A Chantagem Que Virou Prazer

Click to this video!

Olá, meu nome é Vanessa tenho 35 anos, tenho 1,69 m 57 k seios médio para grandes, cintura fina e quadril largo. Tenho um belo par de coxas que seduz qualquer um. Estou separada e moro com minha filha Larissa de 14 anos e desde a separação nunca me envolvi com outro homem. Até porque minha separação tinha sido traumática para mim. Eu lutei muito com meu ex-marido pela guarda da nossa filha. Vivia minha vidinha normalmente do trabalho para casa da casa para o trabalho, até que um dia ocorreu um evento que mudaria minha vida para sempre.
Tudo começou quando recebo um telefonema o diretor da escola onde minha filha estuda exigindo minha presença imediatamente no colégio. Ele disse que estava tudo bem com minha filha, porém ocorreu um fato que deveria ser resolvido imediatamente e era grave. Rapidamente me dirigi a escola, eu estava aflita com o que poderia ter acontecido com a Larissa. Ela era uma menina super comportada, não tinha namorado e pensava somente nos estudos, era uma filha perfeita, amorosa e até me ajudava nos afazeres diários da casa.
Chegando na escola fui logo encaminhada a sala do diretor onde estava minha filha. O diretor era um homem de aproximadamente uns 45 anos, alto forte e um charme que me chamou a atenção apesar de toda a minha ansiedade. Ele me cumprimentou disse que se chamava Paulo e que havia me chamado pelo motivo de terem encontrado drogas na mochila da minha filha. Fiquei sem chão, parecia que o mundo tinha desabado sobre mim, minha filha não poderia ter feito isso. Olhei para ela que parecia estar muito nervosa, ela falava que não sabia de nada, que nunca tinha visto aquelas pedrinhas de crak e que não tinha a menor ideia de como elas foram parar na sua mochila. Argumentei que devia ser um grande engano, porém o diretor me interrompeu e mandou minha filha voltar para a sala de aula e não falar nada sobre o ocorrido até que os fatos fossem investigados.
Minha filha saiu da sala e eu já estava mais aliviada, pois parecia que tudo estava se encaminhando para terminar bem. Mas eu estava enganada, assim que minha filha saiu da sala Paulo me disse que ia chamar a policia, que isso era muito grave e que não queria uma delinquente no seu colégio, falou ainda que Larissa estava expulsa. Tentei argumentar novamente dizendo que Larissa era um doce de menina e que aquilo era um engano e que eu ia processar a escola e seu diretor por calunia e injuria. Paulo então deu um tapão na mesa e foi logo me ameaçando, isso faça isso mesmo arme um escândalo, acredito que seu ex-marido iria achar isso muito bom. Quando ele falou aquilo gelei, pois sabia bem que meu ex-marido estava esperando a chance para ter a guarda da Larissa. Paulo continuava a falar e disse que tinha recebido um telefonema do Rodrigo (meu ex-marido) pedindo que eu ficasse de olho na Larissa, pois ele sabia que sua mão era muito negligente na educação da menina e que ele temia que algo de ruim estivesse por acontecer. Não sabia o que fazer, travei, não movia um músculo pensando que poderia perder minha filha. Tentei ficar calma, e pedi desculpas, disse que não iria processar ninguém e que eu estava nervosa, disse que Larissa era meu tesouro e que não poderia imaginar como seria minha vida sem ela. Paulo parecia não se comover com minhas palavras, pegou o telefone e começou o digitar os números, disse que ia ligar para meu marido. Comecei a chorar e implorei para que ele não fizesse aquilo. Paulo desliga o telefone e diz que poderia pensar em outra forma de resolver o assunto. Nossa, fiquei animada e logo as lágrimas de desespero se transformaram e lágrimas de alegria.
Enquanto me aliviava pensando que Paulo fosse uma alma boa, ouço-o trancando a porta com a chave. Paulo veio em minha direção bateu com as duas mãos nos meus ombros e falou:
Ótimo, vamos resolver a situação aqui entre nós.
Ainda bem próximo a mim falou:
Minha senhora veja bem, pense nas consequências de uma ligação para seu marido ou para a polícia. Podemos resolver tudo aqui mesmo e agora.
Paulo estava quase sussurrando em meus ouvidos. Percebi que Paulo não era a alma bondosa que eu imaginara.
