Coisas Inesperadas que a gente nunca Imagina acontecer sempre acontece

Click to this video!

Bem o que vou contar para você e uma historia meio cabulosa mais e a pura verdade, eu desde jovem sempre tive relações anal com outro homem, fui estuprado por um senhor de 65 anos, não foi a força não, ele foi me seduzindo ate que acabei cedendo, digo estuprado pelo fato que era só para brincar por nas pernas mais ele acabou empurrando tudo na minha bunda, nossa doeu muito ele não deixou eu sair fora me segurou metendo ate o saco, então passei a dar a bunda para ele, e nisso fiquei com ele bem uns cinco anos, ele metia em mim quasse todos os dias, o coroa sabia meter num cu, e gostava, chegava ate gozar duas três vezes era de mais mesmo.
Eu sempre fui um rapaz bonito, corpo definido, uma bunda arrebitada lisinha, pernas bonitas, era e sou ate homem gostoso, depois deste coroa não parei mais adoro adoro dar a bundinha, sempre fui muito discreto, sigiloso e enrustido, fui servi o exercito, sabe como é tanto homem nu, tanta rola a mostra, eu tinha um corpo bonito com a bunda saliente lisinha, no banheiro tomando banho nossa tinha que me conter para não deixar cair a peteca, tinha uns mais atrevidos que queriam passar a mão, diziam que eu tinha uma bunda feminina, nisso acabei me envolvendo com um sargento e comecei dar para ele, o tempo que passei no quartel dava para ele direto, ele já era casado e adorava meter num cuzinho, metia gostoso.
O tempo foi passando tive outras experiencias, mas com 22 anos anos acabei me casando, bem porque eu dava mais também adorava uma boceta como adoro ate hoje, minha esposa uma loira, baixinha 1,65, 55 quilos umas pernas linda uma bunda carnuda muito gostosa, ela era novinha tinha 17 anos eu fui o seu primeiro homem, já no namoro a gente começou a brincar e passei então a meter na bunda dela, ele me chupar eu chupava ela, se demos bem eu adoro ela como pessoa, nos se amamos, mas mesmo assim quando tinha oportunidade eu dava a bunda, meu pau e pequeno 14 cm por 3,5 cm, e a vida foi passando, tive que trabalhar muito para poder da conta da casa, ela estava estudando, hoje e professora, nisso não tinha tempo para nada, só mesmo no dia da minha folga e que dava para dar uma saída com ela, ela passava mais tempo em casa sozinha, veio os filhos tenho dois, depois de um certo tempo a vida melhorou ela já trabalhava, os filhos já crescidos, e que começamos ter mais tempo para nós.< br /> Passamos então conversar mais e nas nossa transas ela começou ate chupar o meu cu, enfiava o dedo ate pepino ela chegou a enfiar, e eu adorava, ai começamos a pensar em mudar nossa casa, mudar para um lugar melhor uma casa melhor, arrumamos uma casa onde eu daria minha casa e mais uma parte em dinheiro, só que faltava algum dinheiro para completar, nesta época eu trabalhava num serviço de 12 por 36 sábado e domingos, livres, acabei arrumando outro serviço nas horas de folga, acabei arrumando um serviço numa loja onde eu já tinha trabalhado alguns anos atrás com o pai dele, um Turco, mais gente muito boa, que acabei me envolvendo também, ele adorava comer um cu, e tinha uma rola grossa cabeçuda, comecei a conversar com ele para ele me emprestar o dinheiro que faltava, ele estava meio indeciso, ele não conhecia minha esposa pessoalmente, um dia eu estava lá ela foi ate lá pegar dinheiro para comprar alguma coisa, nossa o Turco ficou vidrado, ela estava com um shor tinho branco curtinho e uma blusinha, com um tamanquinho de salto, nossa estava uma delicia, e todas as noites a gente fechava a loja e transava antes de ir embora neste dia nossa o Turco meteu demais, e começou a falar da minha esposa, eu fiquei com um pouco de ciumes, mais estava dando o cu para ele, chupando a rola dele, poderia falar o que, nisso ele falou se você deixasse eu meter com ela eu ate emprestaria o dinheiro para você trocar sua casa, e nem cobraria os juros, nossa gozamos muito neste dia.
No dia seguinte na loja ele voltou a falar sobre o assunto, perguntou então pensou na minha proposta, eu respondi pensar ate pensei mais tu acha que ela vai aceitar uma coisa desta, e capaz de separar de mim, ele então disse vamos planejar alguma coisa quem sabe.
Aquilo na verdade ficou na minha cabeça, como eu já havia comentado com ela que iria ver se o Turco emprestava o dinheiro, ela perguntou se eu já havia conversado com o Turco, sobre o empresto, eu respondi falar eu já falei só que ele veio com uma conversa estranha eu não falei mais nada, que conversa, eu respondi nem vou te falar, ela perguntou porque não quer falar, eu estou envolvida nesta proposta, eu respondi claro né, ela voltou a perguntar qual foi a conversa, eu disse ele falou se fosse para você ele ate emprestaria, ela disse então, eu respondi então que para emprestar o dinheiro você teria que foder com ela, eu dei uma aumentadinha, ele disse se você deixar ele comer seu cuzinho ele nem juros vai cobrar, ela não abriu a boca, ficou calada.
