comer um cuzinho, falou que adorava comer casados, pois são discretos e não podem ficar se mostrando e querendo transar com outros machos.
Espero que tenham gostado.