– Veja bem minha senhora, dias atrás seu marido ligou e me ofereceu cinco mil reais por alguma informação que pudesse usar contra a senhora por não cuidar bem da sua filha. Hoje recebo um telefonema anónimo avisando sobre a droga na mochila da Larrisa. Eu sei que foi armação do seu marido. Estava disposto a ganhar uma grama extra, porém quando vi a senhora entrando na minha sala, pensei que poderíamos fazer uma troca. Esta noite a senhora vai sair comigo e vou fazer o que eu quiser com a senhora e em troca não chamo a polícia e ainda ajudo a senhora caso seu marido tente algum outro truque. Meu tio é juiz e meu irmão policial. Vá para casa leve sua filha, pense a respeito na minha proposta. Estarei aguardando seu telefonema ainda esta tarde para. Ele sorriu, destrancou a porta e me deixou sair.
Notei que ele olhava muito para meu decote. Eu estava com um vestido normal e comportado: bonito e levemente decotado. Não era um vestido provocante, no máximo era insinuante. Sai pensando na proposta do Paulo e querendo socar meu ex-marido por oferecer dinheiro a Paulo e tentar incriminar uma adolescente somente para me prejudicar. Peguei Larrisa e disse a ela que estava tudo resolvido que era engano e que já tinham descoberto quem tinha colocado a droga na sua mochila, e pedi que ela não falasse nada com ninguém para não prejudicar a conclusão das investigações. Ela acreditou na história.
Chegando em casa nem almocei direito pensando na proposta de Paulo. Tentei relaxar mergulhando na banheira. Quase adormeci com a água quente relaxando meu corpo. Refleti sobre a situação e imaginei que Paulo pudesse ser uma alternativa perfeita para me livrar não somente da acusação sobre a minha filha mas também poderia resolver todos meus problemas com meu ex-marido.
As 16 hrs liguei para Paulo e disse que aceitava a proposta mas com uma condição. Falei que seria totalmente sua desde que ele fizesse com que meu marido abrisse mão da guarda da minha filha. Ele aceitou e disse que ia mandar um táxi me apanhar as 20 hrs. Disse ainda para que eu inventasse uma historinha para minha filha pois eu iria voltar tarde para casa. Eu estava com tanta raiva do meu marido, e um tesão reprimido de meses, que fui para meu quarto me trocar. Me produzi toda, coloquei o vestido mais sexy que eu tinha o qual exibia um generoso decote, sandália de salto e uma bela maquiagem.
Disse para Larissa que sairia com umas amigas e que ela não me esperasse pois provavelmente chegaria tarde. Ela acreditou e disse que ia dormir cedo porque tinha prova no dia seguinte.
As 20 hrs em ponto chega o táxi e eu vou ao encontro de Paulo. Durante o trajeto fico um pouco apreensiva e também excitada, meu coração batia mais forte. Chegamos ao local, era uma hotel de luxo. Quando desembarquei fui imediatamente conduzida para a boate do hotel onde Paulo já me aguardava. A ambiente era aconchegante de uma penumbra acolhedora. Paulo sorriu ao me ver me cumprimentou e disse que eu estava linda e que meu vestido exibia toda a beleza do meu corpo. Paulo olhava muito para o meu decote. Fomos para uma mesa onde tomamos o primeiro drinque . Falei que estava envergonhada com a situação e que era uma mulher decente, que estava fazendo aquilo por amor a filha. Contei a Paulo que eu tinha casado virgem e só tinha estado na cama com meu marido e isso me assustava um pouco. Paulo dizia não entender como um homem podia ter deixado uma mulher assim. Dizia que era muito bonita e sensual. Aquelas palavras e mais a bebida foram me deixando mais leve. Foi quando a música começou a tocar uma seleção lenta, que Paulo me levou para o salão. Ele dançava bem, me segurava firme pela cintura apertando seu corpo junto ao meu. Sentia meus seios tocando seu corpo e seu membro crescendo e tocando minhas coxas. Ficamos assim por um instante, eu estava totalmente entregue, sentindo o pulsar daquele colosso roçando minhas pernas. Paulo então me me girou novamente e me beijou, foi um longo terno e demorado beijo, quase perdi o folego. Era o sinal que Paulo esperava, habilmente ele me conduz ao saguão do hotel onde entramos no elevador e subimos para uma suíte. No