Como a gente havia visto uma casa que nos interessou, e só faltava mesmo o dinheiro, ela no dia seguinte me perguntou, Amor você quer que eu vá falar com ele, eu então perguntei você entendeu o que eu falei para você, se você for falar com ele ele vai querer meter com você, ela então perguntou mais o que você acha disso, eu respondi sei lá, eu não sabia o que responder, fiquei com medo, ela então disse para mim Amor vai ser uma só vez, eu então falei ele tem uma rola grossa, cabeçuda, você vai querer aguentar, ele vai querer comer seu cu, ela me respondeu será por uma causa nobre a nossa casa nova, com esta conversa toda acabamos transando e notei que ele ficou muito exitada gozou muito, e eu aproveite e disse ele vai meter a rola dele todinha neste cuzinho, você vai deixar mesmo, ela respondeu vou, quero sentir ela todinha lá dentro, e gozamos gostoso.
No dia seguinte ela ficou inquieta querendo ir lá, era uma sexta feira, e perguntou para mim se eu iria ficar lá também, eu disse que sim, mais não iria atrapalhar em nada, como eu e o Turco, nas sextas feiras a gente bebe umas cervejinhas ou ate uns wusquis, mandei ela ir lá um pouco antes de fechar para conversar e beber alguma coisa para descontrair, ela chegou era umas 17,30 horas a gente fechava a loja as 18 horas, eu apresentei ela a ele ficamos conversando e bebendo, quando foi uma 18,15 comecei a fechar a loja, recolher as coisas, deixei os dois sozinhos conversando e bebendo, quando baixei as portas eu já não vi os dois, nos fundos da loja tinha um quarto com cama, fui devagarinho comecei escutar os gemidos, dei um tempinho, e fui olhar não acreditei minha esposa já estava nua chupando a rola dele, os dois nu, na cama, nossa me deu um cala frio, fui pegar uma bebida forte, voltei ele estava chupando a boceta dela, ela gemia que nem louca, e escutei quando ela começ ou a chamar ele vem turcão vem coloca esta rola aqui dentro vem, quero sentir ela todinha lá dentro, vem aqui vem ele então meteu, nossa ela deu um gritinho, e ele socou a rola todinha lá de e começou a bombar forte, e ela dizendo isso turcão mete mesmo, mete, os dois gozaram, ele tem os costume assim que goza vai se lavar, eu fui conversar com ela, perguntei e dai, gostou, nossa maravilhosa que rola grossa, ela então disse da uma chupadinha ai vai, ele gozou sem camisinha, eu acabei chupando a boceta dela melada de porra, bem porque ele também já tinha gozado na minha boca varias vezes, ela se levantou foi se lavar, ele pegou ela pelas mão e levou para o quarto, eu perguntei então amor, vai continuar ela respondeu que sim, ele então começou a chupar ela, deu a rola para ela chupar quando estava bem dura lambuzou bem a rola e começou a tentar meter no cu dela, nossa ela rebolou mais aguentou ele fodeu para caralho, ele demora muito para gozar, na primeira e mais rápido mais na segunda nossa demora mesmo, eu e que sei, eu só sei que gozei quatro vezes vendo minha esposa metendo com ele, ele arregaçou o cu dela com aquela cabeçorra, foi maravilhoso, na semana ele me emprestou o dinheiro fechamos o negocio foi legal.
A semana passou quando foi na sexta feira na hora do almoço, ela me perguntou que horas ela para ela ir lá, eu disse a ela não seria só uma vez, ela me perguntou amorzinho não vai dizer que você não vai deixar mais, eu perguntei porque você vai querer ir lá mais, claro que quero, e foi no mesmo horário, e metemos de novo gostoso, ai toda sexta feira ela ia foder com ele, nos tínhamos um amigo de de vez em quando ele aparecia lá para meter também, na sexta quando ela chegou o cara estava lá já bebendo com a gente, apresentei ele a ela, e ficamos conversando, comecei a fechar a loja, o amigo veio me ajudar, eu pensei hoje furou o cara aqui ela não vai querer ir lá para dentro, assim que fechei a loja procurei os dois que nada já tinham ido lá para o quarto, o Alberto era mulato e tinha uma rola grande 22 cm, não tinha cabeça, mas do meio da rola para o saco a coisa engrossava chegava a 10 cm de diâmetro muito grossa, ficamos eu e ele ali chupando um a rola do out ro ele colocou na minha bunda, e pediu se ele poderia meter com ela, eu respondi vamos lá, nisso o turcão estava gozando o Alberto também adora porra, o turcão tirou a rola de dentro ele caiu de boca chupando a porra todinha, ele com a rola dura que nem uma pedra começou a meter nela, nossa a mulher começou a pedir devagar esta doendo, ela dizia caralho que rola grossa esta me arrombando ele socou tudo dentro gozou gostoso também, só não comeu o cu dela neste dia, mais depois em outro dia ela deixou ai sempre que ele aparecia a gente metia com ele também, depois ela descobriu que os dois metiam na minha bunda também e acabamos metendo gostoso, na nossa mudança na inauguração fizemos uma festinha lá, mais esta e outra historia que vou contar numa próxima vez.