elevador Paulo beijava meu pescoço, minhas orelhas e me levava a loucura. No corredor eu já implorava em pensamentos para que aquele homem me possuísse ali mesmo. Entrando na suíte Paulo continuava a me abraçar e beijar, abriu o zíper nas costas do meu vestido puxando a parte superior para frente deixando meus seios quase a mostra, pois faltava tirar o sutien, que foi habilmente e rapidamente retirado. Paulo estava paralisado olhando para meus seios, que aquela altura já estavam com os biquinhos durinhos. Paulo começou beijando meus seios, primeiro o direito, depois o esquerdo, sua língua me levava a loucura. Logo eu estava somente de calcinha. Ajudei Paulo a se livrar da sua roupa e parei ao deixá-lo só de cueca. Já podia avistar seu membro duro ainda embaixo do tecido. Paulo me força para baixo ficando de joelhos com uma visão encantadora daquela vara. Sabia o que Paulo queria, baixei sua cueca observando seu pênis saltar a minha frente. Era lindo. Comecei tocando aquele membro rijo com minhas mãos, a palpando suas bolas. Logo ouvi ele dizendo:
– Chupa linda….chupa…
Queria deixar ele louco, e iniciei uma longa lambida iniciando na pontinha do pau até segar no saco e voltando lentamente, então engoli aquela tora gostosa sugando com força que arrancava gemidos de Paulo, que não parava de elogiar minha performasse.
– Safada…que chupada gostosa….para quem só transou com seu marido você chupa muito bem…..parece uma profissional….chupa vadia…putinha…
Aquelas palavras me deixavam mais safada ainda, pois meu ex nunca tinha me elogiado assim, apesar de sempre chupar seu pau, aliás isso eu devo a ele, meu ex sempre foi muito safado e me ensinou desde que namorávamos a chupar seu pau.
Continuei chupando aquele membro gostoso, ele tinha um bom tamanho uns 15 cm, parecido com o do meu ex, porém era mais duro, não sei explicar direito, talvez fosse a novidade que me excitava tanto.
A certa altura Paulo pediu para que eu parasse. Me levantou e me pegando no colo me levou para a cama. Ele me deitou e foi logo tirando minha calcinha. Sentia ela deslizar pelas minhas pernas. Eu que estava até então dona da situação comecei a tremer de nervosa e lembrar que nunca tinha estado com outro homem. Paulo separou minhas pernas e deitou-se sobre meu corpo. Sussurrando ao meu ouvido para que eu relaxasse, falava que ele seria bem carinhoso e que eu ia gostar. Estava ainda tentando ficar mais calma quando senti seu membro invadindo minha bucetinha encharcada de tesão. Soltei um gritinho de prazer trançando minhas pernas e abraçando com elas o corpo forte de Paulo. Ele metia devagar e compassadamente, as vezes parando e iniciando o vei e vem, as vezes tirando quase tudo e colocando novamente. Eu ia as nuvens ele era ótimo, sentia sensações nunca antes experimentadas. Gozei freneticamente, o que agradou muito a Paulo sentindo minhas contrações vaginais. Paulo parou um pouco e disse que agora seria a vez dele gozar. Então as estocadas do seu pau começaram a ficar mais rápidas e mais uma vez eu delirei nos braços daquele homem viril. Paulo gozou e senti ser inundada por seu esperma quente e caudaloso. Ficamos abraçados por uns instantes até que Paulo me pede para ficar de quatro. Aquela era minha posição favorita. Logo senti aquele membro já recuperado invadindo minha buceta novamente. Nossa ele era um magnifico. Bombava e dava alguns tapinhas na minha bunda me chamando de cadela. Agarrava meus cabelos e continuava bombando forte. Eu quase gritava de prazer inundada pela pica deliciosa que me fodia bem gostoso. Estava gozando novamente quando pedi para que Paulo gozasse também, aquele momento foi mágico e Paulo se acabou jundo comigo.
A noite terminou e eu voltei para casa duplamente satisfeita. Pois além de ter transado maravilhosamente ainda me livrei definitivamente do meu ex-marido. O irmão de Paulo deu uma dura no meu ex, ameaçando denunciar ele por ter colocado a droga na mochila da minha filha e disse que se ele tentasse mais alguma maracutaia para cima de mim que ele ia se arrepender profundamente. Agora estou mais tranquila, não tenho contato com Paulo, mas aquela noite ficou na minha memória.